Moedas e Curiosidades: “Centenário da Imigração Japonesa” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Em 2008, no dia 18 de junho, a chegada dos primeiros imigrantes japoneses em território brasileiro completou cem anos, e em comemoração foram feitas duas moedas de cupro-níquel, uma japonesa de 500 yens e uma brasileira de 2 reais, e eu consegui um exemplar de cada para a minha coleção.

No dia 18 de junho de 1908, desembarcou do navio japonês Kasato Maru, no porto de Santos-SP, 165 famílias de origem japonesa.

As primeiras famílias que aqui desembarcaram eram formadas, por pessoas oriundas do norte e sul do Japão, de áreas pobres que desenvolvia a agricultura. Esse grupo de camponeses veio para o Brasil, com intuito de trabalhar no desenvolvimento da cultura do café (produto mais importante da época), na região oeste do Estado de São Paulo.

Esse processo ocorreu pelo fato do Brasil necessitar de mão-de-obra para o cultivo do café, e por causa da carência de postos de trabalho no Japão. A partir das necessidades recíprocas entre os interesses do Brasil e Japão, foi firmado um acordo imigratório entre os dois países. Confira nas linhas a seguir alguns fatos interessantes e curiosos sobre a imigração japonesa no Brasil.

•Era para a imigração japonesa ter começado em 1897, 10 anos antes da chegada do Kasato Maru. Ou seja, a viagem do primeiro navio com japoneses para trabalhar nas lavouras de café, só não ocorreu naquele ano por causa da desvalorização do preço do café no mercado internacional (elas duraram até 1906).
•A maioria dos recém-chegados preferiu se estabelecer no estado de São Paulo, onde havia um núcleo de imigrantes japoneses. Alguns se estabeleceram no Paraná e outros na Amazônia.
•As primeiras gerações de japoneses sofreram bastante preconceito no Brasil, principalmente durante a Segunda Guerra Mundial, quando o então presidente de Getúlio Vargas, proibiu o uso da língua japonesa e as manifestações culturais nipônicas no país.
•Os japoneses trouxeram diversos alimentos que se incorporaram ao cardápio dos brasileiros, entre os quais o Caqui, a Uva-Itália (que apesar de italiana foi introduzida por japoneses), a Maçã Fuji, a Tangerina Poncã e o Morango.
•O Judô (arte marcial que eu pratico) chegou no Brasil em 1914, trazida pelo mestre japonês Mitsuyo Maeda (Conde Koma, 1878-1941), que viajava o mundo fazendo demonstrações desta arte marcial, os brasileiros conheciam poucas modalidades de combate, sendo as mais populares o pugilismo e a capoeira. Por exigência do Instituto Kodokan, Maeda foi proibido de usar o nome Judô para identificar sua técnica fora do Japão. Usava então, o nome da antiga arte japonesa de combate desarmado, que deu origem ao Judô, o Ju-Jutsu. Com o tempo e os equívocos de grafia na Europa e na América, o nome “Jiu-Jitsu” se tornou popular.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Valar Morghulis” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Em 2016 tive contato com uma série de televisão chamada “Game of Thrones”, o resultado foi imediato: me apaixonei e virei fã, e quando vi a moeda dos “Homens sem Rostos” fiquei empolgado em adquirir um exemplar, a minha busca finalmente se concretizou e agora tenho duas réplicas (infelizmente não achei um original) na coleção.

Game of Thrones é uma série de televisão norte-americana, criada por David Benioff e D. B. Weiss, e baseada na série de livros “A Song of the Ice and Fire”, de George R. R. Martin. Game of Thrones foi filmada em nove países: Canadá, Croácia, Islândia, Malta, Marrocos, Espanha, Irlanda do Norte, Escócia e Estados Unidos.

A primeira temporada da série estreou em 17 de abril de 2011, na HBO, nos Estados Unidos, e a oitava e última estreou em 14 de abril de 2019, e terminou em 19 de maio de 2019.

A história se passa nos continentes fictícios de Westeros e Essos, a série centra-se no Trono de Ferro dos Sete reinos e segue um enredo de alianças e conflitos entre as famílias nobres dinásticas, seja competindo para reivindicar o trono ou lutando por sua independência.

Em 18 de setembro de 2016, na 68ª edição do Emmy, o principal prêmio da televisão americana, a série foi recordista de indicações, com 23. Game of Thrones ganhou 16 Emmys naquela noite, tornando-se a série mais vencedora da história desta premiação (com 38 estatuetas acumuladas).

A moeda especial que o assassino Jaqen H’ghar, um dos Homens sem Rosto de Braavos, deu a Arya Stark não é explicitamente uma moeda normal. É redonda e não se assemelha a uma moeda quadrada normal Braavosi utilizada pela população. Em vez de “moeda”, é um símbolo especial que os Homens sem Rosto dão aos seus aliados, ou aqueles que se sentem em dívida. Jaqen instruiu Arya a apresentá-la a qualquer homem de Braavos se ela precisasse de ajuda, e eles saberiam que isso significava que ela era uma amiga dos Homens sem Rosto. Eis algumas curiosidades da série:

•4 idiomas foram criados – O que mais se destaca é o Dothraki, falada pelo povo homônimo e apresentada pelo personagem Khal Drogo. Alto Valiriano, que Daenerys usa com seus dragões. Baixo Valiriano, usado pelos Imaculados. Mag Nuk, a língua falada pelos gigantes. Todos os idiomas foram criados pelo lingüista David J. Peterson.
•Dragões inspirados em patos, gansos, gatos e morcegos – O supervisor de efeitos especiais Sven Martin se inspirou nesses animais para criar os movimentos dos dragões de Daenerys
•Coração de Cavalo – A cena clássica em que Daenerys come um coração intrigou muito os fãs de Game of Thrones. Na verdade, ela comeu um coração de gelatina durante a cena. E falando em Khaleesi, mais de 150 bebês foram batizados com esse nome no mundo desde o inicio da série.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “A princesa do Grão-Pará” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Adquiri recentemente para minha coleção, três moedas de cobre da rainha Maria II, que governou Portugal e Algaves em dois períodos diferentes, primeiro de 1826 até ser deposta por seu tio Miguel, e depois de 1834 até sua morte em 1853, o que pouca gente sabe que Maria II é brasileira, e em 2019 comemora-se os 200 anos do seu nascimento.

Maria da Glória Joana Carlota Leopoldina da Cruz Francisca Xavier de Paula Isidora Micaela Rafaela Gonzaga (ufa, que nome grande!), nasceu no Rio de Janeiro a 4 de abril de 1819, filha de D. Pedro IV de Portugal e da arquiduquesa D. Leopoldina da Áustria. Tinha sete anos quando o pai abdicou do trono de Portugal em seu favor, tornando-se D. Pedro I imperador do Brasil.

No Rio de Janeiro, Maria da Glória vai ter uma infância despreocupada e feliz, educada e muito amada pelos pais e pelas camareiras do palácio. Aos sete anos, essa alegria é interrompida abruptamente com a morte da mãe. O pai será seu grande amigo e protetor. Nem mesmo com os problemas políticos que D. Pedro IV enfrenta no Brasil e em Portugal, lhe fazem esquecer da sua filha mais velha, a quem vai escrever cartas sempre ternas, que terminavam “adeus minha adorada filha, teu saudoso pai que muito te ama D. Pedro”.

No ano de 1822, a nossa princesa contava com dois anos e meio, quando nas margens do rio Ipiranga aconteceu o grito da Independência do Brasil. No ano de 1826 em Portugal, morre D. João VI, e seu filho D. Pedro IV, residente no Brasil, vai ter que optar entre ser imperador do Brasil ou rei de Portugal. Escolheu o Brasil, e em 1826, abdica do trono de Portugal em nome da sua filha Maria da Glória.

Maria da Glória devia casar, logo que tivesse idade, com o tio D. Miguel, que foi nomeado regente de Portugal em 1826. Mas um levante absolutista liderado por D. Miguel, a 23 de junho de 1828, levou-o a autoproclamar-se rei de Portugal.

Começaram então as Guerras Liberais, que se prolongaram até 1834. Terminando o conflito em 24 de setembro de 1834, D. Maria II assumiu o governo de Portugal com quinze anos de idade. Teve um reinado conflituoso, marcado não só pela guerra civil, mas também por revoltas militares e populares.

Depois de um casamento não consumado com o seu tio D. Miguel, e de ter ficado viúva do seu segundo marido, pouco depois do matrimônio, é nos braços de D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha que encontra a felicidade e a alegria da maternidade.

D. Maria II recebeu vários títulos ao longo de sua vida, sendo chamada também de “A Educadora”, pela excelente educação que deu a seus filhos. A 15 de novembro de 1853, treze horas após o início do trabalho de parto do 11° filho, D. Maria II morreu.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Hoje é Sexta-Feira 13 (saiba mais sobre as lendas deste dia, que mexem com o nosso imaginário)

Hoje é sexta-feira 13. Rolam muitas lendas e superstições sobre a data. Não é fácil explicar o Mitolo42 (1)motivo pelo qual muitos temem as sextas-feiras 13. Mas alguns supostos eventos, de acordo com algumas crenças e história, amaldiçoaram a o dia.

As histórias mais conhecidas envolvem a crucificação de Jesus Cristo, que teria ocorrido numa sexta-feira, já que a páscoa judaica é comemorada no dia 14 do mês de Nissan, segundo o calendário Hebraico, além do fato que após uma ceia com 13 pessoas (os 12 apóstolos e o próprio Jesus).lokimatabalder

Também existe um conto da mitologia nórdica, em que um jantar para 12 deuses foi invadido por Loki, o espírito da discórdia, e resultou na morte de Balder, divindade da Justiça, o favorito dos deuses. Por isso é considerado mal agouro convidar treze pessoas para um jantar, mas tem pessoas que também consideram mal agouro porque os conjuntos de mesex131sa são constituídos por 12 copos, 12 pratos e 12 talheres.

Outra lenda diz que a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.BLODEUWEDD Deusa CELTA

De volta ao cristianismo, historiadores apontam o 13 de outubro de 1307, uma sexta-feira, como o dia em que o Rei francês Filipe IV declarou ilegal a Ordem dos Templários, cujos membros foram torturados e mortos por heresia.

Além das crentemplarios_imagens03 (1)ças antigas, a propagação do 12 como número completo, utilizado para medir os meses, signos do Zodíaco e tribos de Israel, desvalorizou o 13, cujo medo irracional causado nas pessoas ganhou o pomposo nome de triscaidecafobia – e, no caso do temor da própria sexta-feira 13.

Seja qual for a versão oficial, o que importa é que seu efeito assusta e seduz a nossa imaginação. Seu mau agouro serve como inspiração para a produção de filmes e músicas no intuito de entreter e assustar.

j2O mais famoso representante dessa leva é a série de filmes “Sexta-Feira 13”, que conta a história do assassino Jason Voorhees, que após morrer afogado ainda jovem, volta para assombrar aqueles que se aventuram pela colônia de férias Crystal Lake.

Apesar das dezenas de tiros, facadas e machadadas, o deformado psicopata, que esconde seu rosto por trás de uma máscara de hockey, sempre sobrevive para mais uma sessão de assassinatos. A lenda ainda afirma que Jason, não por acaso, nasceu em 13 de junho de 1946, uma sexta-feira.

j1O Jason já deve estar assombrando por aí, com o seu terçado em punho, no imaginário de alguns malucos.

Então isso não tem nada de azar e sim muita sorte. Vamos todos assombrar, confraternizar, beber cerveja, papear, rir e tudo o que nos fizer felizes.

Elton Tavares

Fontes: Último Segundo e Teclando no Trono.

Moedas e Curiosidades: “O dinheiro não fede” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Outro interessante item da minha coleção é um “As” de cobre com o rosto do imperador romano Vespasiano, o imperador que começou a construção do mais famoso símbolo do Império Romano: o Coliseu. Mas um fato curioso de sua administração foi que para aumentar a arrecadação do estado, resolveu taxa a urina humana!

A frase “Pecunia non olet” – significando que “o dinheiro não fede” ou “o dinheiro não está contaminado” – é uma famosa frase atribuída ao imperador romano Tito Flávio Vespasiano. O significado por trás das palavras é bastante simples: não importa como você conseguiu o seu dinheiro, porque tudo tem o mesmo valor.

O suicídio do imperador Nero em 68 d.C. trouxe um final abrupto da dinastia Júlio-Claudiana, que reinava desde Augusto, o homem que transformou Roma de república em império. Sem filhos sobreviventes ou herdeiros designados, o falecimento de Nero causou um vácuo de poder. Sem surpresa, proeminentes políticos e generais romanos aproveitaram-se da situação, lutando pelo trono imperial.

Entre os anos de 68-69 d.C., conhecidos como o “Ano dos Quatro Imperadores”, Roma viu quatro romanos poderosos reivindicarem o titulo de imperador. Isso resultou em uma guerra civil com quatro homens governando em curta sucessão: Galba, Otho, Vitélio e Vespasiano.

Ao contrário dos imperadores anteriores, Vespasiano não era de uma família nobre. Em vez disso, ele entrou no serviço militar e subiu nas fileiras em grande parte por seu próprio mérito. Mas independente de seu humilde começo, Vespasiano tinha um grande problema, o tesouro imperial estava praticamente esgotado pela guerra e pelos gastos excessivos de Nero.

Um item peculiar que Vespasiano decidiu taxar, foi a urina humana coletada em banheiros públicos. Como se constata, a urina humana tinha muitos usos na Roma Antiga. Para começar era amplamente utilizada para lavar roupas. Isso ocorre porque a urina continha uréia, que depois de 24 horas, transforma-se em amônia. A amônia por sua vez, é excelente na remoção de sujeira e gordura das roupas romanas, deixando as cores mais claras e brilhantes.

Enquanto o imposto da urina ajudou Vespasiano a equilibrar os cofres romanos, algumas pessoas eram contra a ideia. O mais famoso era o filho mais velho de Vespasiano e futuro imperador Tito, que expressou abertamente seu desgosto, foi então que seu pai lhe pediu para cheirar um monte de moedas e dizer se fedia. Quando Tito respondeu negativamente, Vespasiano brincou: “no entanto, vem da urina”.

Desde aquela época, a frase foi usada para promover a ideia de que o valor do dinheiro não é marcado pela sua origem. Mas, apesar das origens humorísticas desse termo, não podemos dizer que o imposto de Vespasiano não funcionou. De acordo com registros históricos, diz-se que Vespasiano deixou o tesouro romano cheio de dinheiro para os seus herdeiros.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Big Mac” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Para aumentar a minha coleção tive uma difícil missão, comer cinco sanduíches “Big Mac”. Todo esse delicioso sacrifício foi para adquirir as moedas comemorativas dos 50 anos do “Big Mac” – Flores Poderosas, Arte Pop, Formas Abstratas Ousadas, Tecnologia de Vanguarda e Evolução da Comunicação – as Mac moedas não tem valor monetário e só é resgatável por um “Big Mac” gratuito nos restaurantes McDonald’s participantes até 2018.

A McDonald’s Corporation é a maior cadeia mundial de restaurantes de “Fast Food” de hambúrguer, servindo cerca de 68 milhões de clientes por dia em 119 países. Com sede nos Estados Unidos, a empresa começou em 1940 como uma churrascaria operada por Richard e Maurice McDonald. Em 1948, eles reorganizaram seus negócios como uma hamburgueria que usava os princípios de uma linha de produção. O empresário Ray Kroc ingressou na empresa como franquiado em 1955. Em seguida, ele comprou a cadeia de restaurantes dos irmãos McDonald e expandiu a rede no mundo.

A receita da McDonald’s Corporation vem do aluguel, royalties e honorários pagos pelos franqueados, bem como das vendas em restaurantes operados pela empresa. Em 2012, a corporação teve uma receita anual de 27,5 bilhões de dólares e lucro de 5,5 bilhões. De acordo com um relatório de 2012 da BBc, o McDonald’s é o segundo maior empregador privado do mundo, atrás apenas do Walmart.

O McDonald’s vende principalmente hambúrgueres, cheeseburguers, frango, batata frita, itens de café, refrigerantes, milk shakes e sobremesas. Em resposta à evolução dos gostos dos consumidores, a empresa ampliou o seu menu para incluir saladas, peixes, wraps, smoothies e frutas.

O primeiro restaurante da McDonald’s no Brasil foi inaugurado em 1979, em Copacabana, no Rio de Janeiro. É uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil e um dos maiores empregadores de jovens no país, o McDonald’s reforça seu compromisso com a segurança e saúde do trabalhador e anunciou o apoio ao movimento “Abril Verde”, uma iniciativa que ressalta a discussão sobre a segurança e a saúde no ambiente de trabalho.

O sanduíche “Big Mac” – 2 carnes, alface, queijo, molho especial, cebola e picles em um pão de gergelim – foi criado por um franqueado americano Jim Delligatti, no estado da Pensilvânia, para atrair o público adulto para o restaurante. Ninguém iria imaginar que este sanduíche acabaria sendo o carro-chefe da rede desde então, vendendo cerca de 1,5 milhão da “Big Macs” por dia em todo o mundo.

No ano de 2018 em comemoração aos 50 anos do “Big Mac”, o McDonald’s lançou cerca de 6 milhões de moedas “Mac Coins” em restaurantes de 57 países, inclusive o Brasil. São cinco moedas diferentes, cada um referente a uma década de vida do famoso sanduíche. Elas foram distribuídas aos consumidores que pediram uma oferta do “Big Mac” em mais de 900 restaurantes da rede no país.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “O mais triste dos homens” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Na minha coleção tenho duas moedas de bronze feita na época do imperador Tibério César, um sestércio em homenagem ao imperador Otávio Augusto e um quadrante com a imagem de Tibério, moedas de grande circulação pelo Império Romano devido seu baixo valor.

Tibério César era filho do magistrado Tibério Cláudio Nero e de Lívia Drusilla. Sua mãe separou-se do pai quando ele e o irmão Druso eram bastante jovens, para casar com o imperador Otávio Augusto. Tibério foi educado para a carreira militar e fez brilhantes campanhas na Panônia e Dalmácia, o que lhe garantiu apoio popular.

Em 12 a.C. Tibério é obrigado a divorciar-se de sua mulher Vipsânia (o grande amor de sua vida) e casar com a herdeira de Otávio Augusto, Júlia Cesaris. Conquistou novas vitórias na Germânia e é adotado pelo imperador Otávio Augusto como filho em 4 d.C., que sem perspectiva de ter um herdeiro de descendência própria, este o nomeia sucessor.

Tibério César assume o Império Romano de 18 de setembro do ano 14 d.C. Em sua gestão o Senado perdeu influência, reduziu os gastos públicos, assegurou as fronteiras, exilou a comunidade judaica de Roma e determinou o fim dos duelos de gladiadores.

De personalidade tímida e reservada, mandou matar muitas pessoas, dentre elas vários de seus amigos. Paranóico por conspirações, Tibério passou seus últimos dez anos de vida, em Capri, onde morreu em 37 d.C. de causas naturais. Deixou o império ao sobrinho-neto Calígula e ao neto Tibério Gemelo.

As moedas romanas em circulação durante a maior parte da República e do Império Romano, incluía o áureo de ouro, o denário de prata, o sestércio, o fólis e o dupôndio de bronze e o asse de cobre. A autoridade para cunhar moedas pertencia, primordialmente, ao governo central em Roma, que emitia moedas de metal precioso. As províncias romanas podiam cunhar moedas de bronze de menor valor.

A moeda imperial mais comum no tempo de Jesus foi cunhada por Tibério César, e trazia a inscrição “Tiberius Caesar Divi Augusti Filius Augustus Pontifex Maximus” (Tibério César, filho Augusto do divino Augusto, sumo sacerdote). Era um denário especial que trazia a imagem (cabeça e pescoço) do imperador. Foi essa moeda que Jesus pediu que mostrassem, com a qual se pagava um tributo per capita, chamado “kenson” (“censo”, daí o imposto de recenseamento) com referencia ao fato de que todo habitante daquelas províncias (Judéia, Galiléia, etc) devia pagar.

A famosa frase “Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”, aparece em Mateus 22:15-22, registra três tentativas dos adversários de Jesus de fazê-lo entrar em contradição: a questão sobre o imposto, a questão sobre o levirato (irmão do marido) e a ressurreição, e a pergunta sobre o maior mandamento (o Senhor nosso Deus é o único Senhor).

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Malvinas ou Falklands?” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

No dia 02 de abril de 2012 a Argentina decidiu homenagear os trinta anos da recuperação das ilhas Malvinas, Geórgia e Sandwich do Sul do domínio colonial inglês, e lançou uma moeda bimetálica, com valor facial de 2 Pesos, com 7,2g de peso e 17mm de diâmetro.

As ilhas Malvinas, Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, são três arquipélagos situados no Oceano Atlântico, perto da costa da Argentina, que constituem um domínio colonial britânico desde 1833. Não obstante, desde a sua ocupação em 1690 foram motivos de conflito entre o Reino Unido, França e Espanha, e depois entre o Reino Unido e a Argentina.

Em 1965 a Argentina conseguiu que a ONU aprovasse a resolução 2065, qualificando a disputa como um problema colonial e convocando as partes para negociar uma solução, não obstante, as negociações não chegaram a uma decisão. Em 2 de abril de 1982 a Argentina invadiu as ilhas Malvinas, Geórgia e Sandwich do Sul dando inicio ao conflito pela posse das 3 ilhas com a Inglaterra.

Como toda guerra, a das Malvinas também teve uma parte obscura e secreta:

1. ARMAS NUCLEARES – os britânicos tinham 4 submarinos nucleares no Atlântico Sul, mas os ingleses negaram que eles estivessem com armas nucleares. O parlamento inglês decretou que todos os registros da guerra das Malvinas permanecessem secretos por 100 anos, enquanto o normal seriam 50 anos.
2. COMANDO SAS – os argentinos acreditavam que as forças do comando SAS britânico, invadissem o continente para ações de sabotagem. O presidente brasileiro na época, general João Baptista Figueiredo, em reunião com o presidente americano Ronald Reagan, alertou das graves consequências se os ingleses invadissem o continente sul-americano, pois poderia gerar um sentimento de revolta que transcenderia o território argentino.
3. VÔOS MISTERIOSOS – entre maio e junho de 1982 aconteceram alguns vôos suspeitos de aeronaves argentinas, que em rota de ida e volta até a Líbia do ditador Kadafi, pousaram em Recife para abastecer. Parece que Kadafi teria entregado armas de todo tipo junto com os temíveis mísseis Exocets.

As relações diplomáticas entre britânicos e argentinos ficaram suspensas e só foram reatadas em 1990. Mesmo assim, ainda existe um clima pouco amigável entre as duas nações.

Em fevereiro de 2012, 30 anos após o conflito, o governo argentino solicitou a reabertura do caso para negociações. O governo britânico recusou prontamente, causando novamente um mal-estar nas relações diplomáticas entre os dois países.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Lazaretos da Colômbia” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

As moedas (fichas) feitas para uso nos leprosários são muito interessantes na numismática, pois foram criadas para serem usadas em condições muito particulares, e na minha busca de itens para minha coleção, adquiri três moedas de 1921, feita de cupro-níquel, dos leprosários Lazaretos da Colômbia. Foi uma cunhagem especial para uso nas três colônias governamentais: Agua de Dios, Caño de Loro e Contratación.

A lepra historicamente tem afetado o subconsciente coletivo das sociedades, levando a alterar o seu comportamento e até mesmo o seu sistema de crenças e valores. A Hanseníase tem acompanhado a humanidade durante milhares de anos em locais conhecidos como leprosários.

Apesar de ser uma doença infecciosa, a Hanseníase não é muito contagiosa. Sabemos hoje em dia que apenas uma pequena parcela dos seres humanos são, suscetíveis à infecção, e isso só ocorre através do contato físico prolongado com pacientes de Hanseníase que não são tratadas. Apesar disso, as pessoas infectadas por essa doença, até pouco tempo eram tratadas como grupo de alto risco epidemiológico. Esta realidade se apresentou em diferentes países, onde as autoridades não hesitaram em mantê-los separados do resto da população nas colônias especiais chamadas de leprosários.

Estes leprosários se tornaram depósitos de doentes, onde 90% morriam, eram enterrados de cabeça para baixo com a crença de que não seriam ressuscitados.

A ignorância sobre a doença forçou a fabricação de moedas, cédulas e o uso de cupons próprios para uso interno nos leprosários. Estes “dinheiros” foram restritos ao uso de quinze países, incluindo o Brasil, que usaram estes meios para efetuar pagamentos dentro dos leprosários. As peças encontradas em coleções como a minha, são como testemunhas silenciosas de uma época marcada pela falta de conhecimento e pelo medo de uma doença, que foi estigmatizada como uma das piores na história da humanidade.

No começo do século XX, a Colômbia era um dos países com maior percentual de lepra no mundo. Essa doença tem origem na Índia e que Carlos Magno levou a Grécia e a África, e entrou na Colômbia pelo porto da cidade de Cartagena e se espalhou por todo o país.

A imagem escolhida para distinguir as moedas dos leprosários colombianos, era a Cruz da Ordem de São Lázaro de Jerusalém, uma cruz octogonal, também chamada de cruz templária ou as oito bem-aventuranças. Foram quase trinta anos em que as moedas circularam pelas mãos dos doentes, que também tiveram que usar uma roupa que os distinguia como leprosos.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “O Centro do Universo” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

A Alemanha tem uma política numismática muito interessante, pois sempre estão fazendo moedas e cédulas para homenagear eventos e personalidades, uma dessas é a moeda dos 500 anos do nascimento de Nicolau Copérnico, feita de prata 625 com valor facial de 5 Marcos, 29mm de diâmetro e 11,2g de peso, e na minha coleção tenho duas moedas do Nicolau Copérnico e seu Sistema Heliocêntrico.

Nicolau Copérnico é considerado o pai da astronomia moderna, nasceu em Tourum, na Polônia, em 19 de fevereiro de 1473. Copérnico era monge, matemático e astrônomo. É o autor da Teoria Heliocêntrica, segundo a qual o Sol é o centro do Universo.

Os filósofos do século XV aceitavam a Teoria Geocêntrica como verdadeira. Esse sistema cosmológico afirmava (corretamente) que a Terra era esférica, e também afirmava (erradamente) que a Terra estaria parada no centro do Universo.

Até então, a Igreja Católica – que controlava o poder religioso, político e econômico na Idade Média – adotava a Teoria Geocêntrica como correta, pois essa teoria tinha como base os estudos de Aristóteles e foi elaborada por Cláudio Ptolomeu, um astrônomo e geógrafo do século II, embora a esfericidade da Terra estivesse em aparente contradição com interpretações literais de algumas passagens bíblicas. .

Em sua obra “De Revolutionibus Orbium Coelestium” (do latim – Das Revoluções dos Corpos Celestes), Copérnico afirmava que a Terra não está fixa no centro do Universo, e sim girando em uma órbita circular ao redor do Sol, assim como os demais planetas.

Os estudos de Copérnico demoraram 30 anos para serem publicados, e sua prudência era justificada pelas constantes condenações da Igreja Católica a quem questionasse suas doutrinas oficiais. Em geral, as condenações resultavam em morte sob a acusação de heresia pela Santa Inquisição.

Os questionamentos à teoria que colocava a Terra no centro do Universo era um embate direto ao pensamento religioso. Isso tirou, além do planeta, o próprio homem do centro do Universo.

Entre os principais dogmas da Igreja Católica esta a de que o homem é feito à imagem e semelhança de Deus, estando, portanto no centro do Universo.

Os historiadores não têm consenso se Copérnico conseguiu ver o primeiro volume da sua obra. A impressão ocorreu no ano de sua morte, em 24 de maio de 1543.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Moedas e Curiosidades: “Olimpíadas Abaixo de Zero” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

O primeiro contato que tive com os Jogos Olímpicos de Inverno, foi quando assisti o filme “Jamaica Abaixo de Zero (Cool Runnings – 1993), que conta vagamente a história verídica da equipe de Bobsleigh da Jamaica. Recentemente adquiri na minha coleção uma das moedas comemorativas, a da Tocha Olímpica, dos jogos de Sochi 2014. Os organizadores das Olimpíadas de Sochi 2014, fizeram quatro moedas de cupro-níquel com valor facial de 25 Rublos para divulgar e homenagear o evento, com 27mm de diâmetro e 10g de peso, cada moeda representava um tema diferente dos jogos: o Emblema “Sochi 2014.ru”, as Mascotes Olímpicas, as Mascotes Paraolímpicas e a Tocha Olímpica.

A Olimpíada de Inverno de Sochi 20114, reuniu 3,5 mil atletas de 88 paises num balneário do sul da Rússia, às margens do Mar Negro. Foi a 22ª edição dos jogos, que reúnem modalidades praticamente desconhecidas no Brasil, praticados em países em que a neve e as temperaturas abaixo de zero são comuns.

Curiosamente, a Olimpíada se realizou em uma cidade em que a média das temperaturas mínimas nunca ficavam abaixo de 4°C. Temendo que faltasse neve durante o evento, os organizadores decidiram estocar toneladas dela.

A Olimpíada teve 98 medalhas de ouro em disputa, em provas de 15 esportes. Uma das modalidades mais curiosas é o Curling – um esporte ao estilo da bocha – em que os participantes deslizam oito pedras de granito de 20kg em uma pista de gelo de 45,5 metros.

Outro esporte interessante é a corrida de trenó, em que homens e mulheres em trajes apertados arriscam suas vidas em um túnel de gelo, onde as velocidades podem chegar a 150km/h. São três modalidades: Bobsleigh, Skeleton e Luge.

Apesar do calor predominante em todo o país, o Brasil teve 13 atletas competindo em sete modalidades, um recorde. A delegação pode parecer pequena, mas foi maior que a de países de clima frio, como Dinamarca, Bélgica e Islândia.

“Sochi 2014.ru” é até agora o único emblema que contém um domínio de internet. O espelho entre o “Sochi” e o “2014” refletindo significa a localização da cidade entre o mar e as montanhas. O principal componente deste logotipo são os anéis olímpicos que estão em tamanho grande, contrastando coma cor azul, mostrando que Sochi 2014 é um símbolo de progresso para o “Movimento Olímpico”. A mudança das cores e o design interior do resto do emblema encoraja as pessoas a se expressarem, misturando o emblema com imagens tradicionais ou então com uma visão ultra-moderna.

Os jogos foram realizados em dois locais, um na área costeira de Sochi, onde os eventos de gelo foram realizados, e outro na Clareira Vermelha, onde foram realizados os eventos de neve.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

50 anos de lançamento de “Space Oddity” (a canção foi feita por conta da corrida espacial)

Há 50 anos, a Apollo 11 era lançada rumo ao satélite da Terra. Também completam 5 décadas que o artista inglês David Bowie lançou o disco homônimo a ele, com a clássica faixa “Space Oddity”. O lançamento da canção, feito em 11 de julho de 1969, foi proposital para coincidir com a chegada da missão Apollo 11 à lua. A composição fala de um astronauta fictício, Major Tom, que saía da Terra para uma missão solitária no espaço. O nome da canção foi inspirada no filme “2001: A Space Odyssey, de Stanley Kubrick”.

Mesmo com uma letra pessimista em que Major Tom parece morrer ou ficar à deriva no espaço no fim, foi usada pela emissora BBC como trilha sonora da cobertura da chegada do homem à Lua. Garantiu o primeiro sucesso de Bowie até então – quinto lugar nas paradas do Reino Unido.

Space Oddity foi o nome usado pelos lançamentos em CD em 1984, 1990 e 1999. Para a reedição de 2009. A música, mistura de Folk e Rock, foi gravada com o acréscimo de sons misteriosos do Stylophone do compositor, um órgão eletrônico de Bowie.

A canção foi usada em um vídeo promocional chamado “Love You Til’ Tuesday”. A intenção do era a de vender Bowie para um novo selo, já que ele saíra da Dream Records em abril de 1968.

Outra teoria é que a música é uma metáfora para o uso de heroína, citando a contagem regressiva da abertura como análoga à passagem da droga pela agulha até o auge de euforia, e ressaltando que Bowie admitiu em 1968 “um pequeno flerte com smack [gíria para heroína]”.

De repente, 1969, ano do homem na lua, foi o mesmo momento que o “Star Man” fez contato com os seus parentes ET’s e sua casa, alguma estrela onde mora hoje em dia. Já disse e repito: David Bowie foi e é um dos caras mais fodas que andou sobre a terra. Morto em janeiro de 2016, aos 69 anos de vida (e que vida!). Ali foi genial!

Elton Tavares
Fontes: Wikipédia, Época

Saque o som e assista o vídeo da lendária música:

Space Oddity (Odisséia Espacial) – David Bowie

Controle de Solo para Major Tom
Controle de Solo para Major Tom
Pegue suas pílulas de proteínas e coloque seu capacete

Controle de Solo para Major Tom
(10,9,8,7)
Começando contagem regressiva e motores ligados
(6,5,4,3)
Checar ignição e que o amor de Deus esteja com você
(2,1)

Esse é o Controle de Solo para Major Tom
Você realmente teve sucesso
E os jornais querem saber de quem são as camisetas você usa
Agora é a hora de sair da cápsula se você tiver coragem

Aqui é Major Tom para Controle de Solo
Estou dando um passo pra fora da porta
E estou flutuando no jeito mais peculiar
E as estrelas parecem muito diferentes hoje

Estou sentado numa lata
Bem acima do mundo
A Terra é azul e não há nada que eu possa fazer

Porém eu ultrapassei cem mil milhas
Estou me sentindo bem calmo
E eu acho que minha nave espacial sabe onde ir
Diga pra minha mulher que eu a amo muito, ela sabe

Controle de Solo para Major Tom
Seu circuito pifou Há algo errado
Pode me ouvir Major Tom?
Pode me ouvir Major Tom?
Você pode…

Aqui estou flutuando em volta da minha lata
Bem acima da lua
A Terra é azul e não há nada que eu possa fazer…

Moedas e Curiosidades: “Aquarela do Brasil” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Em junho de 2019 estava em Belém participando de um evento, e aproveitei para fazer uma visita na loja do meu grande amigo Fragoso, na rua dos 48 n° 53, que promove um encontro semanal denominado “Sábados Numismáticos e Multicolecionismo na Frag’s”, e me deparei com essa linda moeda de prata 925, com 40mm de diâmetro e 27g de peso, que homenageia um dos maiores compositores brasileiros: Ary Barroso, não perdi a oportunidade de colocá-la na minha coleção.

João Evangelista Barroso, conhecido como Ary Barroso, nasceu em Ubá-MG, no dia 7 de novembro de 1903. Filho do advogado João Evangelista Barroso e Angelina de Resende Barroso, ficou órfão com 6 anos de idade e passou a ser criado pela avó materna e pela tia, que o ensinou a tocar piano. Com 12 anos de idade já trabalhava como pianista no Cinema Ideal de Ubá, acompanhando os filmes mudos. Com 15 anos começou a compor.

Em uma noite chuvosa de 1939, Ary Barroso resolve fazer uma música “cheia de inovações”, e meia hora depois a letra e a música “Aquarela do Brasil” estavam prontas. A música que exaltava o bom e o belo do Brasil foi levada para uma peça de Edmundo Lyz, porém passou despercebida. Voltou ao teatro em Joyoux e Balangandans, de Henrique Pongetti e foi interpretada por Cândido Botelho. Desta vez, foi muito bem recebida pelo público. Em outubro de 1939 a música foi gravada por Francisco Alves e logo se tornou um sucesso.

Ary Barroso foi convidado para fazer o fundo musical das aventuras de Zé Carioca em “Alô Amigos”, em 1942, com a música “Aquarela do Brasil”. Mais tarde incluiu as músicas: “Tabuleiro da Baiana” e “Os Quindins de Iaiá”, no desenho “Os Três Cavaleiros”. Ary Barroso ganhou notoriedade internacional e foi chamado três vezes para Hollywood para musicar outros filmes, entre eles, “Três Garotas de Azul”. Em 1944 foi indicado ao Oscar de melhor canção original com a música “Rio de Janeiro” do filme “Brasil”.

Ary Barroso não foi só autor de composições inusitadas e pitorescas, como também – em suas diversas atividades artísticas – teve comportamento diferente daqueles que normalmente se espera.

Na sua atividade radialista, por exemplo, mais precisamente na de locutor esportivo, Ary Barroso nunca escondeu sua paixão pelo futebol, nem seu fanatismo pelo Clube de Regatas Flamengo do Rio de Janeiro, e deixou sua marca nas diversas inovações que fez ao irradiar as partidas de futebol.

Ary Barroso faleceu no Rio de Janeiro, no dia 9 de fevereiro de 1964, em conseqüência de uma pneumonia, em um domingo de Carnaval, no dia em que a escola de samba Império Serrano lhe prestava uma homenagem com o enredo “Aquarela do Brasil”. Em 2008, a Academia Brasileira de Letras inclui a música “Aquarela do Brasil” entre as 17 composições “inquestionáveis do cancioneiro brasileiro”.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Hoje é o Dia Mundial do Rock !! (origem da data e história do estilo)

Amamos Rock and Roll e hoje (13) é o Dia Mundial do Rock. No dia 13 de julho de 1985, o produtor Bob Geldof organizou o “Live Aid”, um show histórico e simultâneo, realizado em Londres (ING) e na Filadélfia (EUA). O objetivo era o fim da fome na Etiópia. Lá se vão 34 anos do show que mudou a história do rock.

Em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8, para pressionar os líderes do G8 a perdoar a dívida externa dos países mais pobres Desde então, o dia 13 de julho passou a ser conhecido como Dia Mundial do Rock. Vamos resumir a ópera (tudo bem, é um resumão, mas vocês vão curtir):

Sr. Jazz e Sra. Blues

Há cerca de 70 anos, um casal de velhinhos, casados desde o fim da segunda guerra, ambos de pele escura, donos de vozes graves e um jeito simpatissíssimo, risonhos e alegres, que adoram “mexer as cadeiras”, como eles mesmos dizem, brigavam com uma vizinha, a Senhora Música Clássica. É, o Sr. Jazz e Sra. Blues não eram fracos.

Reza a lenda que quando eles saiam por aí juntos, ninguém era de ninguém, e por isso, até hoje é difícil saber quem são os verdadeiros pais dos quatro garotos que brotaram dessa relação tão moderna. O Rockabilly, Rock Progressivo, Hard rock e Rock Pop.

Rockabilly

Rockabilly, o irmão mais velho, herdou dos pais a incansável vontade de dançar. Na adolescência andou muito com um dos seus irmãos, o Rock Pop. Usava calça boca de sino, topete e óculos escuros, mesmo quando não fazia sol. Fez um tremendo sucesso entre as garotas quando jovem, mas se tornou um velho gordo.

Rock Pop

O Rock Pop está sempre na moda, mas quando quer dizer algo, se perde em suas contínuas mudanças de opinião. Já andou com todos os seus irmãos, mas sempre teve problemas com o Rock Progressivo. O que se sabe, é que ele está sempre montado na grana e quem anda com ele, sempre se dá bem financeiramente. Rock Pop é viciado em dinheiro e se vende por qualquer coisa. É normal ouvir falar por aí que ele é um enganador, mas nunca ninguém conseguiu uma prova concreta.

Rock Progressivo

O Rock Progressivo, por sua vez, está na cara, no corpo e no jeito de ser de um legítimo filho do Sr. Jazz e Sra. Blues. É um cara exibicionista, adora se “amostrar”, fazendo inúmeras loucuras. Às vezes, fica chato por demorar muito tempo em suas loucuras, só porque é difícil de fazer. Isso causa irritação em muitas pessoas, mas no fundo, é um cara bacana.

Hard Rock

O Hard Rock é o mais revoltado da família. Às vezes, no meio da diversão se torna meio dançante. Cabeludo, adora usar lenço na cabeça, maquiagem e vive fazendo poses homossexuais. Alguns o chamam de gay, outros dizem que ele só se comporta assim para causar impacto. O que se sabe é que na adolescência, ele era ninfomaníaco e usou e abusou das drogas. Mas logo casou e teve dois filhos. O primogênito Heavy Metal e o caçula Punk Rock.

Heavy Metal
Punk Rock

No meio disso tudo, a vizinhança comenta que o Sr. Blues teve um namoro sério com uma ativista política, e dessa relação surgiu o Rock, simples assim. Um rapaz afoito, naturalista e espontâneo. Nunca teve papas na língua e dizia exatamente aquilo que pensava. Às vezes era muito relaxado, tentou ser igual ao pai, mas não teve sucesso nessa tentativa e se frustrou. Surgindo daí um sentimento de revolta meio contido, que só era observado nas entrelinhas.

Dependendo do seu humor, ele não tá nem aí para nada. Fala de igualdade e exalta idéias comunistas. Este teve dois filhos com uma namorada linda e problemática. O Grunge e o Hard Core.

O Hard Core adora andar de skate pela casa, quebrando tudo, porém é um cara organizado, gosta de filmes de surf e tem o corpo todo tatuado. Às vezes fica meio EMOtivo e reclama muito da vida, mas todos sabem que é por causa da namorada que o trai o tempo todo.

Grunge

O Grunge é melancólico por natureza, também reclama muito da vida. Está na puberdade e por isso a sua voz desafina constantemente. Ele costumava levar a vida de uma forma suicida, anda dizendo para todo lado que nada importa…nevermind!!

Heavy

O Heavy Metal é um alcoólatra fortão, cheio de tatuagem de caveira pelo corpo. Adora andar a toda velocidade na sua Harley Davidson. É uma aficionado pela Mitologia Nórdica, Ocultismo e odeia a Igreja Católica. Alguns dizem que ele tem um pacto com o Diabo. Pois tem uma voz grave, mas quando grita, fica tão aguda que é capaz de quebrar os vidros do espelho. Tem fama de malvado, mas na verdade, não é. Trata-se de um cara gente boa, que se dá bem com todo mundo. Ele teve vários filhos: Thrash , Melódico, Prog Metal, Death, Black, Doom, Gothic, todos são muito unidos.

E isso aí, demos uma viajada, mas o que importa é que amamos o Rock and Roll. O estilo é fundamental para nós e nossos amigos. Costumamos comparar o Rock com o Universo. Os dois estão em constante expansão e em alta velocidade. Dizem por aí que o Rock morreu, ele nunca morre, só está em constante mudança, assim como nossas vidas.

É o velho lance de superar momentos difíceis, voltar com força total. Assim Raul, o pai do rock nacional, inventou o termo “metamorfose ambulante”. Ele se descreveu como pessoa e usou isso para explicar o rock and roll. O rock é imortal, ele nos salva da mesmice, basta protegê-lo de mãos erradas. Enfim, viva o rock and roll!

*Texto escrito há sete anos a quatro mãos por mim, Elton Tavares e André Mont’Alverne, nosso antigo colaborador.