Vem greve por aí – Égua-moleque-tu-é-doido – Via @alcinea

Jonata-Nazario
Foto: Jonatan Nazario

Por Alcinéa Cavalcante

Centenas de servidores públicos estaduais fecharam a Avenida FAB na tarde desta segunda-feira, 28, em protesto ao parcelamento dos salários anunciado sábado pelo governo do Amapá.

Enquanto os manifestantes gritavam palavras de ordem, representantes de mais de 20 sindicatos estavam reunidos, no auditório da Secretaria de Planejamento, com os secretários do Planejamento e da Administração.

Ao final da reunião, triste notícia para o funcionalismo: além de manter o parcelamento, o governo pretende congelar os salários por dois anos.

De acordo com o cronograma do governo, o salário de março será pago em duas parcelas: a primeira (60%) na próxima quinta-feira, 31, e a segunda (40%) até o dia 10 de abril. Os trabalhadores consideram isso “um golpe” e falam em greve geral.

Nos próximos dias, os sindicatos farão assembleias gerais para decidir se farão ou não greve geral.

O maior Sindicato do Amapá (Sinsepeap)- que é dos trabalhadores da educação – faz assembleia geral extraordinária nesta terça-feira, às 18h, na quadra da Igreja Jesus de Nazaré; o segundo maior sindicato – que é o da Saúde -, marcou assembleia geral para quinta-feira às 15h no auditório da escola Graziela Reis de Souza.

A Associação dos Delegados do Amapá distribuiu nota onde classifica de covarde a atitude do governo de parcelar os salários, acrescentando que “é um acinte, verdadeiro ato de escárnio com milhares de pais e mães de familia que diuturna e literalmente carregam esse Estado nas costas, eis que já desempenham suas atribuições em condições humanas e materialmente deploráveis.”

(Colaborou: Ronan Almeida, professor e ex-diretor de escola)

Fonte: Blog da Alcinéa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *