Poema de agora: Ritual – Pat Andrade

RITUAL

chegou da viagem
cheirando a patchouli

tirou do seio a flor e a navalha
botou nos lábios a canção antiga
e se entregou a um solitário ritual

revirava a saia dançando
a catarse em cada gesto
vibrava música dentro dela

lá fora a vida devora
não silencia não para
não perdoa quem chora

o cansaço dos dias
engolia a grama do quintal

perguntou aos céus
se existia a sorte

colocou estrelas nos olhos
e ensaiou mais uma vez
sua estranha dança de morte

Pat Andrade

A força das águas e os bares do Araxá – Crônica porreta de Fernando Canto

Foto: arquivo de Fernando Canto

Crônica de Fernando Canto

As águas têm uma importância tão grande para a nossa região que certa vez, há alguns anos antes das mortes causadas pela violência dos tsunamis na Ásia, em 2004, imaginei, numa condição extremada, alagamentos catastróficos em Macapá causados por ondas gigantescas num futuro próximo. Como o texto foi publicado num livro meu, me perguntaram se eu tinha informações científicas sobre essa possibilidade. Claro que tudo era ficção. Mas a pororoca e as águas grandes do nosso inverno nunca deixaram de atemorizar os ribeirinhos e ameaçar suas frágeis moradias, principalmente nos lugares sujeitos às influências das marés.

Foto: arquivo de Fernando Canto

Por causa da força das águas que iniciam neste período e que chegaram a destruir partes do muro de arrimo em alguns pontos da orla macapaense e dos estragos causados na antiga praia do Aturiá, fui verificar in loco a situação e fiquei assustado. No Jandiá, próximo do antigo Bar do Maguila enormes blocos de concreto do muro foram arrebentados pelas águas, as pedras dos gabiões de sustentação jazem na lama do mangue, fato que não permite a presença de banhistas, a não ser na maré baixa, apesar de que na maré alta também tem uns malucos que se machucam ao serem jogados no muro. O mesmo ocorre na área do Araxá, um dos lugares mais românticos e mais bonitos de se passear da orla. Ali já existiu praia. Até o início da década de 1980 o Araxá e a Vacaria do Barbosa eram pontos freqüentados por famílias, que não podendo se deslocar para Fazendinha, nelas faziam seus piqueniques aos domingos. A rapaziada se concentrava para tocar ao violão os últimos sucessos da Jovem Guarda, tendo ao redor a o riso feliz das fãs, enquanto a criançada corria na areia da enseada. Isso mesmo, na areia da praia, onde deitavam plácidas ondas que traziam sementes e mistérios do outro lado do rio-mar. Árvores enormes como as samaumeiras, soltavam suas painas no ar e sombreavam o ambiente para os primeiros namoros dos adolescentes, inundando suas mentes de poesia e o corpo de desejo.

Foto: arquivo de Fernando Canto

Mas o Araxá sempre foi um belo local de concentração de banhistas, boêmios e bares. Um deles, talvez o mais famoso daquela época fosse o “Bang Bar”, nome por sinal muito sugestivo. Um outro era a “Casa da Música Popular Brasileira”, que vez por outra oferecia aos clientes belos shows de música dançante com cantores regionais. O grupo “Café com Leite”, levava samba e música romântica nas vozes de Zenaide, Sobral e Maria Tavares, acompanhados por Chico Cara de Cachorro, Zé Crioulo, Jaci, Ricardo, Fifita e Pelé. O grupo fazia muito sucesso e sempre estava lá às sextas-feiras à noite e nas tardes de domingo. No Bang Bar às vezes surgia um quiproquó para fazer jus ao nome do estabelecimento: era quando macho que era macho se escondia das balas em qualquer mesa de madeira que lhe servisse de escudo protetor. Algum tempo depois surgiu um bar de nome engraçado, situado no início da Eliezer Levy, um tal de “Xiri Molhado”, onde o pessoal ia tomar a saideira. Até quem vinha de Fazendinha encostava para um último gole porque também rolava um pagode e dava muita “cocota”, no dizer da época. Na orla do Igarapé das Mulheres, perto da feira do Pescado também existiu um bar muito perigoso, onde os frequentadores jogavam sinuca e bebiam muito. Mas eles tinham uma regra infelizmente não muito obedecida que era a não-provocação. Só caboclo corajoso frequentava e ganhava dinheiro no jogo no tal de “Cutuca Morte”.

Foto: Max Renê

Lembranças à parte, quando as águas do verão e as do inverno não atingiam tanto a cidade, porque não havia muro de arrimo e nem muito aterro nas baixadas e ressacas esses problemas não existiam. Mas a cidade precisou se modernizar e resolveram começar pelo saneamento. O planejamento dos antigos governos visava deixar Macapá com uma bela frente e com um traçado que permitisse o alongamento das vias sem o entrave das áreas alagáveis. Então milhares de toneladas de aterro foram depositados nesses lugares para compactar e dar lugar no futuro aos quase oito quilômetros de orla asfaltada que temos hoje em Macapá. Lutar, entretanto, com a fúria do rio Amazonas é lutar praticamente em vão, porque ele só é igual a si mesmo. Mesmo assim, ora a vitória é da terra ora é da água, essa mesma água que dá e tira a vida. No fim vence o homem e sua tecnologia.

A Moça do Tempo – Crônica de Ronaldo Rodrigues (com ilustração de Ronaldo Rony)

Crônica de Ronaldo Rodrigues

Aos 19 anos, Mariana completou 30.

Sempre à frente de seu tempo, Mariana menstruou aos 70 e perdeu a virgindade aos três.

O tempo era seu passatempo. Seus banhos demoravam duas semanas, mas para comer cinco pizzas e três refrigerantes, dois segundos e meio bastavam.

Mariana se casou com seu avô, este com sete anos. Seu filho mais velho nasceu depois dos trigêmeos, que vieram ao mundo separadamente, em Estocolmo, Kingston e Bruxelas.

Seus netos a conheceram na festa de seu 15º aniversário, quando ela, já completamente senil, ainda não havia nascido.

Sempre que perguntada pelas horas, Mariana respondia que faltavam quinze dias para dois minutos, tempo em que viriam o calor infernal do inverno, as flores no outono, a primavera hostil e o verão glacial.

Mariana começou a escrever suas memórias antes dos 150 anos e as concluiu com apenas dois dias de nascida.

Seus pais começaram a namorar 20 anos antes de se conhecerem.

Depois do mestrado e doutorado, Mariana ingressou na alfabetização, onde aprendeu a ler todos os livros que ainda não haviam sido escritos. Foi quando Mariana pediu um tempo ao tempo……………………………………………………………

Então, todos os relógios do mundo marcaram a mesma hora. Quando seu primeiro ancestral iniciou sua proliferação, bem no começo de toda a existência, o tempo fechou para Mariana. As ampulhetas explodiram e os relógios, com seus ponteiros apontados para ela, gritaram numa só voz:

– Seu tempo acabou! Seu tempo acabou! Seu tempo acabou! Seu tempo acabou! Seu tempo acabou! Seu tempo acabou! Seu tempo acabou! Seu tempo acabou!

Espaço Sebrae Moda na Semana do MEI destaca avanços dos microempreendedores no setor e no ranking de empresas abertas no Amapá

Entre as novidades da Semana do MEI, está o Espaço Moda Sebrae, onde acontece a exposição de empresas MEI atendidas pelo Projeto Moda e Fios; oficinas práticas, gratuitamente, de trancista, automaquiagem, fotografia de produtos e glossário da moda; e desfile de moda. O Espaço Moda Sebrae é aberto ao público, no período de 22 a 24, das 17h às 21h.

Segundo a gestora do Projeto Moda e Fios do Sebrae, Francinne Bacelar, trazer um espaço com o ecossistema da moda, na Semana do MEI, foi uma estratégia de ampliar a divulgação das soluções que a instituição possui, e oferecer no maior evento para microempreendedores individuais. “No Amapá, o comércio varejista de vestuário e acessórios cresce desde 2023”, afirma Fracinne Bacelar.

Dados

No cenário do estado do Amapá, até abril de 2024, o varejo da moda permanece em 1º lugar, no ranking de empresas abertas e em atividade, são de 3.535 empresas de comércio varejista de vestuário e acessório; dessas, 2.283 são microempreendedores individuais, registra o Mapa de Empresas do Portal do Governo Federal.

Destaque

O Espaço Sebrae Moda, na Semana do MEI, traz como forma de destacar estratégias fundamentais e serviços compatíveis com as reais necessidades do consumidor, dez (10) expositores da moda; seis (6) lojistas de varejo; e quatro (4) de moda autoral (própria confecção e produção); programação técnica, gratuita, com temas voltados para a melhoria do vocabulário e atendimentos de negócios da moda e, no último dia da Semana do MEI, será encerrado com um desfile de moda composto por nove (9) empresas.

Desfile

As empresas que apresentarão o setor de moda amapaense, nesta sexta (24), às 21h, são Driko Peixoto Underwear – Confecção de vestuário – moda praia masculina; Irene Gama – Confecção de vestuário e acessório – moda feminina; Empório Valeska Cardoso – Confecção de vestuário em crochê – moda feminina; Ella Bella – Comércio varejista de vestuário – moda plus size feminina; Mi Glamour Store – Comércio varejista de vestuário; Crochê da Crioula – Confecção de vestuário em crochê – moda feminina; Flor de Nuza – Comércio varejista de vestuário; Loja da Dora – Comércio varejista de vestuário; e Sartori Prime – Comércio Varejista de vestuário. O desfile de moda terá a participação de 60 modelos voluntários que fazem parte da seleção do Modamazon e já estão em preparo para a edição 2024.

Unidade de Marketing e Comunicação do Sebrae no Amapá
Contato: (96)3312-2832

Palestra do Conselheiro do CNJ Luiz Bandeira marca manhã do segundo dia do Encontro da Câmara Nacional de Gestores de Precatórios

A manhã do segundo dia do Encontro da Câmara Nacional de Gestores de Precatórios dos Tribunais de Justiça do Brasil, que acontece no Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), contou com cinco palestras de especialistas no tema. A primeira palestra do dia, que teve como tema “Novos Desafios da Gestão de Precatórios no Brasil”, foi proferida pelo conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Luiz Fernando Bandeira.

Durante sua explanação, o especialista contextualizou com situações enfrentadas por magistrados e servidores que trabalham a gestão de precatórios no dia-a-dia. Ele deu exemplos e relatou situações ocorridas em estados do Brasil sobre o assunto. E sobre as ferramentas em desenvolvimento para o aprimoramento deste trabalho.

“Para revolucionar essa matéria de precatório, como a tecnologia permite, que é cruzar dados e entregar informação, é essencial enxergar o precatório desde a sua expedição, até o seu posicionamento na respectiva fila preferência”, destacou o conselheiro do CNJ.

“Na medida em que o sistema puder calcular os juros de correção monetária aplicada e controlar também as sessões de greve feitas sobre retornos sobre precatórios, que bloqueiam de ter o vindo e organizar as informações para o cidadão, com uma data estimada para o recebimento, aquilo funciona como um cheque ao portador, como um título de crédito. Desta forma, você terá mais confiabilidade e mais controle da gestão orçamentária estatal”, detalhou Fernando Bandeira durante sua palestra.

Na segunda palestra do dia, os fomentadores do debate foram os juízes auxiliares da Presidência do CNJ, Wanessa de Araújo e Rafael Leite, que discorreram sobre o tema “O Sistema Nacional de Precatórios: Exposição a partir da perspectiva do Conselho Nacional de Justiça e temais atuais”.

Na sequência, o coordenador da Conciliação de Precatório do TJDFT, juiz Rafael de Castro Silva, explanou sobre o tema “Correção Monetária: Uma análise sobre as perspectivas atuais”.

A programação segue na tarde desta quinta-feira (23).

O evento, que visa debater procedimentos, discutir legislações pertinentes e compartilhar boas práticas para a celeridade e gestão eficiente de precatórios, é promovido pelo Poder Judiciário amapaense, em parceria com a Câmara Nacional de Gestores de Precatórios (CNGP). A conferência encerrará nesta sexta-feira (24).

A abertura contou com a presença do presidente do TJAP, desembargador Adão Carvalho; corregedor-geral da Justiça Estadual, desembargador Jayme Ferreira; desembargador João Lages, juíza auxiliar da presidência e magistrada gestora de precatórios do Tribunal de Justiça do Amapá, Marina Lustosa e presidente da CNGP e juiz paulista, Fernão Borba.

Também presentes os palestrantes: conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Fernando Bandeira; E os juízes auxiliares da Presidência do CNJ, Wanessa de Araújo e Rafael Leite; o coordenador da Conciliação de Precatório no Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT), juiz Rafael de Castro Silva; E o juiz auxiliar da Presidência do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), Esdras Benchimol Pinto.

Precatórios

Os precatórios são requisições de pagamento expedidas pelo Judiciário para cobrar de municípios, estados ou da União, assim como de autarquias e fundações, valores devidos após condenação judicial definitiva. Esses títulos de dívidas, reconhecidos pela Justiça, devem estar previstos no orçamento público.

Câmara Nacional de Gestores de Precatórios

Instituída em cooperação 27 tribunais do Brasil, a CNGP tem como funções o assessoramento técnico qualificado ao processamento das requisições de pagamentos, assessoramento jurídico destinado à elaboração de atos normativos para padronização de rotinas, formulação de pareceres técnicos, fomento ao compartilhamento de conhecimento, emissão de notas técnicas, entre outras.

– Macapá, 23 de maio de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Fotos: Serginho Silva
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800

Programação Maio Criativo realiza oficias e apresentações culturais nos dias 24 e 25 de maio na Bibliogarden

 


Dando continuidade à programação realizada pelo Coletivo Juremas e Coletivo Maré Literária, o Maio Criativo realiza nos dias 24 e 25 de maio, na biblioteca comunitária do Amapá Garden Shopping (Bibliogarden), na Zona Sul de Macapá, oficina de redação para o ENEM, curso livre de escrita criativa e sarau. Os eventos são gratuitos e abertos à comunidade.

O projeto tem o apoio do Amapá Garden Shopping, da Quarta de Arte da Pleta e da Oi Noiz Aki. De acordo com a artista Hayam Chandra, membro do Coletivo Juremas e uma das coordenadoras da Bibliogarden, o evento é destinado a todos que gostam de escrita e literatura.

“Nosso intuito é celebrar a poesia e a escrita. A programação traz atividades para todos os amantes da literatura e da palavra. Convidamos a todos para se juntar a nós e mergulhar no universo do conhecimento, a fim de aprimorar suas habilidades literárias”, disse Hayam.

Sobre a Bibliogarden

A Bibliogarden é um espaço de difusão de arte e cultura, que funciona dentro do Amapá Garden Shopping, administrado pelo Coletivo Juremas. O local, além de receber doações de livros, pode ser usado para palestras, exposições, exibição de filmes, apresentações musicais, realização de oficinas e treinamentos, e sessões de leitura.

Confira a programação:

Local: Bibliogarden – Garden Shopping – Rodovia Josmar Chaves Pinto

Quinta-feira, 24
19h – Oficina de redação para o ENEM: o uso dos conectivos na redação, com Carla Nobre e Raih Amorim.

Sexta-feira, 25
14h às 18h – Curso livre de escrita criativa – módulo I. Poemas concretos e poética da Amazônia, com Carla Nobre e Maria Lua.

Assessoria de Imprensa: Ana Anspach

Projeto Arte da Palavra do Sesc promove contação de histórias africanas com artista do RJ em escola do Quilombo do Curiaú

Nesta quinta-feira (23) o Sesc Amapá vai estar na Escola Municipal Joana Santos da Silva, localizada no Curiaú, promovendo contação de histórias africanas e músicas afro-brasileiras para as crianças. O artista Anderson Barreto, do Rio de Janeiro (RJ), está circulando o país através do circuito de oralidades do Arte da Palavra.

O circuito de oralidades tem como público-alvo crianças da educação infantil e ensino fundamental, apresentando de forma lúdica histórias que falam da ancestralidade africana. Apresentações acontecem pela manhã, às 9h, pela tarde, às 15h.

Anderson Barreto é artista multilinguagem e educador. Atua como contador de histórias, ator, diretor e performer. Participou de diversos espetáculos, performances, festivais e exposições. Foi arte – educador em museus e centros culturais do Rio. Atualmente é professor de Teatro no Instituto Entre o Céu e a Favela (Morro da Providência) e cofundador do Comboio Coletivo Artístico.

Maior circuito literário do país, o Arte da Palavra – Rede Sesc de Leituras promove este ano cerca de 500 atividades, com a participação de 51 escritores e artistas. Bate-papos, oficinas, narração de histórias e performances poéticas estão entre as atrações da programação, que se estende até dezembro e alcança mais de 100 cidades.

A seleção de artistas para o Arte da Palavra é realizada em curadoria coletiva, com representantes do Sesc de todas as regiões do país, o que torna o projeto um retrato da pluralidade literária do Brasil. Além de valorizar a produção nacional, o Arte da Palavra busca incentivar a prática da leitura e abrir espaço para novos autores.

SERVIÇO:

Arte da Palavra
Anderson Barreto – contação de histórias africanas e músicas afro-brasileiras (RJ)
DATA: 23/05/2024 (quinta-feira) HORA: 9h e 15h

Jamily Canuto – Assessora de Imprensa
Telefone: 3241-4440, ramal 235
WhatsApp: (96) 99131-6750
E-mail: [email protected]

Encontro Literário Celebra os 70 Anos de Fernando Canto, neste sábado (25) – @fernando__canto

Por Silvio Carneiro

Em uma noite repleta de emoção e cultura, o clube de leitura Café com Letras, em parceria com Bruno Muniz, Tiago Quingosta e a Revista Literária O Zezeu, realizará um evento extraordinário em comemoração aos setenta anos de Fernando Canto, presidente da Academia Amapaense de Letras. Este encontro especial acontecerá no SEBRAE/AP, às 18h, e promete reunir leitores, escritores, representantes do setor literário, a comunidade artística e a população em geral para homenagear um dos maiores ícones da cultura amapaense.

Fernando Pimentel Canto, nascido em Óbidos-PA, em 29 de maio de 1954, é um multifacetado sociólogo, professor doutor, poeta, cronista, contista e músico. Ao longo de sua vida, dedicou-se incansavelmente à valorização e divulgação da arte e cultura amapaenses, especialmente através de seus estudos e entusiasmo pela tradição do Marabaixo. Retratista fiel da realidade ribeirinha e propagador da identidade amazônica, Fernando Canto é uma figura indispensável na construção do patrimônio cultural do Amapá.

Com o tema central no livro “Mama Guga”, uma das obras mais emblemáticas do autor, o evento proporcionará uma imersão no universo literário e cultural de Fernando Canto. No entanto, a homenagem se estenderá a todo o conjunto de sua obra, destacando sua inestimável contribuição para a literatura e cultura regional.

A programação começará às 18h com a abertura por Soraia Brito (Clube de Leitura Café com Letras), seguida pelas boas-vindas e uma apresentação musical de Osmar Júnior e Zé Miguel, músicos com quem Fernando Canto tem várias composições em parceria. Às 18h30, Soraia Brito conduzirá a apresentação do autor e sua obra, iniciando uma conversa rica sobre “Mama Guga”. Durante a discussão, haverá intervenções artísticas e poéticas de Pat Andrade, Mathias de Alencar, Márcio Paixão, Poetas Azuis e Lara Utzig, tornando o evento dinâmico e envolvente.

Às 20h, Carla Nobre encerrará a conversa e as intervenções sobre “Mama Guga” com seus comentários sobre a obra. Em seguida, às 20h15, Hayam Chandra trará mais uma intervenção especial. Os depoimentos de amigos próximos, como Jorge Herberth, Elton Tavares, Paulo Tarso e Yurgel Caldas, começarão às 20h30, oferecendo um toque pessoal e íntimo à celebração.

A noite culminará com a entrega de uma placa honrosa a Fernando Canto pelos membros da Academia Amapaense de Letras às 21h, um reconhecimento formal e solene à sua trajetória e às suas contribuições culturais.

Este encontro literário, além de uma merecida homenagem a Fernando Canto, é também um testemunho da rica tapeçaria cultural do Amapá, tecida por aqueles que, como ele, dedicam suas vidas à arte e à identidade da nossa terra. O evento promete ser um marco na celebração da cultura amapaense, unindo corações e mentes em torno do legado de um verdadeiro mestre.

Serviço:

– Data: 25 de maio de 2024
– Horário: 18h
– Local: SEBRAE/AP – Av. Ernestino Borges, 740, Julião Ramos, Macapá-AP
– Entrada: Gratuita

Para todos que desejam mergulhar na cultura amazônica e celebrar a vida e obra de Fernando Canto, este evento é imperdível. Venha participar desta grande homenagem e vivenciar a riqueza cultural do Amapá em sua mais pura essência.

Fonte: Revista O Zezeu.

Sesc Amapá recebe artistas de Roraima para espetáculo e oficina no projeto Palco Giratório

Maior projeto de circulação de artes cênicas do país, a 26ª edição do Palco Giratório circulará entre abril e dezembro com 404 apresentações e 264 cursos e oficinas, realizadas por 17 grupos artísticos. Espetáculos de teatro, dança e circo compõem a programação dessa edição, que alcançará 80 cidades de 25 estados e Distrito Federal.

Este ano o Palco Giratório vem para o Sesc Amapá com o espetáculo Mar-Acá do Grupo Locômbia Teatro de Andanças, formado por atores colombianos que vivem em Roraima. Com uma linguagem para cativar toda a família, o espetáculo acontece no dia 25 (sábado), a partir das 16h, no Salão de Eventos do Sesc Araxá. A entrada será 1 quilo de alimento não perecível, exceto sal.

Na performance circense, o grupo utiliza técnicas de teatro de mímica, máscaras, origami bonecos, música ao vivo e acrobacias para contar a transformação cultural sofrida pelos povos que habitavam o continente latino-americano. A maravilhosa aventura do palhaço ameríndio Lhamichu (Orlando Moreno), que habita a floresta, sendo envolvido em diversas situações onde encontra os personagens Iara/Mãe Natureza), o Monge, uma astuta Raposa (Beatriz Brooks) e o Curupira (Shanti Sai) , o duende mais vivaz da floresta amazônica, que se transforma em seu amigo.

Oficina formativa de teatro gestual

No domingo (26), os artistas do grupo Locômbia segue a agenda em Macapá com uma oficina voltada para os interessados nas artes cênicas, atores e não atores de teatro, circo e dança e público em geral. A oficina acontece no Teatro Marco Zero, a partir das 16h. Para participar, basta levar 2 quilos de alimento não perecível, exceto sal.

Palco Giratório

Reconhecido no cenário cultural brasileiro como um importante projeto de difusão e intercâmbio das Artes Cênicas, intensifica a formação de plateias a partir da circulação de espetáculos dos mais variados gêneros desde 1998. Além de apresentações para todas as faixas etárias, uma vasta programação de oficinas, festivais, mesas-redondas e palestras é realizada com a participação ativa da comunidade, artistas locais e convidados, promovendo uma troca de experiências enriquecedoras, divulgando o trabalho de profissionais de todo o país.

Os espetáculos selecionados pela curadoria coletiva com técnicos do Sesc de diversas regiões do país têm como características a mistura de sotaques, as diferentes expressões artísticas e modos de criação.

SERVIÇO:

Palco Giratório
Espetáculo Mar-Acá
DATA: 25/05/2024 (sábado) HORA: 16h
INGRESSO: 1kg de alimento
Oficina formativa de teatro gestual
DATA: 26/05/2024 (domingo) HORA: 16h
INGRESSO: 2kg de alimento

Jamily Canuto – Assessora de Imprensa
Telefone: 3241-4440, ramal 235
WhatsApp: (96) 99131-6750
E-mail: [email protected]

Edital com bolsa de R$ 1,2 mil tem 5 vagas para agentes culturais no AP; saiba como se inscrever

Um edital do Programa Nacional de Comitês de Cultura (PNCC) está com inscrições abertas, via internet, até o dia 27 de maio para agentes culturais da região Norte. Ao todo, são 64 vagas divididas entre o Amapá (5 vagas), Acre, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins (veja edital nesta matéria).

Os agentes que forem selecionados vão ser beneficiados com auxílio de inclusão digital, em parcela única, de R$ 1.000, além de auxílio mensal para manutenção da internet de R$ 25 e uma bolsa, de R$ 1.200, durante 12 meses.

Veja edital
Inscreva-se

Entre os critérios de seleção dispostos no edital está a participação de pessoas que já atuam dentro do setor cultural do seu Estado de origem, neste caso, no Amapá.

São reservadas ainda vagas para candidatos contemplados pela lei de cotas. Para esses, serão acrescidos 5 pontos sobre a sua nota final.

Veja quem pode ser contemplado com as cotas:

Mulheres;
Pessoas jovens (18 a 29 anos);
Pessoas negras (pretas ou pardas);
Pessoas indígenas;
Pessoas com deficiência;
Pessoas quilombolas;
Pessoas trans.

Uma banca deve ficar responsável pela avaliação da atuação de todos os candidatos, além de entrevistá-los de forma online. Ao final, uma nota deve ser atribuída.

Esses agentes devem mapear territórios culturais brasileiros para promoção do acesso à cultura. Sendo assim, ficam responsáveis por verificar projetos em sua região que precisam de recursos.

O processo é uma parceria entre o Ministério da Cultura (Minc) e a Rede Federal de Educação Profissional. No Norte, a coordenação fica por conta do Instituto Federal do Pará (IFPA).

Fonte: G1 Amapá.

Sebrae e parceiros destacam marcas e empreendedores na cerimônia de abertura na 15ª Semana do MEI

O presidente do Conselho do Sebrae, Josiel Alcolumbre; a superintendente, Alcilene Cavalcante; e a diretora técnica, Suelem Amoras, receberam empreendedores e parceiros na Abertura da a 15ª Edição da Semana do Microempreendedor Individual (MEI). Com o tema ‘Chega Junto com o Sebrae!’, o evento ocorre no período de 20 a 24 de maio, com uma programação exclusiva, em Macapá/AP, Santana, Oiapoque e Laranjal do Jari/AP; em formato digital; e com atendimento itinerante Aqui Tem Sebrae – Zona Norte (Av. Carlos Lins Cortes, nº 75 – Infraero II) e Zona Sul (Novo Buritizal em frente ao Superfácil).

Segundo o presidente do Conselho Deliberativos do Sebrae no Amapá, Josiel Alcolumbre, o empreendedorismo é crucial para o desenvolvimento sustentável do estado. “A Semana do MEI é uma força-tarefa dedicada a apoiar quem empreende com coragem e determinação, essencial para transformar vidas. As ações do Sebrae visam capacitar e regularizar esses empreendedores, promovendo um futuro mais próspero para todos”, disse o presidente, Josiel Alcolumbre.

A diretora técnica do Sebrae no Amapá, Suelem Amoras, destaca que a 15ª edição do evento conta com a parceria de 30 instituições, e destaca a importância de uma rede ampla de atendimento para a Semana do MEI. “Queremos que cada empreendedor, cada empresa no Amapá, cresça e prospere; é nossa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do nosso estado”, declarou a diretora técnica do Sebrae no Amapá, Suelem Amoras.

Talk

A abertura da Semana do MEI contou com o Talk Show ‘Vida de MEI’, um bate-papo descontraído sobre a rotina, desafios e conselhos de microempreendedor individual, com as empresárias Silvana Rodrigues, da empresa Vila do Moinho e Ellen Damasco, da empresa Stage3.

Palestra

A Palestra Vendendo do Nada para Todo Mundo, foi conduzida pelo sócio-fundador da franquia Solutudo, autor do livro ‘O homem que aprendeu a vender’ e criador do movimento ‘Vendas de Verdade’, Rafael Régis Somera.

Destaque

A Abetura da Semana do MEI 2024 apresentou com destaque das marcas na tela de led, os 30 expositores da Feira de Negócios, de diversos segmentos empresariais, entre eles, sorvetes e chopps gourmet, salgados e refeições, cafés saborizados, comércio varejista de suvenires, bijuterias e artesanatos, bolos de potes e doces, serviços de estética e beleza, entre outros. A Feira acontecerá no estacionamento do Sebrae, das 16h às 21h.

As empresas expositores da Feira de Negócios na Semana do MEI são, Confeitaria Casal Cake Designer; Ágrias Joias; Ralú Comfort Food; Sorveteria Campos; Rosquinhas Croc; Arrudas Nutri Biscoitos; Sandra’s Cakes; Bem Docinho – Confeitaria Artesanal; Doce Castle; Gelateria Tropicana; Lu Delícias Gourmet; Sabor Na Cuia; Café de Açaí Faustina; Olliloja; CK – Produtos Artesanais; Dona Abelhuda Mimos; Hobby Artesanato; Duda Makes Cosméticos; Maycon Abreu Fotografia; Raiz Amazônica; Zanna Joias; Q linda Fit; Flor de Nusa; Irene Gama; Empório Valeska; Sartoni Prime; Cantinho do Pijama; Dadora; Mi Glamour Store; e Crochê de Crioulla.

Coordenação

A 15ª Edição da Semana do Microempreendedor Individual (MEI) é coordenada pela gerente da Unidade de Atendimento e Relacionamento do Sebrae no Amapá (UAR), Denise Nunes, e pela coordenadora estadual da Semana do MEI, Lailla Nascimento.

Parceiros

São parceiros da Semana do MEI a Receita Federal do Brasil; Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS); Conselho Regional de Contabilidade (CRC); Junta Comercial do Amapá (Jucap); Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM-AP); Agência de Desenvolvimento Econômico do Amapá; Instituto de Defesa do Consumidor (Procon); Correios; Associação do Empreendedor Individual (Amei/AP); Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam); Secretaria Municipal de Vigilância em Saúde (Semvs); Serviço Nacional de Aprendizagem Nacional (Senai); Serviço Social do Comércio (Sesc); Serviço Social da Indústria (Sesi); Polícia Civil do Amapá (PC-AP); Núcleo de Apoio Contábil Fiscal (NAF Ceap); Núcleo de Apoio Contábil Fiscal (NAF Unopar); Núcleo de Apoio Contábil Fiscal (NAF Estácio); Caixa Econômica Federal; Banco do Brasil; Agência de Fomento do Amapá (Afap); Cooperativa Sicredi Integração MT/AP/PA (Sicredi); Sicoob; Banco da Amazônia; Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz); Área de Livre Comércio de Macapá e Santana (Suframa ALCMS); Secretaria Municipal de Habitação e Ordenamento Urbano (Semhou); e Secretaria Municipal de Finanças (Semfi).

Unidade de Marketing e Comunicação do Sebrae no Amapá
Contato: (96)3312-2832

UNIFAP: inscrições abertas para o cursinho UNIENEM

Estão abertas as inscrições para o Cursinho UNIENEM, que proporciona aulas preparatórias gratuitas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São ofertadas 150 vagas, distribuídas em três turmas, e o período de inscrição se estende até o dia 26 de maio de 2024.

VEJA O EDITAL DE SELEÇÃO

O público-alvo são alunos do 3° ano do ensino médio ou pessoas que já concluíram o ensino médio e não estão matriculadas em instituição de ensino superior. O(a) interessado(a) poderá se inscrever de forma on-line, por meio do site unienem-unifap.com.br, ou presencialmente na coordenação do projeto, no Centro de Vivência (CV) do campus Marco Zero do Equador, em Macapá (AP), das 8h às 13h.

Para o candidato menor de idade, a matrícula deverá ser feita pelos pais ou responsáveis.

O resultado final será divulgado dia 29 de maio de 2024 e o início das aulas está previsto para 10 de junho. As aulas ocorrerão presencialmente de segunda à sexta-feira, no turno da manhã, no horário das 8h às 12h20.

O Cursinho UNIENEM busca capacitar pessoas em vulnerabilidade financeira para o Enem, exame de seleção que dá acesso ao ensino superior, contribuindo para a promoção da igualdade de oportunidades e da justiça social.

O projeto é vinculado ao Programa de Formação, Aperfeiçoamento, Qualificação Profissional e Idiomas (Profid/Unifap) e à coordenação do curso de Licenciatura em Química (CCLQ/Unifap).

SERVIÇO:

Inscrições para o Cursinho UNIENEM
Período de inscrição: 7 a 26 de maio 2024, pelo site unienem-unifap.com.br/ ou presencialmente no Centro de Vivência (CV) do campus Marco Zero do Equador (Macapá-AP), das 8h às 13h.
Público-alvo: alunos no último ano do ensino médio regular ou integrado à educação profissionalizante técnica e concluintes do antigo segundo grau.
Resultado final: 29 de maio de 2024.
Matrículas: 3 a 7 de junho
Previsão para aula inaugural: 10 de junho
Edital de seleção: https://www2.unifap.br/dex/files/2024/05/EDITAL-N.-04-2024-DEX-PROEAC-DE-3-DE-MAIO-DE-2024.pdf

*Texto: Ana Carolina Brazão (Bolsista Assesp/Unifap)
Jacqueline Araújo (Jornalista – DRT/PA 2633)
Assessoria Especial da Reitoria – Assesp/Unifap
[email protected]
Contato: (96) 98138-9124

‘Adotamos uma metodologia inovadora, com ambientes de aprendizagem modernos’, destaca governador Clécio Luís ao entregar a Escola Antônio João

O governador Clécio Luís entregou na quarta-feira, 22, a revitalização completa da Escola Estadual Antônio João Ribeiro, uma das mais antigas do Amapá, em uma cerimônia que contou com a participação de toda a comunidade escolar. A unidade, que completa 53 anos, é a 8ª instituição de ensino entregue em menos de 1 ano e 5 meses de gestão.

Com investimentos de R$ 1 milhão, a obra faz parte do projeto de reestruturação física das escolas da rede pública estadual, priorizadas no Plano de Governo da gestão. Serão beneficiados mais de 500 alunos e 120 profissionais, que contarão com uma nova metodologia de ensino.

“A escola traz uma metodologia inovadora. São novos e modernos ambientes de aprendizagem com um modelo onde as salas não são estáticas. Temos um ambiente próprio para a matemática, um ambiente próprio para física, outro próprio para as ciências, língua portuguesa e assim por diante. As áreas de aprendizado tem salas próprias, quando o aluno entra na sala, mudo todo o ambiente. Onde isso é aplicado, tem gerado grandes resultados. Iniciamos esse processo ainda na prefeitura e agora estamos conseguindo trazer também para a rede pública estadual e apostamos que será uma grande mudança não só no método, mas nos resultados”, destacou o governador.

A unidade, de dois pavimentos, recebeu novo piso, pintura geral e uma nova quadra poliesportiva. Além da reforma da cozinha, banheiros, calçamento e troca de esquadrias e portas, o prédio passou por desobstrução da rede de esgoto e drenagem de águas pluviais, Houve também a recolocação de forro em PVC, reestruturação da rede elétrica e subestação.

“Com a reforma física, também conseguimos implantar uma metodologia diferente com laboratórios pedagógicos, e queremos levar isso para as demais escolas da rede estadual. Também estamos trabalhando com os municípios para entregar não somente prédios novos, mas um ensino eficiente e uniformizado”, ressaltou a secretária de Estado da Educação, Sandra Casimiro.

Mais investimentos na educação

Além de entregar 8 escolas em todo o estado, ainda em maio, o Governo do Amapá consolidou ordem de serviço para as reformas das escolas de Oiapoque Joaquim Caetano da Silva e Jorge Iaparrá, localizada na comunidade indígena do Manga.

Também houve o reajuste 8,62% da data base da educação, sancionado pelo governador Clécio Luís no início de abril. A iniciativa também contempla os novos professores que, a partir do reajuste, passam a ingressar na carreira de docência, com um vencimento inicial R$ 5.874,89, na classe C1, superando em mais de R$ 1,2 mil o piso nacional, um aumento de 28,25%, consolidando o Amapá como um dos estados mais atrativos para profissionais da educação.

 

Texto: Weverton Façanha
Foto: Maksuel Martins/GEA
Secretaria de Estado da Comunicação – SECOM

Ifap decide pela suspensão do calendário acadêmico a partir do dia 27 de maio

O Instituto Federal do Amapá (Ifap) informa à comunidade que o calendário acadêmico 2024 será suspenso a partir do dia 27 de maio, portanto, na próxima segunda-feira, em todas as unidades de ensino da instituição – Campus Laranjal do Jari, Macapá, Porto Grande, Oiapoque e Santana, além do Centro de Referência EaD Pedra Branca do Amapari – devido à manutenção da greve de técnicos administrativos em educação (TAEs) e docentes da Educação Básica, Científica e Tecnológica (EBTT). A decisão foi tomada pelo Conselho Superior (Consup) do Ifap, na 42ª Reunião Extraordinária, realizada nesta terça-feira (21/5).

A 42ª Reunião Extraordinária do Conselho Superior foi transmitida no canal TV Ifap no YouTube, onde está disponível a gravação completa.

A reunião foi convocada após o prazo de 15 dias estabelecidos pelo próprio Consup, na reunião anterior, para voltar a deliberar a respeito da proposta de suspensão do calendário feita pelo Comando de Greve, caso a paralisação de técnicos e docentes fosse mantida por falta de acordo com o governo federal. Após o debate entre os conselheiros, foi aprovada pela maioria a proposta de suspensão.

O Ifap informa ainda que, até o final desta semana, as atividades letivas continuarão ocorrendo parcialmente, conforme calendário específico de cada campus, visto que a greve não tem adesão total dos docentes e técnicos.

Quaisquer informações institucionais sobre a greve podem ser obtidas na página criada para este fim no portal institucional www.ifap.edu.br.

Assessoria de comunicação