Poesia de agora: Comentários a respeito da Vida – Jaci Rocha

Comentários a respeito da Vida

Vida! Quem dera um remoto controle,

mas ao vivo não tem replay
Pausa para ir ao banheiro
não tem mocinhos ou bandidos
nem mesmo um super-herói
dentro de um secreto esconderijo.

Ah! deve ser por isso
que a gente corre para o cinema
ou põe na telinha um romance
meio que comédia
– esquece o apelo cotidiano da tragédia –

existir é coisa de gente bruta, meu bem
amar é para quem tem coragem de ir além
e é cada coisa louca que inspira emoção
– Mesmo tudo que habita o apelo do não.

Aqui, o segundo vira sem garantia de sucesso
às vezes nem mesmo um nexo,
e a nossa temporada é cancelada inesperadamente
há tempos de flor, outros de esperar e regar a semente…

ah! mundo real,
belo e cruel.

A dor é mesmo dor
Na tragicomédia ambígua de um maluco inventor
pois eis, que entre o concreto e o cotidiano
Nasce flor, verso, arte e amor…

O código reto da realidade,
não tem título, não existe segunda temporada
Apenas os fios do agora,
puxados entre o nunca mais e a eternidade…

E eu, que brinco de normalista*
Ando por aí cheia de fórmulas e antigas teorias
Finalmente descobri na última curva da estrada
Que não sei mesmo nada,
não sei nada e talvez jamais saiba…

É que ao vivo, meu bem, não tem sinopse
é de sustentar o porte
Como bem me disse Martha
“Pena a vida não ter corte”!

(E se tiver, esteja certo:
“às vezes não sara nunca,
às vezes, sara amanhã”)

Jaci Rocha

Música de agora: Imitation Of Life (Imitação de Vida) – R.E.M.

Imitation Of Life (Imitação de Vida) – R.E.M.

Charadas, habilidade popular,
Jacinto aquático,
Nomeado por um poeta
Imitação de vida

Como uma moeda em um laguinho congelado
Como um peixe-dourado em um aquário
Eu não quero te ouvir chorar

Aquela cana-de-açúcar estava tão gostosa
Isso é canela, Isso é Hollywood
Venha cá, venha cá
Ninguém pode te ver tentar

Você quer a maior coisa
A maior coisa desde que o pão veio fatiado
Você tem tudo
Você pegou tudo já medido

Como uma adolescente de um desfile de modas
De sexta-feira congelando no canto
Tentando parecer que você não tenta

Aquela cana-de-açúcar estava tão gostosa
Isso é canela, Isso é Hollywood
Venha cá, venha cá
Ninguém pode te ver tentar

Ninguém pode te ver chorar

Aquela cana-de-açúcar estava tão gostosa
Aquela chuva congelante, que é o que você poderia
Venha cá, venha cá
Ninguém pode te ver chorar

Esta cana-de-açúcar, esta limonada
Este furacão, eu não estou com medo
Venha cá, venha cá
Ninguém pode te ver chorar

Esta tempestade relampejante, este maremoto
Esta avalanche, eu não estou com medo
Venha cá, venha cá
Ninguém pode me ver chorar

Aquela cana-de-açúcar estava tão gostosa
Isso é quem você é, isso é o que você poderia
Venha cá, venha cá
Ninguém pode te ver chorar

Aquela cana-de-açúcar estava tão gostosa
Isso é quem você é, isso é o que você poderia
Venha cá, venha cá
Ninguém pode te ver chorar

 

Processo seletivo do SENAI Amapá oferta mais de 200 vagas em cursos gratuitos – Inscrições encerram HOJE!

Para quem deseja se qualificar para o mercado de trabalho, de maneira gratuita e com a facilidade do ensino remoto, chegou a hora. O SENAI Amapá abriu processo seletivo que prevê oferta de 240 vagas em quatro cursos. Os candidatos que desejarem participar devem se inscrever exclusivamente pela internet, no período de 27 a 29 de julho, por meio da Loja Mundo SENAI (https://loja.mundosenai.com.br/ap).

