Sebastião chega aos 50 anos. Feliz aniversário, Black Sabbá!- @sabba37

Com o Black, em 2014

Sempre digo aqui que gosto de parabenizar neste site as pessoas por quem nutro amor ou amizade. Afinal, sou melhor com letras do que com declarações faladas. Acredito que manifestações públicas de afeto são importantes. Neste décimo sexto dia do ano gira a roda da vida pela 50ª vez, o querido Sebastião. O popular e consideradão da galera, “Black Sabbá da Barra ”.

Black Sabbá é um pai dedicado, técnico em segurança do trabalho, músico, maluco das antigas e velho amigo meu. Ele mora em Icoaracy (PA) há mais de uma década, onde leva uma vida tranquila com a família. Mas nos anos 80, 90 e primeira metade dos anos 2000, ele agitou e muito, em Macapá. Hoje o roqueiro chega na marca de cinco décadas. Nós temos durado, Black?

Conheci o Black na primeira metade dos anos 90. Ele não é somente mais um doidão porreta dos muitos que conheci na vida, é um cara Rock n’ Roll demais. Por onde passa, com toda sua conhecida performance de rock-star-maluco-do-gueto-feliz-pra-caralho, Black canta, malandramente, clássicos dos anos 80.

O figura é conhecido na capital amapaense com Black Sabbá, uma alusão a banda inglesa Black Sabbath (tanto que ele também usas dois “B’s”).

Eu, Alan Yared e Black Sabbá (niver do Lula Jerônimo) – 16/02/2015 – Foto: Fernando França

Vascaíno fervoroso, um dia Black me disse que sua opção por torcer pelo clube cruzmaltino se deu depois que ele levou um cascudo de um cidadão que vestia a camisa do rival, Flamengo, na época que ele era garoto e trabalhava como engraxate.

Junto com Jony, Guri e Jessi, Black fundou banda “Prisioneiros do Lar”, nos anos 80. O grupo se apresentava em todo lugar da antiga Macapá. Era uma banda com muita atitude e energia, canalizada através de seu vocalista. Black era e é um cantor estiloso, performático e carismático. Sempre com um sorriso no rosto e bom humor invejável.

Vez ou outra, Black pinta em Macapá e toda vez tenho o imenso prazer de encontrá-lo e batermos o velho papo molhado, sempre muito porreta.

Resumo da ópera-rock, Black é um cara cheio de pavulagem, amor e paideguice. Um amigo diz que a gente troca juventude por sabedoria. É o caso de Sabbá, que hoje em dia continua o cara legal pra caralho que sempre foi, só que muito mais safo.

Com o Black, em 2015.

Enfim, Sebastião, mano velho, “TU SAAAAABES”…Que teu novo ciclo seja ainda mais feliz, produtivo e iluminado. Que sigas pisando firme e de cabeça erguida em busca dos teus objetivos e que tudo que couber no seu conceito de sucesso se realize. Que a Força sempre esteja contigo. E que tua vida seja longa, sem “cara branca”, repleta de momentos porretas. Parabéns pelo seu dia, manão. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Hoje é o Dia Mundial dos Beatles – Um texto para fãs #16deJaneiro #16Jan #BeatlesDay #DiaDosBeatles #Beatlemaniacos

The Beatles foi uma banda de Rock and Roll inglesa, fundada nos idos de 1960. É o grupo musical mais bem-sucedido e aclamado da história da música. A banda era formada por John Lennon (guitarra rítmica e vocal), Paul McCartney (baixo e vocal), George Harrison (guitarra solo e vocal) e Ringo Starr (bateria e vocal).

Os Beatles tiveram uma importância inestimável para a música. Eles gravaram álbuns clássicos atemporais e souberam como ninguém captar o contexto político e social de sua época.

Foto: Camila Karina

Aliás, assim como Jimmi Hendrix, Pink Floyd, Rolling Stones, Led Zeppelin, Bob Dylan e The Doors, não fizeram somente música, fizeram história!

Apesar de amarmos muitas bandas, os Beatles foram e sempre serão os maiores da história do Rock. A banda acabou em 1970.

John Lennon e companhia nos ensinaram que devemos valorizar o amor, sermos críticos e termos ideais. Eles cantaram “All you need is Love”, o que precisamos e sempre precisaremos: amor. E como!

Portanto, nossos aplausos e agradecimentos aos geniais caras de Liverpool. Viva o Dia Mundial dos Beatles!

* A Unesco NESCO negou, numa mensagem através de sua conta no Twitter em 2013, que tenham promovido a consagração de um dia mundial dedicado aos Beatles. “Embora nós gostássemos, a UNESCO NÃO proclamou o Dia Mundial Dos Beatles, mas nada impede que celebrar a sua música :)”, dizia a postagem. Não sei se a verdade é essa ou a que foi realmente instituída a data, mas celebrar foi o que nós, fãs, fizemos.

Elton Tavares

Se vivo, Elvis Presley completaria 87 anos hoje. Viva o Rei!

Elvis Aron Presley nasceu em Tupelo (Mississipi) em 8 de janeiro de 1935. Com 10 anos comprou seu primeiro violão. Nove anos depois, ele era um caminhoneiro pobre que entrou nos estúdios da gravadora Sun, em Memphis, e grava um acetato para dar de presente à mãe em seu aniversário. Lá gravou duas canções: My Hapiness e That’s when your heartaches begin.

Meses depois, quando precisou de um cantor para gravar um compacto, o dono da Sun, Sam Phillips, lembrou-se do rapaz. Nascia o rock’n’roll.

Por causa de suas roupas justas e do jeito como mexia os quadris, ficou conhecido como Elvis, the pélvis. Em 1956 assinou contrato para participar de seu primeiro filme Ama-me com ternura, que ficou famoso por sua bela música tema Love me tender.

Em 16 de agosto de 1977, após algumas temporadas em hospitais e prestes a iniciar uma turnê, Elvis morreu em Memphis, vítima de hipertensão cardíaca. Nessa época com sua carreira já em decadência, Elvis morreu vítima de overdose de tranquilizantes.

Elvis foi o Rei do Rock and Roll. Ele vendeu mais de 1 bilhão de discos e viveu somente 42 anos de idade. Por isso, monstros sagrados do Rock o reverenciam:

Eu acredito que a música pode curar. As pessoas encontram paz na música. Toda vez que eu me sinto triste, eu coloco um disco de Elvis e me sinto melhor. ” Paul McCartney.

Eu agradeço à Deus por Elvis Presley. Agradeço a Deus por ter mandado Elvis para abrir a porta para que eu pudesse atravessar e caminhar pela minha estrada….” Little Richard.

Antes de Elvis não havia nada” – John Lennon.

Se vivo, faria 87 anos hoje. Alguns dizem que ele ainda está entre nós. Acho pouco provável. Portanto, viva o Rei! Esteja ele onde estiver.

Elton Tavares

Se vivo, David Bowie faria 75 anos hoje – Happy birthday, Starman!

Se vivo, David Bowie, um dos caras mais fodas que andaram sobre a terra, completaria 75 anos hoje. Reverenciado pelos amantes do Rock, o velho “Camaleão” possuía status de estrela de primeira grandeza no universo musical. Pois o cara foi um genial louco varrido. David morreu em 11 de janeiro de 2016.

Puta compositor, cantor e músico, David também possuía uma performance peculiar, muita atitude e um visual que encheu os olhos do mundo dos anos 60 pra cá. Com um estilo ímpar, foi o astro de Rock que mais mudou de cara e cabelos na história. Também revolucionou a história dos videoclipes algumas vezes.

Um cara que começou a tocar saxofone aos 12 anos e recusou quando a Rainha da Inglaterra o quis transformar em “Sir”. Para qualquer pessoa, dispensar tal honraria já seria algo inusitado. No caso dele, que é inglês, achei firmeza!

Além de ter feito tantas músicas incríveis e nos presentear com uma das melhores discografias da história, Bowie também foi um sujeito firmeza, pois ajudou vários Brothers em suas respectivas carreiras. Ah, ele também desenhava, pintava, esculpia e escrevia.

Quatro dias antes de morrer, no dia 7 de janeiro de 2016, ele lançou o clipe de ‘Lazarus’, faixa de seu último álbum, “Blackstar”.

Bowie possui uma das melhores discografias de todos os tempos. Aliás, o Camaleão do Rock vendeu mais de 140 milhões de discos em toda sua carreira.

Por tudo que David fez nestas cinco décadas de rock’n’roll e o que ele representa para a história da música, digo: não à toa, ele é um dos meus “heroes”. Ao papa da música pop, rock, arte e cultura, minhas homenagens. E palmas para o cara, que ele foi PHoda!

Elton Tavares

Ruan Patrick gira a roda da vida. Feliz aniversário ao talentoso amigo guitar hero!

É  2 de janeiro e de dezembro e Ruan Patrick gira a roda da vida. Trata-se do marido da professora e escritora Amanda Moura e pai da pequena poeta Maria Cecília, irmão da querida Jamile, violonista, cantor, compositor, skatista, discotequeiro, profissional da saúde,  fundador e líder da banda stereovitrola. Um cara da nossa arte e brother deste jornalista. Um figura porreta e por isso lhe rendo homenagens.

Quem faz boa música é foda! É o caso desse brother. Um maluco gente boníssima, talentoso, dono de uma “paideguice” peculiar, honestidade, simplicidade, entre outras qualidades. O “Patrickinho” é um  importante personagem do Rock amapaense.

Patrick, Maria Cecília e Amanda – Foto: Insta da Amanda. Gente querida.

Num passado não muito distante, juntar rock and roll e diversão era uma tarefa muito complicada em Macapá. Se tratava de uma atividade realmente incomum na nossa cidade, mas existia. Patrick foi fundamental para disseminar o “roquenrou” por aqui. Foram centenas de festas, promovidas em quadras de escola, MV13, Sede dos Escoteiros, praças, pistas de skate, residências e o antigo Mosaico Rock Bar.

stereovitrola – Foto: Arquivo da banda.

Sua banda, stereovitrola,  existe desde 2004,  com quatro discos 100% autorais, os discos “Cada Molécula de um Ser” (2006); “No Espaço Líquido” (2009), “Simptomatosys” (2013) e “Macacoari, Rio Triste” (2019). Parafraseando o aniversariante, “o grupo segue seu caminho há 17 anos nesta rota arenosa e nebulosa que é o rock autoral no extremo norte do Brasil, rock este muitas vezes solitário, underground, alto, estranho e com um monte de guitarras por vezes desagradáveis”.

Lembro bem da primeira vez que vi uma apresentação do grupo, ainda com o “liguento” nos vocais e o Anderson na guitarra base. Foi no Lago do Rock, em 2004 (movimento criado por mim, Gabriela Dias e Arley Costa) e realizado na Praça Floriano Peixoto.

Litlle: Big ontem e hoje– Foto: Arquivo deste site

Antes disso, lá nos anos 90, Patrick foi integrante da lendária Little Big, banda que marcou o underground amapaense, que embalou festas marcantes do nosso rock, teve seus anos de sucesso pelas quadras de escolas, praças, pista de skate, bares (principalmente o Mosaico) e residências de Macapá. Quando os caras executavam “Killing In The Name“, do Rage Against The Machine, a casa vinha abaixo.

A Little Big ainda gravou canções autorais como “Baseados em si”, “São Jose”, “Beira mar” e “Lamento do Rio”. Quem viveu aqueles dias loucaços lembra bem do refrão: “Eu sou do Norte, por isso camarada, não vem forte”. A banda Era PHODA!

Além de sua importância para todo esse movimento musical, o cara é gente e querido por mim. Guitar Hero, mano velho, que teu novo ciclo seja ainda mais paid’égua. Que sigas com essa garra, sabedoria, coragem e talento em tudo que te propões a fazer. Que a Força esteja contigo. Saúde e sucesso, sempre, amigo. Parabéns pelo teu dia, Patricknho. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Show que reúne quatro bandas de Macapá propõe despedida de 2021 com música independente

Banda Stereovitrola é uma das atrações de ‘A Saideira’ — Foto: Stereovitrola/Arquivo

As bandas O Sósia, Stereovitrola, O Janus e Capitão Pupunha são as atrações de um evento cultural que ao público uma despedida de 2021 com arte independente. A programação inicia no fim de tarde desta quinta-feira (30), em um espaço de eventos no Centro de Macapá.

“A Saideira” exige comprovante de vacinação contra a Covid-19 e o uso de máscaras é obrigatório para o público.

Evento terá ainda um show da banda O Sósia — Foto: Divulgação/O Sósia

Previstas para iniciarem as apresentações às 18h, as bandas prometem muito brega, rock e ainda misturas de elementos da música nortista com sintetizadores.

Serviço:

“A Saideira”
Dia: 30 de dezembro (quinta-feira)
Hora: a partir das 17h
Local: Casa Viva (Avenida Almirante Barroso, entre as ruas Hamilton Silva e Professor Tostes – bairro Santa Rita)
Ingresso: R$ 10

Fonte: G1 Amapá.

Nesta quarta-feira (8) rola Rock and Roll: cantora Hanna Paulino e violonista Bruno Milhomem no Pub on – @hanna_paulino

Nesta quarta-feira (8), a partir das 21h30, vai rolar Rock And Roll no Pub on. A cantora Hanna Paulino e o violonista Bruno Milhomem se apresentam no bar com repertório Pop & Rock (mais Rocker que pop, é verdade). Eles são artistas que impressionam pelo alto nível de seus shows. O setlist é diversificado, com canções gringas e nacionais.

É chato ser repetitivo, mas elogios não podem deixar de ser feitos. Já disse e repito: quando o assunto é Rock (e desconfio que muitos outros estilos), Hanna é imbatível. Ela é uma verdadeira estrela e tem um vozeirão que dá gosto de ouvir. A menina, que não é deste mundo, sempre arrebenta. Além disso, Bruno Milhomem é, apesar de jovem, um exímio músico, que destrói no violão. Ele nos acostumou com seus lindos acordes e afinamento com sua parceira de palco. O cara toca muito.

O Pub on abre às 18h, mas o show será às 21h30. Para quem gosta de som porreta é uma excelente pedida. Recomendo!

Serviço:

Apresentação da cantora Hanna Paulino e violonista Bruno Milhomem
Data: 08/12/2021
Hora: 21h30 (mas o bar abre às 18h)
Local: Pub on, na Rua General Rondon, Nª 1816 – Centro de Macapá.
Entrada: Couvert Artístico de R $ 10,00 (baratíssimo para um show tão bom).

Elton Tavares

Sobre os 41 anos da morte de John Lennon completados hoje #LennonLivesOn

Hoje, 8 de dezembro, completam 41 anos que John Winston Lennon foi assassinado covardemente com cinco tiros, por Mark David Chapman, “fã” dos Beatles, lendária banda fundada por Lennon.

A polícia chegou minutos depois e levou John na própria viatura para o hospital. O assassino permaneceu no local com um livro nas mãos, “O Apanhador no Campo de Centeio” de J.D. Salinger. John morreu após perder cerca de 80% de seu sangue. O ano era 1980 e o ex-beatle tinha quarenta anos de idade.

John Lennon foi um músico, compositor e cantor brilhante e um ativista fervoroso. Um artista original, que fazia questão de expressar o que pensava e sentia, ainda que várias caísse em contradição ou criasse confusão com isso.

Além da trajetória com os Beatles, teve uma carreira solo consistente e recheada de sucessos inesquecíveis, como a canção “Imagine”. Sim, ele transformou suas alegrias e tristezas em música, de forma sublime.

Se estivesse vivo, John teria 81 anos e, com toda certeza, seria ainda maior do que é, e do que representa para todos que admiram ótimas ideias, belas músicas e atitude.

John Lennon foi um músico, compositor e cantor brilhante e um ativista fervoroso. Um artista original, que fazia questão de expressar o que pensava e sentia, ainda que várias vezes caísse em contradição ou criasse confusão com isso. O cara foi, além de talentosíssimo, muito polêmico.

Ele não foi o mais louco, o melhor guitarrista e nem o mais boa pinta, mas foi o maior de todos os rock stars. Lennon foi bem mais que um músico brilhante. Graças a um talento ímpar, ele conseguiu experimentar tudo o que sonhou até encontrar um tipo de alegria plena. Um cara genial, com um talento ímpar, que viveu como quis. Ele foi PHODA demais!

Em 14 de novembro de 2015, a banda Pearl Jam fez um show no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Eu tava lá. O grupo americano homenageou, de uma só vez, os mortos nos atentados terroristas em Paris (FRA), ocorridos na noite anterior ao show, e John Lennon (o falecido Beatle completaria 75 anos em 2015). O Pearl Jam tocou “Imagine” e todos no estádio do Morumbi acenderam seus celulares, pois a luz da esperança nunca apaga. Foi emocionante e lindo!

Sim, o velho Lennon sabia das coisas. Certa vez ele disse:

Eu acredito em Deus, mas não como uma coisa única, um velho sentado no céu. Eu acredito que o que as pessoas chamam de Deus, está dentro de cada um de nós. Eu acredito que Jesus ou Maomé ou Buda e todos os outros estavam certos. Foi só a tradução que foi feita errada” – John Lennon.

Um relato para finalizar: certa vez, um colega jornalista (daqueles chegados num pagode, micaretas e afins) me perguntou por que sou “tão fã” de Lennon. Nem me dei ao trabalho, só disse: “Eu realmente preciso explicar?” (risos).

A vida é o que te acontece enquanto você está ocupado fazendo outros planos” – John Lennon

Fonte: Revistas, filmes, discos, livros, sites, amigos e minha imensa admiração por John Lennon.

Elton Tavares

Com shows de Rock e Seresta em duas noites de festa, 3 e 4 de dezembro marcam o “Soft Opening” do “Espaço Aberto”, o novo local de eventos de Macapá

Macapá ganhará um novo espaço para eventos. Shows de Rock e Seresta em duas noites de festa, 3 e 4 de dezembro de 2021, respectivamente sexta-feira e sábado, marcarão o “Soft Opening” (palavras em inglês que significam “lançamento suave”  ou “abertura suave”) do “Espaço Norte”, no bairro Novo Horizonte, na zona Norte da capital amapaense.

A abertura do local contará com shows da banda de Rock Moinhos de Vento na primeira noite e da dupla Kleuson e Arnaldo Batista, na segunda noite.

A proprietária do Espaço Norte, Michelle Mesquita, afirmou que a ideia dos shows é apresentar o local ao público. A intenção da empresária é alugar o espaço para eventos, pois o local é bonito, aparelhado com Salão Coberto, churrasqueira, área gramada, área campestre e piscina.

Sobre os shows

A Moinhos de Vento se apresentará na sexta-feira (3). A banda é formada por Jean Carlos (Guitarra e Voz), Gerson Lima (Baixo e Voz) e Anderson Coutinho (Bateria). Os caras tocam bem e costumam executar um repertório Rock and Roll do  que existe de melhor no rock nacional e gringo. Já no sábado (4), a segunda noite promete fazer a alegria dos amantes da dança com o show de Kleuson e Arnaldo Batista. A noite terá ainda, antes da seresta, apresentação de violão e voz  com o músico e cantor Gerson Lima. Os shows serão na área aberta.

Mais sobre o Espaço Norte

Localizado na Rua Maria da Conceição Santos, o Espaço Norte estará à disposição para grandes eventos e com uma das maiores e mais completas estruturas de espaço para eventos corporativos, familiares, confraternizações, palestras, lançamentos de produtos, divulgação, treinamento, aniversários e casamentos. Tudo para atender os que queiram unir qualidade e beleza do cenário.

Serviços:

“Soft Opening” do “Espaço Norte”, o novo local de eventos de Macapá
Local: Rua Maria da Conceição Santos, no bairro Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá.
Datas: Rocks Days – 03/12/2021 – Sexta-feira – Com show de Rock da banda Moinhos de Vento.
Saudades do Baile –  04/12/2021 – Sexta-feira – Com show da dupla especialista em bailes dançantes e canções de seresta, Kleuson e Arnaldo Batista.
Hora: a partir das 20h nas duas noites
Ingressos antecipados no valor de R $20,00 (com direito a um drink).
Para adquirir as entradas e mais informações, falar com Michelle Mesquita pelo telefone: 96-98134-0006.

Elton Tavares

Há 24 anos morreu Michael Hutchence, vocalista do INXS – #michaelhutchence #inxs

Em 22 de novembro de 97, há exatos 24 anos, Michael Hutchence, vocalista do Inxs, foi encontrado enforcado com um cinto aos 37 anos de idade em um quarto do hotel Ritz-Carlton em Sydney (AUS).

Michael Kelland John Hutchence foi o vocalista da banda de rock-pop chamada INXS. Dono de uma potente e marcante voz, Hutchence durante os anos de carreira foi o símbolo da banda com canções marcantes e grandes sucessos, sempre calcados em sua potente voz.

Entre seus maiores sucessos, destacam-se: “Never Tear Us Apart”, “By My Side”, “New Sensation”, “Original Sin”, “Disappear”, “Not Enough Time”, “Mistify”, “Listen Like Thieves”, “Need You Tonight” e “Slide Away”, Esta última, em parceria com Bono Vox, do U2.

Alguns anos depois, uma versão não oficial afirma que o cantor morreu praticando bondage (tipo específico de fetiche, geralmente relacionado com sadomasoquismo, onde a principal fonte de prazer consiste em amarrar e imobilizar seu parceiro ou pessoa envolvida).

Foi casado com a apresentadora inglesa Paula Yates, com quem teve uma filha – hoje, após a morte de Yates, sob a tutela do cantor Bob Geldof, ex-marido da apresentadora.

Em 2019, estreou na plataforma Netflix de streaming  o documentário “MYSTIFY: MICHAEL HUTCHENCE”, que relata a trajetória de Michael Hutchence, o compositor e cantor principal da banda australiana INXS. Retratando a carreira musical, vida pessoal e os anjos e demônios de sua existência conturbada, a história de Michael é contada. Assisti várias vezes e recomendo.

“Há uma integridade na música do INXS que faz valer a pena” – Michael Hutchence.

Em 1997, eu tinha 21 anos e lembro bem de mais essa trágica perda do Rock. Michael Hutchence foi um dos maiores vocalistas de sua geração. Ele tinha carisma, muito talento, presença de palco incrível e voz marcante. Aquele show em Wembley, nos anos 90, foi antológico. As músicas do INXS me remetem a nostalgia e saudades.

! Estrela de brilho … star sim Brilhante
Leve minha alma
Apenas me deixe com o seu coração
Amar coração …” – Shining Star – INXS.

Edição: Elton Tavares
Fontes: Whiplash e Eu adoro Cinema

Lembrança boa de hoje: Johnny Marr no Lollapalooza Brasil 2014

Foto: Elton Tavares

Todo dia bate uma saudade de ver um shonzão. No Lollapalooza Brasil 2014, o guitarrista Johnny Marr, ex-integrante do The Smiths arrebentou. Mesmo com o fato de o seu show ter sido realizado no palco Onix (longe pra caralho, quase mais de 1km do palco Skol e quase dois para o palco Interlagos). Ele tocou e cantou canções de seu projeto solo, mas levantou a massa mesmo com músicas dos Smiths.

Foto: Elton Tavares

Stop Me If You Think You’ve Heard This One Before, Bigmouth Strikes Again e How Soon Is now? (com a presença surpresa de Andy Rourke, ex-baixista do Smiths, que tocou junto com Marr ). Além disso, na apresentação de Johnny rolou som da banda Eletronic (projeto dele, Bernard Summer do New Order e Neil Tennant do Pet Shop Boys) e The Clash, com I Fought The Law. Há sete anos. Eu tava lá. Foi um showzaço!

Elton Tavares

Quarta-feira de Rock and Roll: cantora Hanna Paulino e violonista Bruno Milhomem se apresentam hoje no Pub on – @hanna_paulino

A noite desta quarta-feira (3) promete ser de Rock And Roll no Pub on. A cantora Hanna Paulino e o violonista Bruno Milhomem se apresentam hoje no bar, a partir das 21h. Com repertório escolhido a dedo e bem ensaiados, a dupla de artistas sempre impressiona pelo alto nível de seus shows. O setlist é diversificado com clássicos do Rock gringo e nacional.

Já disse e repito: quando o assunto é Rock (e desconfio que muitos outros estilos), Hanna é imbatível. Ela é uma verdadeira estrela e tem um vozeirão que dá gosto de ouvir. A menina, que não é deste mundo, sempre arrebenta. Além disso, Bruno Milhomem é, apesar de jovem, um exímio músico, que destrói no violão. Ele nos acostumou com seus lindos acordes e afinamento com sua parceira de palco. O cara toca muito.

O Pub on abre às 17h30, mas o show será às 21h. Para quem gosta de som porreta é uma excelente pedida. Recomendo!

Serviço:

Apresentação da cantora Hanna Paulino e violonista Bruno Milhomem
Data: 03/11/2021 (também conhecido como hoje)
Hora: 21h (mas o bar abre às 17h30)
Local: Pub on, na Rua General Rondon, Nª 1816 – Centro de Macapá.
Entrada: Couvert Artístico de R $ 10,00 (baratíssimo para um show tão bom).

Elton Tavares

Os 26 anos do álbum “Mellon Collie And The Infinite Sadness”, do Smashing Pumpkins

Parece que foi ontem, mas já faz 26 anos que a banda de rock alternativo norte-americana The Smashing Pumpkins lançou o magnífico álbum “Mellon Collie and the Infinite Sadness” (em 24 de outubro de 1995 pela Virgin Records).

Este é o terceiro disco da carreira do grupo liderado por Billy Corgan (o careca antipático do rock sabe fazer canções que tocam a alma e o coração).

Mellon Collie foi o álbum que definiu a cara do rock há 20 anos. Um clássico instantâneo que provou que a música alternativa poderia ser complexa e ambiciosa.

Billy Corgan se encontrava no auge da sua megalomania criativa e lapidou todas as músicas com muita astúcia; desde sua introdução instrumental até a última música, o disco é arrebatador.

Ele contém muitas canções sensacionais, como a beleza da instrumental Mellon Collie And The Infinite Sadness, a visceralidade de “Zero” e “Bullet with Butterfly Wings”, a saudade dramática de “Thirty-Three”, a inocência de “1979” e a aula de vivência em “Tonight, Tonight”. Isso para citar somente as que gostamos mais.

O disco recebeu, com a canção “Bullet with Butterfly Wings”, o Grammy de 1997. A obra foi eleita como 29º maior álbum de todos os tempos, em 1998, pela Revista Q. Em 2003, a revista Rolling Stones o colocou como um dos 500 melhores discos de todos os tempos, no 487ª lugar.

A Revista Time elegeu Mellon Collie and the Infinite Sadness o melhor álbum de 1995. Não à toa, ele está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

O disco é eclético dentro do rock, já que possui desde canções bem melodiosas até rock pesado com guitarras sujas e gritos de FUCK YOUUU!. É realmente um álbum memorável, com um apelo artístico fantástico (sem falar naquele encarte sensacional).

Em 1995, Kurt Cobain já tinha ido para as estrelas e tudo que surgia de genial era mais uma esperança. No final, sabemos que o Rock nunca morre. Ele adoece, mas sempre volta com tudo.

Até hoje as músicas de Mellon Collie emocionam e transportam no tempo quem tem mais de 40 anos. Sim, nostálgico. Agora é só escutar Tonight, Tonight, onde o velho Corgan canta “acredite em mim” ou 1979 e viajar no tempo.

Elton Tavares e André Mont’Alverne

Domingo de Rock and Roll: cantora Hanna Paulino e violonista Bruno Milhomem se apresentam hoje no Treta Club – @hanna_paulino

A noite deste domingo (17) promete ser de Rock And Roll no Treta Club. A cantora Hanna Paulino e o violonista Bruno Milhomem se apresentam hoje no bar, a partir das 21h. Com repertório escolhido a dedo e bem ensaiados, a dupla de artistas sempre impressiona pelo alto nível de seus shows. O setlist é diversificado com clássicos do Rock gringo e nacional.

Já disse e repito: quando o assunto é Rock (e desconfio que muitos outros estilos), Hanna é imbatível. Ela é uma verdadeira estrela e tem um vozeirão que dá gosto de ouvir. A menina, que não é deste mundo, sempre arrebenta. Além disso, Bruno Milhomem é, apesar de jovem, um exímio músico, que destrói no violão. Ele nos acostumou com seus lindos acordes e afinamento com sua parceira de palco. O cara toca muito.

Assisti uma apresentação deles noite dessas e digo sem dúvida alguma: Hanna e Bruno só melhoram e surpreendem positivamente. O Treta já abriu às 17h, mas o show será às 21h. Para quem gosta de som porreta é uma excelente pedida. Recomendo!

Serviço:

Apresentação da cantora Hanna Paulino e violonista Bruno Milhomem
Data: 17/10/2021 (também conhecido como hoje)
Hora: 21h
Local: Treta Club (Av. Presidente Vargas, nº. 2467, Santa Rita)
Entrada: Couvert Artístico de R $5,00 (baratíssimo para um show tão bom).

Elton Tavares