Zona Norte sediará a Biblioteca Pública Municipal Alcy Araújo

Prefeitura de Macapá vai inaugurar a nova Biblioteca Pública Municipal de Macapá que terá o escritor Alcy Araújo como patrono do novo equipamento cultural. Localizado às margens da Rodovia Norte-sul no bairro Infraero II, o prédio que abrigará a Biblioteca Pública Municipal foi construído pela Justiça Federal do Amapá e cedido ao Município por meio de um Termo de Cooperação.

A biblioteca possui 525,63 metros quadrados e uma praça onde serão realizadas diversas atividades culturais. O espaço é constituído de hall para exposições artísticas, guarda volumes, espaço multimídia, espaço infantil, para trabalhos escolares, banheiros masculino e feminino, sala de inclusão digital, sala de leitura, processamento técnico, administração, depósito, acervo e copa.

A nova biblioteca será um local de interesse pela leitura, atrativo e de estímulo à criatividade e construção do conhecimento. Dentre as ações a serem desenvolvidas pela Biblioteca destacam-se as bibliotecas móveis, saraus literários, exposições artísticas e programações científicas.

A Biblioteca Pública é uma instituição fundamental para o desenvolvimento educacional, cultural e social dos povos. Nos países avançados são centros de formação da sociedade, sendo vista como a porta de entrada para o conhecimento e oportunidade para proporcionar condições básicas para aprendizagem permanente, autonomia, decisão e desenvolvimento cultural dos indivíduos e grupos sociais.

Desta forma, o retorno das atividades da Biblioteca Pública Municipal garantirá ao cidadão acesso ao conhecimento e atenção especial aos moradores dos bairros da Zona Norte de Macapá. A instituição será uma importante ferramenta de apoio à educação e à cultura.

Com esta iniciativa, a Prefeitura de Macapá visa expandir os serviços disponibilizados à zona norte da capital, área que tem registrado grande crescimento urbano e demográfico nas últimas décadas.

A Biblioteca Pública Municipal de Macapá

Criada em 1997, a Biblioteca Pública Municipal de Macapá funcionou inicialmente em uma sala do atual prédio da Fundação Municipal de Cultura, no entanto, o abando por parte da ultima gestão pública municipal, impossibilitou que a mesma mantivesse as condições mínimas para cumprir a finalidade de prestar a população serviços públicos gratuitos de livre acesso à literatura, à informação e ao registro da expressão cultural e intelectual humana em sua diversidade e pluralidade, como depositária da memória, história bibliográfica e incentivo ao gosto pela leitura em nosso Município.

A reabertura da Biblioteca em novo espaço permitirá o atendimento aos estudantes, professores e demais interessados no acervo bibliográfico e ao conhecimento, em ambiente adequado. Além disso, valores culturais serão somados ao espaço por meio da implantação de um memorial em homenagem ao escritor Alcy Araújo, paisagismo verde, exposição literária permanente e ambientação com referências ao legado da civilização Cunani, seguindo o conceito de cidade criativa adoto pela gestão do Prefeito Clécio Luis.
ALCY ARAÚJO

O patrono da Biblioteca,  Alcy Araújo Cavalcante, é paraense nascido no dia 7 de janeiro de 1924 em Belém, estudou na Escola de Aprendizes Artífices, tornando-se marceneiro, mas sua vocação era mesmo para as letras.

Alcy chegou a Macapá em 1953 e logo ingressou no serviço público como redator do Gabinete do governador Janary Nunes. Ocupou diversos cargos públicos ligados à comunicação, dentre outros. Trabalhou em muitos jornais, revistas e rádio, sempre esteve envolvido com atividades culturais e intelectuais do Amapá, principalmente a literatura, adotou vários pseudônimos para publicar artigos na imprensa, visando driblar a vigilância dos governantes militares.

Foi casado com a professora Delzuíte Maria Cavalcante, sua primeira esposa, com quem teve quatro filhos: Alcione Maria, Alcinéa Maria, Alcy Araújo Filho e Alcilene Maria. Com a segunda esposa, Maridalva Rodrigues dos Santos, teve cinco filhas: Astrid Maria, Aline Maria, Aldine Maria, Adriane Maria e Alice Maria.

Alcy Araújo faleceu no dia 22 de abril de 1989 nos deixando um rico legado literário publicado e obras em prosa e verso inéditos constantemente inseridos em antologias e coletâneas contemporâneas.
Obras publicadas:

1965 – Autogeografia
1983 – Poemas do Homem do Cais
1988 – Coletânea Amapaense
1997 – Jardim Clona l
2010 – Coletânea Contista do Meio do Mundo

Texto: Paulo Rocha
Asscom Fumcult

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *