Fernandinho Bedran gira a roda da vida hoje (13). Feliz aniversário, irmão!

Gira a roda da vida, nesta quarta-feira (13), o marido apaixonado da Elainy Alfaia (outra que é um lindeza de pessoa), libanês da Cidade Velha, Rosa-Cruz, degustador de heinekens tuíras, presidente da Divisão Internacional da Vida Alheia (D.I.V.A.) no Amapá, recordista intergalático de gentebonisse, mestre em paidéguice boêmia, fabricante e sócio-diretor da PimentArte do Brimo, administrador comercial, fã dos quadrinhos (principalmente de Asterix), amante de boa música, locutor e DJ da Rádio Fuleiragem, ilustre morador de Santana e do Amapá há 22 anos, melhor papo de bar que conheço (onde ele é também meu providencial conselheiro), além de querido irmão de vida, Fernando Bedran.

Conheci Bedran há mais ou menos 20 anos, em uma reunião de amigos. Quando entrei na festa, ele arranhava um violão e cantava Sessão das 10, do Raul Seixas. Foi empatia na hora, pois aquele bicho animava o ambiente, como é de seu feitio. De lá pra cá, fortalecemos a amizade e bebemos juntos (às vezes bem e noutras mal acompanhados) uns dois rios amazonas de cerveja.

O Bedran é um cara ímpar. Sério, não é clichê, pois nunca conheci um figura igual a ele. Trata-se de um cara paid’égua à máxima potência multiplicado ao cubo. Além de sábio, dono de vasta cultura geral e extremamente inteligente, ele é um homem de bem. Fernandinho é daqueles que não falam mal de ninguém. A não ser dos filhos da puta, pois estes ele combate em tempo integral, assim como todos deveríamos fazer.

Longe da larga e comprida esteira dos “Maria vai com as outras”, Bedran é um cidadão tenaz, coerente, instigado, de visão crítica e justa, que promove a reflexão nos que lhe cercam. A gente admira o sacana. Paralelo a isso, é um doidão que não cultiva mágoas ou rancores. Só dispara contra pessoas sórdidas ou hipócritas (só uns 2%, pois nos outros 98 o cara é só alegria).

Já disse e repito: Bedran é uma das pessoas que mais gosto de ter por perto, por conta da energia boa e positividade que o figura irradia. Um figura que usa o hemisfério esquerdo do cérebro para o bem dele e de quem o cerca.

Fernando Bedran não é jornalista, poeta ou escritor por pura falta de vontade, pois ele tem talento, senso crítico, ins-piração e conhecimento demais. Certamente seria caralhento em qualquer uma dessas atividades (ou em todas). Só para vocês terem uma ideia, o Fernando Canto escreveu o conto Mama-Guga (que nomeia seu livro de mesmo nome), realismo fantástico de primeira linha, inspirado em papos com o Fernandinho. Avalie!!

Meio bruxo, meio alquimista, parece que o maluco veio enviado de outra dimensão para disseminar alegria, disparar sacadas geniais, sarcasmo boêmio, ironia fina e pérolas da boa sacanagem (ao som da sua inconfundível gargalhada). Outra coisa que sempre repito é a frase do meu irmão, Emerson Tavares: “Bedran é melhor para tomar cerveja do que tira-gosto de charque”. E é mesmo!

Fernandinho, meu irmão, que tenhas sempre saúde e sucesso. Que Deus siga a iluminar teu caminho no qual sempre segues a luz. Tu és um cara Phoda demais. Te admiro muito. Que tua vida seja longa. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Texto republicado por motivos de eu estar em Belém, com pouco tempo para o site, mas de coração.

Festival no AP tem espetáculos solos gratuitos de circo e teatro; melhor peça leva R$ 1,5 mil

Macapá vai receber uma programação durante 9 dias de estímulo e valorização dos espetáculos em que só uma pessoa aparece em cena, tanto no teatro quanto no circo. O 1º Festival In Solos Tucujus começa na sexta-feira (8) e tem desde apresentações gratuitas até atividades formativas para artistas.

A programação tem espetáculos de companhias convidadas de Amapá, Pará e Goiás, e também tem uma mostra competitiva. Os três melhores de cada categoria (circo e teatro) levam prêmios em dinheiro, que vão de R$ 500 a R$ 1,5 mil.

“Será um intercâmbio entre artistas locais e convidados oriundos de outros estados. Um verdadeiro ato de resistência cultural pois é uma iniciativa promovida pela sociedade civil. Nosso objetivo é incentivar e fomentar a criação e manutenção de espetáculos na linguagem solo no estado”, declarou Jhou Santos, idealizador e coordenador geral do festival.

Solo ‘Sertãohamlet’, com Guido Campos, da Cia. Sertão Teatro Infinito (GO) — Foto: Layza Vasconcelos/Divulgação

A organização explica ainda que as apresentações são todas gratuitas, mas o público é convidado a colaborar com quanto quiser por cada peça.

A programação acontece em espaços públicos das zonas Norte, Sul, Leste e Centro de Macapá, como Fortaleza de São José, CEU das Artes, Praça Chico Noé, e Sesc Araxá.

Alunos de 5 escolas públicas da capital também vão poder assistir no espaço escolar, entre os dias 12, 13 e 14 de novembro, os espetáculos solos: “Jornada Bufa”, com Jhou Santos da Cortejo Produções Artísticas (AP); “Floops”, com Sandro Brito da Cia Trecos In Mundos (AP); “o espetáculo de um Homem só”, com Yure Lee (PA); e “SertãoHamlet” com Guido Campos (GO).

Programação:

Dia: 8 de novembro (sexta-feira)
18h – Cortejo Artístico, no Parque do Forte
19h – Abertura oficial, na Fortaleza de São José de Macapá, com apresentação do solo local convidado “As reprises nossas de cada dia”, com Alice Araújo da Cia Cangapé (AP)

Dia: 9 de novembro (sábado)
Local: CÉU das Artes (bairro Infraero 2)
19h – Mostra Competitiva de Solos – Categoria: Circo

Dia: 10 de novembro (domingo)
Local: Anfiteatro da Praça Chico Noé (bairro Laguinho)
19h – Apresentação do solo circense nacional convidado “O espetáculo de um homem só”, com Yure Lee, da Cia Circo Nós Tantos (PA)
Palco Aberto – Apresentações de números circenses de artistas de rua

Dia: 11 de novembro (segunda-feira)
Local: Teatro Marco Zero (bairro Perpétuo Socorro)
19h – Mesa Redonda: “De Solo a Solos” – Participantes: Alice Araújo (AP), Maurício Maciel (AP), Yure Lee (PA) e Guido Campos (GO); Mediação: Ator/Professor Raphael Brito (MA)

‘Reprises nossas de cada dia’, solo da amapaense Alice Araújo, será apresentado na abertura do festival — Foto: Alice Araújo/Arquivo Pessoal

Dia: 12 de novembro (terça-feira)
Local: Teatro Marco Zero (bairro Perpétuo Socorro)
19h30 – Apresentação do solo local convidado “Shirra”, com Maurício Maciel, da Cia Teatro de Boteco (AP)

Dias: 12, 13 e 14 de novembro (terça, quarta e quinta-feira)
das 9h às 12h: Oficina “O Ator Contemporâneo”, com Guido Campos (GO) – no Espaço Âmago (bairro Laguinho)
das 15h às 18h: Oficina “Técnicas circenses e inovação”, com Yure Lee (PA) – na lona de circo montada no Sesc Araxá

Dias: 13 e 14 de novembro (quarta e quinta-feira)
Local: Teatro Marco Zero (bairro Perpétuo Socorro)
19h – Mostra Competitiva de Solos – Categoria: Teatro

Dia: 15 de novembro (sexta-feira)
Local: Teatro Marco Zero (bairro Perpétuo Socorro)
19h30 – Apresentação do solo nacional convidado “SERTÃOHAMLET”, com Guido Campos, da Cia. Sertão Teatro Infinito (GO)

Dia: 16 de novembro (sábado)
20h – Show de encerramento e premiação
Local: Espaço Cultural Sankofa (Orla de Macapá)

Fonte: G1 Amapá

Feira Popular de Livros será realizada nos dias 14, 15 e 16 de novembro, em Macapá

O Movimento Literário Afrologia Tucuju, em parceria com a Associação Literária do Estado do Amapá (Alieap) e Associação Amapaense de Escritores (Apes), realizará, no período de 14 a 16 de novembro de 2019, em frente à Casa do Artesão, a “Feira Popular de Livros de Macapá”. O evento, que inciará nos três dias de programação a partir das 17h, visa a divulgação e comercialização das produções literárias dos autores locais.

De acordo com um dos organizadores, o poeta Arilson Souza, os escritores interessados poderão, sem nenhuma burocracia, expor e comercializar suas obras.

“Assim pretendemos divulgar, valorizar e reconhecer nossa produção literária local, oferecendo maior visibilidade para todos os participantes da feira de livros”, salientou Arilson Souza.

A Feira Popular de Livros de Macapá será desenvolvida semestralmente ou mensalmente, em espaços definidos pela coordenação da programação, podendo acontecer nas universidades, escolas, praças ou em outros lugares públicos.

O Projeto terá uma equipe de coordenadores e uma equipe de escritores, terá sua abertura em local público (praça em frente à casa do artesão).

Durante a realização da feira, acontecerão programações culturais como saraus de poesias, apresentações de grupos culturais /musicais / poéticos, participação de escolas e universidades.

Os participantes das apresentações culturais/poéticas poderão receber certificado de participação.

Serviço:

Feira Popular de Livros de Macapá
Data: dias 14, 15 e 16 de novembro de 2019.
Horário: 17 h
Local: em frente à Casa do Artesão
Realização: Movimento Literário Afrologia Tucuju, em parceria com a Associação Literária do Estado do Amapá e Associação Amapaense de Escritores.
Apoio. Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo.

Governo do Estado fortalece e amplia programação do Luau na Samaúma

Por Henrique Borges

Nesta sexta-feira, 15, a partir das 17h, será realizada a edição de novembro do Luau na Samaúma, com uma programação diversificada para lazer da sociedade e oportunidade para empreendedores em um ambiente familiar, na Praça Samaúma, no bairro Araxá. O Governo do Estado do Amapá é parceiro do evento e disponibilizou artistas locais credenciados pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) para a programação.

O palco cultural vai receber uma programação diversificada, contando com teatro, discotecagem, música instrumental e artistas locais como Helder Brandão e Beto Oscar, Val Milhomen e Joãozinho Gomes e da banda Yes Banana.

No Luau, os empreendedores também terão seu espaço com feira de artesanato, venda de comidas típicas e foodtrucks. Haverá exposição e comercialização de discos de vinil, objetos antigos, distribuição de mudas de plantas, feiras de produtos do campo, oficinas de mini chefes, amostra de arte da galeria “Art Amazon”, tenda literária com exposição e comercialização de livros, além de declamações poéticas da Associação Literária do Estado do Amapá (Alieap).

O evento é organizado pelo Ministério Público Estadual, com apoio do Sebrae, Governo do Estado e Prefeitura de Macapá. Os artistas locais escolhidos para o evento foram credenciados pela chamada pública nº 002/2019 – Secult, no processo que aconteceu em junho deste ano.

Programação cultural:

17h30- Espetáculo “Se deixar, ela canta” – Cia. Cangapé;

18h- Discotecagem – Selecta Branks (discotecagem);

19h- Banda da Guarda Civil Municipal de Macapá (GCMM);

– Apresentação de música instrumental.

19h30h- Helder Brandão e Beto Oscar;

20h30h- Val Milhomen e Joãozinho Gomes – Constelação de Parente;

21h30h- Yes Banana;

– Exposição de artes visuais dos artistas Wagner Ribeiro e Grimualdo Barbosa.

PGJ e membros da administração superior visitam Promotorias de Calçoene e Amapá para verificar condições de trabalho

Visando o fortalecimento e aperfeiçoamento dos serviços prestados pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP) em todos os municípios do Estado, a procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, visitou as Promotorias de Justiça de Calçoene e Amapá, nesta terça-feira (12), acompanhada dos promotores de Justiça: João Paulo Furlan, chefe de gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, Vinicius Carvalho, assessor especial da PGJ, e Paulo Celso Ramos, secretário-geral do Ministério Público do Amapá (MP-AP). A ação faz parte do plano de gestão estabelecido pela atual administração para o biênio 2019-2021.

Os gestores reuniram com os titulares das unidades instaladas nas comarcas de Calçoene e Amapá, promotores de Justiça Christie Damasceno Girão e Manoel Edi de Alencar Junior, e também com servidores e colaboradores para verificar as condições de trabalho e carências nas estruturas físicas e também de equipamentos e outras necessidades.

O servidor da Promotoria de Calçoene, Márcio Dias, falou que o maior problema é a precariedade no serviço de internet, que dificulta todo o trabalho de instrução de procedimentos que estão 100% eletrônicos.

Em relação à estrutura física da Promotoria de Calçoene, a titular informou que está atendendo plenamente, inclusive dando suporte a outros serviços para a comunidade. “A estrutura é ótima, inclusive quando há interrupção no fornecimento de energia elétrica no município, o gerador instalado na Promotoria de Justiça também auxilia as outras instituições, como o Judiciário, a fim de dar andamento às demandas locais”, informou Christie Girão.

Na Promotoria de Amapá os processos 100% eletrônicos estão dando agilidade aos procedimentos, mas há necessidade de substituição de alguns computadores, informou o promotor de Justiça Manoel Edi, solicitando a aquisição equipamentos de tecnologia da Informação mais modernos.

Toda a parte estrutural foi vistoriada pela diretora do Departamento de Gestão Administrativa, Maria Silvéria Reis, e pelo chefe da Divisão de Engenharia e Arquitetura, Robson Naif, bem como foram feitos levantamentos dos serviços e materiais de escritório que precisam de reparos ou novas aquisições. Uma vistoria dos equipamentos de vigilância e de segurança dos prédios também foi realizada pelo chefe do Gabinete Militar, Joércio dos Santos.

O secretário-geral do MP-AP constatou que as duas Promotorias visitadas estão muito bem equipadas, em termos estruturais, mas que há necessidade de substituição de alguns móveis e equipamentos. “O objetivo na verdade foi acompanhar de perto as condições de trabalho dos colegas nas comarcas e verificar as demandas de modo que a administração possa incluir seu planejamento para atender no menor curto prazo. Outro problema, a internet, estamos verificando como resolver por ser um problema alheio à atuação do MP-AP. Tudo será verificado para que a gente possa dar um retorno e uma solução para que os trabalhos possam ser desenvolvidos da melhor forma”, afirmou Paulo Celso.

O chefe de gabinete e o assessor especial da PGJ acompanharam observando as dificuldades específicas na atuação dos membros e falaram das medidas adotadas, como as contratações de assessores terceirizados para auxiliar na atividade finalística de cada um.Visita ao Fórum de Calçoene

“Houve um avanço no número de assessores de promotoria, uma medida da atual gestão que contemplou também as promotorias do interior. A cumulação de titularidades tem sido uma realidade nas Promotorias de Amapá e Calçoene, mas estamos trabalhando para resolver a situação, tanto no aspecto remuneratório, quanto na viabilidade de novas contratações de promotores de servidores, por meio de concurso público”, informou João Furlan.

A PGJ destacou assumiu esse compromisso de ir até as Promotoria de Justiça instaladas nas comarcas para conversar com os promotores e também com os servidores, no intuito de ouvir e também constatar a realidade vivenciada em cada município. “Nossa ideia é buscar soluções e para isso estamos com nossa equipe, para que cada um, na sua atribuição, possa dar andamento às providências para melhorias na prestação dos serviços à população, que é nosso objetivo final”, ressaltou Ivana Cei.

SERVIÇO:

Gilvana Santos
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Barco da Leitura chega ao arquipélago do Bailique

O Barco da Leitura zarpou na tarde da última segunda-feira, 11, em sua 3ª viagem pelo rio Amazonas rumo às comunidades do arquipélago do Bailique. Logo pela manhã, tudo estava pronto para receber a criançada da comunidade de Jaranduba, que esperava ansiosa pela chegada da equipe.

“É bonito ver a alegria das crianças ao entrar no barco. Elas ficaram encantadas com o espaço”, falou a chefe da Divisão de Recursos Didáticos, Samara Sampaio. Com atividades lúdicas voltadas para o ensino e incentivo à leitura, muita música, dança, brincadeiras e contação de histórias, a criançada da Escola Municipal Jaranduba do Bailique se divertiu com o show do Tio Nescal (Fábio Sousa) e da Boneca Leleka (Selma Naiara).

Também teve contação de histórias e o acesso aos livros, onde as crianças puderam se divertir, lendo e contando histórias para os amigos. Até os pequeninos, que ainda não sabem ler, se encantaram com os livros. O aluno Richarlison Nunes, 11 anos, além de participar da atividade, levou seu próprio livro para mostrar aos novos amigos (Nescal e Leleka). “Eu gosto de ler, tenho vários livros de histórias em casa. Essa programação de hoje foi muito legal. Gostei de tudo”.

Não só as crianças, mas os adultos também gargalharam e cantaram com a equipe pedagógica da Semed. Algumas ficaram tão encantadas com os livros que queriam levar para casa. “Gostei muito das brincadeira e dos livros, são bonitos e as histórias parecem legais. Queria levar para minha casa para poder ler com meus irmãos”, contou a pequena Maria.

Durante os próximo dias, o Barco da Leitura irá atender as comunidades de Vila Progresso, Macedônia, Canal dos Guimarães e Freguesia.

Karla Marques
Assessora de comunicação/Semed

Pedrinho Callado faz show em Macapá na Casa de Arte e Cultura Sankofa

Importante figura musical na cena paraense, conhecidíssimo cantor de Belém, atravessa gerações com plateias cheias. Difícil falar em Pedrinho Callado sem mencionar listas de prêmios em festivais, de shows realizados ou produzidos, de estudos ou pesquisas de música, de composições gravadas por cantores e cantoras famosas da região ou do país, de trilhas musicais para o cinema, dos arranjos musicais para álbuns e companheiros da música. Está muito bem acompanhado por nomes como Vital Lima, Lucinha Bastos, Nazaré Pereira, Marco André, Olivar Barreto, Dayse Addario, Marcelo Dias, Negro de Nós, Renato Lu, Felipe Cordeiro, Mestre Verequete, Mestre Curica e Zé Miguel. Não disse que era difícil escapar das listas! Eu pouco comecei.

Ele canta a terra e os ancestrais do tradicional ritmo do Pará, o carimbó. Os mestres o acompanham e a cultura da Amazônia o guia. Ele atualiza, inova com a música do mundo, eletrônicos e outras narrativas. É um espetáculo de muitas cores e de dois nomes, Pedrinho Callado.

Ele vai estar em Macapá, no dia 22 de novembro, na Casa de Arte e Cultura Sankofa, às 21h. O show conta com convidados, Enrico di Miceli, Finéias Nelluty com abertura de Erick e Neil.

Serviços:

Local: Sankofa – Rua Beira Rio, 1488, orla do Santa Inês
Horário:21:00
Reservas (96) 981373130, (96) 981090563.
Mesa: 60 reais

Sarau musical celebra 30 anos do disco Sentinela Nortente, na Ueap

No próximo dia 29 de novembro, a partir das 19h, no Auditório Central da Universidade Estadual do Amapá (Ueap), será realizado um Sarau em homenagem aos 30 anos do disco Sentinela Nortente – um álbum icônico da Música Popular Amapaense (MPA). O objetivo do evento, coordenado pela Pró-Reitoria de Extensão da Ueap, em parceria com o Instituto Accorde Brasil e Sebrae/AP, é resgatar valores históricos, musicais, culturais, sociais, estéticos, filosóficos e emocionais do povo tucuju.

De acordo com a coordenadora do Sarau, maestrina Arnely Schulz, o evento será uma celebração da cultura amapaense, harmonizada nos versos e nas melodias que movem e pulsam o coração e a vida do amapaense. “É importante relembrar uma trajetória de lutas e as vitórias na consecução de um sonho, que norteou e transformou a história da música popular amapaense”, comentou.

Saiba mais AQUI (texto de Arnely Schulz). 

Sentinela Nortente

Por Renivaldo Costa

Em 1989, há 30 anos, o mundo passava por grandes mudanças. Na Europa caía o Muro de Berlim, que durante décadas dividiu as duas Alemanhas. No Brasil, Sarney preparava-se para sair do governo e vencia as eleições presidenciais um político alagoano chamado Fernando Collor. Na Amazônia, surgia uma música diferente. No Pará, Nilson Chaves, Vital Lima e outros músicos difundiam suas letras e rimas, compostas sob o olhar atento do homem que quer a metrópole, mas não ignora o ribeirinho.

No meio dessas mudanças, evidencia-se a poesia de dois jovens músicos. Poesia porque faziam muito mais do que letras e rimas. Grande, aliás, é a resistência em aceitar a letra de música como poesia. Alguns críticos já traçaram listas de fatores que manifestam a diferença entre essas duas artes. E, embora, Manuel Bandeira já tenha dito “que por maiores que sejam as afinidades entre duas artes, sempre as separa uma espécie de abismo”, recorremos à tradição e à história da poesia, que é marcada e acompanhada pela música. O mesmo Manuel Bandeira também disse “que a poesia está em tudo – tanto nos amores como nos chinelos, tanto nas coisas lógicas como nas disparatadas”.

E o poeta Osmar Júnior se embebeu dessa ideia e encontrou a poesia em fatos corriqueiros, em coisas banais, em encontros e desencontros, e procurou levar para a música regional as inquietações do cotidiano dos jovens, os dramas de uma época pós-ditadura, as alegrias, dores e conflitos, conciliando o pessoal com os acontecimentos da época.

Como intérprete de seus manifestos, Osmar Júnior elegeu Amadeu Cavalcante, músico que já se destacava na noite amapaense. Surgia então, o “Sentinela Nortente”, o compacto que representou o grande suspiro da música regional. Sob a influência dos ritmos caribenhos, da salsa, do merengue, e também do brega e da toada, Osmar Júnior compôs clássicos do cancioneiro regional, como “Coração tropical”, “Tajá” e a própria música tema do disco. “Sentinela Nortente” foi o primeiro registro fonográfico do Movimento Costa Norte, que se desenhava naquele momento. Foi tão importante que motivou outros artistas, como Zé Miguel e Val Milhomem, a também lançarem seus LPs.

O disco é, em termos históricos, sociológicos, estéticos, filosóficos, um repositório do universo sociocultural que Osmar Junior tão brilhantemente captou e Amadeu Cavalcante soube interpretar com maestria.

Serviço:

Sarau em homenagem aos 30 anos do disco Sentinela Nortente
Data: 29 de novembro de 2019
Local: Auditório Central da Ueap (Campus I Avenida Presidente Vargas, Centro de Macapá)
Hora: 19h
Entrada Franca
Contato da Organização: Arnely Schulz, 96 99124 3771.

Elton Tavares, com informações da Ueap e do jornalista Renivaldo Costa.

