Reciprocidade é tudo, acreditem! – Crônica de Elton Tavares (Do livro “Papos de Rocha e outras crônicas no meio do mundo”)

Ilustração de Ronaldo Rony

Em qualquer campo social, profissional ou afetivo, a gente só dá o que recebe. Aprendi que em tudo na vida é preciso reciprocidade. Sim, parceria, mão dupla. Acho engraçado que pessoas que não fazem nada por você, mesmo que já tenham feito (mas fizestes muito também por elas), lhe cobrarem algo. Outro fato que espanta é o lance de não lhe convidarem para nada, mas quererem que você as chame para tudo.

E ainda rolam casos de nego que não paga uma menta e se faz de vítima quando te vê fazendo algo legal via redes sociais. Que porra é essa? É preciso parceria, reciprocidade, dar e ter retorno. No trabalho, por exemplo, preciso de ajuda para executar minhas atividades e pessoas competentes nas coisas que me falta competência.

No campo da amizade, família ou relacionamento amoroso, a troca é necessária. Aprendi isso a duras penas. Mas sempre tem aquele parente ou “amigo” que acha que só você deve procurá-lo ou telefonar. Não!

É um lance até idiota, mas corriqueiro. Hoje em dia nem planejo nada. Procuro quem me procura, saio com quem me liga (e como ligam, graças a Deus) e por aí vai. Essa troca é natural e não deveria incomodar e nem ser explicada. Mas de tanta cobrança, estou aqui falando sobre o obvio.

Sou verdadeiro. Trato todos que amo bem, muito bem. Comigo as cartas estão sempre na mesa, pois não gosto de correspondência cognitiva. Portanto, a quem interessar possa, fica a dica: é preciso reciprocidade, sempre!

Elton Tavares

*Do livro “Papos de Rocha e outras crônicas no meio do mundo”, de minha autoria, lançado em novembro de 2021.

Projeto sustentável de estudantes de arquitetura da Unifap fica em 1º lugar em concurso internacional

Por Isadora Pereira

Um projeto sustentável de arquitetura criado por três estudantes da Universidade Federal do Amapá (Unifap) levou o primeiro lugar no Concurso de Arquitetura Internacional, que aconteceu entre os dias 13 e 14 de junho em Caiena, na Guiana Francesa.

O projeto consiste em uma elaboração estratégica sustentável para lidar com os problemas da década atual, abordando uma arquitetura que seja adepta às mudanças climáticas, além da constução, que é feita com materiais sustentáveis.

Esta é a segunda vez que as estudantes participam do evento, no ano passado conquistaram o terceiro lugar. Neste ano elas conseguiram o primeiro lugar, além de troféus e certificados, as estudantes também levaram para casa um prêmio no valor de € 3 mil equivalente a cerca de R$ 17 mil.

Uma das integrantes do projeto, a Maria Tiennys, de 23 anos, contou que o trabalho foi elaborado e desenvolvido dentro de alguns meses, buscando aplicar a ecologia e dar um destaque especial à cultura amapaense.

“Foi um trabalho de meses, com certeza a soma de todas as experiências que a gente teve dentro da Universidade. Então tudo que a gente pudesse aplicar sobre, construção, ecologia, a gente tentou ao máximo também representar a nossa cultura amapaense dentro da nossa edificação”, disse.

Sobre o Projeto:

A Géssica Nogueira que é uma das coordenadoras do projeto, e professora do curso de arquitetura explicou um pouco sobre como a utilização dos recursos naturais contribui para o melhor desempenho de uma estrutura.

“Foram utilizados utilizados materiais que convencionalmente a gente não usa, materiais ecológicos, como tijolo ecológico, como argamassa polimérica, isso tudo de indústrias locais, que é a ideia essa de potencializar a construção a partir de iniciativa local melhor com os recursos que estão disponíveis no nosso ambiente”, contou a professora.

Ela destacou ainda que a potencialização da ventilação natural, o uso de energia solar, a captação de água pluvial, quando aplicados através de estratégias, resulta em um edifício com o melhor desempenho mesmo com o passar dos anos.

O Felipe Lopes, que também é professor de Arquitetura e Urbanismo e coordenador das acadêmicas, contou que o projeto faz com que o Amapá seja um representante em escala nacional e que outros projetos já estão com o desenvolvimento em andamento, em parceria com as universidades da Guiana Francesa.

“Este evento, além de promover essa cooperação internacional, ele também trouxe outras interessantes oportunidades para o Amapá e Unifap, especialmente para o curso de arquitetura, que teve a possibilidade de fazer trocas de pesquisa. Temos projetos de pesquisa sendo desenvolvidos em parceria com a Universidade da Guiana”, disse o professor.

O professor frisou que a oportunidade de troca de ideias com estudantes de outras universidades discutiu a temática de eficiência energética, desempenho de edificações e conforto ambiental, além de promover a troca, a cooperação cultural entre estudantes.

A estudante Maria Tiennys explicou como essa elaboração e troca de ideias são relevantes para a sua carreira profissional.

“Esse projeto é muito importante para a minha carreira. A gente estuda a arquitetura amapaense brasileira e levar a nossa arquitetura para o Platão das Guianas e fazer essa troca é muito importante. A gente, com certeza, aprendeu muito com os outros países e isso é muito enriquecedor para a nossa carreira profissional”, contou a estudante.

Fonte: G1 Amapá.

Encontro Literário no Amapá: A Guiana Brasileira – Uma Celebração da Literatura e Cultura

Por Silvio Carneiro

Nos dias 21, 22 e 23 de junho, a sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Amapá será palco de um evento literário inédito: o “Encontro Literário no Amapá – A Guiana Brasileira”. Realizado pelo Conselho Editorial do Senado (CEDIT), o evento marcará o início do projeto itinerante do conselho por todo o país e promete trazer um sopro de cultura e literatura para a região.

Pela primeira vez realizado em Macapá, o Encontro Literário oferecerá aos participantes um acervo de mais de 150 livros, disponíveis para compra a preços populares durante os três dias de evento. Esta iniciativa busca democratizar o acesso à leitura e incentivar a cultura local.

Programação Diversificada

A programação do evento é rica e variada, incluindo lançamentos de livros, apresentações musicais e performances artísticas. A abertura da feira está marcada para sexta-feira, 21 de junho, às 16h, com o lançamento do livro “Clevelândia”, seguido de uma performance do Coletivo Juremas e uma apresentação musical de Antony Barbosa.

No sábado, 22 de junho, as atividades começam cedo, às 10h, com uma sessão de contação de histórias no hall de entrada, que se estenderá até o meio-dia. À tarde, haverá uma sessão solene em comemoração aos 71 anos da Academia Amapaense de Letras, seguida pela doação de livros realizada por Marco Lucchesi, presidente da Fundação Biblioteca Nacional. Ainda no sábado, será lançado o livro “Nortes Migrantes”, seguido pela apresentação de Patrícia Andrade com a performance “Entre a Flor e a Navalha”. A noite se encerrará com uma apresentação musical de Marcelo Abreu e J. Mambembe.

O domingo, 23 de junho, promete encerrar o evento com chave de ouro. A feira literária estará aberta a partir das 10h, com o lançamento do livro “Fortaleza”. À tarde, haverá mais uma sessão de contação de histórias, seguida pelo lançamento do livro “Poesia para Vilarejos” do poeta e colunista de nossa revista, Bruno Muniz. O evento será encerrado com uma apresentação do grupo de poesia Tatamirô.

Uma Celebração da Literatura

Além das atividades programadas, o Encontro Literário contará com a presença de diversos escritores renomados do Amapá, além do convidado especial, o poeta Marco Lucchesi, imortal da Academia Brasileira de Letras e presidente da Fundação Biblioteca Nacional, que fará doação de livros para bibliotecas públicas de Macapá e outros municípios do estado. Esta ação visa fortalecer as bibliotecas locais e fomentar a leitura entre os moradores.

O evento é uma oportunidade única para os amantes da literatura e da cultura. A população de Macapá e região poderá não apenas adquirir livros a preços acessíveis, mas também participar de momentos de troca de conhecimentos e experiências com escritores e artistas.

O Conselho Editorial do Senado, presidido pelo senador Randolfe Rodrigues, escolheu Macapá para iniciar seu projeto itinerante como um reconhecimento da rica diversidade cultural da região, conhecida como a “Guiana Brasileira”. Esta iniciativa reforça a importância de levar a literatura e a cultura para todos os cantos do país, promovendo a inclusão e a valorização das diferentes manifestações culturais brasileiras.

Serviço:

Encontro Literário no Amapá – A Guiana Brasileira
Data: 21, 22 e 23 de junho de 2024
Local: Sede da OAB-Amapá, Macapá

Não perca essa oportunidade de mergulhar no universo literário e celebrar a cultura brasileira. Venha participar e faça parte desta festa da literatura no Amapá!

Fonte: O Zezeu.

Seminário traz ativista em educação inclusiva Lucelmo Lacerda

O VI Seminário de Educação Inclusiva do Campus Macapá do Instituto Federal do Amapá (Ifap) traz um dos maiores nomes do campo da Educação Inclusiva, o professor Lucelmo Lacerda. Com programação cultural, palestras, oficinas e mesa-redonda, o evento acontece nos dias 18 e 19 de junho com o objetivo de discutir a efetividade da inclusão escolar de pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (NEE). As inscrições podem ser realizadas através do link disponível AQUI.

O seminário está na sexta edição e é realizado pelo Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne). Para a coordenadora das atividades, Tatiani Cardoso, a ampla discussão pública sobre o tema fortalece as competências técnicas, políticas e éticas sobre a educação inclusiva.

“O debate sobre a educação inclusiva e especial é contínuo e necessário para que os direitos de pessoas com deficiência sejam garantidos e de fato respeitados para que possamos vislumbrar a ideia do desenho universal da aprendizagem assegurado pela Lei nº 13.146/2015. Precisamos também, sobretudo, pontuar aspectos arquitetônicos, metodológicos e atitudinais que ainda devem ser superados para que pessoas com NEE tenham seus direitos garantidos”, reforçou a coordenadora.

