Vergonha e indignação no Fantástico

Fantástico (vídeo acima) – 08/04/2012
Na Assembleia Legislativa do Amapá, os 24 deputados recebem, por ano, 15 salários de R$ 20 042,00 Segundo o IBGE, o estado é um dos que menos contribuem na soma do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, apenas 0,2% Mesmo assim, em menos de um ano, os deputados do Amapá subiram a verba indenizatória de R$ 30 mil para R$ 100 mil mensais, ou seja, cada deputado tem à disposição R$ 1,2 milhão por ano para cobrir gastos extras Para receber o dinheiro, basta apresentar notas fiscais e pedir reembolso.

A Polícia Federal e o Ministério Público estão investigando o uso dessas verbas. “Como as verbas ainda não têm a comprovação de seus gastos, nós não podemos dizer que elas são regulares, que elas são legais. Nós achamos que é muito alto o valor para uma comunidade como a nossa, num estado como o nosso”, diz a procuradora-geral da Justiça, Ivana Lúcia Cei.

Em um dos postos de combustíveis que presta serviços à Assembleia Legislativa do AP, foram emitidos, em apenas um ano e meio, mais de R$ 500 mil em notas fiscais para os deputados que pediram reembolso com a verba indenizatória. Entre os sócios da empresa está um deputado, Michel Houat Harb, conhecido como Michel JK. Ele aparece no contrato social do posto, mas o gerente nega que ele seja sócio do estabelecimento.

Já o deputado Edinho Duarte apresentou notas fiscais para pedir reembolso com despesas de divulgação em vídeo e em um jornal local. Segundo relatório da Polícia Federal, a produtora de vídeo pertence à esposa do deputado, e o jornal, ao filho dele – e as duas empresas ficam no mesmo endereço. A equipe do Fantástico tentou falar com os deputados Edinho Duarte e Michel JK, mas eles não ligaram de volta.

Segundo o Ministério Público, os deputados amapaenses têm ainda o direito à maior diária do país durante as viagens. São até R$ 2.600 por dia, se a viagem for dentro do próprio estado. Segundo a Polícia Federal, em um ano, os deputados chegaram a receber quase R$ 4,5 milhões nas viagens pelo estado.

Fonte: http://www.chicobruno.com.br/noticia.php?n=38314

Meu comentário: Depois emitem nota que diz que “Todo poder emana do povo”. Isso não é fantástico, é vergonhoso e imoral. 
  • É difícil compreender esta expressão: verba indenizatória. Indenizar o quê se foram eleitos para lutar e defender os direitos do cidadão e precisam ser indenizados por isso? É claro que têm despesas, mas criem outro nome, mas indenizar,ser indenizados porque estão exercendo ou deveriam exercer a função para a qual foram eleitos? Existem uma expressões que vão sendo usadas para ludibriar e ninguém contesta. Eu não vejo comunidade alguma ter sido melhorada só porque aumentou extraordinariamente o valor que cada deputado recebe. E as leis são feitas por eles, para eles e para um cidadão que sobrevive de salário mínimo com filhos, escolas, alimentação, saúde,transporte é uma afronta, um desrepeito e são esses os defensores do povo? E esse dinheiro faz falta nos setores essenciais da comunidade. E aí, sim entra o parlamentar como fiscalizador da aplicação desse recurso para o bem comum. É tão simples compreender isso. Difícil é convencê-los disso.Mas se todo poder emana do povo… o povo unido que faça a parte dele.
    Édi Prado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *