27ª Mostra de Dança do SESI Amapá abordará viagem no tempo

A 27ª Mostra de Dança do Serviço Social da Indústria (SESI) do Amapá proporcionará ao público uma viagem no tempo, mostrando grandes acontecimentos que contribuíram para a evolução da sociedade. Com o tema “Chronos, a máquina”, o evento contará com 14 apresentações de dança e três musicais, no dia 5 de dezembro, às 19h30, no Teatro das Bacabeiras.

A Mostra tem o objetivo de estimular a prática da dança como expressão artística, contribuindo para o crescimento cultural do estado, além de melhorar a qualidade de vida por meio da adoção de um estilo saudável. Este ano, o espetáculo contará com a participação da Banda de Percussão do SESI, apresentações nas modalidades de dança contemporânea, jazz e danças urbanas, além de participações de outras escolas convidadas.

Para a professora de balé do SESI AP, Paula Lopes, o evento trará surpresas e momentos de reflexão. “Este ano, o espetáculo pretende fazer com que os nossos alunos e o público façam uma viagem ao passado e ao futuro que imaginamos, despertando o senso crítico e imaginativo a partir da dança”, explicou a professora.

A venda de ingressos, no valor de R$ 15 (meia-entrada) está sendo realizada no setor de Atendimento do SESI, localizado na Av. Desidério Antônio Coelho, s/n – Trem. Mais informações: (96) 3084-8932/3084-8935.

Serviço:

27ª Mostra de Dança
Data: 5 de dezembro
Horário: 19h30
Local: Teatro das Bacabeiras
Ingressos: R$ 15 reais (meia-entrada)

Assessoria de comunicação

Hoje é o Dia do Samba

Hoje é o Dia Nacional do Samba, o gênero musical mais brasileiro de todos e amado pelos boêmios do nosso país. Apesar de fã de Rock, também aprecio um bom sambão. Desde que não seja pagode meloso (aquele estilo de música que possui as vogais como base), tocado na maioria dos locais.

De acordo com o conceito: o Samba é um gênero musical, derivado de raízes africanas surgido no Brasil e tido como o ritmo nacional por excelência. É uma das principais manifestações culturais populares brasileiras.

O Samba se transformou em símbolo de identidade nacional. Dentre suas características originais, está uma forma onde a dança é acompanhada por pequenas frases melódicas e refrões de criação anônima.

O gênero nasceu no Recôncavo Baiano e foi levado, na segunda metade do século XIX, para a cidade do Rio de Janeiro pelos negros que migraram da Bahia e se instalaram na então capital do Império. O samba se tornou, em 2005, um Patrimônio da Humanidade, de acordo com a United Nation Educational, Scientific and Cultural Organization (Unesco).

Amo o Samba, o gênero é brilhante. Cresci ao som deste estilo, com o velho Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Paulinho da Viola, entre outros monstros sagrados da nossa música.

Durante o Carnaval, o samba corre nas veias dos foliões, ritmo oficial da festa da carne. Amo essa época e só pra lembrar: sou Piratão).

Origem do Dia do Samba

De acordo com a lenda popular, o Dia do Samba foi criado em homenagem ao sambista Ary Barroso, compositor da música “Na Baixa do Sapateiro”, uma ode à Salvador, capital da Bahia.

O vereador baiano Luís Monteiro da Costa foi quem instituiu a data, marcando o dia em que Ary Barroso visitou a Bahia pela primeira vez. em 1940.

Desde então, o Dia do Samba é comemorado principalmente em Salvador e no Rio de Janeiro, onde organizam-se festas e shows em homenagem ao ritmo.images (1)

A canção diz ainda que “quem não gosta de samba, bom sujeito não é”. Às vezes, sou ruim da cabeça e doente do pé ( quando alguma unha encrava), mas gosto do bom e velho Samba.

Viva o Samba e os sambistas!

Elton Tavares

Fonte: Calendar

Hoje rola espetáculo de dança”Remonta- íntimo amor”, no Teatro das Bacabeiras

Neste domingo (1), a partir das 19h30, o Grupo Âmago apresentará o espetáculo de dança”Remonta- íntimo amor”. A mostra, dirigida pelo coreógrafo Pablo Senna, trará histórias de amor clichês e com finais esperados.

Grupo Âmago

Fundado por 10 bailarinos em maio de 2018, o Grupo Âmago possui uma proposta inovadora de fazer e ensinar dança no estado do Amapá. Âmago significa “aquilo que está no centro, cerne, intrínseco”. Representa tudo o que a dança significa para nós.

Nossa estreia oficial foi em outubro de 2018, quando conquistamos nossas primeiras premiações no festival internacional de danças da Amazônia – FIDA com o 1ª lugar em duas categorias. Em novembro do mesmo ano recebemos o convite da prefeitura de kourou, na Guiana Francesa para participarmos do evento em comemoração ao aniversário da cidade. Levamos o espetáculo “Remonta”, que fora criado especialmente para este momento.

Nossa missão não é conquistar somente o público com nosso trabalho, mas convidar o indivíduo a se expressar com a arte do movimento, utilizando o mais profundo âmago de seu ser.

Serviço:

Espetáculo de dança”Remonta- íntimo amor”,
Local: Teatro das Bacabeiras
Data: 01/12/2019
Hora: 19h30
Ingressos: R$ 20,00 (inteira)

Batuque e Marabaixo: neste domingo (17), rola Roda Bandaia no Norte das Águas

Neste domingo (17), a partir das 17h, no bar e restaurante Norte das Águas, será realizada mais uma edição da Roda Bandaia. Idealizado pelo Grupo Bandaia de Batuque e Marabaixo, em novembro de 2015 e com direção musical de João Amorim, o evento visa o fortalecimento de ritmos, musicalidade e cultura locais. Os encontros sempre foram sucesso de público e crítica. A entrada será gratuita.

A Roda de Bandaia conta com os músicos João Amorim, na voz e percussão; Nitai Santana, voz e baixo; Lucas Santana, violão; Paulinho Queiroga, voz e bateria; e Ismael Biluca, percussão. Quem quiser pode participar cantando, tocando ou dançando na roda, o espaço é para todos que curtem o marabaixo, batuque, carimbó, e outros ritmos da Amazônia. Tem também o varal de saias coloridas para quem quiser ficar mais bonito ainda. E ainda convidados; Saião para as açucenas, Gengibirra e cerveja gelada.

Norte das Águas

O Norte das Águas é um dos mais conceituados pontos turísticos de Macapá, que fica situado às margens do rio Amazonas, no Complexo Marlindo Serrano (Araxá). O estabelecimento serve boa comida, cervejas enevoadas e drink’s variados. Além do atendimento porreta. Tudo às margens ventiladas do Amazonas, o nosso riozão bonito.

Enfim, quem curte Batuque, Marabaixo, Zouk, Bandaia e Cacicó vai curtir. Recomendo!

Serviço:

Roda de Batuque Bandaia – Complexo do Araxá
Local: Norte das Águas, localizado no Complexo do Araxá, na zona Sul de Macapá.
Data: 17/11/2019
Hora: a partir das 17h.

Elton Tavares

27ª Mostra de Dança do SESI Amapá abordará viagem no tempo

A 27ª Mostra de Dança do Serviço Social da Indústria (SESI) do Amapá proporcionará ao público uma viagem no tempo, mostrando grandes acontecimentos que contribuíram para a evolução da sociedade. Com o tema “Chronos, a máquina”, o evento contará com 14 apresentações de dança e três musicais, no dia 5 de dezembro, às 19h30, no Teatro das Bacabeiras.

A Mostra tem o objetivo de estimular a prática da dança como expressão artística, contribuindo para o crescimento cultural do estado, além de melhorar a qualidade de vida por meio da adoção de um estilo saudável. Este ano, o espetáculo contará com a participação da Banda de Percussão do SESI, apresentações nas modalidades de dança contemporânea, jazz e danças urbanas, além de participações de outras escolas convidadas.

Para a professora de balé do SESI AP, Paula Lopes, o evento trará surpresas e momentos de reflexão. “Este ano, o espetáculo pretende fazer com que os nossos alunos e o público façam uma viagem ao passado e ao futuro que imaginamos, despertando o senso crítico e imaginativo a partir da dança”, explicou a professora.

A venda de ingressos, no valor de R$ 15 (meia-entrada) está sendo realizada no setor de Atendimento do SESI, localizado na Av. Desidério Antônio Coelho, s/n – Trem. Mais informações: (96) 3084-8932/3084-8935.

Serviço:

27ª Mostra de Dança
Data: 5 de dezembro
Horário: 19h30
Local: Teatro das Bacabeiras
Ingressos: R$ 15 reais (meia-entrada)

Assessoria de comunicação

Batuque e Marabaixo: neste domingo (27), rola Roda Bandaia no Norte das Águas

Neste domingo (27), a partir das 17h, no bar e restaurante Norte das Águas, será realizada mais uma edição da Roda Bandaia. Idealizado pelo Grupo Bandaia de Batuque e Marabaixo, em novembro de 2015 e com direção musical de João Amorim, o evento visa o fortalecimento de ritmos, musicalidade e cultura locais. Os encontros sempre foram sucesso de público e crítica. A entrada será gratuita.

A Roda de Bandaia conta com os músicos João Amorim, na voz e percussão; Nitai Santana, voz e baixo; Lucas Santana, violão; Paulinho Queiroga, voz e bateria; e Ismael Biluca, percussão. Quem quiser pode participar cantando, tocando ou dançando na roda, o espaço é para todos que curtem o marabaixo, batuque, carimbó, e outros ritmos da Amazônia. Tem também o varal de saias coloridas para quem quiser ficar mais bonito ainda. E ainda convidados; Saião para as açucenas, Gengibirra e cerveja gelada.

Foto: Márcio Ferreira

Norte das Águas

O Norte das Águas é um dos mais conceituados pontos turísticos de Macapá, que fica situado às margens do rio Amazonas, no Complexo Marlindo Serrano (Araxá). O estabelecimento serve boa comida, cervejas enevoadas e drink’s variados. Além do atendimento porreta. Tudo às margens ventiladas do Amazonas, o nosso riozão bonito.

Enfim, quem curte Batuque, Marabaixo, Zouk, Bandaia e Cacicó vai curtir. Recomendo!

Serviço:

Roda de Batuque Bandaia – Complexo do Araxá
Local: Norte das Águas, localizado no Complexo do Araxá, na zona Sul de Macapá.
Data: 27/10/2019
Hora: a partir das 17h.

Elton Tavares

Apoio da Secult: Movimento Cultural ‘Ancestrais’ fará receptivo do Congresso Multidisciplinar de Oncologia

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult), por meio do seu credenciamento artístico, apoiará o I Congresso Amapaense Multidisciplinar em Oncologia, que será realizado no período de 3 a 5 de outubro, no anfiteatro da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e contará com a presença de profissionais de renome nacional. Na ocasião, o Movimento Cultural ‘Ancestrais’ fará apresentação cultural na recepção aos participantes do Simpósio que virão de outros estados.

Segundo o secretário de Estado da Cultura, os eventos de grande porte precisam da presença cultural dos artistas amapaenses. Com o apoio, o evento contará com apresentações musicais em sua programação.

“Estamos no apoio ao Congresso e a todos os grandes eventos pois, ao sediarmos estes encontros, mostramos a força de nossas tradições e identidade cultural. Nada melhor que o Marabaixo, manifestação cultural genuinamente amapaense, com a apresentação de dança do Movimento Cultural Ancestrais”, enfatizou Evandro Milhomen, secretário de Estado da Cultura.

Sobre o Congresso

O Congresso visa debater, atualizar protocolos e estabelecer novos tratamentos e ações de controle do câncer. A iniciativa é uma parceria da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), através da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), Unifap e da Liga de Oncologia do Amapá (Lacon), para estimular o desenvolvimento científico e tratamento desta enfermidade no Estado.

Segundo o médico oncologista da Unacon, Roberto Marcel Soares, a conferência é uma grande oportunidade para que profissionais e acadêmicos possam aprimorar seus conhecimentos em diversos segmentos da oncologia. “Esse é um evento que terá um nível científico alto, com a presença de profissionais de referência nacional. Foi um esforço conjunto para oferecer à comunidade acadêmica e profissionais da área abordagens atuais voltadas à oncologia”, disse.

A programação do evento consta de palestras, mesas redondas e debates nas áreas clínicas e cirúrgicas de mastologia, ginecologia, urologia, cirurgia de cabeça e pescoço, urgências cirúrgicas em oncologia e cirurgia geral oncológica. As inscrições para o Congresso estão abertas para acadêmicos e profissionais da área da saúde, no endereço eletrônico: http://www.laconap.com.br/register.

Movimento Cultural ‘Ancestrais’

O Movimento Cultural ‘Ancestrais’ tem como objetivo preservar, valorizar, fortalecer e disseminar a história do Marabaixo – dança do Amapá – a toda a sociedade Amapaense, crianças, jovens, idosos, homens e mulheres que buscam conhecer a história artística e cultural da dança e suas cantigas.

O grupo é presidido pelo jovem Daniel Barbosa da Costa Ramos, tem 43 componentes, entre homens, mulheres e crianças, que fazem no momento de cada apresentação a integração com o público, levando a harmonia entre a dança, o canto e o toque das caixas.

O Movimento Ancestral tem se destacado ao longo desses últimos sete anos, com participações em eventos nacionais e internacionais, execução de projetos, palestras, oficinas e rodas de conversas para o público estudantil, acadêmicos e sociedade civil com recorte étnico racial, de gênero e geracional atendendo à Lei 10.639/2003, que fala da obrigatoriedade para que a história africana e indígena seja trabalhada no currículo oficial das escolas públicas e privada.

Batuque e Marabaixo: neste domingo (29), rola Roda Bandaia no Norte das Águas

Neste domingo (29), a partir das 17h, no bar e restaurante Norte das Águas, será realizada mais uma edição da Roda Bandaia. Idealizado pelo Grupo Bandaia de Batuque e Marabaixo, em novembro de 2015 e com direção musical de João Amorim, o evento visa o fortalecimento de ritmos, musicalidade e cultura locais. Os encontros sempre foram sucesso de público e crítica. A entrada será gratuita.

A Roda de Bandaia conta com os músicos João Amorim, na voz e percussão; Nitai Santana, voz e baixo; Lucas Santana, violão; Paulinho Queiroga, voz e bateria; e Ismael Biluca, percussão. Quem quiser pode participar cantando, tocando ou dançando na roda, o espaço é para todos que curtem o marabaixo, batuque, carimbó, e outros ritmos da Amazônia. Tem também o varal de saias coloridas para quem quiser ficar mais bonito ainda. E ainda convidados; Saião para as açucenas, Gengibirra e cerveja gelada.

Norte das Águas

O Norte das Águas é um dos mais conceituados pontos turísticos de Macapá, que fica situado às margens do rio Amazonas, no Complexo Marlindo Serrano (Araxá). O estabelecimento serve boa comida, cervejas enevoadas e drink’s variados. Além do atendimento porreta. Tudo às margens ventiladas do Amazonas, o nosso riozão bonito.

Enfim, quem curte Batuque, Marabaixo, Zouk, Bandaia e Cacicó vai curtir. Recomendo!

Serviço:

Roda de Batuque Bandaia – Complexo do Araxá
Local: Norte das Águas, localizado no Complexo do Araxá, na zona Sul de Macapá.
Data: 29/09/2019
Hora: a partir das 17h.

Elton Tavares

Neste domingo (25), rola Roda Bandaia no Norte das Águas

Neste domingo (25), a partir das 17h, no bar e restaurante Norte das Águas, será realizada mais uma edição da Roda Bandaia. Idealizado pelo Grupo Bandaia de Batuque e Marabaixo, em novembro de 2015 e com direção musical de João Amorim, o evento visa o fortalecimento de ritmos, musicalidade e cultura locais. Os encontros sempre foram sucesso de público e crítica. A entrada será gratuita.

Vai rolar o som do Grupo Bandaia e convidados; Saião para as açucenas, Gengibirra e cerveja gelada.

Foto: Márcio Ferreira

Norte das Águas

O Norte das Águas é um dos mais conceituados pontos turísticos de Macapá, que fica situado às margens do rio Amazonas, no Complexo Marlindo Serrano (Araxá). O estabelecimento serve boa comida, cervejas enevoadas e drink’s variados. Além do atendimento porreta. Tudo às margens ventiladas do Amazonas, o nosso riozão bonito.

Enfim, quem curte Batuque, Marabaixo, Zouk, Bandaia e Cacicó vai curtir. Recomendo!

Serviço:

Roda de Batuque Bandaia – Complexo do Araxá
Local: Norte das Águas, localizado no Complexo do Araxá, na zona Sul de Macapá.
Data: 25/08/2019
Hora: a partir das 17h.

Elton Tavares

‘BTS Day’ tem jogos de dança e brincadeiras sul-coreanas para fãs do k-pop, em Macapá

Grupo BTS será homenageado em evento, em Macapá — Foto: Divulgação

Por Victor Vidigal

O BTS Day é um evento em homenagem ao grupo sul-coreano de mesmo nome que virou fenômeno mundial. A programação de k-pop acontece no domingo (28), em uma casa de eventos localizada no bairro Jesus de Nazaré, de 14h às 20h, Zona Central de Macapá.

A festa comemora os seis anos da estreia dos sete meninos no mundo musical, com o EP “2 Cool 4 Skool”. O evento também ocorre em outros 20 estados brasileiros, como explica Brenda Pires, uma das coordenadoras do evento na capital.

“É um evento que acontece nacionalmente, em outros 20 estados, com autorização da empresa que cuida da carreira do BTS. É uma homenagem que é para o grupo, mas ele é voltado também para a cultura k-pop como um todo”, disse a coordenadora.

Entre as atrações estão apresentações musicais, brincadeiras típicas da cultura sul-coreana, Random Play Dance – jogo de dança em que tocam partes de musicas aleatórias do estilo – e concurso de dance cover, com premiação em dinheiro para o 1º e 2º lugares.

Os ingressos estão sendo vendidos presencialmente e pela internet. Quem optar em fazer a compra pela segunda opção, poderá escolher entre três kits: com cards, pôsteres e camisas.

Serviço:

BTS Day 2019 em Macapá
Data: 28 de julho (domingo)
Hora: 14h às 20h
Local: altos da Sorveteria Jesus de Nazaré
Ingressos: R$ 10 (1º lote)
Postos físicos de venda: Norte Rock no Villa Nova Shopping (dinheiro e cartão de crédito); Melissa do Macapá Shopping (somente dinheiro)

Fonte: G1 Amapá

Artistas recebem cachê logo após apresentações no Macapá Verão

A prefeitura da capital amapaense valoriza os artistas do Macapá Verão 2019. Assim como em outros anos, as atrações recebem o cachê logo após as apresentações. A dinâmica faz parte do compromisso e respeito a todos os artistas.

“O pagamento é um compromisso da gestão do prefeito Clécio com a classe artística. Sempre fizemos isso pensando numa maneira de fomentar a cadeia produtiva e é uma forma de valorização e respeito a esses profissionais”, destacou a diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Marina Beckman.

Os artistas recebem mediante apresentação de nota fiscal e a prefeitura efetua o pagamento via transferência bancária para uma conta jurídica do profissional. “A gente tem um custo com roupa, espaço de ensaio e dedicação. O Município vem mostrando respeito com os profissionais da dança e eu aproveito para parabenizá-lo e agradecer a oportunidade”, disse o dançarino Maicon Rigor, que se apresentou com o seu grupo de samba de gafieira neste domingo, 21, na Fazendinha.

Cássia Lima
Assessora de comunicação/Fumcult
Fotos: Max Renê

Documentário e livro vão contar histórias do movimento hip-hop em Macapá

Velha guarda do hip-hop de Macapá se reuniu neste sábado (20), na Praça da Bandeira — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Por Taemã Oliveira e Jorge Júnior

A história do movimento hip-hop em Macapá vai virar livro e documentário feito pelos próprios envolvidos na cena entre as décadas de 1980 e 1990. A velha guarda do movimento se reuniu no último sábado (20), na Praça da Bandeira, no Centro da capital, e contou o que busca com as produções.

“O documentário surgiu da ideia de que não tem registro do hip-hop no estado. E nós como precursores do movimento break dance no Amapá buscamos contar a história do começo do movimento“, disse o assistente administrativo Aminadábio Brito.

Durante as narrativas, a mensagem que o grupo pensa em transmitir é a mudança social que a cultura vinda dos Estados Unidos causou na vida dos jovens amapaenses nas duas últimas décadas do século 20.

Historiador João Ataíde — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

“Hoje, depois de 30 anos, a gente tem noção do que fizemos. Aonde o poder público não chega, quem chega é o hip-hop. E a nossa geração deu certo: são doutores, comandante do bombeiro, delegado de polícia. E a gente tem noção agora de que se não fosse o hip-hop naquele momento nada disso teria acontecido. O hip-hop nos salvou“, explica o historiador João Ataíde, um dos autores do livro.