Projeto Atuação pela Vida: Escuta Psicológica Itinerante será realizada em mais duas escolas públicas de Macapá

O projeto “Atuação pela Vida” acontecerá, neste sábado (16), em mais duas escolas estaduais: Professor Lucimar Amoras Del Castillo, no bairro Santa Rita, e Maria Ivone de Menezes, no Cidade Nova I. A iniciativa é coordenada pela Promotoria de Defesa da Saúde do Ministério Público do Amapá (MP-AP), em parceria com o Ambulatório de Atenção à Crise Suicida (Ambacs), da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e tem como objetivo o cuidado permanente com a saúde mental.

A Escuta Itinerante possibilita a identificação de casos e sintomas que possam levar à ideação suicida ou à automutilação, para que seja feito um pré-diagnóstico e, caso necessário, o devido encaminhamento à rede de apoio. Os atendimentos serão realizados por 20 psicólogos, voluntários do projeto, que ficam divididos nas duas unidades de ensino.

O projeto tem a campanha de conscientização que reforça a mensagem “Viver é sempre a melhor opção”. Cada etapa do projeto serve de aprendizagem e troca de experiências entre os integrantes da equipe, que fazem uma reunião de avaliação ao final dos atendimentos, visando a próxima ação.

Mais sobre o projeto

Você que se percebe triste, com pensamentos negativos, ou emocionalmente diferente e não está sabendo lidar com determinada situação em sua vida, venha dialogar com nossos Psicólogos. Lembre-se: Viver é sempre a melhor opção!”. O atendimento será garantido por uma especialista voluntária e ocorrerá atendimento em libras.

Agenda: dia 16/11, a partir das 8h na Escola Lucimar Amoras Del Castilho, no Bairro Santa Rita, e na Escola Maria Ivone Menezes, bairro Cidade Nova I.

Serviço:

Ana Girlene Oliveira e Vanessa Albino
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Cinema em Movimento – Circuito Universitário é realizado em Macapá nos dias 12, 13 e 14 de novembro

Justiça e oportunidades iguais para homens e mulheres são questões atuais que podem ser resumidas no termo Equidade de Gênero. Esse é o tema presente nos três filmes do projeto O Cinema em Movimento – Circuito Universitário traz como tema a Equidade de Gênero, e será realizado em Macapá nesta semana.

Os filmes serão exibidos nos dias 12, 13 e 14 de novembro na Universidade Federal do Amapá (Unifap), Universidade Estadual do Amapá (Ueap) e Escola Estadual Professor Gabriel de Almeida Café. As sessões serão gratuitas e abertas ao público.

“Repense o Elogio”, de Estela Renner, será um dos filmes exibidos no projeto em Macapá — Foto: Avon/Divulgação

Os responsáveis pela produção do Circuito em todas as capitais do Brasil e no Distrito Federal são 27 universitários selecionados e capacitados pela produtora carioca MPC Filmes.

No estado do Amapá o projeto conta com o apoio de universitários de várias áreas do conhecimento, sendo coordenado pelo Agente Mobilizador Felipe Paixão, acadêmico de enfermagem da UNIFAP.

Entre os três filmes selecionados para o Cinema em Movimento – Circuito Universitário estão: Lute como uma menina, de Beatriz Alonso e Flávio Colombini, Repense o Elogio, de Estela Renner, e O Silêncio dos Homens, de Ian Leite e Luiza de Castro. Os filmes escolhidos fortalecem as discussões sobre o homem na sociedade, o feminismo na atualidade, o modelo educacional do nosso país e o poder popular. A curadoria ficou por conta de uma comissão formada por profissionais da MPC Filmes.

Circuito do Cinema em Movimento no Amapá — Foto: Cinema em Movimento/Divulgação

“Discutir equidade de gênero é fundamental na construção de um mundo menos violento. Escolhemos o tema e selecionamos os filmes buscando discutir, além da questão feminina também a masculinidade. Acredito que o filme O Silêncio dos Homens será uma ferramenta incrível para isso”, diz a diretora geral do circuito, Luciana Boal Marinho.

Criado em 2000 pela MPC Filmes, o Cinema em Movimento – Circuito Universitário, tem como objetivo principal fomentar, no ambiente acadêmico, o diálogo e a reflexão sobre questões de interesse nacional e histórico abordadas nas obras a serem exibidas. Mais do que uma simples exibição de filmes, a Mostra é um espaço de ampla comunicabilidade, constituindo-se um eficaz instrumento de divulgação e multiplicação de mensagens.

Sobre a MPC Filmes

A MPC é uma produtora carioca com mais de 30 anos de experiência no mercado brasileiro e internacional. Fundada em 1982 pelo produtor e diretor Alberto Graça e tendo como sócia a produtora Luciana Boal Marinho, a MPC atua nas áreas de produção e difusão de conteúdo audiovisual.

O Cinema em Movimento – Circuito Universitário conta com o apoio financeiro do Instituto Caixa Seguradora.

Serviço:

Cinema em Movimento

Trailer do filme “Lute como uma menina”: 

Data: 12 de novembro (terça-feira)
Local: Unifap
14h – Documentário: “Lute como uma menina”
18h – Documentário: “O Silêncio dos homens”

Trailer do filme “O Silêncio dos homens”:

Data: 13 de novembro (quarta-feira)
Local: Ueap
9h – Documentário: “O Silêncio dos homens”
14h – Documentário: “Lute como uma menina”
18h – Documentário: “Repense o Elogio”

Trailer do filme “Repense o Elogio”: 

Data: 14 de novembro (quinta-feira)
Local: Escola Estadual Professor Gabriel de Almeida Café
11h – Documentário: “Lute como uma menina”
17h40 – Documentário: “Repense o Elogio”
20h – Documentário: “O Silêncio dos homens”

Fonte: Cinema em movimento

Santana: Randolfe garante R$12 milhões para construção de Terminal Hidroviário de Passageiros

O senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) e o governador do Amapá, Waldez Goés (PDT), se reuniram na manhã de hoje (12), em Brasília, com o Diretor Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Antônio Leite dos Santos Filho, para tratar da construção do novo Terminal Fluvial do Porto de Santana.

Dos R$ 20 milhões necessários para a construção do Porto de Santana, 60% já está garantido através de emenda impositiva destinada pelo senador Randolfe Rodrigues. Os R$12 milhões assegurados por Randolfe serão entregues ao Governo do Amapá em 2020.

Durante a reunião o diretor geral do DNIT, Antônio Leite dos Santos, explicou detalhadamente como será construído o Porto em Santana e afirmou que a emenda destinada por Randolfe conseguirá acelerar as obras já para o ano que vem. A obra, executada pelo DNIT, tem o prazo de entrega para 24 meses.

Santos informou que ainda uma comitiva do Departamento visitará o Amapá em dezembro para realizar estudos para a construção de um cais em Macapá.

Para Randolfe, “esse é um grande passo para a economia do estado e para a população, uma vez que milhares de pessoas que embarcam e desembarcam em situações precárias na área portuária do município”. “Estamos trabalhando para cumprir essa promessa ao povo de Santana”, completou.

Na ocasião, o governador Waldez afirmou que “grandes obras federais têm sido realizadas graças às emendas de bancada, e que a emenda do senador Randolfe é fundamental para a construção do Porto”. Waldez agradeceu pelo encontro e disse ainda que “o trabalho conjunto entre executivo e legislativo traz inúmeros benefícios à população amapaense”.

Emendas

Randolfe também destinou R$1,5 milhão para o programa “Santana às Claras” que permitirá a iluminação de Led para o povo da Ilha de Santana, canal do Paraíso e nova Av. Santana. O senador também colocou recurso de emenda, no valor de R$ 500 mil para a construção de passarelas, que deve atender o bairro Provedor 1. Na próxima semana, o senador irá ao Amapá dar o start nas obras de uma arena de esportes no bairro Mutirão que será construída com emenda alocada por Randolfe.

Assessoria de comunicação do senador Randolfe Rodrigues

Programação diversificada marcará edição de novembro do Luau na Samaúma

Acontecerá nesta sexta-feira, 15, mais uma edição do Luau na Samaúma. A programação está recheada de oportunidades para os empreendedores e também para a população aproveitar todos os espaços com a família inteira. O ponto de encontro é aos pés da samaúma, no Araxá.

Haverá feira de artesanato, venda de comidas típicas e foodtrucks, exposição e comercialização de discos de vinil, exposição de objetos antigos, distribuição de mudas de plantas, simulador de impacto, feiras de produtos do campo, oficinas de minichefes, amostra de arte da galeria Art Amazon, tenda literária com exposição e comercialização de livros e declamações poéticas com Alieap (Associação Literária do Estado do Amapá. O Luau na Samaúma é organizado pela Prefeitura de Macapá, Ministério Público Estadual, Sebrae e Governo do Estado.

Confira a programação:

– Feira de artesanato – com a feira afro e projeto Mulheres que Fazem – Instituto Municipal de Política e Promoção de Igualdade Racial (Improir) e Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres;
– Exposições diversas;
– Venda de comidas típicas e foodtrucks;
– Exposição e comercialização discos de vinil;
– Exposição objetos antigos;
– Simulador de impacto – CTMac;
– Feiras de produtos do campo – Sebrae;
– Oficinas de minichefes – Sebrae – Exposição de artes visuais;
– Tenda literária com exposição e comercialização de livros e declamações poéticas com Alieap (Associação Literária do Estado do Amapá) e movimento poesia boca da noite;
– Intervenção artística com os arte-educadores da CTMac;
– Contação de história com o Proler (Semed);

17h30- Espetáculo “Se deixar, ela canta” – Cia. Cangapé;
18h- Discotecagem – Selecta Branks (discotecagem);
19h- Banda da Guarda Civil Municipal de Macapá (GCMM);
– Apresentação de música instrumental.
19h30h- Helder Brandão e Beto Oscar;
20h30h- Val Milhomen e Joãozinho Gomes – Constelação de Parente;
21h30h- Yes Banana;
Exposição de artes visuais dos artistas Wagner Ribeiro e Grimualdo Barbosa.

Serviço

Data: 15/11 (sexta-feira)
Hora: 17h
Local: Praça da Samaúma

Cássia Lima
Assessora de comunicação/Fumcult
Contato: 98104-9455

Banca Rios Beer Cervejaria, o melhor local para sua confraternização de fim de ano

Final de ano chegando e a Banca Rios Beer, loja especializada em cervejas especiais, é o espaço propício para sua confraternização de final de ano. A cervejaria reúne o que há de melhor que existe quando o assunto é cerveja e em um ambiente intimista, aconchegante e descolado.

Reúna seu grupo e reserve um curso de introdução ao Universo Cervejeiro na Banca Rio’s beer. Conheça a história, os estilos, as harmonizações, e mergulhe nesse mundo de possibilidades que é a queridinha do Brasil, a nossa cerveja.

O mestre-cervejeiro à frente da casa é Igor Maneschy, com passagem pelas melhores escolas cervejeiras em São Paulo; especialista em estilos e harmonizações e mestre cervejeiro com formação pela Brauakademie. Inclusive, já ministrou vários cursos sobre a fabricação de cerveja artesanal em Macapá. Ele manja muito!

No cardápio, porções de petiscos deliciosos e bem elaborados por Austy Maneschy, cozinheiro de mão cheia. Ele é o cara que inovou com os tira-gostos refinados, novidade na Banca Rios Beer. Ou seja, é quem dá um toque todo especial nos quitutes e harmonizações.

Enfim, cerveja boa é pra apreciar em um bom lugar. E a Banca Rios Beer já virou referência de diversidade do produto, alem de oferecer conforto e excelente atendimento. Consulte agenda e feche uma data.

Serviço:

Banca Rios Beer
Horário de funcionamento: de 18h às 24h.
Endereço: na Avenida Henrique Galúcio, nº 1644.

Mais Informações:

Igor Maneschy: 96 98117-8839
Austy Maneschy: 91 98509- 2293
Instagram: @bancariosbeer
Facebook: https://www.facebook.com/bancariosbeer/?fref=ts

Elton Tavares

Poetas Azuis participam da Festa Literária de Uauá na Bahia

Poesia amapaense será apresentada no Nordeste brasileiro pelo grupo litero-musical Poetas Azuis. Completando 7 anos de carreira, os poetas Pedro Stkls e Thiago Soeiro partem para a Bahia esta semana levando da terra as composições marcantes de amor, declamadas e cantadas por fãs. O convite para a apresentação foi feito pela Prefeitura de Uauá, que é realizadora do evento.

Os Azuis se apresentam na Festa Literária de Uauá, a FLIU, que acontece no período de 14 a 16 de novembro, no sertão baiano. O grupo participa de uma mesa de debate sobre a poesia pop, ao lado da poeta amapaense Aline Monteiro e do poeta goiano, Lucão. Os Azuis apresentam também o novo recital “O Amor Mora Aqui”, estreado na última semana no Teatro Marco Zero.

Neste novo espetáculo os Poetas Azuis trazem temas relacionados ao amor, relações que conseguem atravessar dificuldades, relações que chegam ao fim e a saudade, e conta também com a parceria de alguns compositores amapaenses como: Zé Miguel, Enrico di Miceli, Vinicius Bastos, Wendel Silva, Ozy Rodrigues, Jessy Abreu e Faype, Nitai Santana e Thiago Albuquerque.

Os Poetas Azuis

É um grupo lítero-musical amapaense lançado em 2012 com o intuito de promover o encontro da poesia falada e a poesia cantada através de seus recitais-shows. Tendo como seu primeiro grande projeto o recital Quando o Amor Florir. Já se apresentou em outros estados do Brasil e participou de festivais ligados a literatura e a música tais como: Off Flip e Música na Estrada. Além de circular por projetos apoiados pelo SESC como Viajando Pelo Mundo da Literatura e SESC Amazônia das Artes.

A FLIU

Além dos encontros entre os autores e o público, a primeira edição da Festa Literária de Uauá contará com apresentações musicais com artistas locais e nacionais e de teatro, além de oficinas, artes visuais, filmes e uma programação infantil batizada de Fliuzinha. O evento é uma realização da Prefeitura de Uauá.

Assessoria de comunicação