Nesta sexta-feira (13), rola a última edição do Luau na Samaúma de 2019

Junto com dezembro, chegam as expectativas natalinas, e uma das programações mais aguardadas pelos amapaenses, o Luau na Samaúma de Natal, vai acontecer neste final de semana, com uma extensa agenda de atrações culturais e de negócios. O evento será nesta sexta-feira (13), a partir das 17h, na Praça Samaúma, em frente à Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco – do Ministério Público do Amapá (MP-AP). O evento multicultural promete ser uma grande confraternização natalina aberta ao público.

O Luau na Samaúma é promovido pelo MP-AP, Prefeitura Municipal de Macapá (PMM), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/AP) e Governo do Amapá, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). A iniciativa visa o fomento da economia criativa; ocupação do espaço público pela população e promoção de lazer e cultura. Tudo sob o abrigo da grande Samaúma, árvore que empresta o nome e dá vida ao projeto do Luau.

Música, arte e gastronomia amapaense é o tripé que sustenta a programação cultural da noite, que conta com o empenho de artistas locais, que irão expor suas obras e serão protagonistas de intervenções teatrais. Poesia e shows musicais também fazem parte da programação, que terá como atrativo maior para a criançada, o Papai Noel no Luau da Samaúma.

Empreendedorismo

No encerramento desta edição do Luau, e aquecer a geração de renda no fim de ano, uma rede de empreendedores e artesãos locais, cadastrados previamente, terão espaço para a comercialização de seus produtos. O fomento da economia criativa e independente é uma das marcas fortes do evento desde a sua concepção.

Para favorecer o fluxo do trânsito no local, o estacionamento da sede campestre da Maçonaria, em frente à Praça Samaúma, estará disponível para os visitantes da noite, bem como o entorno da praça. Em caso de consumo de bebida alcoólica, a organização do evento aconselha que os motoristas optem por vias alternativas de locomoção.

Ficou animado? Confira a programação completa da noite:

Infantil

– Contação de histórias de Natal

– Espetáculo infantil “Buiando na Antranet”

– Oficina de MiniChef

– Papai Noel

Edição do Luau da Samaúma — Foto: Max Renê/Prefeitura de Macapá

Literatura e poesia

– Lançamento do livro “Poesia de Rio”, de autoria do poeta e promotor de Justiça Mauro Guilherme.
-Tenda Literária com exposição e comercialização de livros e declamações poéticas.

Feiras e Exposições

– Artesanato – Feira Afro e “Projeto Mulheres que Fazem”.
– Discos de vinil e sons retrô.

–Exposições de artes plásticas.
– Feira de plantas
– Feira de produtos do campo (Sebrae)

Gastronomia

Food Trucks, Feira gastronômica, coquetelaria e outros.

Música

– Coral Anjos da Guarda, da Banda da Guarda Civil Municipal de Macapá
– Nonato Santos
– João Amorim
– Amadeu Cavalcante

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Sesc Amapá realiza exposição Releituras

Com esculturas, aquarelas e artesanatos os alunos do curso de Artes Visuais (PCG) apresentarão os trabalhos desenvolvidos no período do curso.

Realizando mais uma exposição dos trabalhos do curso de Artes Visuais (Programa de Comprometimento e Gratuidade), o Sesc Amapá apresenta a mostra Releituras composta por telas em acrílico, esculturas em alto relevo, aquarelas, artesanato com jornal, painéis coletivos, desenhos a nanquim e a grafite. A exposição será aberta hoje (13), a partir das 19h, na Galeria de Artes Antônio Munhoz Lopes, localizada no Sesc Araxá.

A exposição é fruto do aprendizado desenvolvido durante todo o curso, tendo por objetivo despertar a sensibilidade artística dos alunos, apresentar as técnicas aprendidas por eles ao longo do ano, de acordo com a faixa etária e o nível de cada um, e estimular sua percepção visual e a imaginação criadora, mostrando a importância da arte no cotidiano das pessoas e como ela modifica o meio em que vivemos.

O curso de Artes Visuais – PCG, desenvolvido pelo Sesc Amapá, é um Programa de Comprometimento e Gratuidade que tem como público alvo os comerciários, dependentes, alunos de escolas públicas e comunidade em geral. O curso é composto por aulas teóricas e práticas sobre diversas técnicas artísticas. O intuito do projeto é proporcionar que os alunos se capacitem artisticamente e tenham acesso a várias linguagens da arte, tais quais: desenho, pintura e artesanato.

Serviço:

Marcel Ferreira
Contato: (96) 98407-9956
Assessoria de Comunicação – (Celular e WhatsApp)

Por meio de credenciamento artístico, Secult/AP apoia cinco eventos neste final de semana

Nesse segundo final de semana de dezembro, uma vasta programação cultural ocorrerá na capital e no interior do Amapá. A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) apoiará, com o seu credenciamento artístico, cinco eventos com grande estimativa de público. Iniciando nesta quinta-feira (12), com o aniversário do município de Laranjal do Jari, a programação de eventos vai até a segunda (16) com a Festividade de Nossa Senhora da Conceição, Luau da Samaúma, Festival da Banana e Natal Solidário.

Foto: Allumé Fotografia

O suporte disponibilizado pela Secult atenderá a programações culturais em três municípios do Estado: Macapá, Laranjal do Jari e Tartarugalzinho. A pasta confia no potencial artístico e econômico dessas atividades, que gerarão mais de 80 empregos diretos de técnicos e artistas credenciados, além de indiretamente ajudar na comercialização de produtos e serviços nessas regiões.

Foto: Mariléia Maciel

Com esse aporte nas atividades culturais realizadas no Estado, a Secretaria de Cultura garante mais qualidade às programações, atraindo maior público espectador e trazendo retorno para a comunidade e os seus realizadores.

Foto: Prefeitura de Laranjal do Jari

Aniversário de Laranjal do Jari

Com uma programação de 12 a 16 de dezembro, o 32º aniversário do município de Laranjal do Jari, localizado ao sul do Estado, contará com o apoio da Secult, por meio de um acordo firmado com a Prefeitura no valor de R$ 250 mil reais.

Criado no dia 17 de dezembro de 1987, o município atualmente é o terceiro mais populoso do Estado, com cerca de 50 mil habitantes. Na programação de aniversário haverá atrações gospel, casamento comunitário, rally e motocross, exposições artísticas, concurso das rainhas e shows com bandas de vários estilos para animar o público.

Foto: Mariléia Maciel

Festividade em Louvor à Nossa Senhora da Conceição

Como parte da devoção à Nossa Senhora da Conceição, comemorada no dia 8 de dezembro, a comunidade quilombola do Curiaú, Zona Norte de Macapá, realizará uma programação festejada tradicionalmente, há 70 anos, pela família “Gorgia”. O evento acontece na sexta-feira (13), a partir das 20 horas, e contará com a apresentação do Grupo Folclórico São José do Mata Fome, que faz parte do credenciamento de atividades culturais da Secretaria de Cultura.

Luau da Samaúma

Na sua 3ª temporada, o Luau da Samaúma – Especial de Natal –, acontece nessa sexta-feira (13), a partir das 17 horas, na Praça da Samaúma (Rua do Araxá, em frente ao prédio do Ministério Público Estadual). Essa edição será realizada pelo MP-AP, com o apoio do Sebrae, GEA e Prefeitura de Macapá, encerrando as atividades culturais organizadas pelo órgão em 2019.

A partir do credenciamento, a Secult abrilhantará a programação com as exposições artísticas “Memórias, ancestralidades e resistência”, de Claudete Machado; “Povo de Cultura e Fé”, de Max Gabriel; o espetáculo de teatro infantil “Buiando na Antranet”; e as atrações musicais com os músicos João Amorim, Nonato Santo e Amadeu Cavalcante, além da banda Sambarte.

14º Festival da Banana

O município de Tartarugalzinho estará em festa, de sexta (13) a segunda (16), com a 14º edição do Festival do Banana. Para que a comunidade da região aproveite a festa, a SECULT disponibilizará estrutura de palco, camarim, camarote, tendas e banheiro químico para a programação que terá culinária, esporte, dança e shows musicais.

Foto: Maksuel Martins

Natal Solidário

Dentro do calendário oficial do Governo do Estado do Amapá, a programação do “Natal Solidário” será promovida pela Secult no sábado (14), na Escola Jesus de Nazaré, a partir das 15h.

Esse evento destinado à comunidade dos bairros Laguinho e Jesus de Nazaré, contará com vasta programação cultural disponibilizada pela Secretaria de Cultura por meio de artistas credenciados. Além das atrações, haverá distribuição de brinquedos, lanches, brincadeiras, pintura facial, pula-pula e a presença do papai Noel.

Foto: Paulo Rocha

Os grupos de dança Axé Só Quebrança e os de teatro Açaideia e Entrei na Roda, credenciados pela Secult, serão as atrações especiais do evento.

MP-AP por meio do Núcleo de Apoio Técnico e Administrativo oferta capacitação em Psicologia Jurídica

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do Núcleo de Apoio Técnico e Administrativo (NATA), promoveu, da última segunda-feira até quarta-feira (11 a 13), capacitação em Psicologia Jurídica no Complexo Cidadão Centro. O objetivo é atualizar os analistas na área de psicologia sobre a elaboração de laudos e pareceres técnicos.

O curso teve como palestrante a prof. Doutora Elisa Krüger e faz parte do projeto de reestruturação do NATA, alinhado ao Planejamento Estratégico do órgão ministerial. O núcleo foi criado pelo MP com o objetivo de fortalecer a atividade de assessoramento técnico às Promotorias de Justiça.

A promotora de Justiça Gláucia Porpino Crispino, coordenadora do NATA e gerente do projeto estratégico, ressalta a importância dessa capacitação para os profissionais de psicologia e também para o plano de reestruturação.

“Esse curso foi bastante almejado por todos nós, principalmente pela equipe do NATA, uma vez que está dentro do plano do Planejamento Estratégico que visa reformular a atuação do Núcleo, a fim de otimizar a atuação de todos os técnicos, focando agora na capacitação dos psicólogos de todo o órgão”, pontuou a promotora de Justiça.

Segundo a gerente operacional do projeto de reestruturação do NATA, Carla Sebastiani, além da importância de reformular o núcleo, esclarece que a capacitação melhora os serviços prestados pelos técnicos.

“A ideia é capacitar as pessoas, promover esse alinhamento teórico para que a gente possa prestar serviços com mais qualidade, com mais eficiência para todas as promotorias, para todos os órgãos de execução do Ministério Público”, ressalta Carla Sebastiani.

Elisa Krüger pontuou a importância de tal formação para os psicólogos do Ministério Público, visando a atualização dos mesmos com as novas normas para a elaboração de laudos e pareceres técnicos.

“Esse trabalho tem pertinência bastante importante, inclusive neste atual momento de ampliação dos serviços do MP, fazendo com que os colegas tenham acesso ao que há de mais moderno no Brasil e no exterior em termos de avaliação psicológica, para que eles possam prestar um serviço de maior qualidade ainda para a população”, pontuou a prof. Doutora Elisa Krüger.

Sobre a palestrante

Elisa Walleska Krüger Alves da Costa é Doutora e Mestre em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília (UnB). Atuou como professora substituta do Departamento de Psicologia Clínica e Cultura da UnB e em diversas universidades particulares. Presidente do INSTITUTO PERSONNA de Estudos, Pesquisas e Intervenções em Criminalidade, Violência e Direitos Humanos. Especialista em Psicologia Jurídica e Perita Forense.

Também é autora do livro PSICOLOGIA FORENSE: UMA ABORDAGEM CRÍTICO COMPLEXA e de diversos artigos e reportagens sobre Direitos Humanos, feminismo islâmico, a questão do Sahara Ocidental, situação sócio-política do Magreb, islamofobia e relações culturais Magreb/América Latina. Membro do Centro Latino Americano de Estudos sobre o Magreb e Fundadora da Aliança Internacional Brasil-Marrocos.

Consultora e livre docente na área de Direitos Humanos. Ex-membro do Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República do Brasil. Peticionária do IV Comitê sobre o Sahara Ocidental nas 70a. e 74a. Assembleias Gerais das Nações Unidas, em Nova York. Membro do Observatoire Universitaire des médias espagnols et latino-américains da Universidade Mohammed V de Rabat – Marrocos. Professora, tutora e pesquisadora da Universidade Internacional Rose-Croix – URCI.

SERVIÇO:

Elton Tavares – Diretor de Comunicação
Texto: Vanessa Albino
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Mil e quinhentas vozes encantam e emocionam o público na 7ª Cantata Natalina da Prefeitura de Macapá

Mil e quinhentas vozes emocionaram, contagiaram e levaram alegria ao público que lotou a 7ª Cantata Natalina da Prefeitura de Macapá na noite desta quinta-feira, 12, realizada às margens do majestoso rio Amazonas. Com o tema “É Tempo de Celebrar”, o maior coral infanto-juvenil de alunos do Brasil da rede municipal de ensino de Macapá fez bonito mostrando o espírito do Natal, tempo de renovação, esperança de amor e mensagens de reflexão para a população macapaense.

O espetáculo contou com 1.500 crianças, de 53 escolas, dentre as quais quatro de educação infantil, três do campo, fundamentais e quatro novas escolas criadas este ano pelo Município, que formaram o imenso coral. As escolas Erídio Rocha, Maria Celes Coutinho, Izabel Negrão, Raimundo Guedes e Sandra Tolosa participaram pela primeira vez da cantata.

As amigas do 4ª ano da Escola Municipal Guita, Eduarda Brito e Nataly Guimarães, de 10 anos, estavam ansiosas e com aquele famoso frio na barriga de quem iria integrar pela primeira vez a cantata. “Estou muito feliz, ensaiei, e vou dançar Marabaixo, representando a nossa cultura. É a primeira vez que participo, estou com um frio na barriga de emoção”, disse Eduarda. Com sorrisão estampado e com a sensação idêntica da colega de turma, Nataly não segurou e falou que era um dos dias mais felizes de sua vida. “Estou muito feliz, quero subir ali para cantar e dançar com todo mundo, é um dos dias mais alegres e felizes que estou vivendo”, contou.

Criada em 2013 pelo prefeito Clécio, no primeiro ano de sua gestão, a cantata está no seu sétimo ano e se tornou um dos maiores eventos do calendário cultural do Município de Macapá, sendo coordenada e executada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed). Para o prefeito, que acompanhou todo o espetáculo juntinho das crianças e dos pais, disse que a cantata é pura emoção e resultado de um lindo trabalho.

“Vocês não têm ideia da emoção de ver crianças, pais, professores, técnicos da Semed dando o seu melhor aqui na nossa sétima Cantata Natalina. Eu quero agradecer a Deus em primeiro lugar. Este ano, tivemos alegrias, tristezas, mas muita coisa boa. Encerrar o ano letivo da educação com essa cantata, para nós, significa fechar o ano com bênçãos e vitórias. Esse coral é o mais bonito do Amapá, do Brasil e do mundo. Todos se envolvem, e o resultado é esse coroamento aqui, lotado de gente que canta junto mensagens de amor e renovação. Agradeço imensamente a cada pessoa que veio assistir, a cada pai e a cada mãe que veio incentivar seu filho ou filha”, enfatizou o prefeito de Macapá, Clécio Luís.

A cantata foi cheia de simbolismo e uma viagem pela cultura, tradições e folclore amapaense. A cantiga de roda “Atirei o pau no gato” ganhou uma versão diferente, com os versos “Não atire o pau no gato, não maltrate os animais”. As crianças deram o recado mostrando que os animais precisam ser amados e respeitados.

“Vem que está chegando o Natal. Vem que está chegando o Natal. Pois nasceu Jesus, o Salvador”. Este foi o hit famoso que embalou os pais, alunos, professores, durante o encerramento das apresentações, que em 2020 pretende repetir o sucesso. Pelo segundo ano consecutivo, artistas amapaenses cantaram junto com as crianças (Brenda Melo, Ariel Moura, Hanna Paulino, Amadeu Cavalcante, Carlitão da Banda Placa) e deram um brilho especial às apresentações.

Lilian Monteiro
Assessora de comunicação/PMM
Contato: 98409-3733
Fotos: Max Renê / Gabriel Flores

Enrico Di Miceli apresenta para o público amapaense o disco Todo Música em festa na Prainha

O ano encerra com um show que vai fazer a diferença, e uma noite dançante está programada para marcar o lançamento do disco Todo Música, de Enrico Di Miceli, que após ser apresentado na Guiana Francesa e Belém, ancora no meio do mundo. O lançamento será dia 14 de dezembro, em um sábado, na Prainha de Fazendinha, com Enrico e os convidados Patrícia Bastos, Nilson Chaves e Brenda Melo, que serão acompanhados de uma banda formada por um grande elenco de músicos, e uma discotecagem com repertório escolhido a dedo. O show inicia às 20h, é um evento organizado por Clícia Vieira Di Miceli em parceria com as Duas Telas Produções

Todo Música é um trabalho esculpido com sensibilidade e ousadia, mistura de poesia, canções inéditas e antológicas, que foi temperado com a diversidade de identificações, novas batidas e ousadia na fusão de estilos. Do pop ao marabaixo, do funk ao jazz, e tudo mais de ritmos que se entrelaçaram com muita criatividade e o talento de parceiros com sofisticação musical, que foram despertados dos mais diversos cantos, como os amapaenses Joãozinho Gomes, Cleverson Baia e Osmar Júnior, o nordestino José Inácio Vieira de Melo, os roraimenses Eliakin Rufino e Zeca Preto, e os paraenses Jorge Andrade e Leandro Dias.

A junção de talentos em torno do disco o traduziu com linguagem única, universal, e ao mesmo tempo mostrou que os ritmos do Amapá, batuque e marabaixo, casam perfeitamente com outros sons sem perder suas raízes. E as doze faixas serão detalhadas no show de lançamento, com a presença da banda formada por Alan Gomes, direção musical e baixo, Edson Fabinho, violão e guitarra, Jeffrei Redig, teclado, Miguel Neto, sax e flauta, Hian Moreira, bateria, e Nena Silva, percussão. Para compor com Nena Silva, de Belém vem o percussionista Paturi, que participou da gravação do disco.

O lançamento de Todo Música em Macapá segue o padrão inovador que é marca da produção e obra. Antes mesmo do disco ser colocado no mercado, o público conheceu o carro-chefe Encontro dos Tambores no ano de 2018, em um clipe que foi gravado durante a Semana da Consciência Negra, e que inspirou a canção, chamando atenção para o que viria em seguida. E veio o lançamento, que fugiu do tradicional e surpreendeu com o Pocket Show para imprensa e influenciadores digitais, e distribuição em plataformas digitais e canais web. O primeiro show ao vivo com Enrico e a banda foi em Belém, no período do Círio de Nazaré, e em seguida o comboio musical seguiu para a Guiana Francesa, oficializando a comunhão musical entre as fronteiras.

Para Macapá, a produção novamente surpreende e chama o público para uma grande festa em uma praia, em clima de final de ano, ao ar livre, sintonizando música e natureza. O público será recepcionado pela discotecagem do Jhafro DJ que traz a batida da música popular brasileira, passando pelo samba rock e soul brasileiro e MPA serão tocadas em versões dançantes. Em seguida, Enrico Di Miceli, faz o lançamento de Todo Música, recebendo Patrícia Bastos, Nilson Chaves e Brenda Melo. A festa encerra com uma viagem musical do DJ Paulinho Lendário que nos leva do Amapá a Guiana-Caribe, e nesse cenário tropical, a Fazendinha se banha de ritmos com muito merengue, kassekó e zouke pra encerrar a produção de lançamento de Todo Música.

O público terá disponível atendimento de excelência no lançamento de Todo Música, e as parcerias foram fechadas com empreendimentos reconhecidos pela prestação de serviços. No bar serão oferecidos drinks, cervejas e gengibirra; o serviço de cozinha terá variedade de petiscos de boteco; será montada ainda uma choperia para quem preferir, e para combinar com o ambiente de praia, terá também o tradicional camarão no bafo de Fazendinha. As repentinas chuvas de dezembro não serão problema, a produção irá cobrir a área do show.

Serviço:

Lançamento Todo Música – Enrico Di Miceli
Data: 14 de dezembro
Hora: 20h
Local: Prainha de Fazendinha
Mesas 100,00
Ingressos individuais 20,00
Norte Rock (Vila Nova Shopping)
La’ Bart Restaurante (Complexo do Araxá)
Informações 991887262/999131818

Mariléia Maciel

Discos que Formaram meu Caráter (Parte 35) – “Lado B Lado A” …O Rappa (1999) – Por Marcelo Guido

Por Marcelo Guido

Muito bem moçada Rocker que nos acompanha nessa linda, longa e salutar viagem muito louca pelas ondas sonoras e discos revolucionários! Diretamente de sua nave, o viajante da música vem trazer mais um grande e indiscutível clássico. Apresento a vocês:

Lado B lado A – terceiro trabalho do Rappa.

Palmas pra ele!

Corria o ano de 1999 e a boa turma d’O Rappa, colhia os bons frutos conquistados com o esplendoroso “Rappa Mundi” (Já falei desse por aqui) e encontravam-se tranquilos já extremamente consolidados como banda de respeito no cenário nacional.

Visto isso, a intenção não seria de relaxamento; pelo contrário, Yuka, Falcão, Lauro, Xandão e Lobato, estavam cada vez mais se esmerando no discurso de ordem e procurando uma evolução musical que talvez nunca tenha sido vista por essas bandas. Não era hora daquele disco experimental que geralmente as bandas fazem para continuar um “tour” eterno falando sempre mais do mesmo.

Os caras preparavam uma surpresa para os fãs da banda; algo que além de ser ouvido, pudesse ser pensado. Nada muito progressivo, para ser chato e não tão difícil nas letras, para não passar batido. Era um disco para se viver, sentir.

Mesmo sendo reconhecidamente uma banda rock, os caras nunca esconderam suas influências ligadas ao Hip Hop, samba e afins; o que para muitos poderia parecer uma heresia, a rapaziada conseguia unificar e assim fazer algo próprio. As letras, magnificamente bem dosadas e falando do cotidiano fantástico do cidadão comum, que vive nas inúmeras comunidades cariocas e, por que não, nos muitos “brasis” que se espalham por todo nosso território.

Eu tinha 19 anos quando tive contato com este disco, e realmente pirei com os grooves e batidas eletrônicas misturadas a baixo, guitarra e bateria – muito bem trabalhados pelos caras. A poesia de Yuka, estava afiada e não teria como dar errado.

O disco é pancada do começo ao fim. Deixando o papo furado, vamos logo ao que interessa e dissecar este disco:

Começamos com uma batida suave que vai para uma porrada sonora em “Tribunal de rua”, uma batida policial intimidante, todos do bairro já conhecem essa lição. “Me Deixa”, estar de bobeira querendo apenas se divertir, deixar de lado o que te oprime. “Cristo e Oxalá”, o encontro de suas entidades positivas, falando a verdade, mostrando que o que salva é realmente a cultura e a fé. “O que sobrou do céu”, o dia-a-dia de quem é realmente excluído, vítima de uma opressão. “Se não avisar o bicho pega”, o sempre ‘Estar ligado’ para não ficar para trás. “Minha Alma (a paz que eu não quero)”, o comodismo, aquilo que não te atinge, não faz parte do teu cotidiano, não te interessa. “Lado B Lado A”, as incertezas diárias, desafios diários, a necessidade de ter o corpo fechado ou ser um guerreiro para poder passar por isso. “Favela”, ode a todas as comunidades, da onde pulsa o sangue e movimenta a cidade, homenagem aos grandes do samba. “O Homem Amarelo”, a ida para o desconhecido, mas central do ‘buzum’ fala outra língua.

“Nó de Fumaça”, a esperteza e sagacidade necessária para sobreviver às dificuldades. “A todas as Comunidades do Engenho Novo”, um samba rock, estilo Jorge Ben, um abraço nas comunidades, onde tem coisa boa e ruim. “Na palma da Mão”, o silêncio constrangedor depois de um tiroteio.

Uma bolacha realmente fantástica, onde crítica social e brasilidade são recorrentes em todas as letras e sons, sem o vitimismo geralmente exacerbado neste tipo de obra.

Medalha de ouro na categoria disco foda.

Este foi o trampo que consolidou Marcelo Yuka como um dos maiores letristas críticos desse país e mostrou o total comprometimento da banda com as causas sociais.

Eleito pela revista Rolling Stone como um dos cem maiores discos de música brasileira.

Um disco ímpar, que rendeu duas obras primas, se formos falar de clipe. Os vídeos de “O que eu sobrou do céu” e “Minha Alma” levaram o Brasil a outro patamar quando o assunto é esse.

Se você não conhece esse este trabalho, não tem gabarito para empunhar a medalha de foda, fique na sua e saia fora.

Por que no TRIBUNAL DE RUA da vida, você não pode dizer ME DEIXA, muito menos esperar por CRISTO E OXALÁ, ou o que vai te restar é somente O QUE SOBROU DO CÉU, meu brother SE NÃO AVISAR O BICHO PEGA, e MINHA ALMA, não é LADO A LADO B da vida, ela é de FAVELA. Sou HOMEM AMARELO dou muito NÓ DE FUMAÇA nas dificuldades da vida e agradeço de coração A TODAS AS COMUNIDADES DO ENGENHO NOVO, tendo levar minha história na PALMA DA MÃO.

Este texto é dedicado a João Moraes, Ramon Lamoso, Fabricio Ofuji, Fábio Evangelista, Gustavo Sousa Cruz, Rodrigo Ramthum, Alex Rodrigues, Eduardo Nicholas e Vinicius Loures. Todos meus irmãos de Brasília.

* Marcelo Guido é Jornalista. Pai da Lanna Guido e do Bento Guido e Maridão da Bia.

Exposição fotográfica “Povo de Cultura e Fé” estará presente na última edição do Luau na Samaúma de 2019

“Povo de Cultura e Fé”, é um projeto que mostra as festas tradicionais e celebrações da vila de Mazagão Velho, e estará presente na última edição de 2019 do Luau na Samaúma, que acontece nesta sexta-feira (13), em frente ao prédio da Procuradoria-Geral de Justiça-Promotor Haroldo Franco, no bairro do Araxá.

O Luau é uma realização do Ministério Público do Amapá (MP-AP), em parceria com a Prefeitura Municipal de Macapá (PMM), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AP), e pelo Governo do Estado do Amapá, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult).

O projeto é fruto de um trabalho de registro que durou mais de dez anos, e traz para o Luau 22 fotos e quatro painéis fotográficos, além da distribuição gratuita de 100 exemplares da revista-catálogo da exposição.

A exposição tem o apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), onde o projeto está devidamente credenciado. Venha conhecer um pouco sobre da cultura de Mazagão Velho, e se divertir no Luau na Samaúma.

SERVIÇO:

Elton Tavares – diretor de Comunicação
Texto: Nelson Carlos
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Apóstolo e cantor Ronery Brito lança seu novo livro “O Caminho da Fé” em Macapá

Lançamento será em 14 de dezembro, às 17h, no Macapá Shopping.

O músico e escritor Ronery Brito, que também é apóstolo Sênior do Ministério Luz do Mundo, lança em 14 de dezembro de 2019, em Macapá, o seu terceiro livro intitulado “O Caminho da Fé”. O lançamento acontece a partir de 17h, no piso L4, no Macapá Shopping, no bairro do Trem.

Segundo o autor, o livro relata experiências vividas por alguns personagens cristãos durante suas caminhadas pela terra. Apresenta ainda, os ensinamentos de Jesus, como o modelo que alicerça a construção de toda a nossa estrutura ministerial, emocional e material. No lançamento, o autor estará fazendo dedicatórias.

“Caminho da Fé”

A obra aborda uma mente renovada pelo Espírito Santo de Deus, garantindo o fortalecimento das nossas relações atuais e futuras.

“Depois de compor 600 músicas, Deus me desafiou a escrever livros”. Assim se define Ronery Brito, que diz ser um homem comprometido com Deus e a ensinar sua palavra. Cantor e compositor renomado, ele agora dá continuidade a carreira como escritor.

“Estou muito feliz em poder realizar mais esse projeto. Meu novo livro se baseia na fé espiritual do carpinteiro José, padrasto de Jesus. Sua firmeza nos inspira a trilhar o Caminho da Fé. Uma trajetória árdua de perseverança e renúncia inspirada nas marcas e nos ensinamentos de Cristo, é o que nos leva a conhecer o Caminho da Fé, e é também o que nos levou a esse novo livro”, destacou.

Biografia do autor

Ronery Brito, de 57 anos, é casado com Marcia Simone, com quem tem dois filhos Matheus e Bella Vitória. Também é pai de Eveline, Mariana, Juliana e Ramoni. É turismólogo, pós-graduado em Gestão de Pessoas. Ronery Brito é o pastor Sênior do Ministério Luz do Mundo em Macapá-AP.

Serviço:

Lançamento do livro “Caminho da Fé”
Data: 14 de dezembro de 2019
Horário: 17h
Local: piso L4, no Macapá Shopping

Simone Brito
Assessoria de comunicação

Alunos concluem 1º curta-metragem do curso de Teatro ofertado pelo Programa de Gratuidade do Sesc AP

As produções serão apresentadas no dia 12 de dezembro no Sesc Araxá.

O Sesc Amapá apresenta a exibição do 1º curta-metragem produzido e gravado pelos alunos do curso de Teatro ofertado pelo Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG) do Sesc Amapá. Desenvolvendo temáticas relacionadas à Música, Suspense e Dramas da vida, os alunos apresentarão suas produções no dia 12 de dezembro, às 19h, no Salão de Eventos do Sesc Araxá.

A produção cinematográfica representa o estudo inicial piloto, representando o conhecimento adquirido durante o curso de Teatro oferecido pelo Sesc Amapá. No curso, foram abordados: o estudo e compreensão de textos; autores teatrais; construção e caracterização de personagens; estudos de estruturação coreográfica; dramaturgia do
movimento; diálogos com a musicalidade; relação com o espaço cenográfico e interpretação para teatro e cinema e a compreensão do trabalho colaborativo e de cooperação em equipe.

Serviço:

Marcel Ferreira
Contato: (96) 98407-9956
Assessoria de Comunicação – (Celular e WhatsApp)

Veja as vagas de emprego do Sine em Macapá para o dia 13 de dezembro

O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência.

Os interessados podem procurar o Sine, localizado na Rua General Rondon, nº 2350, em frente à praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas na capital e em Santana.

Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado).

Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas:

MACAPÁ

Auxiliar de forneiro
Auxiliar financeiro
Auxiliar de salgadeiro
Auxiliar de cozinha
Mecânico
Sorveteiro
Esteticista
Vendedor pracista
Cozinheiro em geral
Copeiro (para pessoa com deficiência)
SANTANA

Sushiman
Cuidador de idoso

Fonte: G1 Amapá

Cantata Natalina da Prefeitura de Macapá acontecerá nesta quinta, 12

A Prefeitura de Macapá realizará nesta quinta-feira, 12, a 7ª edição da Cantata Natalina da rede municipal de ensino. A programação terá início às 19h, na Praça Beira-Rio, em frente ao Trapiche Eliezer Levi, e trará como tema “É Tempo de Celebrar”.

O maior coral infanto-juvenil de alunos trará 1.500 crianças de 53 escolas, que já se preparam para o grande dia e prometem emocionar o público, com apresentações coreografadas, canções natalinas tradicionais, como “Aleluia”, “Noite Feliz”, “Celebrar” e “É Natal”, além da participação especial dos artistas locais – Amadeu Cavalcante, Hanna Paulino, Ariel Moura e Carlitão (Placa Luminosa). A cantata é um momento de celebração do espírito natalino e também uma despedida, em grande estilo, das crianças do 5º ano que estão saindo da educação municipal.

Serviço:

Data: 12/12 (quinta-feira)
Hora: 19h
Local: Praça Beira-Rio, em frente ao Trapiche Eliezer Levi

Karla Marques
Assessora de comunicação/Semed
Contato: 991192467

Natal e outras “coisas”! – Crônica de Josimar Barros

Crônica Josimar Barros

Já quis muitos presentes em outros dezembros de minha vida. Sonhei com uma bicicleta BMX durante parte da infância e adolescência, inclusive esse ainda é um desejo que pretendo um dia realizar… Rsrsrs… Morri de vontade de ter aquele All Star azul dos anos 80, mas só pude ter mesmo uma Kichute. E como durava essa espécie de chuteira de borracha que dava um chulé medonho. Eu ralava ela no asfalto e na calçada do pátio da escola pra desgastar e, com isso, ter motivo pra pedir outro pisante, mas nada da maldita Kichute furar. A graxa também era pouca pra revitalizar ela e tinha encarar sempre outro ano de escola com esse calçado típico de meus primeiros rabiscos escolares.

Quis muito ainda uma calça US Top ou Lee. E tive essas duas calças Top (como dizíamos à época). Usadas, é bem verdade, mas tava nem aí, já que eu era um caboclo do pé rachado e tuíra que usava US Top, mano velho! Já me torci de vontade de ter um Walkman (uma espécie de toca fitas K7 portátil), um vídeo game Atari e uma viagem à Belém pra comprar coisas que só quem ia lá podia usar. Mas queria ir à Belém de avião… Na TABA pra ser mais exato, que era o avião que passava quase em cima de casa e podíamos ver o nome dessa empresa na barriga da aeronave… Mas só consegui voar muito depois – na VASP – quando a TABA já tinha entrado em falência. Para os menores de 30 anos, informo que “VASP” é a abreviação de Viação Aérea São Paulo e TABA, significava Transportes Aéreos da Bacia Amazônica, que funcionou no Amapá nos anos 70 e 80. E só fazia uma ou duas viagem por semana pra capital paraense, se me lembro bem! Então, você virava praticamente uma lenda, depois de voar nessa empresa! (risos).

E meus sonhos de ter sapatos, roupas, transporte pra me locomover só mudaram de marcas. Continuaram se sucedendo a cada Natal. Aos poucos fui beliscando um ou outro sonho pra me sentir incluído nesse mundo padronizado das grifes que te fazem falsamente se achar “gente de verdade”!

Jozimar Barros e Susanne Susi Farias (sua esposa), em uma outra época – Foto: arquivo pessoal.

Hoje aqui em São Paulo, andando de metrô, vendo prédios enormes, em meio a ofertas tentadoras de coisas de vestir e calçar, entrando em shoppings modernos e vendo tanta tecnologia típicas das megalópoles, minha mente pensa apenas no pelo macio da minha gatinha Marie, no rodopiar alegre do meu cachorrinho Chaves, no meu gramado que me dá imenso prazer em molhar.

Também nos meus tajás, na samaúma que o Gilberto Almeida e a Fatinha me deram a honra de cuidar. Penso nos finais de semana com a presença da minha mãe e meu pai, onde meus irmãos estão juntos relembrando de nossa vida dura no passado, mas que superamos, e hoje é motivo das melhores piadas saudáveis… Rsrsrs… Ah! E pense como desejo sentir o cheiro da minha amada Susanne Susi Farias e ver aquele sorriso apertado quase forçado do meu pequeno gigante Giuliano Vitor!

Caramba! Como é verdade que as coisas mais importantes do mundo não são as coisas!

E o melhor de tudo é saber que ainda tenho oportunidade de voltar pra abraçar e beijar tudo que mais amo: bichos, plantas, família e amigos! Meus melhores presentes com certeza!

*Texto reflexivo feito no final da primavera paulista de 2019…

** Josimar Barros é produtor cultural, sócio da DUAS TELAS Produções e Idéias,  fã de Rock e artes, além de apoiador de causas nobres.

Leitor aos dezoito! – Por Angela de Carvalho – Angelita

Por Angela de Carvalho – Angelita

Bartolomeu, escrevo para te contar das maravilhas desta última semana, o nosso Salão do livro foi fantástico! Imagina só, vieram embaixadores de todos os municípios, duas crianças de cada, meninos e meninas de 8 anos, que em 2030 serão: Leitores aos 18 anos! Sacou?

Já na abertura do Salão, houve a assinatura do Programa “ Dez Anos de Leitura! Leitor, aos 18”. Todas as crianças na faixa etária de 8 a 12 anos, receberão 10 livros ao longo de cada ano, deste período. Serão os protagonistas desse programa.

Temo atropelar esta escrita, querendo contar tudo de uma só vez. Mas, deixa eu contar logo essa parte: os livros de vários escritores amapaenses que já estão aí neste outro plano com você, foram reeditados – e mais, eles foram au-to-gra-fa-dos, por dois “sósias” deles, um aos 8 anos e outro já adulto. Com isso, as crianças passaram a conhecer as histórias desses escritores, pois houve seleção e preparação para quem os representaria. Na seção de autógrafos, conversavam e davam entrevistas como se fossem mesmo aquele escritor. Estavam tão bem caracterizados, que os familiares destes se emocionaram. Entrei em cada uma das filas: amei abraçar a Aracy de Mont’Alverne e o Isnar Lima estava um charme com o terno de linho branco. A fila de autógrafos do Alcy Araújo, foi a mais concorrida.

Bomba! Os prefeitos, assinaram “Termo de Compromisso” onde está escrito que as Bibliotecas Municipais terão que funcionar que nem museu, com folga somente nas segundas feiras, para que as pessoas possam ir as bibliotecas nos finais de semana. Nos discursos, foi dito que “será este um equipamento tão importante quanto hospital e escola”. Deveriam ter dito: “tão importante quanto gabinete do prefeito”. Sabe-se que faltam coisas em todo lugar, mas em gabinete de prefeito: a central funciona, tem café, a secretária está sempre presente…mas deixa a minha ironia de lado, alguns serviços de prefeituras aqui do Estado do Amapá estão melhorando, reconheço! Vamos voltar para as coisas importantes que aconteceram no Salão. No tal Termo, está escrito ainda que cada Biblioteca Municipal vai ter um profissional bibliotecário(a); acervo renovado; boas programações literárias com mediadores de leitura e edital para publicação de livros, anualmente! É o Direito à Leitura amigo, que se faça JUSTIÇA! Não é? E não, que a Justiça ocupe o espaço que é de bibliotecas…lá vem a ironia outra vez. É que dói, sabe? Ainda não engoli aquela história da Biblioteca da Justiça Federal, dinheiro de emenda parlamentar designado para este fim…e quando o prédio estava lá prontinho, só faltando o acervo mobiliário e plugar os computadores… virou Juizado, doeu demais! Ainda bem que não cultivo amargura, faço minhas criticas porque penso. Mas estou aqui toda animada.

Então deixa eu contar algo super bacana: muitas pessoas passaram a conhecer o que eu chamo de “uma nascente do arco iris” é a “Casa Traço!” Um ateliê lindo, um lugar onde as tintas e cores se misturaram. Os artistas da casa irão Coordenar uma coleção de livros: “Municípios: do Oiapoque ao Jarí”. Isso mesmo, o Mário Baratta e a Bárbara Damas, ficarão à frete desse projeto, que fará parte do Programa “Leitor aos 18!”, e no Salão de 2021, haverá o lançamento desta coleção, quando os embaixadores passarão o relato do seu ano de mandato e os novos embaixadores empossados levarão aos municípios um exemplar do livro para cada criança, sempre de 8 a 12 anos. E ainda uma boa quantidade destes, para as bibliotecas das escolas e para a Biblioteca Pública Municipal. Haverá a cada ano a escolha de um município que será a Capital da leitura, nesse município também será realizado um Salão, seguido do que que acontecerá em Macapá, assim os municípios serão prestigiados também. Política Pública De Leitura acontecendo em todo o Estado do Amapá, parece sonho amigo!

Ainda falando em cores e tintas, advinha quem veio para este primeiro Salão: Roger Mello, Marilda Castanha, Odilon Morais, e muitos artistas que ilustram livros para crianças, vieram até ilustradores de outros países – aqueles que enviaram Obras para o AMAZÔNIA CHAMA ou Amazon Shouts. As crianças ficaram embevecidas em ver formas diferentes e belas de expressar as maravilhas da nossa floresta e sua biodiversidade, ainda que com a dor que sentimos com tanta destruição. A exposição da arte destes ilustradores vai circular em todos os municípios. É uma carreta/container, com a exposição já montada.

Ai, Bartô! A semana foi curtinha demais para degustar tanta maravilha. Essa turma nova que anda a colorir Macapá em projetos do segmento de Arquitetura e Artes da UNIFAP, vai junto com a carreta. A interação dos artistas de lá com os de cá, foi fantástica! Muitas trocas criativas. Os de lá se sentiram fortalecidos, vendo tanto potencial nessa juventude.

Eu, fui circulando por tudo isso, meio que transparente e silenciosa, como aprendi com você. Respirando fundo e me encantando com tudo e agora transbordo toda minha alegria nesta carta.