A intenção do grupo é lançar as obras até o final deste ano. Outro ponto que busca ser destacado é a dificuldade enfrentada por seguir um estilo de vida nada comum em um território federal que ainda buscava ser reconhecido como estado.

Assistente administrativo Aminadábio Brito — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

“A gente andava por Macapá e as pessoas nos viam assim meio que arredios. Na nossa época éramos discriminados, tivemos gravadores quebrados pela polícia, recriminavam nossa roupa, a forma como a gente dançava“, lembra Brito.

E em 2024, um dos elementos do hip-hop, a dança break será uma das competições nos Jogos Olímpicos na cidade de Paris, na França. O b-boy Sidarta Amorim, que há 11 anos participa da cena de dança de rua na capital, fica feliz em ver o reconhecimento da arte nos dias atuais.

Dança break será esporte olímpico em 2024 — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

“No momento em que eles estavam a cultura hip-hop ainda estava muito marginalizada e hoje essa imagem ela é quebrada e a gente pega isso e transforma em algo positivo, porque a essência do hip-hop foi sempre combater a violência, trazer a paz e pregar sempre o amor”, define Amorim, que também é estudante de filosofia.

Fonte: G1 Amapá

Neste domingo (14), rola Roda Bandaia no Norte das Águas

Neste domingo (14), a partir das 17h, no bar e restaurante Norte das Águas, será realizada mais uma edição da Roda Bandaia. Idealizado pelo Grupo Bandaia de Batuque e Marabaixo, em novembro de 2015 e com direção musical de João Amorim, o evento visa o fortalecimento de ritmos, musicalidade e cultura locais. Os encontros sempre foram sucesso de público e crítica. A entrada será gratuita.

Vai rolar o som do Grupo Bandaia e convidados; Saião para as açucenas, Gengibirra e cerveja gelada.

Foto: Márcio Ferreira

Norte das Águas

O Norte das Águas é um dos mais conceituados pontos turísticos de Macapá, que fica situado às margens do rio Amazonas, no Complexo Marlindo Serrano (Araxá). O estabelecimento serve boa comida, cervejas enevoadas e drink’s variados. Além do atendimento porreta. Tudo às margens ventiladas do Amazonas, o nosso riozão bonito.

Enfim, quem curte Batuque, Marabaixo, Zouk, Bandaia e Cacicó vai curtir. Recomendo!

Serviço:

Roda de Batuque Bandaia – Complexo do Araxá
Local: Norte das Águas, localizado no Complexo do Araxá, na zona Sul de Macapá.
Data: 14/07/2019
Hora: a partir das 17h.

Elton Tavares

Hoje é o Dia Mundial do Rock !! (origem da data e história do estilo)

Amamos Rock and Roll e hoje (13) é o Dia Mundial do Rock. No dia 13 de julho de 1985, o produtor Bob Geldof organizou o “Live Aid”, um show histórico e simultâneo, realizado em Londres (ING) e na Filadélfia (EUA). O objetivo era o fim da fome na Etiópia. Lá se vão 34 anos do show que mudou a história do rock.

Em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8, para pressionar os líderes do G8 a perdoar a dívida externa dos países mais pobres Desde então, o dia 13 de julho passou a ser conhecido como Dia Mundial do Rock. Vamos resumir a ópera (tudo bem, é um resumão, mas vocês vão curtir):

Sr. Jazz e Sra. Blues

Há cerca de 70 anos, um casal de velhinhos, casados desde o fim da segunda guerra, ambos de pele escura, donos de vozes graves e um jeito simpatissíssimo, risonhos e alegres, que adoram “mexer as cadeiras”, como eles mesmos dizem, brigavam com uma vizinha, a Senhora Música Clássica. É, o Sr. Jazz e Sra. Blues não eram fracos.

Reza a lenda que quando eles saiam por aí juntos, ninguém era de ninguém, e por isso, até hoje é difícil saber quem são os verdadeiros pais dos quatro garotos que brotaram dessa relação tão moderna. O Rockabilly, Rock Progressivo, Hard rock e Rock Pop.

Rockabilly

Rockabilly, o irmão mais velho, herdou dos pais a incansável vontade de dançar. Na adolescência andou muito com um dos seus irmãos, o Rock Pop. Usava calça boca de sino, topete e óculos escuros, mesmo quando não fazia sol. Fez um tremendo sucesso entre as garotas quando jovem, mas se tornou um velho gordo.

Rock Pop

O Rock Pop está sempre na moda, mas quando quer dizer algo, se perde em suas contínuas mudanças de opinião. Já andou com todos os seus irmãos, mas sempre teve problemas com o Rock Progressivo. O que se sabe, é que ele está sempre montado na grana e quem anda com ele, sempre se dá bem financeiramente. Rock Pop é viciado em dinheiro e se vende por qualquer coisa. É normal ouvir falar por aí que ele é um enganador, mas nunca ninguém conseguiu uma prova concreta.

Rock Progressivo

O Rock Progressivo, por sua vez, está na cara, no corpo e no jeito de ser de um legítimo filho do Sr. Jazz e Sra. Blues. É um cara exibicionista, adora se “amostrar”, fazendo inúmeras loucuras. Às vezes, fica chato por demorar muito tempo em suas loucuras, só porque é difícil de fazer. Isso causa irritação em muitas pessoas, mas no fundo, é um cara bacana.

Hard Rock

O Hard Rock é o mais revoltado da família. Às vezes, no meio da diversão se torna meio dançante. Cabeludo, adora usar lenço na cabeça, maquiagem e vive fazendo poses homossexuais. Alguns o chamam de gay, outros dizem que ele só se comporta assim para causar impacto. O que se sabe é que na adolescência, ele era ninfomaníaco e usou e abusou das drogas. Mas logo casou e teve dois filhos. O primogênito Heavy Metal e o caçula Punk Rock.

Heavy Metal
Punk Rock

No meio disso tudo, a vizinhança comenta que o Sr. Blues teve um namoro sério com uma ativista política, e dessa relação surgiu o Rock, simples assim. Um rapaz afoito, naturalista e espontâneo. Nunca teve papas na língua e dizia exatamente aquilo que pensava. Às vezes era muito relaxado, tentou ser igual ao pai, mas não teve sucesso nessa tentativa e se frustrou. Surgindo daí um sentimento de revolta meio contido, que só era observado nas entrelinhas.

Dependendo do seu humor, ele não tá nem aí para nada. Fala de igualdade e exalta idéias comunistas. Este teve dois filhos com uma namorada linda e problemática. O Grunge e o Hard Core.

O Hard Core adora andar de skate pela casa, quebrando tudo, porém é um cara organizado, gosta de filmes de surf e tem o corpo todo tatuado. Às vezes fica meio EMOtivo e reclama muito da vida, mas todos sabem que é por causa da namorada que o trai o tempo todo.

Grunge

O Grunge é melancólico por natureza, também reclama muito da vida. Está na puberdade e por isso a sua voz desafina constantemente. Ele costumava levar a vida de uma forma suicida, anda dizendo para todo lado que nada importa…nevermind!!

Heavy

O Heavy Metal é um alcoólatra fortão, cheio de tatuagem de caveira pelo corpo. Adora andar a toda velocidade na sua Harley Davidson. É uma aficionado pela Mitologia Nórdica, Ocultismo e odeia a Igreja Católica. Alguns dizem que ele tem um pacto com o Diabo. Pois tem uma voz grave, mas quando grita, fica tão aguda que é capaz de quebrar os vidros do espelho. Tem fama de malvado, mas na verdade, não é. Trata-se de um cara gente boa, que se dá bem com todo mundo. Ele teve vários filhos: Thrash , Melódico, Prog Metal, Death, Black, Doom, Gothic, todos são muito unidos.

E isso aí, demos uma viajada, mas o que importa é que amamos o Rock and Roll. O estilo é fundamental para nós e nossos amigos. Costumamos comparar o Rock com o Universo. Os dois estão em constante expansão e em alta velocidade. Dizem por aí que o Rock morreu, ele nunca morre, só está em constante mudança, assim como nossas vidas.

É o velho lance de superar momentos difíceis, voltar com força total. Assim Raul, o pai do rock nacional, inventou o termo “metamorfose ambulante”. Ele se descreveu como pessoa e usou isso para explicar o rock and roll. O rock é imortal, ele nos salva da mesmice, basta protegê-lo de mãos erradas. Enfim, viva o rock and roll!

*Texto escrito há sete anos a quatro mãos por mim, Elton Tavares e André Mont’Alverne, nosso antigo colaborador.