Unifap e Ubrock: uma cooperação Norte-Sul para estudos fronteiriços – Por Gutemberg de Vilhena

Por Gutemberg de Vilhena

Região das Guianas e Grandes Lagos

A questão do uso racional da água doce é um dos grandes e complexos temas de nossa geração. Poucas regiões no mundo têm tanta massa hídrica concentrada quanto a Região das Guianas no norte da América do Sul, e os Grandes Lagos na América do Norte (Veja no mapa abaixo). Ambas, embora possuindo inúmeras diferenças, apresentam alguns elementos convergentes e passíveis de análises comparadas.

A ocupação territorial pelos “caminhos” fluviais como ponto de conexões e fixação, a marcante história indígena e de escravidão, bem como o compartilhamento de limites internacionais por meio de suas redes hidrográficas são marcas que demonstram tal convergência. Este texto é o primeiro de uma série que publicarei aqui no BlogdeRocha para mostrar um pouco da colaboração que tenho realizado com a Universidade de Brock (UBrock, Foto 1), uma universidade canadense situada na região de Niagara canadense, fronteira com os Estados Unidos.

Primeira reunião para colaboração em pesquisa UBROCK-UNIFAP

Em 2018 delineei com Maria Pozas, professora da Universidade de Brock e minha grande colaboradora nesta iniciativa, um projeto hoje em execução para traçar análises comparativas e propor resultados a partir de nossos “olhares”, leituras e cruzamento de experiências sobre as duas macro-regiões acima mencionadas. Para esta tarefa, elegemos a questão hídrica e o tema fronteira como nosso eixo angular. Em maio do ano seguinte me vinculei à Universidade de Brock como pesquisador associado ao nosso interesse de pesquisa. O meu foco nesta frutífera colaboração é balizado em três grandes frentes aqui na UBrock: i) coleta e leitura de material bibliográfico; ii) conexões com pesquisadores locais; e iii) trabalho de campo. Neste último balizador, várias foram as cidades visitadas e analisadas, tanto nos EUA quanto no Canadá. Em cada uma, registros fotográficos e entrevistas foram realizados para completar as inúmeras pesquisas bibliográficas.

Ana Beltrame, Ademar Seabra, Maria Pozas e Gutemberg de Vilhena (Nov. 2018).

No caminho da pesquisa o apoio institucional é fundamental para o esperado êxito do trabalho, traduzido em conferências; publicações qualificadas em grandes periódicos ou livros de projeção internacional, cursos no exterior, etc. Aqui registro a licença para capacitação a mim concedida pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), à UBrock – que me acolheu como pesquisador visitante, ao projeto de pesquisa intitulado fronteiras em perspectiva multidisciplinar e multidimensional, que financia o trabalho de campo, ao suporte de vários de meus orientandos de graduação e pós-graduação da UNIFAP; e, finalmente, ao Consultado do Brasil em Ontário (Canadá), com destaque especial aos diplomatas Ana Lélia e Ademar Seabra. Nas publicações seguintes aqui no BlogdeRocha, concentrarei as reflexões em torno de parte dos resultados dos trabalhos de campo na região dos Grandes Lagos.

* Gutemberg de Vilhena Silva é pesquisador e professor doutor da Universidade Federal do Amapá, que trabalha no programa Estudos de Fronteira da Unifap.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *