Sobre o lançamento do livro “Crônicas de Rocha – Sobre Bênçãos e Canalhices Diárias” e um momento memorável da minha vida

Foto: Flávio Cavalcante.

Sabem, queridos leitores deste site, a vida é feita de ciclos  e é necessário compreender que eles são diferentes, que podem nos agregar experiências novas e também transformadoras. Afinal, somos instantes.

Fernando Canto, Randolfe Rodrigues e Ronaldo Rony – Foto: Flávio Cavalcante.

E a noite de ontem vai ficar guardada na minha memória afetiva e no meu coração. E, ainda, estou tão grato que nem consigo alinhavar aqui, mas tentarei, para ficar registrado. Sim, falo de ontem, do lançamento do meu livro “Crônicas de Rocha – Sobre Bênçãos e Canalhices Diárias”. Ainda estou em êxtase, meio atordoado, sem o nervosismo de 24h atrás, extremamente grato e feliz.

Com meu tio Paulo Tavares e meus primos Ana e Elder – Foto: Sal Lima.

Quando perguntavam qual a minha profissão, sempre dizia que sou jornalista, assessor de comunicação e editor de um site. Mas que, um dia, gostaria de ser escritor. Pois é, me tornei, de fato, escritor, em maio deste ano, em plena pandemia, quando à convite dos renomados escritores e poetas Alcinéa Cavalcante e Mauro Guilherme, aceitei o convite e integro o grupo de 10 autores que possuem seus textos na coletânea “Cronistas na Linha do Equador”, lançada no dia 17 daquele mês.

Minha tia Inês e minha mãe Lúcia – Foto: Flávio Cavalcante.

Porém, antes disso, eu já me sentia escritor. Em abril passado, chegaram as caixas, direto do Correiros para a minha casa, do livro “Crônicas de Rocha – Sobre Bênçãos e Canalhices Diárias”, de minha autoria. De lá pra cá, minha ansiedade me corroía, ao passo que a pandemia não dava trégua para o sonhado lançamento.

Foto: Flávio Cavalcante.

Idealizado pelo jornalista Tagaha Luz, que já partiu para as estrelas, e prefaciado pelo meu herói literário e querido amigo, Fernando Canto, a obra foi impressa com o apoio fundamental do senador Randolfe Rodrigues.

Fotos: Sal Lima

E neste projeto, além deles, contei com a ajuda essencial de muitos amigos, pois o livro foi ilustrado pelo cartunista Ronaldo Rony e diagramado pelo designer Adauto Brito, com a revisão e projeto das jornalistas Marcelle Nunes e Gilvana Santos, além do apoio técnico da bibliotecária Leidaina Silva. Serei eternamento grato a todas essas pessoas envolvidas para a realização deste sonho.

Fotos: Sal Lima

Sempre valorizei e apoiei a literatura local e ontem fui prestigiado por tanta gente que costumo divulgar! A vida é um eco mesmo. A gente recebe o que dá. A livraria Public, ali no centro de Macapá, de propriedade do genteboníssima Dóris, ficou lotada de gente muito querida.

Foto: Flávio Cavalcante.

Tenho muitos amigos, disso posso me gabar, graças a Deus. Vários deles estavam lá ontem para dividir aquele momento comigo. Difícil é nomear todos, mas lembro de cada um e agradeço demais.

Fotos: Sal Lima

Ah, é preciso falar das pessoas que ajudaram nos corres no dia de ontem: muito obrigado Maria Lúcia e Emerson Tavares (minha mãe e irmão, que deram uma força), Ana Esteves (que fez toda a ambientação na livraria), Sal Lima (transporte de livros e fotos), Charles Chelala (articulação), Júlio Pereira (transporte e venda de livros), Zé Falcão (logística), Flávio Cavalcante (fotos) e Igor Maneschy e Rita Bacessat (Banca Rios Beer Cervejaria, que deram uma moral na celebração pós lançamento).

Com mestre Fernando Canto – Foto: Flávio Cavalcante

Sou jornalista, cronista, contista…um escritor. Mas não um orador. Nervoso então, é mais difícil falar, por isso agradeço aqui, onde me sinto confortável, com letras e frases cheios de amor e gratidão.

Com o senador Randolfe Rodrigues – Foto: Flávio Cavalcante

Aos citados aqui, também aos que foram até lá ontem, aos que divulgaram, aos que não foram, mas torceram ou ajudaram indiretamente  para que esse livro e seu lançamento se tornassem realidade, minha eterna gratidão.

Foto: Sal Lima

Lá estava minha família, mãe, tios, primos, meus amigos que estão sempre comigo, meus amigos dos tempos de escola, meus amigos da faculdade, meus amigos jornalistas, meus amigos poetas, meus amigos contistas, meus amigos crônistas, atores, artistas plásticos. Gente jovem e gente da velha guarda. Sabem, meu coração é quase sempre repleto de coisas boas. Claro que tem algumas gavetas nele para sentimentos nada nobres, mas hoje, especialmente hoje, ele é só gratidão e amor.

Com meu primo Pedro Jr. – Foto: Flávio Cavalcante.

Vocês são demais. Muito obrigado mesmo!

Elton Tavares

Foto: Flávio Cavalcante.

*Ah, A obra tá linda. O livro está à venda na Public Livraria ao preço de R$ 30,00 ou comigo, Elton Tavares (96-99147-4038).

Naldo Maranhão gira a roda da vida. Feliz aniversário, amigo!

Hoje gira a roda da vida o  cantor, compositor, violonista, livre pensador, poeta, maluco das antigas e brother deste jornalista, Deuri Ribeiro, o popular “Naldo Maranhão”. O cara é um exímio letrista e um cantador que encanta. O talentoso amigo completa 48 verões amazônicos neste sábado.

Em julho passado, por chamada de vídeo, conversei com o Naldo, Sebastião, o “Black Sabbá da Barra” , Rebecca Braga (Bel) Helder Do Espirito Santo, Helder Brandão e Tony Terra. A interação teve música, como não podia deixar de ser, já que o único não músico na conversa era eu. Teve histórias, causos e risos. Muitos risos. Foi paid’égua demais rever esses malucos talentosos. Todos queridos. Já aprontei muito com essas figuraças e essa confraternização virtual surpresa foi porreta demais.

Sobre Naldo Maranhão

No início dos anos 90, no tempo em que os jovens de Macapá despertavam de vez para a música regional, surgiu a banda Raízes Aéreas, grupo formado pelos músicos Naldo Maranhão, Helder do Espírito, Beto Oscar, Alan Yared, Helder Brandão, Black Sabbá, Hemerson Melo e Alexandre, sob a influência luxuosa de Antônio Messias.

Na época, foi o grupo de maior expressão, chegando com músicas próprias, talento e atitude – todos os elementos para o sucesso, e ainda a experiência de alguns dos integrantes em outras bandas alternativas de Macapá.

Após o fim da banda, Naldo Maranhão despontou como compositor, com sucesso dentro e fora do Amapá. Antes do Raízes Aéreas, o artista integrou a banda de rock Mizantropia.

Foto: Giordano Bruno – Duas telas produções

Com mais de 20 anos de carreira e três discos gravados em sua trajetória solo (“Colheitando em mim mesmo”, “Feira Maluca” e “Várias Idades”), Naldo Maranhão possui muitos parceiros em suas composições. Entre eles estão Antônio Messias, Osmar Júnior, Rambolde Campos, Ademir Sanches, Black Sabbá, Rebecca Braga e Ademir Pedrosa.

Já curti muitas noitadas com o artista e amigo cantando ou batendo papo. Sempre bebendo, claro. Ele é um cara brilhante, de sorriso fácil e com uma vasta cultura geral. Ah, onde quer que eu vá, se alguém me perguntar: “tem setor?”, lembrarei sempre de Naldo Maranhão.

Enfim, admiro muito a “Nau que veio do Maranhão”, como diz o Ronaldo Rodrigues. Este é só um registro do apreço e amizade que nutro por ti, Naldo. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

Teatro/Itaú Cultural – Tem amapaense no Palco Virtual

Ator, diretor e professor Emerson de Paula – Foto: Unifap

O ator, diretor e professor Emerson de Paula, do Amapá, participa no dia 28 de setembro (segunda-feira), da programação do Palco Virtual, que o Itaú Cultural realiza até o dia 29, sempre virtual e ao vivo, e que conta ainda com espetáculos. Com a leitura de Coração-tambor, Emerson de Paula integra o ciclo de leituras que acontece nos dias 21 e 28 (segundas-feiras) às 20h, com textos de jovens dramaturgos, focados na Dramaturgia Negra, vindos de oito estados (AP, ES, MA, MG, RJ, RS, SC e SP).

O Itaú Cultural segue ao vivo e digital com o Palco Virtual em nova programação nas duas últimas semanas de setembro. Os ciclos de leituras dos dias 21 e 28 (segundas-feiras) são dedicados a textos de jovens dramaturgos e contam com debates conduzidos pela dramaturga anfitriã Dione Carlos e as convidadas Cristiane Sobral e Fernanda Júlia Onisajé. As sessões à noite, nos dias 22 e 29 (terças-feiras), trazem a versão online de Villa, cuja estreia foi em 2018, a partir de texto do chileno Guillermo Calderón sobre a ditadura no Chile. No sábado e domingo, dias 26 e 27, tem entretenimento em tempo real para as crianças, com o espetáculo Cavaco e Sua Pulga, que também adapta para as telas a produção antes realizada entre cenários nos teatros e ao ar livre.

Toda a programação do Palco Virtual Itaú Cultural é gratuita. As apresentações acontecem via Zoom e as reservas de ingressos online têm início 15 dias antes das atividades, pela plataforma Sympla

Os ciclos de leituras das duas últimas segundas-feiras de setembro dão voz a uma produção teatral fruto das turmas do curso EAD Dramaturgia Negra: A Palavra Viva, realizadas em 2019 e 2020 pela instituição. A cada semana, são apresentadas cinco cenas curtas, criadas durante o curso, conduzido pela dramaturga Dione Carlos, em formatos que vão desde leituras dramáticas clássicas a vídeos conceituais. Ao final de cada noite, Dione media uma conversa ao lado de uma convidada.

No dia 21, tendo como convidada a baiana Fernanda Júlia Onisajé, diretora-fundadora do Núcleo Afro brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA, o ciclo começa às 20h, com PROMETEU BR, do carioca Júnio Nascimento. Nela, um homem negro clama pelo fim da política de genocídio que assola o corpo preto. A paulista radicada no Rio Grande do Sul, Grazielle Bessa, apresenta Porque os Tons de Vestidos Sempre Mudam, inspirado no poema Da Menina, a Pipa, de Conceição Evaristo, no qual a personagem tem os tons de sua vida mudados a partir de suas escolhas. Valongo, do gaúcho Marcio Silveira dos Santos, por sua vez, traz a força de uma protagonista que, ao evocar memórias, elementos e energias do passado e do presente, roga pela permanente resistência afro-diaspórica de luta por justiça e direitos.

o Maranhão vem Tradição, texto de Brenna Maria, que parte de Catirina e Chico, personagens negros estereotipados no auto do bumba-meu-boi. Em cena, eles representam o homem e a mulher do campo, cantando a toada dos explorados. A noite fecha com A Greve das Amas, de Jefferson Fernandes, de Minas Gerais. Incorporando personagens do maracatu à comédia A Greve do Sexo – Lisístrata, de Aristófanes, o texto se passa na Bahia de 1883, onde uma mulher escravizada decide não mais amamentar os filhos da realeza e convoca todas para esta tarefa.

No dia 28, no mesmo horário, o ciclo apresenta mais um bloco de leituras dedicado à dramaturgia negra. A cena ficcional Ticumbi de Conceição da Barra, do capixaba Adriano Domingos Monteiro, tem como base a manifestação cultural quilombola ticumbi, ou baile dos congos, na qual dois reinos batalham simbolicamente pelo direito de cultuar São Benedito. Já o amapaense Emerson de Paula apresenta Coração-tambor. Baseado no mito Medéia e em diálogo com a manifestação cultural do marabaixo, este lamento trata do conflito de sentimentos em relação com o solo brasileiro, uma vez que se foi arrancado de terras africanas.

Fonte: Blog da Alcinéa.

Teatro/Itaú Cultural – Tem amapaense no Palco Virtual

Raízes Aéreas – A lenda da fira desaparecida (Por Osmar Jr.)

Por Osmar Jr.

Na minha idade crística, 33 anos, conheci Antonio Messias e Naldo Maranhão. Lascou.

De ciências ocultas, quântica, experiências extraterrenas, muita droga, portais para os ascensionados mestres através do Daime, e muita, muita música e amor, estávamos chorando som.

Me encontrei acampado no estúdio da Borges Publicidade em Belém em dois mil e pouco junto com a galera do Raízes Aéreas. Foram dias inesquecíveis.

Agora que eu sei da influência Beatnik não aconselho, mas digo que viver essa estrada é necessário a poetas roqueiros viajantes deste mundo.

Com uma estranha formação informal se apresentaram a mim, Messias (in memorian) , Naldo, Helder Espírito Santo , Black, Nena, Alexandre (in memorian), Joatan Santarém, Beto Oscar e Helder Brandão.

Logo percebi que eles eram o salto quântico, o outro pólo ideológico que me faltava, algo opositor ao movimento Costa Norte (que jamais será careta), uma linguagem mais adiante, uma harmonia que me deixava sem graça, vinda das melodias cortantes de Naldo, Messias (recebedor de pontos de umbanda) Beto Oscar (que é um budista), Helder Brandão (poeta e policial). Enfim, eu perguntei: que merda é essa, meu Deus?

Eu me ofereci para produzir aquilo, e foi uma experiência transformadora. Fizemos uma demo implacável, inclusive com a ajuda da bateria de João Batera.

O fato é que trouxeram essa fita para Macapá, inexplicavelmente ela desapareceu, nada de místico, acho. Mas vocês podem ouvir o resgate desse trabalho no álbum Raízes Aéreas por Beto Oscar, Helder Brandão e Helder Espírito Santo. Confira, se puder. Não é pra qualquer um.

Osmar e Naldo. Amigos!

Disso tudo, minha saudade é grande do mestre que nos ensinou a língua dos anjos, Antonio Messias. Hoje ele é nome de escola.

Fui.

Projeto AtuAção pela Vida: bairro do Laguinho recebe Escuta Psicológica Itinerante do MP-AP

Neste sábado (19), a Escuta Psicológica Itinerante, atividade do projeto “Atuação pela Vida”, foi realizada na Escola Estadual São Benedito, no bairro Laguinho, em Macapá. A iniciativa é coordenada pela Promotoria de Defesa da Saúde, com o apoio da Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), em parceria com o Ambulatório de Atenção à Crise Suicida da Universidade Federal do Amapá (Ambacs/Unifap), e tem como objetivo o cuidado permanente com a saúde mental e prevenção ao suicídio.

A Escuta Itinerante visa a identificação de casos e sintomas que possam levar à ideação suicida ou à automutilação, para que seja feito um pré-diagnóstico e, caso necessário, o devido encaminhamento à rede de apoio. Os atendimentos foram realizados por 10 psicólogos, voluntários do projeto, que ficam divididos nas salas unidades de ensino.

Na ação deste sábado, de forma individualizada, os profissionais acolheram, escutaram e puderam dar orientações. Mais de 25(vinte e cinco) atendimentos foram realizados e foi a oportunidade que muitos aguardavam para tirar dúvidas, fazer questionamentos e falar de suas emoções.

Para esta retomada das escutas psicológicas, todos os cuidados de prevenção da Covid-19 foram adotados, seguindo os protocolos recomendados pelas autoridades de saúde pública, como uso obrigatório de máscara, distanciamento social e dispondo de álcool em gel para higienização das mãos.

O cuidado permanente com a saúde mental é o eixo central do projeto, cuja campanha de conscientização reforça a mensagem de que “Viver é sempre a melhor opção”. O promotor de Justiça da Promotoria de Defesa da Saúde, Wueber Penafort, acompanhou, juntamente com o coordenadora interina da Ambacs, psicóloga Ana Ferreira, a mobilização e atividades na escola.

Sobre o AtuAção pela Vida

O AtuAção pela Vida, iniciado em 2019, tem a campanha de conscientização que reforça a mensagem “Viver é sempre a melhor opção”, com o objetivo maior da prevenção ao suicídio. Cada etapa serve de aprendizagem e troca de experiências entre os integrantes da equipe, que fazem uma reunião de avaliação ao final dos atendimentos, visando a próxima ação.

O projeto é executado por meio de três eixos: capacitações, escutas itinerantes e campanhas de sensibilização. Em 2019, a iniciativa desenvolveu inúmeras atividades como palestras, capacitações e escutas psicológicas. Neste ano, as campanhas foram intensificadas nas redes sociais e por meio de uma parceria com a Rede Amazônica foi possível a veiculação do vídeo produzido, em cooperação, pelo MP-AP, Ambacs e Prefeitura de Macapá.

“Retomamos a Escuta Psicológica Itinerante em 2020, após isolamento social, com todos os cuidados, em razão da Pandemia. Vale destacar que cada etapa deste projeto serve de aprendizagem e troca de experiências entre os integrantes da equipe, que fazem uma reunião de avaliação ao final dos atendimentos, visando a próxima ação”, frisou Wueber Penafort.

“Nesta etapa observamos que o número de atendimentos dobrou em relação a última escuta itinerante, demonstrando-se que é possível desenvolver política pública voltada para esse silencioso e grave problema que atinge a sociedade amapaense, graças a solidariedade das pessoas que compõem as instituições parceiras, as quais o Ministério Público agradece o precioso trabalho voluntário.” comentou o promotor de Justiça que coordenava a ação.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

O DIA DO MEU ANIVERSÁRIO – Continho apocalíptico de Fernando Canto

Continho apocalíptico de Fernando Canto

Quando eu tinha 106 anos, a idade do meu avô morto no sítio dele num incêndio de setembro, eu queria viver um tempo em que no planeta não existissem mais pessoas se matando por deus e por Dinheiro (– Ô utopia velha besta!). Queria viver num tempo em que o carnaval matasse o tempo e abrigasse só alegria. Viver num tempo de expressões puras em que nenhuma fagulha de bomba, uma cinza de lava vulcânica, um novo vírus fugido de laboratório caísse sobre mim. Queria mesmo que uma pequena paina de samaúma flanasse no céu girando como uma borboleta sem rumo e pousasse sobre mim como pousa a luz do sol, assim quando eu ousava abrir minhas janelas, descerrando as grades para enfrentar sem medo os perigos rondantes. E foram tantos os perigos que nem mais os lembro, nem saberia contá-los. Venci a todos.

Carrego em minhas costas uma longa idade, eu sei. Mas ainda ando cheio de esperança e sonhos, apesar da cadeira de rodas. Ardo na expectativa de assistir ao futebol na TV nas tardes de domingo, acompanhado de um gole de aguardente para matar a saudade do meu tempo velho, e acelerá-lo. Hoje minhas memórias pertencem aos outros. Trago em mim apenas minha própria vida, imperturbável até a morte, respaldado que estou por um contrato assinado em cartório.

Lá fora a política e a ganância dos humanos não morreu de dor. Elas não doem para quem vive dela. Doem para os dependentes, para os bajuladores que há séculos rodeiam os poderosos. Doem para os religiosos, que em nome do que acreditam, de tudo fazem, ao contrário do que querem acreditar. Quem dói em mim é a própria dor, quando chega lancinante, emergindo dos ossos e dos tendões. Nem digo das dores do coração, do rim e do fígado transplantados, pois tenho remédios eficazes. Mesmo assim sou otimista e tenho sonhos e esperanças.

Se fui rico como poucos, já não tenho mais amigos, nem parentes nem herdeiros. Se fui detentor de poder político e econômico, a troco do suor dos pobres, agora tenho uma ótima renda que me permite usufruir dos avanços da tecnologia, principalmente das descobertas da química e da medicina deste mundo capitalista, mesmo que na solidão – meu destino de viver uma vida longa vida – fique à mercê das ordens de cuidadores num degredo social necessário – e não voluntário. Num tempo de esperança – e não de espera – da morte.

Hoje alguém me disse que completo 116 anos, que pareço jovem. É que estou sem rugas e com uma grande cabeleira preta, mas não rio mais. Nada em mim é meu, nem a memória nem meus esquecimentos de lampejo, como já disse antes. KKKKK! Nem meus dentes os tenho mais para sorrir. São de titânio. Trago sob a pele – só eu sei – as verdadeiras rugas – ruas da face – que não aparecem no meu rosto verdadeiro. Ninguém me cumprimenta. Não há bolo de chocolate, não cantam parabéns a você nesta data querida. Não existe o primeiro pedaço vai para quem? Talvez porque não haveria lugar para tantas velas e o pulmão não aguentaria soprá-los de uma só vez. Ainda assim persisto no meu otimismo. Lá fora está tudo queimando como no dia em que meu avô morreu.

Acho que este mundo vai mudar devido a tempestade de fogo dos meteoritos insólitos e seus bólidos resplandecentes. Vai mudar, sim, pela ablução ardente dos degenerados, dos sobreviventes. Ora se vai. Já disse a vocês, que me cercam e rasgam minhas vestes, que a dor é a origem da espécie e os humanos chovem antes da morte vaticinada. Ah, eu não paro de sonhar e de ter esperança em ver este mundo destruído.

Estilizado lança enredo e apresenta carnavalesco em Live Alaranjada

Valério Guidinele, artista plástico e professor da escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, é o novo carnavalesco de Piratas Estilizados. Será apresentado oficialmente neste sábado (19), às 18h, na Live Alaranjada, para lançamento do Enredo para o Carnaval/2021.

No lançamento virtual do enredo vai ter muito samba com Aureliano Neck e a Ala Musical Estilizada, bateria Orquestra de Bambas e os intérpretes do carnaval carioca, Tinga e Grazzi Brasil.

Tudo para você curtir no conforto e segurança da sua casa

É hora de alegria, deixa a tristeza de lado e venha sambar com Piratas Estilizados. Neste sábado, a partir das 18h, nas páginas oficiais de Piratas Estilizados no Facebook (/piratasestilizados) e no YouTube (Piratasestilizadosoficial)

Gilvana Santos
Assessoria de Imprensa Estilizados

MP-AP obtém liminar na Justiça determinando que Estado regularize oferta do teste do pezinho na Maternidade

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) obteve na quinta-feira (17), decisão liminar favorável do juízo da 4ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, determinando que o Estado do Amapá regularize a oferta do Teste do Pezinho no Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), a todos os recém-nascidos da rede pública de saúde, no prazo máximo de 30 dias. A medida é resultado da Ação Civil Pública nº 23025-83.2020.03.0001 ajuizada, em julho, pelos promotores de Justiça titulares da Promotoria de Defesa da Saúde, Fábia Nilci e Wueber Penafort, para o retorno imediato da oferta dos testes do pezinho e da orelhinha.

No último dia 11, a Promotoria de Defesa da Saúde constatou que o Teste do Pezinho continua suspenso, por falta de contrato, no Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML). Por conta disso, o MP-AP reforçou, junto à 4ª Vara Cível de Fazenda Pública de Macapá, pedido de tutela antecipatória para que o Estado, seja obrigado a ofertar, imediatamente, o retorno do exame aos recém-nascidos no HMML.

Na decisão, a magistrada Alaíde Maria de Paula, observou que: “Diante do quadro apresentado nos autos, é perceptível que os testes [Orelhinha e Pezinho] são de fundamental importância para se chegar a uma análise inicial de futuras doenças que os recém-nascidos têm ou poderão desenvolver ao longo da vida, porém, apenas o teste da orelhinha voltou a ser ofertado, estando pendente o teste do pezinho, que é um exame obrigatório para todos os recém-nascidos e gratuito na rede pública de saúde.”.

Desde dezembro 2019, o MP-AP constatou a ausência do teste do pezinho e da orelhinha no Hospital da Mulher e procurou solução por meio extrajudicial, sem sucesso, ingressando com as ações. Em agosto último, foi restabelecido o teste da orelhinha, porém o teste do pezinho continua sem previsão de retorno.

“A direção da Maternidade Mãe Luzia esclareceu que o Teste do Pezinho foi interrompido no mês de março e até o momento não houve providências quanto à retomada do serviço essencial para a saúde dos recém-nascidos”, destacou Fábia Nilci.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
Contato: [email protected]

XX Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Macapá será em formato de Live

No dia 27 de setembro será realizada a XX Parada do Orgulho LGBTQIA+ na cidade de Macapá. A programação, que comemora os 20 anos do evento, trará o tema “20 anos de resistência: colorindo o meio do mundo e conscientizando para a cidadania”, será realizada por meio de uma Live, com início previsto para às 18h, encerrando-se às 23h. As plataformas utilizadas serão o canal do Youtube e a página do Facebook oficial do evento.

De acordo com o organizador do evento e coordenador municipal dos Direitos da População LGBTQIA+, o ativista André Lopes, mesmo com a pandemia, o movimento decidiu realizar a XX Parada em forma de Live, que visa promover a cidadania das pessoas que se identificam enquanto lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, desenvolvendo ações objetivas de integração e inclusão destes na sociedade, além de comemorar 20 anos de luta pelos direitos humanos da população LGBTQIA+ em Macapá.

“São 20 anos de muita luta. No início, não tínhamos espaço, nem legislação. Sofríamos muito preconceito, mas hoje estamos em um processo que temos hoje, uma cidade que respeita a diversidade. Temos uma gestão que apoia os nossos direitos, temos muito para celebrar, mas temos muito também para reivindicar e para fazermos, para, no futuro, termos uma sociedade que nos respeitem, independente da nossa orientação sexual, que nos vejam com pessoas iguais a todos”, ressaltou.

A programação reunirá lideranças, parlamentares, gestores públicos e membros da comunidade em uma linda celebração, que contará com apresentações de artistas LGBTQIA+ do estado, respeitando os decretos municipais e estaduais de prevenção à proliferação da Covid-19.

Programação cultural:

Terá shows dos artistas Jhimmy Feiches, PagoDelas, MicheleMaycoth, RafaSteffans, MCDeeh, Ruan Mikael e Tani Leal. Além de performances do Grupo Drags Tucujus, Samira Catuaba, Savannnah Destruction e Naomi Kordeii.

Redes Sociais:

Youtube (canal Parada do Orgulho LGBT de Macapá)

Facebook (Parada do Orgulho LGBT de Macapá)

Links:

https://facebook.com/paradadoorgulholgbtdemacapa

https://www.youtube.com/c/ParadadoOrgulhoLGBTdeMacap%C3%A1/

Secretaria de Comunicação de Macapá
Fotos: Arquivo Parada 2019

Nota Pública – A OMISSÃO LESA A PÁTRIA

Enquanto o governo federal assiste passivo aos incêndios criminais que tomaram o país, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno, publicou em suas redes sociais uma grave acusação. Disse que a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e uma de suas lideranças, Sonia Guajajara, cometeram crime de lesa-pátria.

A APIB rechaça a declaração. E entende que o maior crime que lesa nossa pátria é a omissão do governo diante da destruição de nossos biomas, das áreas protegidas, das queimadas ilegais, da grilagem, do desmatamento e da invasão de nossas terras e do roubo das nossas riquezas.

Às vésperas da Assembléia Geral das Nações Unidas, o mundo todo está testemunhando esse crime – grande demais para ser ocultado. Em vez de atacar indivíduos que trabalham pela proteção do meio ambiente e garantia dos direitos dos povos indígenas, as autoridades deveriam neste momento cumprir seus juramentos constitucionais e apresentar à nação um plano para enfrentar esses incêndios que afligem o país. E assim proteger, inclusive, a economia e a reputação nacional.

As acusações, além de levianas e mentirosas, são irresponsáveis, pois colocam em risco a segurança pessoal dos citados.

A APIB estudará as medidas cabíveis.

Denunciada pelo MPF organização criminosa com atuação nacional especializada em fraudes em licitações

Organização criminosa especializada em fraudes em licitações para contratação de empresas para serviços de georreferenciamento é alvo de denúncia do Ministério Público Federal (MPF) protocolada na última quinta-feira (17). Os crimes foram executados por empresários de vários estados brasileiros, que atuam nacionalmente, e servidores públicos lotados na Superintendência do Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Amapá. O esquema era comandado por Marcos Paulo Bertolo, engenheiro agrimensor oriundo de Rondônia, atualmente foragido, que já responde a ações penais por grilagem de terras da União no Amapá. Além dele, são denunciados outros quatro empresários e dois servidores públicos.

São objeto da denúncia fraudes praticadas pelo grupo em licitações públicas ocorridas no âmbito do Incra/AP e do Instituto de Terras do Maranhão (Iterma), em Macapá/AP e em São Luís/MA. Nos modernos esquemas de grilagem de terras públicas, conforme investigações do MPF, o georreferenciamento consiste em elemento chave, especialmente para o registro de posse no Sistema de Gestão Fundiária – Sigef e para os procedimentos administrativos de regularização fundiária.

No Amapá, os crimes foram constatados em licitação eletrônica, ocorrida em dezembro de 2017. Para vencer o certame, Marcos Paulo Bertolo, líder da organização, cooptou Hebson Wilson Oliveira Nobre e Raimundo Alan Kardec Borges de Souza, servidores do Incra/AP, mediante suborno. Este último, pregoeiro da licitação, aceitou a promessa de vantagem indevida de Bertolo e o beneficiou no certame, com intermediação do servidor Hebson Wilson Oliveira Nobre.

Durante a sessão do pregão eletrônico, o pregoeiro Raimundo Alan Kardec Souza repassou por mensagem eletrônica a Marcos Bertolo informações privilegiadas de que tinha acesso, em razão de sua função pública, sobre propostas de outras cinco empresas para que ele formulasse propostas de menor valor. Com isso, Bertolo, que, até então, estava em terceiro na disputa, saiu vencedor. As demais conversas entre Bertolo e Hebson, seu intermediador no Incra, trataram do pagamento de propina. O MPF destaca que duas das empresas concorrentes pertencem respectivamente a Mario César Coelho, de Santa Catarina, e Fernando Gonçalves Melo, de Goiás, integrantes da organização criminosa.

No Maranhão, as contratações decorrentes de fraudes foram efetivadas com recursos federais. Pelos serviços, as empresas dos denunciados Marcos Paulo Bertolo, Valdir Martins e Alrandy Cruz, contratadas pelo Iterma, receberam mais de R$ 800 mil. O MPF narra que os denunciados constituíram organização criminosa para que suas respectivas empresas atuassem como cartel, em nível nacional, causando danos à Administração Pública. Além do Amapá e Maranhão, a investigação indicou a ocorrência de atividades do grupo no Ceará, em Sergipe, em Mato Grosso, no Pará e no Paraná.

Os fatos relatados pelo MPF na denúncia resultam da análise de elementos colhidos nas Operações Miríade, Terras Caídas e Conluio, deflagradas entre 2018 e 2020. As medidas da primeira fase da Conluio foram cumpridas em 30 de junho deste ano, com o intuito de obter provas para aprofundar a investigação sobre a organização criminosa. Nela, foi preso Ademário Leite de Souza, presidente da Associação Brasileira de Empresas de Geodesia e Topografia, residente em Pernambuco, que, atualmente, cumpre prisão preventiva no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá. Marcos Paulo Bertolo tem mandado de prisão em aberto.

Recebida a denúncia, o grupo vai responder por organização criminosa e fraude à licitação, com penas de prisão entre 2 e 8 anos, e multa. Marcos Paulo Bertolo e o servidor público Hebson Wilson Oliveira Nobre devem responder, ainda, por corrupção ativa, cuja pena varia de 3 a 8 anos de prisão e multa. Já Raimundo Allan Kardec Borges de Souza, pela prática de corrupção passiva, está sujeito a pena de 2 a 12 anos de prisão, e multa, que pode ser aumentada em um terço, em razão de ter sido praticada infringindo o dever funcional. É pedido, ainda, o ressarcimento dos danos causados à Administração Pública.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Amapá
(96) 3213 7895 | (96) 98409-8076

Modernização das Promotorias de Família é tratada em reunião da administração do MP-AP com membros da área

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) tem novos planos de gestão de pessoas e de modernização para as Promotorias de Justiça da Família, Órfãos Sucessões e Incapazes, que foram apresentados, nesta sexta-feira (18), pela administração do órgão aos promotores de Justiça com atuação na área. A instituição mantém quatro promotorias especializadas que irão funcionar no novo prédio da Fecomércio, no Centro de Macapá.

As novas estruturas para funcionamento das Promotorias de Justiça da Família, com espaço físico mais amplo, moderno e com acessibilidade, proporcionando melhores condições de trabalho e atendimento ao público, foram exibidas na reunião administrativa. Também, foi relatado que as unidades receberão novos equipamentos e avançados softwares, adaptados às novas tecnologias para participação em videoconferências com mais segurança e melhor gestão de processos, tudo adaptado à nova realidade.

“Conseguimos melhorar o apoio de pessoal, com ampliação do quadro de assessores, bem como estamos investindo em estrutura e tecnologia para as Promotorias de Família, de acordo com o nosso plano de trabalho, para que membros e servidores possam exercer suas atividades com eficácia”, manifestou a procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei.

Participaram da reunião o chefe de gabinete da PGJ, João Furlan; o secretário-geral do MP-AP, Alexandre Monteiro; o assessor especial da PGJ, Tiago Diniz; e os promotores de Justiça que atuam nas Promotorias de Família: Eder Geraldo Abreu (1° Promotoria); Jorge Luís Canezin (4° Promotoria). O coordenador das Promotorias de Família e titular da 2ª Promotoria, Alcino Oliveira de Moraes, não participou por estar em gozo férias.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Vanessa Albino
Contato: [email protected]

Anuncie no site Blog De Rocha

Há mais de uma década, me tornei “blogueiro”. Escrevia no antigo blog De Rocha, que se tornou este site em 2014, com o mesmo nome. O site é um espaço onde informo o que é relevante, tem um relacionamento firme com a cultura e criatividade, muita informação, mas também música e poesia.

Também coloco nesta página eletrônica textos meus e de queridos colaboradores (geniais poetas, cronistas, contistas e jornalistas). Vez ou outra, faço homenagens aos amigos, crônicas e doidices legais, além de pitadas de atrevimento, pois criticar é fundamental para o jornalismo.

E é como jornalista e cidadão que prezo a ética e, antes de qualquer impulso, leio, estudo, e apuro o fato com discernimento. Aqui, como na vida, os temas são diversos. O desafio permanentemente mantido é o de só publicar o que é confiável e merece a leitura, tudo em respeito ao seu tempo e direito à informação bem prestada.

Nesta página você pode ter um panorama sobre um pouco do que penso. Tudo papo “de rocha”, como falamos aqui no Amapá (e Pará), quando queremos passar credibilidade sobre algum assunto. Além de informação e sentimentos, o site tem espaço para os anunciantes que acreditam nesta página, para que ela possa ser mantida. Estes espaços podem ser visualizados no topo e lateral do site, nos computadores, e no topo e área inferior, nos celulares.

Portanto, se você possui um negócio e quer que ele seja visto/lido por milhares de pessoas diariamente, em um site que é atualizado, independente do dia da semana, pode anunciar aqui. É “De Rocha”. Pode botar fé!

Enfim, aos interessados, deixo os meus contatos:

E-mail: [email protected]
Telefone (WhatsApp): (96) 99147-4038

Bom, é isso. Bom resto de quarta-feira para todos nós!

Elton Tavares

MP-AP compõe Operação Verde Brasil 2 para prevenção, combate e repressão de crimes ambientais

As ações conjuntas de combate e prevenção de crimes ambientais no Amapá oficialmente iniciaram na última quinta-feira (17), com a reunião entre parceiros, agências e instituições que trabalharão junto com o Exército do Brasil, através do Comando Conjunto Norte (CCN). O promotor de justiça Marcelo Moreira, titular da Promotoria de Meio Ambiente, coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e da Força Tarefa de Combate a Queimadas e Desmatamentos do Ministério Público do Amapá (MP-AP) esteve presente, confirmando, pelo segundo ano, a participação do órgão ministerial na Operação.

A Operação Verde Brasil 2 iniciou em maio deste ano, porém no Amapá, que começou em agosto o período de maior perigo de queimadas, as ações foram adiadas para este momento. Em todo o Brasil acontecem até novembro. MP-AP; Agência Nacional de Inteligência (ABIN); Corpo de Bombeiros (CBM); Defesa Civil; Polícia Miliar do Amapá (PM-AP); Polícia Rodoviária Federal (PRF); Marinha do Brasil; Secretaria de Meio Ambiente (SEMA); Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio); estarão junto com o CCN, formado pelas Forças Armadas, montando estratégias e atuando para combater os crimes ambientais com as ações de fiscalização, prevenção e repressão.

O coronel do Exército Fábio Costa abriu a reunião frisando sobre a importância da Operação Verde Brasil 2 para prevenir e combater as queimadas e da atuação e estrutura física, tecnológica e de inteligência das Forças Armadas para dar suporte nas ações estratégicas. O cel. Fábio enfatizou, ainda, que é preciso reforçar e valorizar as informações verídicas e combater a guerra de informações. A representante do ICMBio, Patrícia Pinha, falou da experiência do Instituto na Reserva Biológica do Lago Piratuba, ressaltando que a maior parte das queimadas registrada no local são causadas pelo homem.

O promotor Marcelo Moreira relatou sobre as características das queimadas e desmatamentos no Amapá, baseado nos estudos de geoprocessamento realizados pelo núcleo de geo do CAO/AMB. “Estamos passando pelo processo de ocupação da Amazônia, por isso precisamos de ferramentas tecnológicas e olhar estratégico. Aqui, 30% das queimadas ocorrem em cerrado e campo, e mais de 70% em vias de acesso. Temos que saber para onde vai a madeira, onde está esse mercado consumidor de produtos ilegais que precisa ser combatido, e resolver a questão da falta de perícia, que inviabiliza o andamento de procedimentos”, afirmou.

Atuação do MP-AP

Instituída oficialmente em agosto deste ano, a Força tarefa de Combate a Queimadas e Desmatamentos é composta por promotores de Justiça que atuam nas Promotorias das comarcas. O Amapá foi o segundo estado da Amazônia Legal a seguir a orientação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e criar a Força Tarefa, através da qual o MP-AP estará atuando na Operação Verde Brasil 2. Em todos os municípios as Promotorias estarão informando sobre a situação, principalmente nos mais afetados com os focos de calor.

Outra medida do MP-AP é o uso de sensor que mede a qualidade do ar, que está instalado no Complexo Cidadão Zona Norte. Doado pelo Ministério Público do Acre (MA-AC), as informações sobre poluição do ar e existência de fumaça podem ser acessadas por qualquer cidadão ou instituições ambientais e de pesquisa e segurança, por ser conectado a uma rede internacional que fornece dados atuais da qualidade do ar. A intenção é que em nove Promotorias nos municípios seja instalado um sensor, que irá ajudar na verificação da poluição atmosférica.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Mariléia Maciel – CAO/AMB
Contato: [email protected]