Moedas e Curiosidades: “A Tomada de Caiena” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Recentemente adquiri uma peça produzida pelo saudoso Pedro Pinto Balsemão, um gravador bastante conhecido no meio numismático por fazer réplicas de moedas raras e famosas, é uma copia feita em madeira, de uma linda medalha produzida para homenagear a tomada de Caiena pelos portugueses em 1809.

Em 1° de maio de 1808, a família real portuguesa já estava instalada no Brasil, a nova sede do Reino de Portugal, que pretendia ser “um império poderoso, cheio de prestígio e que garantisse a segurança de seus súditos”, D. João VI declarou guerra a Napoleão e os franceses, e considerou nulos os tratados assinados anteriormente com a França. Com o objetivo de ampliar seu império na América, eliminar a ameaça francesa e, ao mesmo tempo vingar-se da invasão napoleônica em Portugal, D. João VI resolveu ocupar a Guiana Francesa, incorporando-a aos seus domínios.

Para tanto, enviou uma força militar com o objetivo de restabelecer os limites entre o Brasil e a Guiana Francesa. Recebendo reforço naval da Inglaterra, as forças portuguesas partiram para o ataque.

O primeiro combate entre as forças terrestres portuguesas e francesas ocorreu em 15 de dezembro de 1808, nas margens do rio Aproak, que resultou na tomada de duas embarcações de carga francesas. Nas semanas seguintes são tomadas todas as fortificações francesas do rio Maroni, uma após outra, sempre com grande resistência.

A 6 de janeiro de 1809 a coluna portuguesa ocupa o forte “Diamand”, e em 7 de janeiro o forte “Dégard des Cannes” e no dia 8, cai o forte “Trió”, todos na ilha de Caiena.

Estabeleceu-se então o cerco à capital da Guiana Francesa, onde o governador Victor Hugues tinha reunido todas as suas forças, numericamente comparáveis às portuguesas, contando com 500 soldados de linha, auxiliados por dezenas de civis armados e algumas centenas de escravos libertos e armados no último momento pelos seus senhores franceses. Os franceses esperavam resistir na capital da colônia o máximo de tempo possível. Mas Hugues estava isolado, sem reforços e nem apoio da sua cidade, e em 12 de janeiro de 1809 os franceses se renderam, quase sem ter chegado a combater, é assinado em Bourda a sua rendição. Esse conflito é considerado como “batismo de fogo” do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil.

Essa ocupação permitiu o acesso do governo português, a mudas e sementes de especiarias de grande valor econômico para a época, e que eram cultivadas pelos franceses. Da mesma forma, foi trazida de Caiena uma nova espécie de cana de açúcar, muito mais produtiva do que as usadas pelos portugueses e que se tornou base de boa parte da economia colonial.

Em 1817, Portugal e França restabeleceram acordos diplomáticos que incluíram a devolução da Guiana.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

38 anos do soco de Anselmo Vingador – Um texto para flamenguistas

anselmo1
Como bom flamenguista, sempre leio, assisto e ouço tudo sobre o Flamengo. Entre os títulos conquistados pela máquina rubro-negra dos anos 80, comandada por Zico, um fato marcou a Libertadores de 1981, conquistada no dia 23 de novembro daquele ano: um soco. Sim, uma porrada desferida por Anselmo, atacante do Flamengo no zagueiro Mario Soto, do clube chileno Cobreloa.

lico-flamengo-cobreloa-santiago-1981
Vamos por partes. Depois de passar invicto até a final, o Mengão, campeão brasileiro de 1980, decidiu com o torneio com o Cobreloa. No primeiro jogo das finais, realizada no Maraca, o time da casa venceu por 2×1, com dois gols de Zico. Na partida de volta, no Chile, o time do Flamengo apanhou muito dos donos da casa (agressões mesmo), liderados pelo zagueiro Mario Soto (o brabão) e acabaram ganhando o jogo por 1×0.

hqdefault-1

Nessa partida, o Mengo ficou desfalcado dos jogadores Lico, com um corte na orelha e Adílio, ferido no olho. Ambos abatidos pelo defensor chileno. Li em algum lugar que ele agredia os jogadores brasileiros com uma pedra no punho fechado, se é fato, não sei dizer. Relatam jornais da época que o próprio Pinochet (um dos enviados de Satanás à Terra), nas tribunas, virou-se para um adepto e disse chocado: “Não está exagerando, o nosso Mario Soto?” Imagine como o cara estava “virado no cavalo do cão”…

anselmo-soco

Então rolou a “negra”, uma terceira partida, em campo neutro, realizado há exatos 38 anos, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. O Mengão, que tinha infinitamente mais bola, venceu pelo placar de 2×0, com dois gols do Galinho.

Mario Soto, do Cobreloa do Chile, após levar um soco de Anselmo, do Flamengo, na finalíssima da Taça Libertadores da América de futebol. Montevidéu, Uruguai. Publicada na revista Placar, edição 1206, em 1223/11/2001, página 37.

Mas ainda faltava a forra contra Soto, foi aí que, no finalzinho do jogo, o técnico do Mengo, Paulo César Carpeggiani, chamou Anselmo, um jovem atacante de 22 anos, e disse: “ vai lá e dá um soco na cara do Mario Soto”. Anselmo entrou na partida, se aproximou do zagueiro chileno e, na primeira jogada, deu um pau na cara do chileno, que foi a nocaute. O lance causou um porradal, o jogador do Flamengo foi expulso junto com Mario Soto. A decisão logo acabou e o Flamengo virou campeão da América.

1981_fla-x-cobreloa-volta-olimpica

Depois foi só festa. No desembarque do time no Galeão, a delegação se deparou com uma imensa faixa escrito: “Anselmo vingador!” Pronto, Anselmo era tão herói quanto Zico. Mesmo suspenso, o “Vingador” viajou com o time para o Japão, onde o Mengão derrotou o Liverpool e sagrou-se Campeão Mundial Interclube, em 1981.

fea14-zico
Li várias reportagens sobre este fato, mas as duas melhores declarações foram:

Este episódio exprime uma contradição insolúvel do futebol e da vida. Todos nós temos discursos humanistas e politicamente corretos em favor do espírito esportivo e do sentimento cristão. Mas quem sofre uma agressão covarde não esquece. Futebol é arte, balé, xadrez, mas é um jogo viril e abrutalhado em que façanhas como a de Anselmo refletem o alto grau de testosterona e de agressividade primitiva que nos leva a correr atrás da bola. Nosso lado civilizado homenageia aqueles que descartam a vingança física e se contentam com dar o troco na bola e no placar. Mas dentro de cada fã do futebol existe um brutamontes-mirim que não resiste à poesia de um murro bem dado” – Jornalista Braulio Tavares – Jornal da Paraíba.

1981_fla-x-cobreloa-trofeu
Tenho sobre essa porrada uma tese irrefutável – ali, graças a Anselmo, as ditaduras latino-americanas que assombraram o continente durante a Guerra Fria começaram a desabar. O destino do próprio Pinochet foi selado naquele momento. Não é a toa que, em recente pesquisa publicada na Inglaterra, acadêmicos de renome consideraram que as três quedas mais impactantes da história foram a do Império Romano, a do Muro de Berlim e a de Mario Soto na final da Libertadores.” – Luiz Antonio Simas, professor carioca.

07f670c766ea34a696e9bf2364d37eee
Anselmo Vingador!

Bom, acredito que em certos momentos, extremos claro, um murro vale mais do que mil palavras (risos). Aquele soco lavou o peito de milhões de rubro-negros. Viva o Mengão e o Anselmo Vingador! Há 38 anos, direto do túnel do tempo…E hoje seremos novamente campeões da América. Mengão sempre!!

Elton Tavares – Jornalista e flamenguista em tempo integral (e bom de porrada, rs).  

Moedas e Curiosidades: “Aspargo em Pé” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Outro interessante item que chegou na minha coleção foi essa moeda de 1 Franco francês, feita em níquel com 6g de peso e 24mm de diâmetro, que homenageia o general Charles De Gaulle, herói francês da Segunda Guerra Mundial.

O nome mais importante da vida política francesa desde Napoleão Bonaparte, Charles André Marie Joseph De Gaulle nasceu em Lille na França, no dia 22 de novembro de 1890. Seu pai era um professor de história e literatura em uma faculdade jesuíta, e mais tarde criou sua própria escola.

Boa parte da aura de autoridade que cercava De Gaulle, talvez possa ser explicada pelo simples fato de desde a infância, ele foi o mais alto todos os meninos de sua idade e, mais tarde, entre a maioria dos homens que o cercavam. É claro que apenas a aparência física não bastaria para explicar tudo, mesmo porque De Gaulle era muito magro e desajeitado, a ponto de ter merecido dos colegas o apelido de “Aspargo em Pé”. Na verdade, havia nele alguma coisa de especial que transparecia na sua inabalável autoconfiança, na segurança das suas atitudes, na sua coragem sem limites.

Ingressou na academia militar francesa em St. Cyr em 1910. Ele se formou poucas semanas antes do início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), durante a qual serviu em combate como tenente do exército francês. Depois da guerra, ele atuou na ocupação militar da Alemanha e nas colônias ultramarinas francesas, antes de retornar à França para aceitar uma nomeação para o Conselho Supremo de Guerra e para o Conselho de Defesa Nacional. Na década de 1930, a estratégia defensiva da França – baseava-se na concepção de um perímetro defensivo fixo, altamente fortificado, conhecido como “Linha Maginot”. De Gaulle começou a irritar seus superiores militares quando passou a criticar a Linha Maginot e a ideia de uma defesa fixa. Em vez disso, ele propunha uma força móvel de tanques e de veículos armados.

Depois do início da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), em 1° de setembro de 1939, os alemães não fizeram nenhuma tentativa imediata de atacar a Linha Maginot. Mas em maio de 1940, forças alemães investiram contra a França, seguindo para o norte da Linha Maginot. Coube a De Gaulle liderar várias ações de sucesso com os poucos tanques que possuía. De forma geral, no entanto, os franceses não estavam bem preparados para enfrentar os alemães e em 14 de junho, os invasores capturaram Paris e derrotaram a França.

De Gaulle fugiu para a Inglaterra, de onde enviava várias mensagens ao povo francês, para continuar a resistência. Em 6 de junho de 1944, quando os aliados desembarcaram na Normandia para libertar primeiro a França e depois a Europa, De Gaulle e seu exército estavam presentes. E ele os liderou vitoriosamente na libertação de Paris dez semanas depois. De Gaulle, então, formou um governo provisório francês, em que ele ocupou o cargo de presidente. Pouco tempo depois, em 1946, ele se aposentou. De Gaulle morreu em Colombey les Deux Églises em 9 de novembro de 1970.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Centenário da Imigração Japonesa” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Em 2008, no dia 18 de junho, a chegada dos primeiros imigrantes japoneses em território brasileiro completou cem anos, e em comemoração foram feitas duas moedas de cupro-níquel, uma japonesa de 500 yens e uma brasileira de 2 reais, e eu consegui um exemplar de cada para a minha coleção.

No dia 18 de junho de 1908, desembarcou do navio japonês Kasato Maru, no porto de Santos-SP, 165 famílias de origem japonesa.

As primeiras famílias que aqui desembarcaram eram formadas, por pessoas oriundas do norte e sul do Japão, de áreas pobres que desenvolvia a agricultura. Esse grupo de camponeses veio para o Brasil, com intuito de trabalhar no desenvolvimento da cultura do café (produto mais importante da época), na região oeste do Estado de São Paulo.

Esse processo ocorreu pelo fato do Brasil necessitar de mão-de-obra para o cultivo do café, e por causa da carência de postos de trabalho no Japão. A partir das necessidades recíprocas entre os interesses do Brasil e Japão, foi firmado um acordo imigratório entre os dois países. Confira nas linhas a seguir alguns fatos interessantes e curiosos sobre a imigração japonesa no Brasil.

•Era para a imigração japonesa ter começado em 1897, 10 anos antes da chegada do Kasato Maru. Ou seja, a viagem do primeiro navio com japoneses para trabalhar nas lavouras de café, só não ocorreu naquele ano por causa da desvalorização do preço do café no mercado internacional (elas duraram até 1906).
•A maioria dos recém-chegados preferiu se estabelecer no estado de São Paulo, onde havia um núcleo de imigrantes japoneses. Alguns se estabeleceram no Paraná e outros na Amazônia.
•As primeiras gerações de japoneses sofreram bastante preconceito no Brasil, principalmente durante a Segunda Guerra Mundial, quando o então presidente de Getúlio Vargas, proibiu o uso da língua japonesa e as manifestações culturais nipônicas no país.
•Os japoneses trouxeram diversos alimentos que se incorporaram ao cardápio dos brasileiros, entre os quais o Caqui, a Uva-Itália (que apesar de italiana foi introduzida por japoneses), a Maçã Fuji, a Tangerina Poncã e o Morango.
•O Judô (arte marcial que eu pratico) chegou no Brasil em 1914, trazida pelo mestre japonês Mitsuyo Maeda (Conde Koma, 1878-1941), que viajava o mundo fazendo demonstrações desta arte marcial, os brasileiros conheciam poucas modalidades de combate, sendo as mais populares o pugilismo e a capoeira. Por exigência do Instituto Kodokan, Maeda foi proibido de usar o nome Judô para identificar sua técnica fora do Japão. Usava então, o nome da antiga arte japonesa de combate desarmado, que deu origem ao Judô, o Ju-Jutsu. Com o tempo e os equívocos de grafia na Europa e na América, o nome “Jiu-Jitsu” se tornou popular.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Valar Morghulis” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Em 2016 tive contato com uma série de televisão chamada “Game of Thrones”, o resultado foi imediato: me apaixonei e virei fã, e quando vi a moeda dos “Homens sem Rostos” fiquei empolgado em adquirir um exemplar, a minha busca finalmente se concretizou e agora tenho duas réplicas (infelizmente não achei um original) na coleção.

Game of Thrones é uma série de televisão norte-americana, criada por David Benioff e D. B. Weiss, e baseada na série de livros “A Song of the Ice and Fire”, de George R. R. Martin. Game of Thrones foi filmada em nove países: Canadá, Croácia, Islândia, Malta, Marrocos, Espanha, Irlanda do Norte, Escócia e Estados Unidos.

A primeira temporada da série estreou em 17 de abril de 2011, na HBO, nos Estados Unidos, e a oitava e última estreou em 14 de abril de 2019, e terminou em 19 de maio de 2019.

A história se passa nos continentes fictícios de Westeros e Essos, a série centra-se no Trono de Ferro dos Sete reinos e segue um enredo de alianças e conflitos entre as famílias nobres dinásticas, seja competindo para reivindicar o trono ou lutando por sua independência.

Em 18 de setembro de 2016, na 68ª edição do Emmy, o principal prêmio da televisão americana, a série foi recordista de indicações, com 23. Game of Thrones ganhou 16 Emmys naquela noite, tornando-se a série mais vencedora da história desta premiação (com 38 estatuetas acumuladas).

A moeda especial que o assassino Jaqen H’ghar, um dos Homens sem Rosto de Braavos, deu a Arya Stark não é explicitamente uma moeda normal. É redonda e não se assemelha a uma moeda quadrada normal Braavosi utilizada pela população. Em vez de “moeda”, é um símbolo especial que os Homens sem Rosto dão aos seus aliados, ou aqueles que se sentem em dívida. Jaqen instruiu Arya a apresentá-la a qualquer homem de Braavos se ela precisasse de ajuda, e eles saberiam que isso significava que ela era uma amiga dos Homens sem Rosto. Eis algumas curiosidades da série:

•4 idiomas foram criados – O que mais se destaca é o Dothraki, falada pelo povo homônimo e apresentada pelo personagem Khal Drogo. Alto Valiriano, que Daenerys usa com seus dragões. Baixo Valiriano, usado pelos Imaculados. Mag Nuk, a língua falada pelos gigantes. Todos os idiomas foram criados pelo lingüista David J. Peterson.
•Dragões inspirados em patos, gansos, gatos e morcegos – O supervisor de efeitos especiais Sven Martin se inspirou nesses animais para criar os movimentos dos dragões de Daenerys
•Coração de Cavalo – A cena clássica em que Daenerys come um coração intrigou muito os fãs de Game of Thrones. Na verdade, ela comeu um coração de gelatina durante a cena. E falando em Khaleesi, mais de 150 bebês foram batizados com esse nome no mundo desde o inicio da série.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “A princesa do Grão-Pará” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Adquiri recentemente para minha coleção, três moedas de cobre da rainha Maria II, que governou Portugal e Algaves em dois períodos diferentes, primeiro de 1826 até ser deposta por seu tio Miguel, e depois de 1834 até sua morte em 1853, o que pouca gente sabe que Maria II é brasileira, e em 2019 comemora-se os 200 anos do seu nascimento.

Maria da Glória Joana Carlota Leopoldina da Cruz Francisca Xavier de Paula Isidora Micaela Rafaela Gonzaga (ufa, que nome grande!), nasceu no Rio de Janeiro a 4 de abril de 1819, filha de D. Pedro IV de Portugal e da arquiduquesa D. Leopoldina da Áustria. Tinha sete anos quando o pai abdicou do trono de Portugal em seu favor, tornando-se D. Pedro I imperador do Brasil.

No Rio de Janeiro, Maria da Glória vai ter uma infância despreocupada e feliz, educada e muito amada pelos pais e pelas camareiras do palácio. Aos sete anos, essa alegria é interrompida abruptamente com a morte da mãe. O pai será seu grande amigo e protetor. Nem mesmo com os problemas políticos que D. Pedro IV enfrenta no Brasil e em Portugal, lhe fazem esquecer da sua filha mais velha, a quem vai escrever cartas sempre ternas, que terminavam “adeus minha adorada filha, teu saudoso pai que muito te ama D. Pedro”.

No ano de 1822, a nossa princesa contava com dois anos e meio, quando nas margens do rio Ipiranga aconteceu o grito da Independência do Brasil. No ano de 1826 em Portugal, morre D. João VI, e seu filho D. Pedro IV, residente no Brasil, vai ter que optar entre ser imperador do Brasil ou rei de Portugal. Escolheu o Brasil, e em 1826, abdica do trono de Portugal em nome da sua filha Maria da Glória.

Maria da Glória devia casar, logo que tivesse idade, com o tio D. Miguel, que foi nomeado regente de Portugal em 1826. Mas um levante absolutista liderado por D. Miguel, a 23 de junho de 1828, levou-o a autoproclamar-se rei de Portugal.

Começaram então as Guerras Liberais, que se prolongaram até 1834. Terminando o conflito em 24 de setembro de 1834, D. Maria II assumiu o governo de Portugal com quinze anos de idade. Teve um reinado conflituoso, marcado não só pela guerra civil, mas também por revoltas militares e populares.

Depois de um casamento não consumado com o seu tio D. Miguel, e de ter ficado viúva do seu segundo marido, pouco depois do matrimônio, é nos braços de D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha que encontra a felicidade e a alegria da maternidade.

D. Maria II recebeu vários títulos ao longo de sua vida, sendo chamada também de “A Educadora”, pela excelente educação que deu a seus filhos. A 15 de novembro de 1853, treze horas após o início do trabalho de parto do 11° filho, D. Maria II morreu.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Hoje é Sexta-Feira 13 (saiba mais sobre as lendas deste dia, que mexem com o nosso imaginário)

Hoje é sexta-feira 13. Rolam muitas lendas e superstições sobre a data. Não é fácil explicar o Mitolo42 (1)motivo pelo qual muitos temem as sextas-feiras 13. Mas alguns supostos eventos, de acordo com algumas crenças e história, amaldiçoaram a o dia.

As histórias mais conhecidas envolvem a crucificação de Jesus Cristo, que teria ocorrido numa sexta-feira, já que a páscoa judaica é comemorada no dia 14 do mês de Nissan, segundo o calendário Hebraico, além do fato que após uma ceia com 13 pessoas (os 12 apóstolos e o próprio Jesus).lokimatabalder

Também existe um conto da mitologia nórdica, em que um jantar para 12 deuses foi invadido por Loki, o espírito da discórdia, e resultou na morte de Balder, divindade da Justiça, o favorito dos deuses. Por isso é considerado mal agouro convidar treze pessoas para um jantar, mas tem pessoas que também consideram mal agouro porque os conjuntos de mesex131sa são constituídos por 12 copos, 12 pratos e 12 talheres.

Outra lenda diz que a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.BLODEUWEDD Deusa CELTA

De volta ao cristianismo, historiadores apontam o 13 de outubro de 1307, uma sexta-feira, como o dia em que o Rei francês Filipe IV declarou ilegal a Ordem dos Templários, cujos membros foram torturados e mortos por heresia.

Além das crentemplarios_imagens03 (1)ças antigas, a propagação do 12 como número completo, utilizado para medir os meses, signos do Zodíaco e tribos de Israel, desvalorizou o 13, cujo medo irracional causado nas pessoas ganhou o pomposo nome de triscaidecafobia – e, no caso do temor da própria sexta-feira 13.

Seja qual for a versão oficial, o que importa é que seu efeito assusta e seduz a nossa imaginação. Seu mau agouro serve como inspiração para a produção de filmes e músicas no intuito de entreter e assustar.

j2O mais famoso representante dessa leva é a série de filmes “Sexta-Feira 13”, que conta a história do assassino Jason Voorhees, que após morrer afogado ainda jovem, volta para assombrar aqueles que se aventuram pela colônia de férias Crystal Lake.

Apesar das dezenas de tiros, facadas e machadadas, o deformado psicopata, que esconde seu rosto por trás de uma máscara de hockey, sempre sobrevive para mais uma sessão de assassinatos. A lenda ainda afirma que Jason, não por acaso, nasceu em 13 de junho de 1946, uma sexta-feira.

j1O Jason já deve estar assombrando por aí, com o seu terçado em punho, no imaginário de alguns malucos.

Então isso não tem nada de azar e sim muita sorte. Vamos todos assombrar, confraternizar, beber cerveja, papear, rir e tudo o que nos fizer felizes.

Elton Tavares

Fontes: Último Segundo e Teclando no Trono.

Moedas e Curiosidades: “O dinheiro não fede” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Outro interessante item da minha coleção é um “As” de cobre com o rosto do imperador romano Vespasiano, o imperador que começou a construção do mais famoso símbolo do Império Romano: o Coliseu. Mas um fato curioso de sua administração foi que para aumentar a arrecadação do estado, resolveu taxa a urina humana!

A frase “Pecunia non olet” – significando que “o dinheiro não fede” ou “o dinheiro não está contaminado” – é uma famosa frase atribuída ao imperador romano Tito Flávio Vespasiano. O significado por trás das palavras é bastante simples: não importa como você conseguiu o seu dinheiro, porque tudo tem o mesmo valor.

O suicídio do imperador Nero em 68 d.C. trouxe um final abrupto da dinastia Júlio-Claudiana, que reinava desde Augusto, o homem que transformou Roma de república em império. Sem filhos sobreviventes ou herdeiros designados, o falecimento de Nero causou um vácuo de poder. Sem surpresa, proeminentes políticos e generais romanos aproveitaram-se da situação, lutando pelo trono imperial.

Entre os anos de 68-69 d.C., conhecidos como o “Ano dos Quatro Imperadores”, Roma viu quatro romanos poderosos reivindicarem o titulo de imperador. Isso resultou em uma guerra civil com quatro homens governando em curta sucessão: Galba, Otho, Vitélio e Vespasiano.

Ao contrário dos imperadores anteriores, Vespasiano não era de uma família nobre. Em vez disso, ele entrou no serviço militar e subiu nas fileiras em grande parte por seu próprio mérito. Mas independente de seu humilde começo, Vespasiano tinha um grande problema, o tesouro imperial estava praticamente esgotado pela guerra e pelos gastos excessivos de Nero.

Um item peculiar que Vespasiano decidiu taxar, foi a urina humana coletada em banheiros públicos. Como se constata, a urina humana tinha muitos usos na Roma Antiga. Para começar era amplamente utilizada para lavar roupas. Isso ocorre porque a urina continha uréia, que depois de 24 horas, transforma-se em amônia. A amônia por sua vez, é excelente na remoção de sujeira e gordura das roupas romanas, deixando as cores mais claras e brilhantes.

Enquanto o imposto da urina ajudou Vespasiano a equilibrar os cofres romanos, algumas pessoas eram contra a ideia. O mais famoso era o filho mais velho de Vespasiano e futuro imperador Tito, que expressou abertamente seu desgosto, foi então que seu pai lhe pediu para cheirar um monte de moedas e dizer se fedia. Quando Tito respondeu negativamente, Vespasiano brincou: “no entanto, vem da urina”.

Desde aquela época, a frase foi usada para promover a ideia de que o valor do dinheiro não é marcado pela sua origem. Mas, apesar das origens humorísticas desse termo, não podemos dizer que o imposto de Vespasiano não funcionou. De acordo com registros históricos, diz-se que Vespasiano deixou o tesouro romano cheio de dinheiro para os seus herdeiros.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Big Mac” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Para aumentar a minha coleção tive uma difícil missão, comer cinco sanduíches “Big Mac”. Todo esse delicioso sacrifício foi para adquirir as moedas comemorativas dos 50 anos do “Big Mac” – Flores Poderosas, Arte Pop, Formas Abstratas Ousadas, Tecnologia de Vanguarda e Evolução da Comunicação – as Mac moedas não tem valor monetário e só é resgatável por um “Big Mac” gratuito nos restaurantes McDonald’s participantes até 2018.

A McDonald’s Corporation é a maior cadeia mundial de restaurantes de “Fast Food” de hambúrguer, servindo cerca de 68 milhões de clientes por dia em 119 países. Com sede nos Estados Unidos, a empresa começou em 1940 como uma churrascaria operada por Richard e Maurice McDonald. Em 1948, eles reorganizaram seus negócios como uma hamburgueria que usava os princípios de uma linha de produção. O empresário Ray Kroc ingressou na empresa como franquiado em 1955. Em seguida, ele comprou a cadeia de restaurantes dos irmãos McDonald e expandiu a rede no mundo.

A receita da McDonald’s Corporation vem do aluguel, royalties e honorários pagos pelos franqueados, bem como das vendas em restaurantes operados pela empresa. Em 2012, a corporação teve uma receita anual de 27,5 bilhões de dólares e lucro de 5,5 bilhões. De acordo com um relatório de 2012 da BBc, o McDonald’s é o segundo maior empregador privado do mundo, atrás apenas do Walmart.

O McDonald’s vende principalmente hambúrgueres, cheeseburguers, frango, batata frita, itens de café, refrigerantes, milk shakes e sobremesas. Em resposta à evolução dos gostos dos consumidores, a empresa ampliou o seu menu para incluir saladas, peixes, wraps, smoothies e frutas.

O primeiro restaurante da McDonald’s no Brasil foi inaugurado em 1979, em Copacabana, no Rio de Janeiro. É uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil e um dos maiores empregadores de jovens no país, o McDonald’s reforça seu compromisso com a segurança e saúde do trabalhador e anunciou o apoio ao movimento “Abril Verde”, uma iniciativa que ressalta a discussão sobre a segurança e a saúde no ambiente de trabalho.

O sanduíche “Big Mac” – 2 carnes, alface, queijo, molho especial, cebola e picles em um pão de gergelim – foi criado por um franqueado americano Jim Delligatti, no estado da Pensilvânia, para atrair o público adulto para o restaurante. Ninguém iria imaginar que este sanduíche acabaria sendo o carro-chefe da rede desde então, vendendo cerca de 1,5 milhão da “Big Macs” por dia em todo o mundo.

No ano de 2018 em comemoração aos 50 anos do “Big Mac”, o McDonald’s lançou cerca de 6 milhões de moedas “Mac Coins” em restaurantes de 57 países, inclusive o Brasil. São cinco moedas diferentes, cada um referente a uma década de vida do famoso sanduíche. Elas foram distribuídas aos consumidores que pediram uma oferta do “Big Mac” em mais de 900 restaurantes da rede no país.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “O mais triste dos homens” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Na minha coleção tenho duas moedas de bronze feita na época do imperador Tibério César, um sestércio em homenagem ao imperador Otávio Augusto e um quadrante com a imagem de Tibério, moedas de grande circulação pelo Império Romano devido seu baixo valor.

Tibério César era filho do magistrado Tibério Cláudio Nero e de Lívia Drusilla. Sua mãe separou-se do pai quando ele e o irmão Druso eram bastante jovens, para casar com o imperador Otávio Augusto. Tibério foi educado para a carreira militar e fez brilhantes campanhas na Panônia e Dalmácia, o que lhe garantiu apoio popular.

Em 12 a.C. Tibério é obrigado a divorciar-se de sua mulher Vipsânia (o grande amor de sua vida) e casar com a herdeira de Otávio Augusto, Júlia Cesaris. Conquistou novas vitórias na Germânia e é adotado pelo imperador Otávio Augusto como filho em 4 d.C., que sem perspectiva de ter um herdeiro de descendência própria, este o nomeia sucessor.

Tibério César assume o Império Romano de 18 de setembro do ano 14 d.C. Em sua gestão o Senado perdeu influência, reduziu os gastos públicos, assegurou as fronteiras, exilou a comunidade judaica de Roma e determinou o fim dos duelos de gladiadores.

De personalidade tímida e reservada, mandou matar muitas pessoas, dentre elas vários de seus amigos. Paranóico por conspirações, Tibério passou seus últimos dez anos de vida, em Capri, onde morreu em 37 d.C. de causas naturais. Deixou o império ao sobrinho-neto Calígula e ao neto Tibério Gemelo.

As moedas romanas em circulação durante a maior parte da República e do Império Romano, incluía o áureo de ouro, o denário de prata, o sestércio, o fólis e o dupôndio de bronze e o asse de cobre. A autoridade para cunhar moedas pertencia, primordialmente, ao governo central em Roma, que emitia moedas de metal precioso. As províncias romanas podiam cunhar moedas de bronze de menor valor.

A moeda imperial mais comum no tempo de Jesus foi cunhada por Tibério César, e trazia a inscrição “Tiberius Caesar Divi Augusti Filius Augustus Pontifex Maximus” (Tibério César, filho Augusto do divino Augusto, sumo sacerdote). Era um denário especial que trazia a imagem (cabeça e pescoço) do imperador. Foi essa moeda que Jesus pediu que mostrassem, com a qual se pagava um tributo per capita, chamado “kenson” (“censo”, daí o imposto de recenseamento) com referencia ao fato de que todo habitante daquelas províncias (Judéia, Galiléia, etc) devia pagar.

A famosa frase “Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”, aparece em Mateus 22:15-22, registra três tentativas dos adversários de Jesus de fazê-lo entrar em contradição: a questão sobre o imposto, a questão sobre o levirato (irmão do marido) e a ressurreição, e a pergunta sobre o maior mandamento (o Senhor nosso Deus é o único Senhor).

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Malvinas ou Falklands?” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

No dia 02 de abril de 2012 a Argentina decidiu homenagear os trinta anos da recuperação das ilhas Malvinas, Geórgia e Sandwich do Sul do domínio colonial inglês, e lançou uma moeda bimetálica, com valor facial de 2 Pesos, com 7,2g de peso e 17mm de diâmetro.

As ilhas Malvinas, Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, são três arquipélagos situados no Oceano Atlântico, perto da costa da Argentina, que constituem um domínio colonial britânico desde 1833. Não obstante, desde a sua ocupação em 1690 foram motivos de conflito entre o Reino Unido, França e Espanha, e depois entre o Reino Unido e a Argentina.

Em 1965 a Argentina conseguiu que a ONU aprovasse a resolução 2065, qualificando a disputa como um problema colonial e convocando as partes para negociar uma solução, não obstante, as negociações não chegaram a uma decisão. Em 2 de abril de 1982 a Argentina invadiu as ilhas Malvinas, Geórgia e Sandwich do Sul dando inicio ao conflito pela posse das 3 ilhas com a Inglaterra.

Como toda guerra, a das Malvinas também teve uma parte obscura e secreta:

1. ARMAS NUCLEARES – os britânicos tinham 4 submarinos nucleares no Atlântico Sul, mas os ingleses negaram que eles estivessem com armas nucleares. O parlamento inglês decretou que todos os registros da guerra das Malvinas permanecessem secretos por 100 anos, enquanto o normal seriam 50 anos.
2. COMANDO SAS – os argentinos acreditavam que as forças do comando SAS britânico, invadissem o continente para ações de sabotagem. O presidente brasileiro na época, general João Baptista Figueiredo, em reunião com o presidente americano Ronald Reagan, alertou das graves consequências se os ingleses invadissem o continente sul-americano, pois poderia gerar um sentimento de revolta que transcenderia o território argentino.
3. VÔOS MISTERIOSOS – entre maio e junho de 1982 aconteceram alguns vôos suspeitos de aeronaves argentinas, que em rota de ida e volta até a Líbia do ditador Kadafi, pousaram em Recife para abastecer. Parece que Kadafi teria entregado armas de todo tipo junto com os temíveis mísseis Exocets.

As relações diplomáticas entre britânicos e argentinos ficaram suspensas e só foram reatadas em 1990. Mesmo assim, ainda existe um clima pouco amigável entre as duas nações.

Em fevereiro de 2012, 30 anos após o conflito, o governo argentino solicitou a reabertura do caso para negociações. O governo britânico recusou prontamente, causando novamente um mal-estar nas relações diplomáticas entre os dois países.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Lazaretos da Colômbia” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

As moedas (fichas) feitas para uso nos leprosários são muito interessantes na numismática, pois foram criadas para serem usadas em condições muito particulares, e na minha busca de itens para minha coleção, adquiri três moedas de 1921, feita de cupro-níquel, dos leprosários Lazaretos da Colômbia. Foi uma cunhagem especial para uso nas três colônias governamentais: Agua de Dios, Caño de Loro e Contratación.

A lepra historicamente tem afetado o subconsciente coletivo das sociedades, levando a alterar o seu comportamento e até mesmo o seu sistema de crenças e valores. A Hanseníase tem acompanhado a humanidade durante milhares de anos em locais conhecidos como leprosários.

Apesar de ser uma doença infecciosa, a Hanseníase não é muito contagiosa. Sabemos hoje em dia que apenas uma pequena parcela dos seres humanos são, suscetíveis à infecção, e isso só ocorre através do contato físico prolongado com pacientes de Hanseníase que não são tratadas. Apesar disso, as pessoas infectadas por essa doença, até pouco tempo eram tratadas como grupo de alto risco epidemiológico. Esta realidade se apresentou em diferentes países, onde as autoridades não hesitaram em mantê-los separados do resto da população nas colônias especiais chamadas de leprosários.

Estes leprosários se tornaram depósitos de doentes, onde 90% morriam, eram enterrados de cabeça para baixo com a crença de que não seriam ressuscitados.

A ignorância sobre a doença forçou a fabricação de moedas, cédulas e o uso de cupons próprios para uso interno nos leprosários. Estes “dinheiros” foram restritos ao uso de quinze países, incluindo o Brasil, que usaram estes meios para efetuar pagamentos dentro dos leprosários. As peças encontradas em coleções como a minha, são como testemunhas silenciosas de uma época marcada pela falta de conhecimento e pelo medo de uma doença, que foi estigmatizada como uma das piores na história da humanidade.

No começo do século XX, a Colômbia era um dos países com maior percentual de lepra no mundo. Essa doença tem origem na Índia e que Carlos Magno levou a Grécia e a África, e entrou na Colômbia pelo porto da cidade de Cartagena e se espalhou por todo o país.

A imagem escolhida para distinguir as moedas dos leprosários colombianos, era a Cruz da Ordem de São Lázaro de Jerusalém, uma cruz octogonal, também chamada de cruz templária ou as oito bem-aventuranças. Foram quase trinta anos em que as moedas circularam pelas mãos dos doentes, que também tiveram que usar uma roupa que os distinguia como leprosos.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “O Centro do Universo” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

A Alemanha tem uma política numismática muito interessante, pois sempre estão fazendo moedas e cédulas para homenagear eventos e personalidades, uma dessas é a moeda dos 500 anos do nascimento de Nicolau Copérnico, feita de prata 625 com valor facial de 5 Marcos, 29mm de diâmetro e 11,2g de peso, e na minha coleção tenho duas moedas do Nicolau Copérnico e seu Sistema Heliocêntrico.

Nicolau Copérnico é considerado o pai da astronomia moderna, nasceu em Tourum, na Polônia, em 19 de fevereiro de 1473. Copérnico era monge, matemático e astrônomo. É o autor da Teoria Heliocêntrica, segundo a qual o Sol é o centro do Universo.

Os filósofos do século XV aceitavam a Teoria Geocêntrica como verdadeira. Esse sistema cosmológico afirmava (corretamente) que a Terra era esférica, e também afirmava (erradamente) que a Terra estaria parada no centro do Universo.

Até então, a Igreja Católica – que controlava o poder religioso, político e econômico na Idade Média – adotava a Teoria Geocêntrica como correta, pois essa teoria tinha como base os estudos de Aristóteles e foi elaborada por Cláudio Ptolomeu, um astrônomo e geógrafo do século II, embora a esfericidade da Terra estivesse em aparente contradição com interpretações literais de algumas passagens bíblicas. .

Em sua obra “De Revolutionibus Orbium Coelestium” (do latim – Das Revoluções dos Corpos Celestes), Copérnico afirmava que a Terra não está fixa no centro do Universo, e sim girando em uma órbita circular ao redor do Sol, assim como os demais planetas.

Os estudos de Copérnico demoraram 30 anos para serem publicados, e sua prudência era justificada pelas constantes condenações da Igreja Católica a quem questionasse suas doutrinas oficiais. Em geral, as condenações resultavam em morte sob a acusação de heresia pela Santa Inquisição.

Os questionamentos à teoria que colocava a Terra no centro do Universo era um embate direto ao pensamento religioso. Isso tirou, além do planeta, o próprio homem do centro do Universo.

Entre os principais dogmas da Igreja Católica esta a de que o homem é feito à imagem e semelhança de Deus, estando, portanto no centro do Universo.

Os historiadores não têm consenso se Copérnico conseguiu ver o primeiro volume da sua obra. A impressão ocorreu no ano de sua morte, em 24 de maio de 1543.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Olimpíadas Abaixo de Zero” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

O primeiro contato que tive com os Jogos Olímpicos de Inverno, foi quando assisti o filme “Jamaica Abaixo de Zero (Cool Runnings – 1993), que conta vagamente a história verídica da equipe de Bobsleigh da Jamaica. Recentemente adquiri na minha coleção uma das moedas comemorativas, a da Tocha Olímpica, dos jogos de Sochi 2014. Os organizadores das Olimpíadas de Sochi 2014, fizeram quatro moedas de cupro-níquel com valor facial de 25 Rublos para divulgar e homenagear o evento, com 27mm de diâmetro e 10g de peso, cada moeda representava um tema diferente dos jogos: o Emblema “Sochi 2014.ru”, as Mascotes Olímpicas, as Mascotes Paraolímpicas e a Tocha Olímpica.

A Olimpíada de Inverno de Sochi 20114, reuniu 3,5 mil atletas de 88 paises num balneário do sul da Rússia, às margens do Mar Negro. Foi a 22ª edição dos jogos, que reúnem modalidades praticamente desconhecidas no Brasil, praticados em países em que a neve e as temperaturas abaixo de zero são comuns.

Curiosamente, a Olimpíada se realizou em uma cidade em que a média das temperaturas mínimas nunca ficavam abaixo de 4°C. Temendo que faltasse neve durante o evento, os organizadores decidiram estocar toneladas dela.

A Olimpíada teve 98 medalhas de ouro em disputa, em provas de 15 esportes. Uma das modalidades mais curiosas é o Curling – um esporte ao estilo da bocha – em que os participantes deslizam oito pedras de granito de 20kg em uma pista de gelo de 45,5 metros.

Outro esporte interessante é a corrida de trenó, em que homens e mulheres em trajes apertados arriscam suas vidas em um túnel de gelo, onde as velocidades podem chegar a 150km/h. São três modalidades: Bobsleigh, Skeleton e Luge.

Apesar do calor predominante em todo o país, o Brasil teve 13 atletas competindo em sete modalidades, um recorde. A delegação pode parecer pequena, mas foi maior que a de países de clima frio, como Dinamarca, Bélgica e Islândia.

“Sochi 2014.ru” é até agora o único emblema que contém um domínio de internet. O espelho entre o “Sochi” e o “2014” refletindo significa a localização da cidade entre o mar e as montanhas. O principal componente deste logotipo são os anéis olímpicos que estão em tamanho grande, contrastando coma cor azul, mostrando que Sochi 2014 é um símbolo de progresso para o “Movimento Olímpico”. A mudança das cores e o design interior do resto do emblema encoraja as pessoas a se expressarem, misturando o emblema com imagens tradicionais ou então com uma visão ultra-moderna.

Os jogos foram realizados em dois locais, um na área costeira de Sochi, onde os eventos de gelo foram realizados, e outro na Clareira Vermelha, onde foram realizados os eventos de neve.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.