Clube de Cinema, acidamente apresenta, os filmes SOZINHO CONTRA TODOS & CARNE


Dia 12 de abril, às 18h30, no Espaço Caos – arte e cultura, tem início a Mostra Gaspar Nóe, promovida pelo Clube de Cinema, com a exibição dos filmes “Carne” e “Sozinho contra todos”. Em sua biografia, o cineasta franco-argentino conta uma passagem curiosa sobre sua infância e formação: “Nasci na Argentina, e meus pais vieram para França quando tinha doze anos. Eu fui para a escola Louis Lumière, quando eu tinha dezessete anos. No final dos meus estudos, fiz uma curta-metragem erótico que foi exibido em qualquer lugar, porque festivais de cinema de curtas são muito pudicos. […] Quando eu era criança, minha mãe me levou a um psicanalista para uma avaliação psicológica. Ele me perguntou se eu gostava de filmes de terror, eu disse que sim. Foi-me dito que eu respondi bem e que era um sinal de equilíbrio psicológico. Assim, eu não parei mais de assisti-los ! “. 

O curta de que Gaspar Noé fala é Tintarella di Luna, que após circular de festival em festival, foi comprado e exibido em um canal de televisão. O sucesso do filme incentivou Gaspar a continuar. O diretor começou a escrever roteiros , incluindo um primeiro esboço de “Carne”. 

Em 1991, é lançado Carne, que nos apresenta o personagem de um açougueiro de carne de cavalo dos subúrbios de Paris, que cria sua filha Cynthia sozinho, após o desaparecimento da mãe da criança. Cynthia passa seus dias assistindo televisão. O tempo passa e o açougueiro continua tratando sua filha como um bebê. Mas ela cresce e ele tem que reprimir a tentação do incesto. No dia de sua primeira menstruação, Cynthia entra em pânico e vai até seu pai no açougue , que deduz que ela foi violentada em seu caminho por um trabalhador árabe. Como resultado deste mal-entendido, a vida de ambos tomará caminhos diferentes, até a oportunidade de um recomeço, em outro lugar. 

O personagem e sua filha reaparecem na sequência lançada em 1998, “Sozinho contra todos”. Após os desdobramentos trágicos de Carne, reencontram-se em uma Paris degradada, abandonada, onde o subúrbio mais parece com um depósito de gente desesperançada. Sem emprego nem perspectivas, o ex-açougueiro sente os efeitos da crise econômica que assola a França no final da década de 80, podendo seu “mundo interior” ser olhado a partir de uma perspectiva marxista. Estando alienado economicamente, o açougueiro perde sua dignidade na medida em que não pode executar seu trabalho, entrando numa vertiginosa quebra de caráter, legitimado pelo seu contexto. 

Misoginia, homofobia, xenofobia, incesto, violência…a barbárie está presente nos filmes de Gaspar Noé, tornando-os polêmicos não por iniciativa, mas por consequência. Após a exibição dos filmes, o Clube de Cinema realizará um debate com o tema “Primitivismo nas relações humanas: proibições e libertação”. 

Vai lá: 
Clube de Cinema – Mostra Gaspar Noé
12/04: Carne + Sozinho contra todos
26/04: Enter the void
Onde: Espaço Caos – arte e cultura
Horário: 18h30
Entrada franca.


Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*