Crônicas do Ronaldo Rony Archive

O ser analógico – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues O ser analógico é essa espécie em extinção, da qual eu faço parte. Imprensado entre dois séculos, o ser analógico não sabe usar muito bem os aplicativos da nova era, mas sabe que

Pela janela azul do manicômio – Crônica porreta de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues Um mundo ainda não corrompido se estende pelas ramificações da cidade, em alamedas de flores, que atravessam o grande oceano. É o mundo não corrompido que vejo pela janela azul do manicômio. Um

Autoexílio – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues Declaro, para os devidos fins e para quem interessar possa, mesmo para aqueles que vão ignorar ou mandar eu me foder, já que mandar alguém se foder se tornou a coisa mais natural

Se outro nome – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues E se um dia eu acordasse com meu nome sendo outro nome? Outro nome, outro codinome, outra vida, outras vidas, uma vida por dia, várias vidas ao mesmo tempo, no mesmo dia. Se

Sociedade dos Boêmios Mortos – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues Noite dessas, saí agarrado à intenção de rever pessoas e situações. Até aí tudo bem, se as pessoas e as situações não estivessem para além da fronteira da vida, aquilo a que se

Nova Idade Média (crônica de Ronaldo Rodrigues)

  Na canção Outros Românticos, de Caetano Veloso, há uma frase que sempre me chamou atenção: “outra Idade Média situada no futuro”. Isso me vem à cabeça quando leio/vejo/ouço notícias como a que tem Emerson como alvo.

Setembro – Pequena crônica revista e ampliada de Ronaldo Rodrigues

Pequena crônica revista e ampliada de Ronaldo Rodrigues Quando entrou setembro e a boa nova andou nos campos, eu cheguei aos campos do Amapá, em Macapá. A boa nova foi/é Macapá. Depois de um turbilhão de vendavais

Um gol inesquecível (crônica de Ronaldo Rodrigues)

Crônica de Ronaldo Rodrigues Começo parafraseando Paulinho da Viola: tinha eu 12 anos de idade (e não 14, como no samba) quando meu pai me chamou para assistir, pela TV, a um jogo sem interesse para a

Liberdade para Anne Frank – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues Sempre que vejo alguma manifestação reivindicando alguma coisa, ou muitas coisas, penso em Anne Frank. Penso em alguém segurando um cartaz que bem poderia ser ultrapassado, mas não é. Um cartaz que diz:

O poder do palavrão – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues Quem já deu uma topada daquelas, de arrancar a cabeça do dedão do pé, sabe do que vou falar. Se você não soltar um palavrão, também daqueles bem cabeludos (pra usar uma expressão

Uma crônica para escapar – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues Mas escapar de quê? Desse tempo cheio de más notícias? Talvez. Escrever serve para denunciar, tocar o dedo na ferida, ou tocar o sublime. Mas serve também para que tentemos a evasão, que

Um brinquedinho para Trump – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues O twitteiro-mor da Casa Branca domina o mundo para ridicularizá-lo (putz! Que difícil esta palavra! Tentei falar enquanto escrevia e quase desisti). O cara tem topete, além do topete mesmo, e quer puxar

Jogo contra a corrupção – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues O jeitinho brasileiro está ocupando com força total os campos de futebol, que, no final das contas, acaba sendo o espelho daquilo que rola fora dos gramados. A malandragem no futebol revela (ou

Não joga pedra na Geni (conto de Ronaldo Rodrigues)

“De tudo que é nego torto / do mangue e do cais do porto / ela já foi namorada”. Eu era um perdido no caos do porto da vida e ela me amava assim mesmo. Desconsiderava minhas