Um dos destaques do evento é o professor Lucelmo Lacerda, que é Pós-Doutor em Psicologia pela UFSCar, estudando a inclusão escolar da pessoa com TEA, Doutor em Educação pela PUC-SP, Mestre em História pela PUC-SP, Historiador, Especialista em Educação Especial, Inclusiva e Políticas de Inclusão. Durante a programação, ele ministra a palestra “Os desafios da Inclusão Escolar em uma sociedade capacitista”, participa da mesa-redonda “Como trabalhar as habilidades sociais no ambiente escolar” e realiza tarde de autógrafos.

Também fazem parte do evento o relato de experiência “Trajetória acadêmica no curso de Ciências Naturais” e as palestras “Direito da pessoa com deficiência no âmbito educacional”, ministrada pela professora Daniela Tomaz, e “Conversando sobre Altas Habilidades/Superdotação: Entre Teorias e Vivências”, ministrada pelo aluno Thiago Uchoa.

Confira a programação completa AQUI

Texto: Jacyara Araújo, jornalista do Campus Macapá
Seção de Gerenciamento da Comunicação Social do Campus Macapá
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: [email protected]

Monobloco, Fulô de Mandacaru, Companhia do Calypso e Rebeca Lindsay agitam Arraiá do Povo

O Governo do Amapá inicia o Arraiá do Povo 2024 celebrando grandes atrações nacionais nesta sexta-feira, 21, com os shows gratuitos da ‘Companhia do Calypso’, ‘São João do Monobloco’ e ‘Rebeca Lindsay’. A programação acontece na Cidade Junina, no Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá.

Com os hits “Bang Bang” e “Semancol”, a Companhia do Calypso, o Furacão do Brasil, promete agitar a Fazendinha a partir das 20h, acompanhada de clássicos cantados pelos festeiros do grupo São João do Monobloco, prontos para espalhar energia entre os foliões. Em seguida, Rebeca Lindsay traz o melhor do brega paraense para agitar a população.

Na quinta-feira, 27, é comemorado o Dia do Quadrilheiro e a banda ‘Fulô de Mandacaru’ traz o forró nordestino para o Amapá. A programação acontece em 12 dias de evento gratuito, envolvendo grupos juninos dos 16 municípios do estado.

Confira o horário dos shows nacionais:

21 de Junho

19h – Quadrilha Coletiva do Amapá
20h – Companhia do Calypso
21h30 – São João do Monobloco
23h – Rebeca Lindsay
27 de Junho

Premiação dos vencedores do Festival Municipal Sandro Rogério e o 5º Forrozão do Primo Sebastian
21h – Show nacional do Fulô de Mandacaru
Arraiá do Povo

São destinados mais de R$5 milhões para a realização do evento, organizado pelas Secretarias de Estado da Cultura (Secult) e do Turismo (Setur), com recursos com recursos articulados do Tesouro Estadual e emendas parlamentares articuladas pelos senadores Davi Alcolumbre e Randolfe Rodrigues.

A tradição, que chegou ao estado há mais de 80 anos, é um dos festejos mais celebrados pelos amapaenses. A Cidade Junina foi montada exclusivamente para receber 56 grupos, que participam dos campeonatos municipal e estadual, totalizando mais de 80 apresentações.

Foto: Divulgação/Internet
Secretaria de Estado da Comunicação

Favela Literária está com inscrições abertas para seleção de escritores locais

Continuam abertas as inscrições para escritores locais interessados em participar da “Favela Literária”, que acontece dentro da Expo Favela Innovation Amapá 2024, que será realizada nos dias 08, 09 e 10 de agosto, no Centro de Convenções do Sebrae. O evento é idealizado pela Favela Holdign e organizado pela Central Única das Favelas – CUFA Amapá.

A Expo Favela é considerada a maior feira de negócios de periferias do mundo e, no Amapá, chega em sua segunda edição este ano. A feira Literária é Expo Favela é considerada a maior feira de negócios de periferias do mundo e, no Amapá, chega em sua segunda edição este ano. A feira Literária é da literatura periférica na Expo Favela Innovation.

De acordo com a curadora do espaço, a escritora Pat Andrade, a Favela Literária foi pensada para conectar os artistas locais com público diverso e amante da arte. “Mais do que uma mostra de talento literário, o lugar é uma afirmação do poder da arte de transformar realidades e construir pontes entre as comunidades”, classifica.

A Favela Literária é o espaço ideal para que autores locais, reconhecidos ou não, lancem suas obras; promover saraus de poesia, contação de história, entre outras atividades, além de rodas de conversa e muito bate-papo com autores nacionais convidados.

Segundo a curadora, na edição de 2023 da Expo Favela, mais de cinco mil reais foram negociados em livros e o evento foi sucesso de público. Para participar da Favela Literária, os autores devem preencher o formulário on-line, pelo link: bit.ly/favelaliteraria2024, e aguardar o retorno da organização do evento.

Júnior Nery – Ascom/Cufa-AP
(96) 98127-1559
Jornalista (DRT 343-AP)

Enem 2024: exame recebe 38,3 mil inscrições no Amapá

Por Rafael Aleixo

No Amapá, 38.314 pessoas realizaram inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024. O balanço foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nesta semana.

No Amapá, mais de 5 mil estudantes do último ano do ensino médio na rede pública estavam aptos para a inscrição, segundo a Secretaria de Estado da Educação (Seed).

As inscrições encerraram no dia 7 de junho, com exceção para candidatos do Rio Grande do Sul, estado afetado por alagamentos.

Tire suas dúvidas abaixo:

🖊️ Para que serve o Enem? Ele é uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil, utilizado por instituições públicas e privadas como critério de seleção, além de ser um requisito para programas governamentais de auxílio estudantil. Não há como se inscrever no Sisu, no Prouni e no Fies sem ter feito o Enem.

🗓️ Quando as provas serão aplicadas? Em 3 e 10 de novembro.

Disciplinas e horários
Como nos últimos anos, o Enem será aplicado em dois domingos.

3 de novembro

O candidato deverá fazer:

45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol);
45 questões de ciências humanas;
redação.
10 de novembro

A prova trará:

45 questões de matemática;
45 questões de ciências da natureza.
Veja os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

Abertura dos portões: 12h
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30
Término das provas no 1º dia: 19h
Término das provas no 2º dia: 18h30
Cronograma do Enem 2024
Inscrições: de 27/5 a 7/6/2024
Pagamento da taxa de inscrição: de 27/5 a 12/6/2024
Pedido de tratamento pelo nome social: de 27/5 a 7/6/2024
Solicitação de atendimento especializado: de 27/5 a 7/6/2024
Resultado das solicitações de atendimento especializado: 17/6/2024
Recurso para pedidos negados: de 17/6 a 21/6/2024
Resultado do recurso: 27/6/2024
Divulgação dos locais de prova: data a ser marcada
Aplicação do Enem: 3 e 10/11/2024
Divulgação do gabarito: 20/11/2024
Divulgação do resultado: 13/1/2025

Fonte: G1 Amapá.

Pedra Branca do Amapari vence premiação do Ministério da Fazenda com a melhor evolução na qualidade de prestação de contas

O anúncio do II Prêmio Qualidade da Informação Contábil e Fiscal, ocorrido nesta segunda-feira (17/6), em Brasília, levou o município amapaense de Pedra Branca do Amapari ao ranking nacional com a maior pontuação do Norte e a maior pontuação nacional entre os municípios abaixo de 100 mil habitantes com a melhor evolução em prestação contábil no menor tempo hábil, com maior transparência. O prêmio é realizado pelo Ministério da Fazenda e neste ano conta com o apoio do Banco Mundial e do Banco do Brasil.

O Prêmio Qualidade da Informação Contábil e Fiscal para entes da Federação visa reconhecer e incentivar os esforços dos profissionais contábeis dos entes federativos em aprimorar a qualidade das suas informações contábeis e fiscais, promovendo um incentivo saudável e destacando as boas práticas na gestão pública.

“O Município obteve maior evolução com a maior pontuação do Norte e maior pontuação nacional entre os municípios abaixo de 100 mil habitantes. Com isso, a gente traz Pedra Branca para o cenário nacional, não mais só regional, e ao mesmo tempo mostra a força que o estado do Amapá tem e que está melhorando cada vez mais ao fazer parte das federações do Brasil vencedoras de um prêmio dessa natureza”, considerou o contador da Prefeitura de Pedra Branca, Weldson Araújo da Silva.

A ll Edição do Prêmio Qualidade da Informação Contábil e Fiscal divide os contemplados em duas modalidades: Nacional e Regional, em que são avaliados os melhores desempenhos e as melhores evoluções nas performances dos municípios e estados brasileiros. Representa um marco no reconhecimento do trabalho dos profissionais de contabilidade e no incentivo às boas práticas e ao fomento a um setor público mais transparente. O prêmio é realizado pelo Ministério da Fazenda, Secretaria do Tesouro Nacional, Subsecretaria de Contabilidade Pública e Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Núcleo de Informações Contábeis e Fiscais da Federação.

Para a prefeita Beth Pelaes, que recebeu as premiações, a conquista demonstra a seriedade com que a sua equipe desempenha suas atribuições na gestão. “Receber dois prêmios regional e nacional de uma só vez é muito gratificante e mostra como o nosso município de Pedra Branca do Amapari está melhorando cada vez mais na qualidade do serviço prestado pelos nossos colaboradores da prefeitura. Quando eu recebo esses prêmios eu não recebo sozinha, mas faço isso em nome de todo o nosso secretariado da gestão e equipe técnica que se empenham por fazer o melhor. Só orgulho!

Assessoria de comunicação da Prefeitura de Pedra Branca do Amapari

CEA Equatorial realiza desligamentos programados para levar melhorias para quatro municípios do Amapá

As manutenções preventivas ocorrem no período de 14 a 22 de junho. (Foto: divulgação/ CEA Equatorial).

A CEA Equatorial continua com novos investimentos na rede elétrica em várias ruas e avenidas de municípios do Amapá. O serviço busca manter o bom desempenho do sistema e reduzir as ocorrências de falta de energia, além de levar mais qualidade ao fornecimento de energia para os habitantes de cada cidade.

Além das ações na área urbana e rural da capital, Macapá, haverá também desligamentos nos municípios de Santana, Calçoene e Porto Grande. Nestes locais, os principais serviços prestados envolvem a substituição e implantação de postes e de estruturas da rede; substituição de condutores; instalação de transformadores; inspeções técnicas; entre outros. É importante lembrar que, nas áreas onde a manutenção será necessária, os clientes são avisados com antecedência para que possam se organizar.

Vale ressaltar que, para a segurança de todos, a orientação é de que ninguém deve mexer na rede elétrica durante o serviço, pois a energia poderá voltar antes do horário previsto. Em caso de atendimento de uma demanda emergencial, a manutenção programada poderá ser adiada temporariamente.

Para ter acesso aos desligamento diários, você pode acessar o site da CEA Equatorial, clicando na opção Desligamento Programado, atualizados diariamente.

CONFIRA OS DESLIGAMENTOS PARA O PERÍODO ENTRE 14 A 22 DE JUNHO:

Macapá, Bela Ville, dia 14.
Local: Rodovia Duca Serra entre Rua das Araras e Rua Ranolfo de Souza Gato, Nair Maria Sousa da Costa entre Rodovia Duca Serra e Avenida dos Arirambas, Avenida dos Tucanos entre Rua das Araras e Rua Nair Maria Sousa da Costa, Avenida dos Guaras entre Rua das Araras e Rua Nair Maria Sousa da Costa, Avenida dos Gaviões entre Rua das Araras e Rua Nair Maria Sousa da Costa, Avenida dos Sabias entre Rua das Araras e Rua Nair Maria Sousa da Costa, Avenida dos Uirapurus entre Rua das Araras e Nair Maria Sousa da Costa, Avenida dos Curios entre Rua das Araras e Rua Ranolfo de Souza Gato, Avenida dos Jaçanas entre Rua das Araras e Rua Ranolfo de Souza Gato, Avenida dos Pardais entre Rua das Araras e Rua Ranolfo de Souza Gato, Avenida dos Maracanas entre Rua das Araras e Rua Ranolfo de Souza Gato, Avenida dos Arirambas entre Rua das Araras e Rua Ranolfo de Souza Gato.
Horário: 8h às 18h
Macapá, Laguinho, dia 14.
Local: Rua General Rondon entre Avenida General Osorio e Avenida Pará, Avenida Ana Nery entre Rua Eliezer Levy e Rua José Serafim, Avenida Marcilio Dias entre Rua Eliezer Levy e Rua José Serafim, Avenida Pedro Américo entre Rua Eliezer Levy e Rua José Serafim, Avenida Pará entre Rua Eliezer Levy e Rua José Serafim.
Horário: 9h às 18h
Macapá, Pacoval, dia 14.
Local: Avenida Canal do Jandiá a partir da Rua Mato Grosso, Avenida Amazonas a partir da Rua Mato Grosso, Avenida Bahia a partir da Rua Mato Grosso, Avenida Acre.
Horário: 9h às 18h
Macapá, Novo Buritizal, dia 15.
Local: Avenida Violeta Mont’Alverne Moreira, da Área de Ressaca até a Rua Leopoldo Queiroz Teixeira; Avenida Saúde Pimentel, da Área de Ressaca até a Rua Leopoldo Queiroz Teixeira; Passagem K Gouveia, entre a Avenida Saúde Pimentel e a Avenida Violeta Mont’Alverne Moreira; Rua Leopoldo Queiroz Teixeira, entre a Avenida Raimundo Antônio Machado e Avenida Violeta Mont’Alverne Moreira.
Horário: 8h às 15h30
Macapá, Jardim 2, dia 15.
Local: Travessa Clodoaldo Silva Matias, entre Avenida dos Prazeres e Avenida Alexandre Ferreira da Silva; Ave Maria das Graças Picanço, entre Rua Marabaixo e Rua Josefa Pelaes da Silva; Paulo do Espirito Santo Silva; entre Rua Marabaixo e Rua Josefa Pelaes da Silva; Ave Severino Gomes de Almeida, entre Travessa Clodoaldo Silva Matias e Rua Josefa Pelaes da Silva.
Horário: 8h às 15h30
Macapá, Curiaú, dia 15.
Local: Comunidade São Raimundo do Curiaú.
Horário: 08:00 às 16:00
Macapá, Congós, dia 17.
Local: Rua Claudomiro de Moraes entre Avenida Padre Angelo Biragui e Avenida Telemaco Mira Martins, Avenida Ben-Hur Correa Alves entre Rua Claudomiro de Moraes e Rua Carlos Drummond de Andrade, Avenida Padre Rinaldo Bossi entre Rua Claudomiro de Moraes e Rua Carlos Drummond de Andrade.
Horário: 8h às 16h
Santana, Provedor, dia 17.
Local: Rua Adalvaro Cavalcante a partir da Travessa L-06.
Horário: 09:00 às 16:00
Macapá, Buritizal, dia 18.
Local: Avenida dos Tembes entre Rua Hildemar Maia e Rua Manoel Eudoxio Pereira, Rua Professor Tostes entre Avenida Creuza Maria Mendes Holanda e Avenida dos Tupis.
Horário: 08:30 às 16:15
Macapá, Infraero 2, dia 18.
Local: Rua Ananindeua entre Avenida Cid Borges de Santana e Avenida Maria Cavalcante de Azevedo Picanço, Rua Porto Seguro, Avenida Maria Cavalcante de Azevedo Picanço entre Rua Ananindeua e Rua Boa Vista.
Horário: 10:00 às 18:00
Macapá, Açaí, dia 19.
Local: Ave das Jacas entre Rua dos Mucajas e Rodovia Tancredo Neves, Rua das Pupunhas, Rua dos Taperebas, Rua Porto Velho entre Avenida das Jacas e Avenida Cid Borges Santana.
Horário: 10:00 às 18:00
Calçoene, Aeroporto, dia 19.
Local: Rua Manoel Sarmento entre Rua José Martins de Oliveira e Avenida Lucio Sarmento Tavares.
Horário: 09:00 às 16:00
Macapá, Açaí, dia 20.
Local: Avenida das Bacabas entre Rodovia BR 210 e Rua das Pupunhas, Rua dos Taperebas entre Avenida dos Cupuaçus e Avenida dos Bacuris, BR 210 entre Avenida dos Cupuaçus e Avenida dos Bacuris.
Horário: 09:00 às 18:00
Calçoene, Rodovia, dia 20.
Local: Rodovia BR 156, Distrito do Carnout.
Horário: 09:00 às 16:00
Porto Grande, Goiabal, dia 20.
Local: Rodovia Perimetral Norte.
Horário: 08:00 às 16:00
Calçoene, Goiabal, dia 21.
Local: Ramal do Goiabal, Goiabal e adjacências.
Horário: 9h às 16h
Porto Grande, Centro, dia 21.
Local: Rua Gerino Porto entre Avenida Mario Cruz e Avenida Oiapoque.
Horário: 08:30 às 15:00
Macapá, Beirol, dia 21.
Local: Avenida Caramuru entre Rua Jovino Dinoa e Rua Odilardo Silva.
Horário: 10:00 às 18:00
Macapá, Açaí, dia 22.
Local: Avenida dos Cupuaçus entre Rua dos Abius e Rua dos Abacaxis, Rua dos Abius a partir da Avenida das Bacabas, Rua dos Maris a partir da Avenida das Bacabas, Rua dos Araças a partir da Avenida das Bacabas, Rua dos Muricis a partir da Avenida das Bacabas, Rua dos Ananás partir da Avenida dos Cupuaçus.
Horário: 08:00 às 16:10
Macapá, Infraero 1, dia 22.
Local: Avenida Jose M Pereira Cardoso entre Rua Janari Nunes e Rua Rio Amazonas, Avenida Brigadeiro Faria Lima entre Rua Janari Nunes e Rua Rio Amazonas, Travessa M e Gomes entre Rua Janari Nunes e Rua Rio Amazonas, Rua Primeiro de Janeiro.
Horário: 10:00 às 18:00
Porto Grande, Colonia do Matapi, dia 22.
Local: Linha B da Colonia do Matapi.
Horário: 14:00 às 18:00
Porto Grande, Colonia do Matapi, dia 22.
Local: Avenida Presidente Dutra entre Rua Nova III e Rua Tartarugalzinho, Rua Nova III entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes, Rua Nova II entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes, Rua Quinze de Novembro entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes, Rua Sagrado Coração de Jesus entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes, Rua Alzira Tavares entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes, , Rua Felicidade entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes, , Rua Tartarugalzinho entre Avenida Presidente Dutra e Avenida Antonio Pontes.
Horário: 08:00 às 15:00

Comunicação CEA Equatorial

Fiscalização do Sistema Socioeducativo: juiz inspeciona Centro de Referência Especializado de Assistência Social, em Porto Grande

A Vara Única da Comarca de Porto Grande, que tem como titular o juiz Fábio Gurgel, realizou, na última sexta-feira (14), inspeção judicial no Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas) do município. O objetivo da fiscalização, executada pelo juiz substituto Fernando Mantovani Leandro, foi verificar questões estruturais, funcionalidade e serviços ofertados. A unidade, entre outras missões, atende adolescentes em cumprimento de Medida Socioeducativa, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A medida da unidade do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) na cidade atendeu orientações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nos termos da resolução CNJ 214/2015, e posterior registro no Cadastro Nacional de Inspeção de Unidades e Programas Socioeducativos (Cniups). A norma determina a inspeção bimestral das Unidades de Internação e de Semiliberdade; vistoria semestral nos programas para cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto sob sua responsabilidade; e adoção das providências necessárias para o seu adequado funcionamento.

De acordo com o magistrado, o trabalho da Justiça no acompanhamento do Creas tem o propósito de garantir que os adolescentes atendidos no sistema socioeducativo de Porto Grande tenham a eficiência das atividades constatadas. Na ocasião, o juiz Mantovani também conversou com a direção da casa, servidores do corpo técnico do Centro e internos.

“Como se sabe, o Creas busca oferecer apoio e orientação às famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e/ou social por violação de direitos. Por isso, o Poder Judiciário faz essa interação com outros atores com o objetivo de proporcionar meios para que tais funções exercidas em sua amplitude. Nesse cenário, o intuito da inspeção foi vistoriar as condições de trabalho do local, não apenas a mobília, mas, e em especial, em razão dos anseios e as necessidades dos servidores do local, que lidam diariamente com as necessidades do órgão”, pontuou o juiz substituto.

“Na ocasião, foi constatada a necessidade de colocação de forro (não somente pela segurança, mas também por conta do trabalho desenvolvido, no qual é fundamental para o sigilo dos atendimentos), assim como é preciso melhorar a acessibilidade do local. E ainda, o Centro necessita de mais equipamentos de segurança, pois os profissionais que trabalham no Creas relataram a falta de uma sala de recepção e de materiais lúdicos, que facilitarão o atendimento das crianças, entre outras demandas que constam de relatório judicial elaborado na oportunidade”, detalhou Fernando Mantovani Leandro.

Sobre o Creas

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social é uma unidade pública municipal que oferece serviços especializados e continuados a famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos (violência física, psicológica, sexual, tráfico de pessoas, cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto).

Cabe ao Creas, que presta o serviço de proteção social especial a menores em cumprimento de medida socioeducativa de Liberdade Assistida (LA), conforme previsto no ECA, acompanhar o adolescente e auxiliar no trabalho de responsabilização do ato infracional.

A unidade também disponibiliza outros serviços como orientação, encaminhamentos para a rede de serviços locais, construção de plano individual e/ou familiar de atendimento, orientação sociofamiliar, atendimento psicossocial, orientação jurídico-social, referência e contra referência, informação, comunicação e defesa de direitos.

– Macapá, 18 de junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Texto: Elton Tavares
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800

Comissão do Fundo de Apoio aos Juizados da Infância e Juventude realiza sua primeira reunião oficial de 2024

A Comissão de Administração do Fundo de Apoio aos Juizados da Infância e Juventude (Fajij) do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), realizou, na segunda-feira (17), sua Primeira Reunião Ordinária de 2024. Conduzida pelo desembargador João Guilherme Lages Mendes, presidente em exercício da comissão, a reunião contou com a participação: da juíza Laura Costeira (titular do Juizado da Infância e da Juventude de Macapá – Área de Políticas Públicas e Medidas Socioeducativas); da juíza Larissa Antunes (titular da Vara da Infância e da Juventude de Santana); do secretário-geral do TJAP, Veridiano Colares; além dos servidores Diogo castro, Cesar Neri e Ana Beatriz.

Além de informes gerais sobre o histórico do fundo e os últimos projetos encaminhados pelo Fajij, a pauta incluiu: prestação de contas do fundo de apoio aos juizados da infância e juventude do exercício de 2023, com detalhamento das contas e balanço financeiros de referente ao ano de 2023; análise e apreciação dos processos administrativos de participação de magistrados em eventos jurídicos na área da Infância e Juventude, com deliberação sobre a participação de magistrados em eventos jurídicos na área da infância e juventude para os anos de 2023/2024; análise a apreciação dos projetos sociais das Varas/Juizados da Infância e Juventude e da CEIJ em trâmite no TJAP nos anos de 2023/2024; proposta de reformulação da Resolução nº 417/2006 que regulamenta o FAJIJ, com discussão sobre a proposta, que visa aprimorar sua estrutura e funcionamento.

O desembargador João Lages sinalizou que o Fajij fez muito, mas pode fazer ainda mais no que diz respeito ao viés de educação. “É na educação que mais se muda vidas, e não só do estudante, mas de toda a sua família. Precisamos encontrar meios para diversificar ainda mais os nossos investimentos e ter um impacto efetivo em muitas famílias que realmente precisam desse apoio”, registrou.

– Macapá, 18 de junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP

Fotos: Serginho Silva
Siga-nos no Twitter: @Tjap_Oficial
Facebook: Tribunal de Justiça do Amapá
You Tube: TJAP Notícias
Instagram: @tjap_oficial
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800

Poema de agora: Dias amarelos – Pat Andrade

Dias amarelos

as sombras ocultam
o corpo seminu
caído na calçada

o sorriso sem dentes
desapareceu de vez
as mãos descarnadas
não se estendem mais
para a esmola suada
o futuro foi apagado
pelo amarelo dos dias

trazia entre os dedos
uma flanela encardida
e a morte anunciada
o olhar alucinado
mirava o firmamento

na lata ainda ardiam
as últimas brasas
do seu inferno particular

Pat Andrade

É, eu gosto! – Crônica de Elton Tavares – (do livro “Crônicas De Rocha – Sobre Bençãos e Canalhices Diárias”)

Ilustração de Ronaldo Rony

Eu gosto de fotografar, de beber com os amigos e de ser jornalista (talvez, um dia, um bom). Gosto de estar com minha família, do meu trabalho e de Rock And Roll. Eu gosto de café, mas só durante o trabalho, enquanto escrevo. Gosto de sorvete de tapioca, de cerveja gelada e da comida que minha mãe faz. Também gosto de comer besteira (o que me engorda e depois dá um arrependimentozinho).

Gosto de sorrisos e de gente educada. Eu gosto de gente engraçada. Gosto de bater papo com os amigos sobre música, política e rir das loucuras que a religião (todas elas) promove. Eu gosto de chuva e de frio. Gosto de futebol. Gosto dos golaços e da vibração da torcida.

Gosto de ir ao cinema, de ler livros e de jogar videogame. Gosto de rever amigos, mas somente os de verdade e de gente maluca. E gosto de Macapá, minha cidade.

Eu gosto de ser estranho, desconfiado, briguento e muitas vezes intransigente.

Sim, confesso que gosto.

Gosto de viajar, de pirar e alegrar. Gosto de dizer o que sinto. Às vezes, também gosto de provocar. Mesmo que tudo isso seja um estranho gostar.

Gosto de encontros casuais, de trilhas sonoras e de dar parabéns. Gosto de ver o Flamengo ganhar, meu irmão chegar e ver quem amo sorrir. Também gosto de Samba e do Carnaval. Gosto de ouvir o velho Chico Buarque cantar – ah, como eu gosto!

Eu gosto de explicar, empolgar, apostar, sonhar, amar, de fazer valer e de botar pra quebrar. Ah, eu gosto de tanta coisa legal e outras nem tão legais. Difícil de enumerar.

Eu gosto de ler textos bem escritos, de gols de fora da área, de riffs de guitarra bem tocados, de humor negro e do respeito dos que me cercam.

Gosto de me trancar no quarto e pensar sobre a vida. Gosto quando escrevo algo que alguém gosta. Gosto mais ainda quando dizem que gostaram.

Eu gosto também de escrever algo meio sem sentido para a maioria como este texto. Eu gosto mesmo é de ser feliz de verdade, não somente pensar em ser assim. Gosto de acreditar. Como aqui exemplifico, gosto de devanear, de exprimir, de demonstrar e extravasar.

Pois é, são coisas que gosto de gostar. É isso.

Ilustração de Ronaldo Rony

Elton Tavares

*Texto do livro “Crônicas De Rocha – Sobre Bênçãos e Canalhices Diárias”, de minha autoria, lançado em setembro de 2020.

Justiça do Amapá e Ministério Público Federal formalizam Cooperação Técnica para fortalecimento de ações em prol da sociedade

O Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) e o Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria da República no Amapá (PR/AP), firmaram, nesta segunda-feira (17), o Acordo de Cooperação Técnica nº 01/2024. A parceria firmada possibilitará o compartilhamento de infraestrutura física e a colaboração em diversos projetos de interesse comum entre as instituições para o fortalecimento de ações em favor da sociedade. O documento foi assinado pelo desembargador-presidente do TJAP, Adão Carvalho e procurador-chefe da PR/AP, João Pedro Becker Santos, na sede do Poder Judiciário amapaense.

A cooperação estabelece o compartilhamento da infraestrutura física do TJAP para projetos que envolvam Justiça Itinerante, MPF na comunidade e Ministério Público pela Educação (MPEduc).

A parceria também prevê capacitações nas áreas de segurança dos procuradores da República e magistrados, de direito e de Justiça Restaurativa; o documento firmou ainda o trabalho conjunto para a implantação de Ponto de Integração Digital, para que a população tenha acesso à justiça, capilaridade, inclusão social e desenvolvimento, conscientização de direitos, deveres e valores do cidadão, aperfeiçoamento e racionalização dos custos dos serviços judiciais.

O chefe do Poder Judiciário destacou que trabalhar ações conjuntas com o MPF/AP é essencial para a sociedade amapaense. O presidente do TJAP reforçou que com a cooperação, a população terá uma justiça mais acessível e eficiente.

“Sempre trabalhamos em parceria com outras instituições, dentro de nossa autonomia. Desta forma, garantimos direitos para a população. Temos estrutura em todo o Estado e ficamos felizes em ceder espaços ao MPF em favor do cidadão. Além disso, a parceria e qualificações para magistrados e procuradores que resulta na eficiência dos serviços que ambas as entidades prestam à sociedade. Com isso, promovemos cidadania”, detalhou o presidente do TJAP.

Já o titular do MPF/AP destacou que o momento formalizou a parceria de muitos anos.

“Esse termo de cooperação técnica é uma formalização de uma parceria que já vem de anos entre o Tribunal e o Ministério Público Federal. Com este apoio, o MPF consegue chegar às comunidades e atender os cidadãos em todo o Estado. Além de possibilitar capacitações mútuas. Agradecemos o trabalho conjunto e o suporte dado pelo Poder Judiciário”, pontuou o procurador-chefe do Ministério Público Federal.

– Macapá, 17 de junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Texto: Elton Tavares
Fotos: Serginho Silva
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800