Fotógrafos Anônimos realiza encontro para comemorar o Dia Mundial da Fotografia

O Fotoclube Fotógrafos Anônimos reúne no domingo (19), profissionais, amadores e amantes da oitava arte, num encontro em comemoração ao Dia Mundial da Fotografia. É o quarto encontro realizado pelo grupo, e os organizadores prometem um dia divertido e com muita troca de experiências fotográficas. O evento é aberto e todos estão convidados!

Sobre o fotoclube

Fotógrafos Anônimos é um grupo de fotógrafos amadores e profissionais, criado em setembro de 2011, com o intuito de promover maior interação entre os fotógrafos do Amapá e do Brasil, além de promover a fotografia como arte e compartilhar conhecimentos.

Programação:
Piquenique | Sorteio de Brinde | Exposição
Escambo Fotográfico | Troca de Ideias
E muito mais!

Serviço:

4º Encontro Fotográfico
Quando? 19/8/2018
Qual horário? 16h
Onde? Parque do Forte
Macapá/AP

Contato: (96)98128-5712

Fonte: Blog da Mary

Exposição “Múltiplos Olhares” comemora Dia Mundial da Fotografia em Macapá

A exposição fotográfica “Múltiplos Olhares” reúne obras de 20 fotógrafos que, além do amor pela fotografia, têm em comum entre si o fato de terem sido alunos de um dos realizados pelo Foto Nunes. A diversidade de temas, estilos e técnicas fotográficas contempladas na exposição faz jus ao nome dado a ela. As imagens expostas abordam temas que vão do Jardim das Águas do pintor francês Monet, em Giverny, até o ir e vir das marés na foz do Rio Amazonas, passando pelo acelerado bater de assas de um beija-flor.

A exposição será aberta a visitação no próximo dia 18/8, às 19h, no primeiro piso do Villa Nova Shopping e permanecerá recebendo o público durante todo o mês de agosto. O evento foi organizado para mostrar a riqueza da produção fotográfica recente do Amapá e dar visibilidade ao Dia Mundial da Fotografia, comemorado anualmente em 19/8. A data faz alusão a apresentação do daguerreótipo por seu inventor, Louis Daguerre, aos membros da Academia Francesa de Ciências e Artes no ano de 1839. O daguerreótipo é considerado o ponto de partida histórico para o desenvolvimento da tecnologia fotográfica tal qual como conhecemos hoje.

De acordo com Alexandre Brito, organizador da exposição “é impressionante a diversidade de caminhos que a fotografia permite trilhar. É também muito gratificante ver a qualidade do trabalho que vem sendo realizado pelos fotógrafos amapaenses da nova geração, sem dúvida, eles estão colocando o Amapá, de maneira contundente, no mapa da fotografia nacional, fico orgulhoso de perceber que vários deles tenham sido alunos dos nossos cursos no Foto Nunes”.

Serviço:

Exposição Fotográfica Múltiplos Olhares
Local: Villa Nova Shopping
Abertura: 18/8, às 19h
Visitação: até 31/8
Informações: 981183510 (whats)

Exposição Minha Aldeia no Sesc/AP – Do fotógrafo Floriano Lima

O Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá promove no dia 24 de agosto, a partir das 19h, na unidade Sesc Centro, a vernissage da exposição “Minha Aldeia” do artista Floriano Lima.

A exposição revela fotografias que mostram as belezas escondidas no estado do Amapá, com um novo olhar proporcionado através de suas lentes por meio de seu trabalho, onde o que está em evidencias são as nossas riquezas culturais. O artista Floriano Lima é um fotografo amapaense que faz registro do cotidiano de Macapá. Suas fotografias revelam sobre recortes da cidade em cenas simples às mais complexas de nossa cidade. Utilizando cores vibrantes, suas imagens se assemelham a uma pintura.

A exposição Minha Aldeia segue no período de 27 de agosto a 20 de setembro, com visitações públicas de segunda a sexta-feira, no horário das 9h ás 11h e das 15 às 17h.

Floriano Lima

Autor de um acervo de imagens diversas sobre o Amapá, “Floripa” segue sua trilha de todos os dias palmilhando pedaço por pedaço desse chão, devotando tempo e prazer na colheita de novas e belas imagens fotográficas que revelam de maneira surpreendente as belezas naturais do Amapá, a vida urbana e o interior do Estado. Um compromisso fortalecido pelo amor a arte da fotografia e pela doce companhia de milhares de seguidores irremediavelmente apaixonados por sua vasta e bela obra.

Serviço

Sesc Araxá
Rua Jovino Dinoa, 4311 – Beirol – Macapá/AP
Coordenadoria de Cultura
Fone: (96) 3241-2220 (Ramal – 239)
Coordenadoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96) 3241-4440 (Ramal – 235)

Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: nesta quinta-feira (16), às 10h, rola intervenção urbana pelas ruas do centro de Macapá

Nesta quinta-feira (16), às 10h, rola a apresentação da intervenção urbana “Invisibilidade” pelas ruas do centro de Macapá, com o artista Rafael Barros (RO). A iniciativa integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, iniciado no último dia 3 e que irá até o dia 17 de agosto. A entrada será gratuita.

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Amazônia das Artes

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

Serviço:

16/08 – Quinta-feira
Intervenção urbana “Invisibilidade” , com o artista Rafael Barros (RO)
10h
Ruas do centro de Macapá

Assessoria de comunicação do Sesc/AP

Uma Política Própria pela Identidade Cultural: o protagonismo da Confraria Tucuju em Macapá” – por @faguedan

A professora da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e doutoranda da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com pesquisa de tese em Políticas Públicas de Cultura, Fátima Guedes, participou no início de agosto de 2018 do XIV Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (ENECULT), realizado em Salvador (BA). Durante o ENECULT, a educadora amapaense apresentou um artigo que diz respeito à sociedade civil com o título: “Uma Política Própria pela Identidade Cultural: o protagonismo da Confraria Tucuju em Macapá”.

Fátima Guedes e Telma Duarte, no Enecult 2018, em Salvador (BA).

A apresentação contou com a ilustre presença da advogada Telma Duarte, presidente da instituição. Leiam:

Uma Política Própria pela Identidade Cultural: o protagonismo da Confraria Tucuju em Macapá”

Por Fátima Lúcia Carrera Guedes

Este trabalho reúne informações de fatos episódicos históricos, de trabalhos acadêmicos, de entrevistas de campo, de conversas, observações e de referências bibliográficas pertinentes ao tema. Tem por intuito esboçar alguns aspectos que cremos se configurarem o viveiro de subsídios onde se encontram as possibilidades de reflexões iniciais para a construção de uma política cultural com bases na identidade amapaense, especificamente macapaense, pelo menos no que tange à ideia de cultura expandida concebida pela Constituição de 1988 – a qual possibilitou, inclusive, poder estar escrevendo sobre participação, intervenção e protagonismo da sociedade civil, foco deste trabalho.

Fátima Guedes e Telma Duarte, no Enecult 2018, em Salvador (BA).

Com base no processo engendrado em torno da tentativa de descobrir a identidade macapaense e diante do contexto de ausência de política pública de cultura em Macapá, apontamos a Confraria Tucuju como a organização cultural da sociedade civil que construiu “sua” própria política de cultura, intervindo e protagonizando, oportunamente, inúmeras ações que mudaram o estado de ânimo do macapaense no campo cultural e que cremos abalizar um trajeto e um repertório de elementos culturais robusto a ser, ainda hoje, tomado, assimilado e sistematizado pelo poder público no intuito de assentar suas políticas públicas de cultura.

Meu comentário: em 8 de junho de 2016, a Confraria Tucuju completou 20 anos de atividades em Macapá. Também foi o último ano que a entidade realizou a Batalha de Confetes no Carnaval. A última festa de aniversário da capital promovida foi em 2014 e desde 2013 que não ocorre os Saraus e nem os Concertos de Verão. Todos estes eventos eram tradicionais e organizados instituição. Que revitalizou o Largo dos Inocentes e auxiliou no tombamento da Igreja São José.

O artigo enaltece a atuação da Confraria Tucuju, que após 20 anos, encerrou suas atividades em 2017. Sim, uma pena que após duas décadas, a crise financeira nacional e a falta de apoio do poder público foram os motivos para o encerramento das atividades na saudosa instituição que tanto contribuiu para a nossa cultura.

Em resumo, toda homenagem à Confraria Tucuju é pouca, Telma Duarte foi incansável no trabalho de promoção, resgate e fortalecimento da nossa cultura. Uma pena que a falta de vontade de governantes e a crise tenham enfraquecido sua nobre atuação. Meus parabéns à Fátima Guedes pelo artigo e para a Confraria Tutcuju, pelo que fez em nossa história, costumes e memória. É isso!

Elton Tavares

Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: hoje (15) rola Mostra de Cinema no Sesc Araxá

Nesta quarta-feira (15), a partir das 19h, rolará uma Mostra de Cinema no Sesc Araxá. Serão exibidos os filmes Meninx (PA) – Classificação 16 anos; Pandorga (MA) – Classificação 12 anos; Metempsicose (AC) – Classificação 10 anos; Romana (TO) – Classificação Livre; Carta Sobre o Nosso Lugar (AP) e o Documentário Açaí – O Petróleo do Amapá (AP) – Classificação livre. O evento integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, iniciado no último dia 3 e que irá até o dia 17 de agosto. A entrada será gratuita.

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Amazônia das Artes

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

Serviço:

15/08 – Quarta-feira
Mostra de Cinema
19h – Salão de Eventos Sesc Araxá
Entrada Franca

Assessoria de comunicação do Sesc/AP

Exposição de Fotos e Conscientização sobre a amamentação

Foto: Márcio Pinheiro/Sesa

Como parte da campanha do ‘Agosto Dourado’, que mês que incentiva a amamentação, o Banco de Leite Humano (BLH) irá realizar uma exposição de fotos na tarde desta quarta-feira, 15, no Macapá Shopping.

As fotos foram feitas com as mães de bebês que estão internados na UTI neonatal do HMML ou que frequentam o Banco de Leite em busca de informações ou apenas como doadoras.

A equipe multidisciplinar do BLH também estará presente para distribuir informativos e cadastrar as interessadas em se tornar doadores de leite. O leite doado é usado para alimentar os recém-nascidos internados na UTI neonatal ou na Unidade Canguru que precisam ganhar peso.

Este ano o tema da campanha do ‘Agosto Dourado’ é “Aleitamento Materno: A base da vida”.

Serviço:

Hora: 15:00h
Local: 2° piso do Macapá Shopping, Rua Leopoldo Machado, 2334 – Trem
Data: quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Claudia Cavalcanti
Telefone para mais informações: 981160118

Oficina de mangá no I Aspas Norte

Uma das atrações do I Aspas Norte – Congresso de quadrinhos da região norte – será a oficina de mangá ministrada por Cibele Nunes Tenorio.

Cibele é formada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP em 2008, professora de Mangá, cartoon, quadrinhos, ilustração e Ilustração Digital no Centro de Educação Profissional em Artes Visuais Candido Portinari desde 2012.Estudou Manga na Escola Visuart Online e atualmente estuda Pintura Digital na Escola N-Pix.
Para se inscrever no congresso, clique aqui.

Fonte: Blog do Ivan Carlo

Exposição trará vivência da população em situação de rua

A Secretaria Municipal de Saúde dará início à exposição audiovisual que retrata a vivência da população em situação de rua na visão dos profissionais do Consultório na Rua, dando visibilidade às pessoas que são atendidas pelas equipes de saúde. A exposição, que passará por diversos pontos como unidades de saúde e faculdades, é composta por imagens fotográficas que reproduzem o cotidiano das pessoas que vivem nas ruas e, em sua parte auditiva, traz os depoimentos e relatos.

O Consultório na Rua tem como principal proposta garantir atendimento integral à saúde da população em situação de rua, por meio de abordagem aos usuários, realizada in loco e de forma itinerante; e facilitar o acesso dessas pessoas à rede de serviços do município, a partir da atuação de equipe multiprofissional.

Serviço:

Data: 13/08 (segunda-feira)
Hora: 10h
Local: Faculdade Estácio Seama
Endereço: Av. Vereador José Tupinambá, nº 1.223, Jesus de Nazaré

Jamile Moreira
Assessora de comunicação/Semsa
Contato: 99135-6508

Hoje é o Dia Nacional das Artes

1736

Hoje (12) é o Dia Nacional das Artes. O Dia Nacional das Artes surgiu a partir do decreto de lei nº 82.385, de 5 de outubro de 1978, e a partir da Lei nº 6.533, de 24 de maio de 1978, regulamentaram a profissão de Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões, além de mais de 100 outras funções que também podem estar inseridas no que seria considerado um trabalho artístico.

12-agosto-dia-nacional-das-artes-fb08c9

Arte é a expressão de um povo. No Amapá, temos alguns campos artísticos pouco prestigiados pelos poderes, como o Marabaixo e nossa Música Popular Amapaense – MPA. Algumas áreas começam a florescer, como a poesia e a fotografia. Ainda precisamos de mais apoio para a Literatura, Teatro, Cinema e Artes Plásticas, mas a riqueza artística amapaense, mesmo sem a força que deveria receber, avança.

Certamente, a forma artística que mais me fascina é a música, tanto que uso a poesia alheia para complementar vários escritos deste site (seguida de perto pelas crônicas).

download (14)
Meu Amapá é repleto de gente talentosa, basta lapidá-los e proporcionar condições de trabalho, simples assim. Conheço uma gama de escritores, músicos, artesãos, poetas, cineastas, produtores culturais, dançarinos, documentaristas, fotógrafos, atores e artistas plásticos que não são reconhecidos e valorizados como deveriam. Mas eles continuam fazendo arte, em todos os seus campos e vertentes. E agradeço por isso.

Este post é uma homenagem aos meus amigos que produzem e apoiam as artes. Eu tento fazer a minha parte como apoiador. Parabéns a todos os artistas do país, em particular, os amapaenses. Vocês são PHoda!

Elton Tavares

‘Pepeca V.2’ reúne mulheres para promover arte feminina em Macapá e comemorar os seis meses do Ateliê Índigo

Por Carlos Alberto Jr

Com o intuito de divulgar produções artísticas produzidas por mulheres amapaenses e levantar debates relativos ao mundo feminino, um evento é resgatado após quase dois anos. O “Pepeca V.2” reunirá exibição audiovisual, oficina de biodança, dança do ventre e apresentações musicais no domingo (12), a partir das 17h, num espaço cultural no Centro de Macapá.

Jenifer Nunes (JJ Noones), vocalista da banda Romã e uma das organizadoras do Pepeca V.2, conta que a primeira edição do evento foi pontual, mas que agora é o momento para resgatar a ação. A iniciativa comemorará os seis meses do Ateliê Índigo.

O Ateliê

O Ateliê Índigo foi idealizado por Jenifer Nunes, artista e professora de artes na rede de ensino estadual do Amapá, em parceria com a também artista e ativista cultural Gabriela Marques. Atualmente, o espaço conta com uma escolinha de artes onde ocorrem oficinas e cursos de curta duração, o estúdio de ilustração e tatuagem Hypnos, e o Jardim Elétrico, setor comercial e cultural do empreendimento, onde há uma pequena galeria e são vendidos produtos artísticos autorais, esotéricos, culinária alternativa, e outras vendas.

O espaço visa ser uma vitrine artística para a população que o cerca, incentivando as pessoas a viver novas experiências a partir das artes. O Ateliê também levanta uma bandeira de luta contra a cultura hegemônica, a partir da divulgação de ideias, produtos e serviços.

JJ Noones é vocalista da banda Romã e uma das organizadoras do evento (Foto: Divulgação/Pepeca V.2)

O espaço onde acontecerá o evento de domingo acabou se tornando ação continuada de uma semente plantada do evento de 2016, que, por sua vez, tornou-se uma narrativa de sucesso criada no imaginário local. Resolvemos resgatar o nome para facilitar a divulgação. Esse evento agora é uma comemoração de aniversário de seis meses do Ateliê, apresentando produções idealizadas por nós, neste tema de representatividade feminina na cultura, através da música. “, explicou.

Evento terá oficina de biodança e apresentação de dança do ventre (Foto: Divulgação/Pepeca V.2)

O evento quer propor ao espaço, que completa seis meses de atuação cultural, um local de empoderamento das mulheres, pois desde a sua produção até a realização será todo feito por elas, que precisam lutar para terem seus trabalhos reconhecidos.

As artes urbanas e plásticas vão embelezar o espaço com trabalhos que retratam a força do feminino. A dançarina Hannah Balieiro, além de preparar uma apresentação de dança do ventre, também ministrá uma oficina de biodança. O evento também dará espaço para o audiovisual, com a exibição de estreia do projeto Baubo Sessions.

As apresentações musicais ficam por conta das bandas Romã, Godiva e da rapper Yanna Mc.

Decoração do evento dará espaço para produções artísticas produzidas por mulheres (Foto: Divulgação/Pepeca V.2)

Serviço:

Pepeca V.2 (em comemoração os seis meses do Ateliê Índigo).
Data: 12 de agosto (domingo)
Hora: a partir das 17h
Local: Ateliê Índigo – Avenida Alameda Pedro Dantas, Nº 40, no Centro
Entrada: R$ 5

Fonte: G1 Amapá

Show ‘Soul Pop’ vai fazer um passeio por sucessos do jazz ao pop

Hoje (11) Ariel Moura volta ao palco do Norte das Águas para realizar o show ‘Soul Pop’, a partir das 22h. Em apresentação única a cantora irá presentear o público com canções de artistas que admira. O show contará ainda com a participação dos cantores Enrico Di Miceli e João Amorim.

A escolha do repertório e a construção deste show é uma realização para Ariel, que planeja este momento há meses. “Eu sempre quis fazer um show pop, cantando artistas que admiro. Este momento para mim é um novo passo, sendo que muitos me identificam como uma cantora da bossa nova e MPB”, conta a cantora.

No repertório Ariel promete ainda trazer canções como Tem espaço na Van de Ed Motta, Don’t you worry ‘bout a thing de Stevie Wonder, Love never felt so good de Michael Jackson entre outros sucessos da música pop e soul contemporânea.

O show contará com Hian Moreira na direção musical e bateria, Fabinho Costa na guitarra, Alan Gomes no baixo, Jeffrei Redig no teclado 1, Juninho Romano no teclado 2.

Ariel Moura é amapaense, moradora do município de Santana, iniciou sua carreira musical aos 13 anos, cantando nos festivais estudantis em escolas de Macapá e Santana. Em 2010 conheceu Tom Campos, guitarrista amapaense, e foi através dele que passou a se apresentar em bares, restaurantes e shoppings do Amapá. Em 2016 a carreira da cantora deu uma virada ao ser selecionada para o The Voice Brasil e fazer parte do time de Carlinhos Brow. Na volta para Macapá, depois do The Voice Brasil, Ariel tem participado de vários shows de destaque no Amapá e em vários outros estados Brasileiros.

Serviço:

Show “Soul Pop”, de Ariel Moura
Data: 11 de Agosto (sábado)
Hora: 22h
Local: Restaurante Norte das Águas (complexo do Araxá)
Mesas: R$ 70 (quatro pessoas)
Reservas e informações: (96) 98109-5560 / 999193-8466 / 99149-7245

Thiago Soeiro
Contato:
(096) 99155 – 6451
(096) 98140-4994 (whats app)

Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: neste sábado (11), rola apresentação do espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”, no Sesc Araxá

Neste sábado (11), a partir das 20h, rolará a apresentação do espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”, encenado pela Cia Casa do Circo no Sesc Araxá. A atração integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, inciado ontem (3) e irá até o dia 17 de agosto.

O espetáculo é um solo com reflexão brutal sobre a mulher contemporânea e sua figura de resistência diária, diante de seus conflitos internos e de uma cultura machista, a qual tem que impor a todo o momento uma política que valide seu corpo e o seu discurso enquanto ser significante na sociedade, apresentado pela Associação Artística Cultural Casa Circo.

Sobre os Artistas

A Associação Artística Cultural Casa Circo é uma companhia que dialoga com Circo, Dança e Teatro, além de ser um espaço de instrução em arte circense, fundada em 2015. A Companhia utiliza esta expressão para subsidiar suas montagens. A Casa Circo é formada por artistas que já possuem uma vasta trajetória na arte do Circo, da Dança e do Teatro. Eles apresentaram A Mulher do Fim do Mundo por vários estados da Amazônia nesta temporada do Circuito Sesc Amazônia das Artes.

Amazônia das Artes

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

“É com muita gratidão que a Cia Casa Circo convida seus parceiros e amigos de vida e de arte para celebrar o fechamento de um ciclo que rendeu a Cia muito aprendizado, muitos aplausos e muito amadurecimento artístico. O Circuito Sesc Amazônia das Artes um projeto mais fundamental para que o amazonida possa refletir e se reconhecer através de uma obra de arte e é com muito carinho que fechamos este ciclo artístico de compartilhamento de vida e de arte com artistas e plateias de outros estados da nossa imensa Amazônia”, convidou a assessoria da Cia Casa do Circo.

Serviço:

Espetáculo A Mulher do Fim do Mundo
Cia Casa do Circo ( AP)
11 / 08 (hoje)
20h
Classificação: 16 anos.
Salão de Eventos Sesc Araxá
Entrada Franca

Assessoria de comunicação do Cia Casa do Circo