As capacitações terão duração de 2 meses e estão distribuídas da seguinte maneira:

Assistente de Controle de Qualidade – 60 vagas

Desenhista de Produtos Gráficos (web design) – 60 vagas

Assistente Administrativo – 60 vagas

Auxiliar de Produção de Celulose e Papel – 60 vagas

Direcionado a candidatos de baixa renda, o edital exige (confira a íntegra do documento aqui: https://bit.ly/3rCfYTj), ainda, que o candidato tenha no mínimo 14 anos completos na data de início do curso, além de possuir habilidades para manusear recursos de internet e do Pacote Office básico. Também é necessário dispor de ferramentas para realização do curso (internet, notebook, computador, celular ou tablet).

Resultado – A lista dos classificados será disponibilizada no site do SENAI Amapá e nas escolas no dia 30 de julho. Caso os aprovados na primeira seleção não compareçam para entrega de documentos, será lançada uma segunda chamada, dia 4 de agosto, com os nomes que ficaram no cadastro reserva. O resultado final será conhecido dia 6 de agosto e as aulas vão iniciar no dia 9 do mesmo mês.

Informações – Dúvidas sobre o processo seletivo poderão ser sanadas pelo endereço de e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp (96) 98406-1825.

Ascom SESI/SENAI – AP
Contato: (96) 3084-8944
E-mail: [email protected]

Ewerton França gira a roda da vida. Feliz aniversário, mano! – @ewertonfranca

É vinte e nove de julho e Ewerton França  gira a roda da vida. Apesar de termos perdido o contato e nunca mais (há anos) não formamos uma paideguice juntos, fico feliz pelo ano novo particular deste amigo. Pois o cara é gente fina e por isso lhe rendo homenagens em seu aniversário.

Assessor de comunicação da Prefeitura de Macapá, violinista, jornalista, publicitário, fotógrafo, nerd em tempo integral, relações públicas, crossfiteiro, produtor de rádio, meu fornecedor de séries e filmes, viajante imparável, colega de profissão e querido amigo, Ewerton França é uma figura. Um dos caras que não tem nada a ver comigo, mas por quem tenho grande respeito, consideração e amizade. Afinal, afinidade nem sempre é sinônimo de brodagem.

França é um cara porreta, prestativo, responsável e boa praça. Um baita cara paid’égua sempre com um sorriso no rosto e uma palavra positiva.

Conheci o Ewerton há 10 anos, quando trabalhamos juntos na comunicação do Governo do Amapá. Sempre digo e repito: a gente não anda junto, não saímos pra beber (até porque o brother não curte a cachaça, mas bebo por nós dois e mais uns 10 jornalistas) e não nos falamos frequentemente. Mas nos gostamos.

Sempre que precisei do amigo, ele chegou como o Gandalf ao amanhecer. Foi assim na cobertura de incontáveis eventos, sugestões de títulos, pedidos de fotos, revisão de textos, entre outras tantas demandas jornalísticas.

Digo que além de trabalhar de forma correta, meus amigos ajudam a este gordo. Ewerton é uma dessas pessoas que formam uma grande rede de segurança em volta de mim. Sou grato por isso.

Ewerton, manão, tu és demais considerado do gordo aqui e boto fé que esse consideramento é recíproco. Que teu novo ciclo seja ainda mais feliz, rentável, produtivo e que tudo que couber no teu conceito de felicidade se realize. E que a Força sempre esteja contigo. Que sigas com muita saúde e sucesso junto dos teus amores.

Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Precisamos de uma nova fotos juntos, mano.

Programa Academia & Futebol reabre vagas para professor e monitor

Licenciados em Educação Física, estudantes e demais profissionais podem concorrer a bolsas para atuar em núcleos de prática de futsal e futebol voltados a adolescentes e jovens no entorno dos campi do Ifap

O Instituto Federal do Amapá (Ifap), por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Proeppi), lança edital de reabertura de processo de seleção interna e externa de bolsistas para vagas de coordenadores e monitores do projeto de extensão “Programa Academia & Futebol do Ifap”. Podem concorrer licenciados em Educação Física e estudantes, bem como pessoas com experiência em projetos desportivos, sendo servidores do Ifap ou não. As inscrições ocorrerão de 26 a 30 de julho. Para ler o Edital nº 14/2021/ Proeppi/ Ifap e ter mais informações, clique aqui.

As inscrições serão gratuitas e ocorrerão exclusivamente através do preenchimento e envio do formulário disponível no link Formulário de Inscrição. No ato da inscrição, o candidato à vaga de professor deverá anexar um único arquivo em formato PDF contendo os documentos digitalizados: carteira de identidade e CPF, diploma, formulário de pontuação declarada preenchido, com comprovantes de todas as atividades declaradas devidamente numeradas. O candidato monitor deverá anexar um único arquivo em formato PDF contendo carteira de Identidade e CPF e formulário de pontuação declarada.

O Programa Academia & Futebol é fruto de parceria com o Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor. Será desenvolvido no Ifap com prazo para a execução de até 21 meses, com a implantação de núcleos de vivência e centros de excelência nos campi Laranjal do Jari, Oiapoque, Porto Grande e Santana e no Centro de Referência Pedra Branca do Amapari.

Estão sendo ofertadas neste processo de seleção vagas remanescentes para os núcleos de Oiapoque e Pedra Branca do Amapari – cada com uma bolsa mensal disponível, no valor de R$ 1.500, para professor de Educação Física – e mais cadastro reserva tanto para professor como para monitor nos demais núcleos. A bolsa mensal para monitor é no valor de R$ 600. Serão selecionados cinco candidatos por vaga no Cadastro de Reserva.

Para ser selecionado como professor, o candidato deve ser licenciado em Educação Física e, para ser selecionado como monitor, é preciso ter, no mínimo, 18 anos e experiência comprovada com atividades desportivas.

A avaliação do candidato ocorrerá pela análise de títulos, com total máximo de 50 pontos. No caso de empate será classificado em primeiro o candidato que comprovar mais tempo de experiência. Ao persistir o empate, prevalecerá o candidato com maior titulação, ainda assim persistindo, o de maior idade. A classificação não caracteriza a obrigatoriedade de convocação imediata para a realização das atribuições pelo profissional, estando a critério da necessidade do projeto.

No Programa Academia & Futebol, o professor terá carga horária 20 horas semanais e será responsável pelo planejamento, organização e execução das atividades conforme seu plano de trabalho, supervisão do uso de materiais e infraestrutura, treinamento de futsal e/ou futebol visando a estimular o desenvolvimento de capacidades técnicas, táticas e cognitivas relacionadas ao esporte, organização de eventos (campeonatos, eventos científicos) e apresentar, semestralmente, de relatório de atividades executadas no projeto. Já o monitor, também com carga horária 20 horas semanais, irá auxiliar o professor de Educação Física em todas as suas atribuições.

Serviço:

Suely Leitão, jornalista da Reitoria
Diretoria de Comunicação – Dicom
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: [email protected]

Centro de Cultura Negra será revitalizado com emenda de Randolfe

Localizada no tradicional bairro do Laguinho, a sede da União dos Negros do Amapá (UNA), será revitalizada com emenda parlamentar do senador Randolfe Rodrigues (REDE) e do deputado federal Camilo Capiberibe (PSB).

Nesta quarta-feira (28), uma visita técnica dos parlamentares e de representantes da Prefeitura de Macapá, juntamente com representantes da comunidade, tratou sobre o desenvolvimento do projeto a ser executado pelo Município.

Ao todo, já estão empenhados para a obra R$ 600 mil, sendo R$ 300 mil do senador Randolfe Rodrigues e mais R$ 300 mil do deputado Camilo Capiberibe.

Na primeira consulta aos movimentos que trabalham pela restauração do centro, foi levantado que a reforma poderá contar com a revitalização dos seguintes espaços: museu, área administrativa e o Palco Afro, espaço destinado para a realização de grandes eventos.

Autor de uma das emendas parlamentares que garantirão a retomada do espaço histórico, o senador Randolfe Rodrigues comentou sobre o novo momento para o centro cultural.

“Hoje participamos de uma atividade que tem um significado histórico para o Amapá. Demos o pontapé inicial na escuta das comunidades quilombolas para a reconstrução do Centro de Cultura Negra. Esse é o centro da cultura, da identidade, da religiosidade do povo preto do Amapá. É com muito orgulho que estou aqui, para a execução dessa emenda minha e do deputado Camilo”, disse Randolfe.

Serviço:

Texto: Júlio Miragaia
Fotos: Lee Amil
Assessoria de comunicação do senador Randolfe Rodrigues

Mais vida, menos grana – Crônica hedonista de Elton Tavares (com Ilustração de Ronaldo Rony)

Ilustração de Ronaldo Rony

Crônica hedonista de Elton Tavares

Certa noite , ao conversar com amigos e dizer que não guardo um vintém do que ganho com o meu suado trabalho, eles ficaram assombrados. Disseram que é loucura, que ‘issos’ e ‘aquilos’, especialmente sobre reservas econômicas para possíveis emergências. Eu disse que prefiro mais vida e menos grana.

Não, não é que eu não goste de dinheiro. Claro que gosto, mas tudo que ganho, no batalho e sempre honestamente, é repassado para custos operacionais e caseiros. O restante é gasto e muito bem gasto em vida. E não sobra nadica de nada para acumular.

Além da minha incorrigível falta de perspicácia financeira, nunca ganhei somas consideráveis com meus trampos, seja este site, na assessoria de comunicação ou escritos (sim, vivo literalmente de palavras). Mas o que entrou no meu bolso, apesar de eu não conhecer essa tal de economia, jamais foi desperdiçado.

Eu bebo e não é pouco. Como da mesma forma. Gosto de viagens e dos momentos em que fiz um monte de merdas legais com os meus brothers. Isso tudo custa caro. Em nem todo o dinheiro do mundo poderia comprar aqueles dias de volta. Ou seja, mais vida, menos grana.

Quando não usei minha grana pra curtir a vida com amigos, ajudei pessoas. E essa é a melhor forma de torrar os trocados. Como disparou outro gordo louco no passado: “não quero dinheiro, eu só quero amar”. Grande Tim!

Falando em citações (amo usar frases de ídolos), uma vez o Belchior disse: “e no escritório em que eu trabalho e fico rico, quanto mais eu multiplico, diminui o meu amor“, na canção “Paralelas”. Boto fé nisso.

Algumas pessoas que conheci no passado, amigos e até familiares, após se estribarem, ficaram um tanto pavulagem demais e com suas vidas muito menos divertidas.

E isso me recorda o bom e velho Johnny Cash, que certa vez pontuou: “às vezes eu sou duas pessoas. Johnny é o legal. O dinheiro causa todos os problemas. Eles lutam”.

Ou os Paralamas do Sucesso, na canção “Busca a vida”: “…Ele ganhou dinheiro, ele assinou contratos, e comprou um terno e trocou o carro. E desaprendeu a caminhar no céu …e foi o princípio do fim!“.

Aos que desaprenderam o caminho, deixo a canção-poema : “Desejo que você ganhe dinheiro, pois é preciso viver também. E que você diga a ele pelo menos uma vez quem é mesmo o dono de quem“.

No meu caso, sigo dando mais valor em viver do que em poupar para um futuro incerto. Menos grana, mais vida, meus amigos.

É isso!

Elton Tavares

A MALÁRIA DE GALLUCIO – Crônica porreta de Fernando Canto

 

Quando leio nos jornais que um novo surto de malária está ocorrendo nas comunidades indígenas do Oiapoque, pergunto logo quando será que essa doença, que já vitimou tanta gente, será erradicada.

Amigos e conhecidos morreram dessa doença terrível. Vi pessoas no interior e aqui mesmo em Macapá tremendo de febre e me senti impotente diante da falta de remédio e de outros recursos para poder ajudá-las. Sabia que ela era uma doença infecciosa causada por um parasito do gênero plasmodium, transmitida entre pessoas por um mosquito chamado anofelino, mas me confundia com os nomes dados a ela: maleita, sezão, impaludismo, febre intermitente, tremedeira, febre terçã, febre quartã, etc…

E se hoje ela ainda mata muita gente, imaginem então nos tempos da Colônia. Em 1752 Mendonça Furtado veio à Macapá para tentar conter uma grande epidemia de malária, acompanhado do único médico da província do Grão-Pará. Anos depois, em 1769, Galúcio, o engenheiro construtor da Fortaleza de São José, morreria de “hidropezia” (segundo o médico-cirurgião da obra), a acumulação de líquido seroso em tecido ou em cavidade do corpo, e uma consequência da maleita, pois os plamódios vivem nos glóbulos vermelhos e no fígado do homem. Outros sintomas são os acessos febris, a anemia, que resulta da destruição contínua dos glóbulos vermelhos e a esplenomegalia, que é o aumento do baço.

