Uma mulher me segue

1600092_3796782935688_2028101713_n

Crônica de Ronaldo Rodrigues

1. Existe uma mulher me seguindo

Por todos os lugares que vou, ela me segue. Leva tão a sério essa necessidade de me seguir que chega a percorrer em pânico lugares em que jamais fui.

Na certa, não há nenhuma finalidade filosófica ou estratégica nisso tudo. Pode ser só de sarro. Ou falta do que fazer. Sabe lá o que é que rola na cabeça das pessoas. Tá todo mundo meio pirado nesse começo de milênio. De repente, alguém cisma de seguir alguém e começa a seguir mesmo.

2. Quem dera, meu Deus!

Uma admiradora, quem sabe? Talvez seja pretensão da minha parte, mas que eu posso fantasiar um pouco, posso. Ah se posso!1579688_3796781295647_2023149429_n

Uma mulher bastante tímida, porém meticulosa, me segue desesperadamente e espera o momento propício para dar o bote, me colocar em xeque, surgir em sua forma mais cálida.

Tomara que ela me tenha flagrado em alguma atitude autêntica e grandiosa dentro da minha insignificância. Ou que, pelo menos, não tenha percebido o mau-humor que tento disfarçar.

3. Aviso a essa mulher

Se assim for, quero que ela saiba que num domingo de sol (ou de chuva), no fim da tarde, num mês de outubro desses da vida, eu deva estar completamente vulnerável, com a guarda baixa, espírito aberto às maiores surpresas, louco para receber uma boa notícia.

Ela poderá surgir e tentar me convencer de tudo o que queira, com seu estoque ilimitado de novas e belas palavras, gestos e caras.

1473882_3796782135668_2118395037_nSem pressa alguma, conversaremos milhões de detalhes quotidianos até atingirmos o ponto principal, ainda que eu ache que todos os pontos sejam principais. Aí, então, a história do amor, da humanidade, do pensamento terá mudado em alguma coisa. Será mais feliz, mais verdadeira.

4. Se o caso for outro…

Mas se não for nada disso, digo a essa mulher que eu não mereço a menor atenção. Sou um cidadão omisso, eleitor relapso, péssimo jogador de futebol. Não presto pra nada, muito menos lhe satisfazer. Nunca compus uma sinfonia, nunca descobri a cura de uma doença, nunca inventei algum aparelho que melhorasse a vida das pessoas. Não tenho a menor importância. Pare de me seguir. Ponto final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *