Atento aos Sinais: Em dezembro Ney Matogrosso apresenta turnê internacional em Macapá


Em dezembro, Macapá recebe pela primeira vez o consagrado Ney Matogrosso, que apresenta sua turnê mundial Atento aos Sinais, com todos os recursos e profissionais que o acompanham neste espetáculo, considerado pelo próprio artista como a maior superprodução da qual fez parte. O show será no dia 10, no Ceta Ecotel, e inicia impreterivelmente às 21h. Com um histórico musical que o ergue ao patamar dos maiores artistas brasileiros, Ney Matogrosso iniciou o projeto Atento aos Sinais em 2013, que rendeu um CD e um DVD, percorreu Portugal, Argentina e Uruguai, e as principais capitais brasileiras, contabilizando cerca de 300 apresentações.

Ney Matogrosso é cantor, diretor e ator, tem 75 anos de idade, destes, 44 de carreira, iniciada no grupo Secos & Molhados, de onde saiu para abraçar a carreira solo. Intérprete de grandes compositores brasileiros, incorporou ao seu repertório músicas de Tom Jobim, Chico Buarque, Rita Lee, Cartola, Cazuza, entre outros. Além da voz, Ney se destaca pelo figurino exótico, performance ousada e maquiagem teatral, que completam seus shows e deram à ele o título do “showman”. Entre seus grandes e inesquecíveis sucessos estão Sangue Latino, O Vira, Pro Dia Nascer Feliz, Rosa de Hiroshima, Poema, Bandoleiro, e agora as músicas de Atento aos Sinais.

Ney chega ao Amapá acompanhado da banda formada por Sacha Amback (direção musical e teclado), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão), Dunga (baixo), André Valle (guitarra), Aquiles Moraes (trompete) e Everson Moraes (trombone). A iluminação é primorosa, com telas que projetam cenários, uma moldura de luz e uma cadeira espelhada, onde o cantor troca os figurinos. O show é pop, onde são interpretadas músicas de astros como Caetano Veloso, Paulinho da Viola, e nomes pouco conhecidos, a exemplo de Criolo e banda Zabomba, que apresentaram seus trabalhos nos shows de Ney, e outros que toma conhecimento via internet.

Atento aos Sinais é para agradar público de todas as gerações, com tecnologia de primeiro mundo, canções de várias fases da carreira de Ney Matogrosso, figurino e performance que são a marca do artista, conhecido pela irreverência, intimismo e por usar sua sensualidade e estilo andrógino e hipnótico como estética cênica em seus espetáculos. “Atento aos Sinais é um show que me aproxima dos meus tempos de Secos & Molhados, mas é sobretudo um show pop. Sou um artista que gosta de arriscar, até porque sou intérprete, não sou compositor”, define Ney.

Serviços:

Atento aos Sinais
Data: 10 de dezembro
Hora: 21h (entrada liberada a partir das 20h)
Local: Ceta Ecotel
Mesa Front (4 lugares): R$ 800,00
Mesa Premium (4 lugares): R$ 600,00
Pista Vip (Individual): R$ 80,00
Vendas de Mesa: Loja Norte Rock – Macapá Shopping
Venda de Pista Vip (1º lote): Loja Norte Rock – Macapá Shopping e Sorveteria Santa Clara Gelato – Próximo à Praça Nossa Senhora de Fátima.

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação

Mahrco Monteiro canta em Macapá seus sucessos de 32 anos de carreira


Dia 8 de dezembro Marhcos Monteiro continua a turnê em comemoração ao sucesso de seus 32 carreira, e Macapá entra o roteiro de um dos maiores artistas do Norte do Brasil. Simples Assim é o espetáculo pra dançar todos os estilos do artista que é conhecido por sua versatilidade musical e representar a região com suas interpretações e presença de palco. Para abrir a noite foi convidado o multi-instrumentista amapaense Finéias Nelluty. O show será na sede da ASSEL, na Rodovia JK.

Mahrco Monteiro nasceu no Rio de Janeiro e foi criado no Pará, trazendo no sangue o talento de família, mas com o coração aberto para a cultura e costumes do Norte. Nos anos 70 voltou para a terra natal onde o estudo o aproximou dos números, mas os festivais de música o despertaram para a arte, e em 83 voltou para Belém, onde iniciou a carreira em 1985, e dois anos depois nasceu, Chamegoso, seu primeiro disco.

Cuidadoso com seu trabalho, seus discos são resultados de pesquisa, empenho e conhecimento, que o levou a conquistar públicos de diferentes gerações e estilos, dos universitários e tradicionais, aos fãs de pop urbano. Sua música transformou o regional em universal, modernizou velhas canções e apostou em novos talentos. Dele nasceu o Círio da Nossa Música, e com Nilson Chaves e Lucinha Bastos formou há 15 anos o Trilogia, projetos de grande sucesso e audiência.

Simples Assim é o nome do CD produzido para comemorar os 30 anos de carreira do artista, em 2015. A obra foi lançada em grande estilo e percorreu bares e teatro no Pará. As comemorações se estenderam, e um show com seus maiores sucessos virou turnê, que segue o cronograma de passar por outros estados, chega agora ao Amapá e em janeiro parte para Japão e Europa. No Amapá Mahrco Monteiro tem uma relação musical, tanto com artistas como com público, principalmente os que passaram pelas universidades do Pará.

Em Macapá, Mahrco Monteiro eterniza sua história e vai reunir o público em torno de seu repertório irreverente, que mistura carimbó, marabaixo, guitarrada, zouk e pop, em uma noite preparada para dançar. Na abertura, o artista Finéias Nelluty, Rei da Zakerada esquenta a ASSEL com seus ritmos que alucinam. Ele abre o caminho para que Mahrco Monteiro assuma o palco e faça o público ficar inquieto com os ritmos.

SERVIÇOS:

Show Simples Assim
Com Mahrcos Monteiro
Data: 8 de dezembro
Local: ASSEL
Hora: 22h
Mesas: R$ 100,00
Ingressos: R$ 20,00
Informações: 98121-6999.

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação

Quarteto CasaNova se apresenta no Projeto Tenda Cultural do Rod’s Bar

 


Nesta sexta-feira (17), a partir das 20h30, o Quarteto CasaNova se apresentará no Projeto Tenda Cultural do Rod’s Bar. A entrada será franca. A banda, formada pelos excelentes músicos Cléverson Baía (Guitarra e vocal), Piska Martins (teclados), Nelson Dutra (contrabaixo) e Markinhos Sansi (bateria e vocal), é uma das melhores do Amapá.

Serviço:

Show do Quarteto CasaNova no no Projeto Tenda Cultural
Local: Rod’s Bar
Endereço: Orla do Araxá
Data: 17/11/2017
Hora: 20h30
Entrada: franca.

Elton Tavares

14º FIM – Audiovisual: arma e refúgio (filmes selecionados)

 

Por Alexandre Brito

Ao longo desses 14 anos de Festival, passamos a criar para cada edição do FIM um mote que norteia e perpassa todo o processo de organização do evento, nossas escolhas de convidados, o trabalho da curadoria, a identidade visual, o teaser… E para este ano de 2017, tomamos como mote “Audiovisual: arma e refúgio”. Entenda:

Se a disposição física necessária para vermos um filme é nos posicionarmos diante de uma tela, a forma cognitiva de perceber um filme nos liberta dessa dicotomia tela-sujeito e nos permite habitar um filme, tê-lo como um lugar, como refúgio. Por outro lado, assim como um papel em branco era considerado arma perigosa pelo estado no romance clássico de George Orwell, “1984”, a obra audiovisual, por vezes, revela sua face “arma”: atacando ideias ou as defendendo.

Em uma sociedade cada vez mais mediada por telas, entender o papel multiface do audiovisual é uma necessidade. Historicamente, construiu-se a narrativa do audiovisual como entretenimento e ele o é, inegavelmente. Mas não só. O audiovisual é polifônico, é discurso, é narrativa, é simulacro. O próprio conceito de multimídia já se mostra limitado demais para dar conta da tarefa de definir o audiovisual.

Por isso, a 14ª edição do Festival Imagem-Movimento traz uma perturbação: nesse mundo de diásporas, de conflitos declarados ou velados, de avanços que parecem nos levar a retrocessos, o audiovisual pode ser nossa arma e nosso refúgio, como queiramos. Mais um FIM se aproxima. Queira.

Depois de receber 75 inscrições provenientes de 17 estados brasileiros e dois filmes internacionais (Bélgica e EUA), a curadoria do 14ª FIM tem a honra de divulgar a lista dos filmes selecionados e convidados para sua programação, que acontece de 3 a 9 de dezembro. O audiovisual independente brasileiro tá bonito de se ver.

Parabéns e obrigado aos realizadores de todo o país por terem compartilhado conosco seus olhares!

14º FIM – Audiovisual: arma e refúgio.

A CHULA
Direção: Carlos Haussler
Origem: Macapá (AP)
A HISTÓRIA DE ZAHY
Direção: Otoniel Oliveira
Origem: Belém (PA)
APESAR DE TUDO
Direção: Janaina Dórea
Origem: Rio de Janeiro (RJ)
ALGO DO QUE FICA
Direção: Benedito Ferreira
Origem: Goiânia (GO)
ATRIUM
Direção: Auchentauler Campos de Lima
Origem: Belém (PA)
AZUL CARNE
Direção: Lucas Leônidas
Origem: São Paulo (SP)

BODAS DE PAPEL
Direção: Keyci Martins e Breno Nina
São Luís (MA)

CANDEIAS
Direção: Reginaldo Farias e Ythallo Rodrigues
Origem: Juazeiro do Norte (CE)
CARTA SOBRE O NOSSO LUGAR: MULHERES DO VILA NOVA
Direção: Rayane Penha
Origem: Macapá (AP)
CERCADOS PELA MORTE
Direção: João Vitor Ferian
Origem: Itapira (SP)
CINE IDEAL
Direção: Ricardo D’Almeida
Origem: Rondon do Pará (PA)
COXINHA
Direção: Cristiano Sousa e Ivan Martins
Origem: Goiânia (GO)
CLAUSURA
Direção: Mariana França e Gildo Antonio
Origem: São Bernardo do Campo (SP)
CLAMOR
Direção: Jomar Quaresma
Origem: Macapá (AP)
CURTIU?
Direção: Dominique Allan
Origem: Macapá (AP)

DANCER FASSBINDER
Direção: Felipe Cortez
Origem: Belém (PA)

ENTRE O LÁPIS E O PAPEL
Direção: Leo Collette
Origem: Rio de Janeiro (RJ)
EM TORNO DO SOL
Direção: Julio Castro e Vlamir Cruz
Origem: Natal (RN)
FREQUÊNCIAS
Direção: Adalberto Oliveira
Origem: Recife (PE)

HACKER
Direção: Rafael B. Silva
Origem: Belém (PA)
HIC
Direção: Alexander S. Buck
Origem: Vitória (ES)

IMBILINO VAI AO CINEMA
Direção: Samuel Peregrino
Origem: Goiânia (GO)
IMERSIO
Direção: Núcleo de Produção Audiovisual/Tiago Quingosta/Uliclelson Luís
Origem: Macapá (AP)
INTERMITÊNCIAS SOBRE MACAPÁ
Direção: Aron Miranda e Tami Martins
Origem: Macapá (AP)

LALU DE OURO – O PRIMEIRO MESTRE SALA
Direção: Becca Lopes
Rio de Janeiro (RJ)
LATOSSOLO
Direção: Michel Santos
Origem: Luís Eduardo Magalhães (BA)
LAMBES QUE GRITAM
Direção: Salomão Cardoso
Origem: Macapá (AP)
LOUÇA DE DEUS
Direção: Eudaldo Monção Jr.
Origem: Nazaré (BA)
LÚCIA VOLTOU A FUMAR
Direção: Iuri Bermudes da Silva Weinberger
Origem: São Paulo (SP)

MANIFESTO PORONGOS
Direção: Thiago Köche
Origem: Porto Alegre (RS)
MÃE DE OURO
Direção: Monica Palazzo
Origem: São Paulo (SP)
MÃES DE UMBIGO: HISTÓRIA DAS PARTEIRAS DO AMAPÁ
Direção: Vitória Gonçalves Pereira Greve
Origem: Macapá (AP)

NÃO É PRESSA, É SAUDADE
Direção: Camilla Shinoda
Origem: Brasília (DF)
NOITE PÚRPURA
Direção: Caroline Biagi
Origem: Curitiba (PR)

OBRIGADOS
Direção: Henrique Grise
São Paulo (SP)

PÁSSAROS NA BOCA
Direção: Gustavo Ribeiro
Origem: São Paulo (SP)
PEDAÇOS DE PÁSSAROS
Direção: Andrei Miralha e Marcílio Costa
Origem: Belém (PA)
PÉ NA TÁBUA… VIDA QUE SEGUE
Direção: Cervantes Sobrinho e Lucíola Figueiredo
Origem: Campos do Jordão (SP)
PISKA
Direção: Nelson Brauwers e Andruz Vianna
Origem: Braga (RS)
POR CONTA DA CASA
Direção: Flávio Costa
Porto Alegre (RS)
PRÓXIMA
Direção: Luiza Campos
Origem: São Paulo (SP)

VACA PARIDA
Direção: Diogo Cronemberger
Origem: Alvinópolis (MG)

SOBRE QUEDAS E QUEDARES
Direção: Carla Antunes
Origem: Macapá (AP)

KAYKA ARAMTEM: SABER E TRADIÇÃO DE UM SÁBIO ARUKWAYENE
Direção: Elissandra Barros da Silva e Carina Santos de Almeida
Origem: Oiapoque (AP)

FILMES CONVIDADOS
NOITE SUJA
Direção: Allyster Fagundes
Origem: Belém (PA)

LADO B – O ROCK PARAENSE DOS ANOS 80
Direção: Janine Valente
Origem: Belém (PA)

MESTRES PRAIANOS
Direção: Artur Arias Dutra
Origem: Maiandeua (PA)

MARAJÓ DAS LETRAS
Direção: Fernanda Martins
Origem: Belém (PA)

O CAMINHO DAS PEDRAS
Direção: Alexandre Nogueira e Fernando Segtowick
Origem: Ananindeua (PA)

ROSARIO
Direção: Renato Vallone
Origem: Brasil/Bolívia

DIVINAS DIVAS
Direção: Leandra Leal
Origem: Brasil

ERA O HOTEL CAMBRIDGE
Direção: Eliane Caffé
Origem: Brasil

PARA TER ONDE IR
Direção: Jorane Castro
Origem: Brasil

NÚMEROS DO FESTIVAL
– Total de inscritos: 75
– Selecionados: 44

– Origem dos filmes inscritos:
Nacionais:
ES: 1
SC: 1
CE: 1
SE: 1
RN: 1
MA: 1
BA: 2
MG: 2
DF: 3
PR: 3
GO: 3
PE: 4
RS: 6
RJ: 7
PA: 9
AP: 12
SP: 16
Internacionais:
Bélgica: 1
Estados Unidos/Brasil: 1

– Produções amapaenses inscritas: 12
– Selecionadas: 10

– Produções convidadas: 9

Fonte: FIM

Agenda Cultural: O Jazz está de volta a partir de desta quinta-feira, na Trina Cervejaria

A partir desta quinta-feira, 9, o Quinteto Amazon Music estará apresentando seu repertório clássico na Trina Cervejaria Artesanal, a partir das 19h, sob o comando do músico Finéias Nelluty. A Quinta Jazz Special Night é a nova opção de entretenimento noturno que a cervejaria disponibiliza para os clientes e fãs do estilo, que vai acontecer toda semana atendendo a demanda de quem aprecia cerveja artesanal e jazz.

O projeto Quinta Jazz está na ativa desde 2007, e revelou um público especial no Amapá, até então restrito a pequenos grupos. Começou no antigo e tradicional bar Norte das Águas, na orla de Macapá, e formou uma plateia seleta, atraindo novos adeptos e influenciando outros músicos a apostarem no jazz. Desta iniciativa nasceu o Amapá Jazz Festival em 2008, conhecido internacionalmente por ser às margens do rio Amazonas, que vai para a 9ª edição em 2017.

O multi-instrumentista Finéias Nelluty e o mestre cervejeiro Marcelo Fiel

O Quinteto Amazon Music é formado por Paulinho Queiroga na bateria, Fabinho Costa com a guitarra, Alan Gomes no baixo, Miguel, saxofone e o multi-instrumentista Finéias Nelluty no teclado.

A proposta do mestre cervejeiro Marcelo Fiel é aliar música de qualidade e cerveja artesanal no mesmo ambiente, que já é considerado ponto de encontro de amigos e famílias. A Trina oferece dez sabores de cerveja artesanal, com ingredientes tradicionais e regionais, sem abrir mão da tecnologia e inovação para produzir e servir.

Serviço:

Projeto Quinta Jazz Special Night
Data: 9 de novembro
Hora: 19h
Local: Trina Cervejaria Artesanal – Rua Jovino Dinoá esquina com Tupis – Beirol

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação

Hoje é o Dia do Radialista – (meus parabéns aos colegas do rádio)

Hoje (7) é o Dia do Radialista. Durante anos, a data foi comemorada no dia 21 de setembro (porque em 21 de setembro de 1906, aconteceu a primeira transmissão radiofônica no mundo, pelo canadense Reginald Dennis). Mas a Lei 11.327 de 24/07/06, sancionada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva, alterou a data de comemoração oficial da categoria que passou a ser 7 de novembro, em homenagem ao músico e radialista Ary Barroso , um dos grandes nomes do rádio brasileiro.

Este tipo de profissional é habilitado para trabalhar com diversos nichos dentro de uma produção radiofônica. Essa modalidade de comunicação não é para qualquer um. O radialista faz locução, apresentação, sonoplastia, produção de programas, direção e outras atividades. É preciso ter talento e responsabilidade, além de boa voz, claro!

Quem tem mais de 38 anos sabe como era divertido escutar o programa dos saudosos “Pai Véio e Pai D’Égua” (Osmar Melo e Herminio Gurgel). Bons tempos!

Conheço e respeito muitos radialistas. Meu falecido amigo, Leonai Garcia, era doido pra me levar para o rádio. Nunca topei, gosto mesmo é de escrever. Há cinco três anos, o renomado jornalista Humberto Moreira me perguntou se eu não queria fazer uma experiência. Um dia, quem sabe. É que gosto mesmo é de escrever.

Portanto, parabenizo e agradeço, em nome da minha querida amiga Ana Girlene, a todos os radialistas do Amapá. Sem eles, o nosso trabalho nas assessorias seria inviável. Sobretudo aos amigos, que são muitos. Palmas para vocês!

Elton Tavares

Arte na Praça celebra Dia Nacional da Cultura

“Fiquei maravilhada, sou paraense e estou de férias em Macapá com a minha família. Simplesmente adorei, tinha atração para todos os gostos. Eu, particularmente, adorei a apresentação do Jhimmy [Feiches] e dos Pinducos, muito legal. Parabéns à Prefeitura de Macapá!”. O depoimento entusiasmado é da estudante Ana Carolina Ribeiro, que se surpreendeu com o Arte na Praça, no domingo, 5. O projeto foi em alusão ao Dia Nacional da Cultura, com uma grande e diversificada programação, desenvolvida nos espaços da Praça Floriano Peixoto, no bairro Central.

O evento, realizado pela Prefeitura de Macapá, contou com a apresentação de artistas e grupos de diferentes gêneros e estilos. Houve ainda o lançamento literário, declamação de poesia, cartuns, atividades lúdicas e sociodesportivas, além de entrega de certificado de honra ao mérito a personalidades da cultura macapaense, entre outras atrações.


“Nossa equipe sempre se mobiliza para fazer o melhor, e o projeto traz um sentido de democratização ao oportunizar os diversos segmentos da cultura, além do reconhecimento e dos aplausos do público presente, que, diga-se de passagem, é a grande atração ao mesclar pessoas de todas as idades, tendências e gostos”, disse o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Sérgio Lemos.


Uma das atrações que chamou a atenção dos presentes foi o lançamento do livro “Mama Guga: contos da Amazônia”, do sociólogo, poeta, músico, compositor e ativista cultural, Fernando Canto. O espaço reservado à exposição e à sessão de autógrafos foi também palco para a doação dos exemplares da obra feita pelo próprio autor ao lado de sua esposa, Sônia Canto.


“É um momento de muita emoção. Poder sentir de perto o calor e o afeto das pessoas, e poder retribuir com o meu trabalho literário mais recente é, sem dúvida, uma experiência gratificante em todos os sentidos. Agradeço muito toda essa homenagem”, concluiu Fernando, em meio à tietagem de seus admiradores.

A escritora e poeta Alcinéa Cavalcante também deu um show à parte, entremeando os intervalos das apresentações de palco com declamações de poemas, juntamente com membros do grupo “Poesia na Boca da Noite”, com performances que arrancaram aplausos entusiasmados dos presentes.


As demais atrações que passaram pelo palco e demais espaços do evento foram: J. Márcio, que divertiu o público com desenhos e caricaturas das pessoas; Feira de Artesanato; Feira de Livros; capoeira com os mestres e alunos dos grupos vinculados à União dos Capoeiristas do Amapá (Unicap); contação de histórias com Lú de Oliveira e Angelita; Sandra Lima; Finéias Nelluty; Júnior Massa e hip-hop Leais, Jhimmy Feiches e os Pinducos.


Um dos momentos mais esperados foi a entrega do certificado de Honra ao Mérito para 16 personalidades da cultura do município, cuja militância e trabalho nessa seara são dignos de reconhecimento e valorização. Os contemplados foram: Amadeu Lobato (teatro), Amado Amâncio (música), Alcinéa Cavalcante (literatura e poesia), Daniel de Rocha (teatro), Esmeraldina dos Santos (literatura e música), Fernando Canto (literatura e musica), Finéias Nelutty (música), Herivelto Maciel (artes plásticas), Joãozinho Gomes (poesia e música), José Pastana (literatura), Lolito do Bandolim (música), Manoel Bispo (artes plásticas, literatura e música), Maria José Pantoja Figueiredo (desporto/capoeira), Nonato Leal (música), Oneide Bastos (música) e Washington Ferreira (teatro).

Célio Santos
Assessor de comunicação/Fumcult
Fotos: Max Renê

Jazz: hoje rola mais uma edição da “Calçada Musical Mestre Tiago” (música de primeira)

Hoje (28), às 17h, vai rolar a Jam Session “Jazz na Calçada”,  com muito improviso e música de primeira. O convite é extensivo aos que curtem e fazem o jazz continuar sendo uma verdadeira inspiração aos que tocam e aos que apreciam a arte de se tocar um instrumento!!! 🎹🎸🎻🎺. Ah, durante a sonzeira, a Konbreja venderá aquele chopp bem gelado.

-Local: Avenida Clodóvio Coêlho 787, entre Hamilton e Leopoldo.

-Data: 04 de novembro de 2017 (Hoje).

– Horário:às 17h.

Informações: 991151774 – Fineias Nelluty (músico e realizador do evento).

Festival terá 13 ‘cozinhas’ com pratos sobre a identidade cultural no Amapá

Por Carlos Alberto Jr

Sabores com uma Pitada de Cultura’ é o tema do Festival Gastronômico Degust Amapá, que tem como proposta fortalecer a identidade da culinária local, valorizando os profissionais do estado. A primeira edição do evento começa nesta quinta-feira (2) e segue até sábado (4), no estacionamento do Sebrae, em Macapá.

O público vai poder degustar pratos inéditos preparados especialmente para o festival, ao preço de R$ 10. As opções são muitas, um total de 13 “cozinhas” amapaenses vão apresentar e vender suas criações deliciosas. A organização aguarda um público de 10 mil pessoas nos três dias.

De acordo com a técnica do Sebrae no Amapá, Nelma Pires, o Degust Amapá foi pensado para tornar o festival uma atração turística, divulgando os diversos sabores que o estado tem a oferecer.

Festival Gastronômico Degust Amapá ocorre de 2 a 4 de novembro em Macapá (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)

“O Amapá apresenta uma identidade cultural própria, expressada nas mais diversas manifestações, dentre elas a culinária local. Quando formulamos este evento, pensamos em reafirmar a cultura gastronômica amapaense e valorizar os cozinheiros e chef’s locais”, disse.

Além dos espaços para comercialização de comidas e produtos, o evento terá um palco onde acontecerão apresentações musicais e culturais, com artistas locais.

Serviço:

Festival Gastronômico Degust Amapá
Período: de 2 a 4 de novembro
Local: estacionamento do Sebrae (Avenida Ernestino Borges, 740, bairro Julião Ramos-Laguinho)
Horário: 17h às 23h
Valor dos pratos: R$ 10

Fonte: G1 Amapá

Luau reúne jazz, contação de histórias e bike retrô em praça de Macapá

Por Carlos Alberto Jr,

Na quarta-feira, 1º de novembro, véspera do feriado de Finados, a Praça Samaúma, localizada no bairro Araxá, em Macapá, será mais uma vez ocupada por música instrumental, exposições, contações de histórias e outras atividades. É a 3º edição do “Luau na Samaúma”, cuja programação começa a partir das 17h30.

O tema musical dessa edição será voltado para o jazz, com apresentação instrumental do Quinteto Amazon Music e convidados. Uma exposição em movimento também estará no evento por meio do encontro Bike Retrô, onde dezenas de ciclistas vestidos com roupas antigas, darão voltas no entorno da praça.

O evento multicultural terá também Contação de Histórias com o projeto Encontrar, Contar e Encantar, exposição de motocicletas, exposições de arte da Escola Cândido Portinari, comercialização de artesanato e comercialização de discos de vinil. Além de mostra com o Orquidário, que possui uma bela variedade de flores e plantas.

Foto: Rui Brandão

Para o procurador-geral, Márcio Alves, assim como as edições anteriores, o terceiro Luau será um evento voltado para a família macapaense.

“Ficamos felizes com o sucesso dos dois primeiros luais na samaúma, que consiste em cultura, e entretenimento com segurança para as famílias de Macapá”, contou.

A proposta é realizar o “Luau da Samaúma” uma vez por mês. As edições devem contar com música popular brasileira e amapaense e até clássica e instrumental, além de teatro e poesia. Haverá também a comercialização de comidas e bebidas típicas, artesanato e exposição de arte em geral.

Voltado para famílias, o evento é promovido pela Promotoria Geral de Justiça em parceria com a prefeitura de Macapá. Garantia de limpeza de espaço público, segurança e a promoção de atividades à sociedade fazem parte da ideia do projeto.

Serviço:

3ª edição do Luau na Samaúma
Data: 1º de novembro (quarta-feira)
Local: Praça Samaúma, no complexo do Araxá, no entorno do prédio do MP-AP
Hora: 17h30
Entrada: livre

Fonte: G1 Amapá

Jazz, poesia e contação de histórias são as atrações do III Luau na Samaúma

O III Luau na Samaúma, que será realizado a partir das 17h30 do dia 1º de novembro de 2017, na quarta-feira que antecede o feriado do dia 2, na Praça Samaúma, terá o Jazz como trilha sonora. O gênero musical ficará por conta do Quinteto Amazon Music, comandado pelo multi-instrumentista Finéias Nelluty, que fará show musical para o público. O evento, promovido pelo Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP) e Prefeitura Municipal de Macapá (PMM), contará ainda com apresentação de sarau musical com o grupo Poetas Azuis e performance da banda da Guarda Municipal de Macapá.

O evento multicultural terá também Contação de Histórias com o projeto “Encontrar, Contar e Encantar”, coordenado pela professora Ângela Maria de Carvalho; exposição de motocicletas, exposições de arte da Escola Cândido Portinari, comercialização de artesanato e comercialização de discos de vinil. Além de mostra com o Orquidário da Prefeitura de Macapá, que possui uma bela variedade de flores e plantas.

A terceira edição do Luau na Samaúma contará também com o “Bike Retrô”, onde dezenas de ciclistas vestidos com roupas antigas, darão voltas expositivas. A ideia foi iniciada na cidade de Londres (ENG), em 2009, é um retorno ao passado em grande estilo e diversão. Em seguida, os esportistas farão um piquenique na Praça Samaúma.

O público que virá ao evento poderá usar o estacionamento da sede campestre da Maçonaria, em frente à Praça Samaúma, além do entorno do local, para estacionar seus automóveis.

De acordo com o procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Alves, assim como as edições anteriores, o terceiro Luau será um evento voltado para a família macapaense.

“Ficamos felizes com o sucesso dos dois primeiros Luais na Samaúma, que consiste em cultura, e entretenimento com segurança para as famílias de Macapá. O evento aproxima a sociedade do MP-AP e disponibiliza mais uma opção de lazer ao cidadão”, salientou o PGJ.

SERVIÇO:

Elton Tavares
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: asscom@mpap.mp.br

Luau da Samaúma: inspirados nos anos 20 a 80, ciclistas farão passeio retrô em Macapá

Será através da bicicleta que os amapaenses poderão “voltar no tempo”, quer dizer, mais ou menos, pois no dia 1º de novembro será realizada mais uma edição do Bike Chic Retrô. Os ciclistas usarão roupas e bicicletas antigas para fazer uma passeio bem diferente pela orla de Macapá.

A concentração acontecerá às 17h30 no estacionamento da Fortaleza de São José. Para participar do passeio retrô, é preciso estar a caráter, com roupas que eram moda nas décadas de 20 a 80.

O passeio será realizado pela Federação Amapaense de Ciclismo (FAC) e faz parte da programação do Luau na Samaúma que acontecerá no complexo do Araxá, em frente ao prédio do Ministério Público do estado (MP) no dia 1º de novembro.

– Essa vai ser uma edição especial do Bike Chic Retrô. O Ministério Público convidou a federação para que a gente convocasse o pessoal para realizar esse passeio dentro do Luau da Samaúma. A concentração será na Fortaleza de São José e de lá sairemos pedalando até o Araxá para ser uma das atrações do luau – contou Jair Borges, presidente da FAC.

Fonte: GloboEsporte.Com

*Fotos: Divulgação/FAC

Clássicos da música amapaense ganham novos ritmos em show da Negro de Nós

Apresentação acontece no dia 18 de outubro, em Macapá (Foto: Banda Negro de Nós/Divulgação)

Por Carlos Alberto Jr

Conhecida por compor o cenário com os mais famosos cacicós e zouks do Amapá, a banda Negro de Nós propõe imprimir esses ritmos aos sons mais calmos e contemplativos da Música Popular Amapaense (MPA). O show “Clássicos da MPA” acontece no dia 17 de novembro, a partir das 22h, em um bar na área Central de Macapá.

Canções como ‘Eu Sou Daqui’, ‘Vida Boa’, ‘Tarumã’ e muitas estarão do setlist do show. A ideia da apresentação é reinventar músicas conhecidas do público amapaense e imprimir o ritmo dançante do grupo.

“Não se trata de apenas músicas covers, mas sim da recriação de canções que são cantadas e tocadas de maneira completamente diferente. Queremos apresentar algo novo, mas que soe familiar”, explica o tecladista Walber Silva.

A apresentação vai durar cerca de duas horas e o preço das mesas custam R$ 100 e podem ser adquiridas antecipadamente. Na reserva da mesa para o show, o público recebe um exemplar do primeiro disco da banda, lançado em 1999.

Com a mesma formação desde a criação, a banda é composta pelos músicos Fábio Mont’Alverne (bateria), Silmara Lobato (vocalista), Ódilon Acácio (taronga – contrabaixo) e Walber Silva (teclados).

Negro de Nós começou a carreira em 1999, incrementando às suas músicas ritmos sonoros afro-caribenhos, que viraram marcantes cacicós e zouks. O quarteto que forma o grupo busca inspiração na essência da música negra brasileira, africana, e de todas as partes do mundo para as composições.

Serviço

Show Negro de Nós apresenta Clássicos da MPA
Data: 18 de novembro
Horário: 22h
Local: Barril Bar (Rua Hamilton Silva, com Procópio Rola, no bairro Central)
Mesa: R$ 100 (quatro pessoas + 1º CD da banda)
Venda: (96) 99124-6737 / 99174-7851 / 99145-7544
Classificação: 18 anos

Fonte: G1 Amapá

Grupo de amigos organiza guerra de balões d’água no Parque do Forte em Macapá

1ª Guerra de Balões está marcada para acontecer a partir das 16h (Foto: Liberdade ao Rock/Divulgação)

Por Jéssica Alves

Será realizada no dia 29 de outubro a 1º Guerra de Balões com água, no Parque do Forte, praça localizada ao lado da Fortaleza de São José, em Macapá. A iniciativa é de um grupo de amigos que se conheceu nas redes sociais e pretende reunir o maior número possível de participantes.

A brincadeira não tem restrição de idade. Para participar do evento, basta pagar uma taxa de R$ 2. A organização não estimou público, mas a poucos dias do evento quase 600 pessoas confirmaram presença na “guerra” pela página do grupo no Facebook.

De acordo com os organizadores, os participantes serão separados por times e cada componente terá que vestir uma roupa que corresponde a equipe em que participa.

Além dos balões, os participantes podem usar pistolas de água na brincadeira e a equipe vencedora será premiada. Comum entre as crianças, a guerra de balões cheios de água atrai também jovens e adultos para a concentração.

Serviço:

1º Guerra De Balões Com Água
Data: 29 de outubro
Hora: a partir das 16h
Local: Parque do Forte
Participação: R$ 2

Fonte: G1 Amapá