Mas ainda que a malária seja uma doença frequente nos países tropicais, não é exclusiva deles. Nas vastas regiões pantanosas do norte da Europa, nas regiões bálticas, no sul da Suécia, Holanda e muitas outras regiões têm ocorrido focos de malária. Ela é uma enfermidade conhecida desde a Antiguidade. Os textos de Hipócrates já falavam de febres intermitentes acompanhadas da descrição dos sintomas característicos, como aumento do tamanho do baço e anemia. Hipócrates discorria ainda sobre as causas da doença. Por exemplo, recomendava construir as cidades no alto das montanhas ou em ladeiras, evitando os vales e a proximidade com os pântanos e zonas úmidas. Segundo os escritos, nos vales e zonas pantanosas o “ar impuro” provocava enfermidades de todo tipo. Daí se pode compreender melhor o significado do termo malária, que vem do italiano “mal aria”, ou seja, mal ar.

O papel que esse mal tem desempenhado na humanidade é muito maior que supomos habitualmente. Há testemunhos escritos de que as “febres” despovoaram cidades inteiras. Éfeso, na Grécia, cidade que São Paulo sempre visitava foi destruída por ela. A transformação do rio Caistro em zona pantanosa, as guerras, os terremotos e a expansão dos pântanos contribuíram para a sua destruição, precipitada pelas epidemias de malária que selaram para sempre o destino de seus habitantes. Durante as campanhas napoleônicas no norte da Itália (1796 e 1797, em especial em Mantua, muitas baixas foram causadas pelas temidas febres. Curiosamente foi nessa cidade que nasceu Henrique Galúcio.

Os conquistadores espanhóis trouxeram a malária ao Novo Mundo, de onde precisamente vem o primeiro remédio eficaz contra a doença: o quinino, que se obtém das árvores do gênero Chinchona. Sua eficácia gerou a importação indiscriminada da árvore pelos europeus, a partir do século XVII, e se converteu num negócio muito lucrativo em que os jesuítas também participavam. A produção do quinino provocou uma elevação generalizada nos preços e o aparecimento de falsificações. Só em 1854 é que os holandeses começaram a cultivar as árvores nas suas colônias da Ásia, o que veio cobrir totalmente a demanda.

Muitos avanços ocorreram na história da malária, mas apesar disso os estados do norte ainda convivem com ela. E são preferencialmente os pobres e necessitados das mais longínquas paragens da Amazônia os mais atingidos por ela.

Amigo Cydiclair Nunes gira a roda da vida. Feliz aniversário, Cydi!

Paideguices em Macapá, Sampa e DF.

Tenho alguns companheiros (brothers) com quem mantenho uma relação de amizade e respeito, mesmo a gente com pouco contato pessoalmente. É o caso do Cydiclair Nunes. Ele gira a roda da vida neste vigésimo sétimo dia de julho e lhe rendo homenagens, pois o cara é brother das antigas.

Cyd é um cara inteligente, boa praça, educado, batalhador, empenhado no que se propõe e trabalhador. Ele é auditor do Banco do Brasil (BB), instituição que ele entrou como menor aprendiz, virou estagiário, passou em concurso, tornou-se servidor, gerente e, há alguns anos, está Brasília (DF) exercendo nobre função em sua bonita carreira bancária.

Cid de branco no meio da gente no final do show do Morrissey – Brasília (DF) – 2015

Além de profissional competente, ele é pai amoroso do Enrico, Giovanna e Valentina, fã de Rock and Roll e “gueron”(dance music dos anos 90), amante de cervas enevoadas, boa gastronomia e viajante do mundo, além de velho amigo e companheiro de shows de rock deste editor. Um figura gente fina, prestativo e, sobretudo, um homem de bem.

Nem lembro ao certo em que ano conheci o Cydi, mas faz tempo. Mesma época em que fiz amizade com o Boca e Patrick. Éramos companheiros nas noites quentes no extinto Star Night Clube e de reuniões etílicas, sempre com trilha sonora porreta.

Fernando Canto, Cyd e eu – Encontro porreta em 2019.

O cara sempre foi responsável. Enquanto a gente tava pirando demais nos anos 90, Cydi fazia as ondas e equilibrava com muito trampo na sua precoce carreira no BB.

De uns anos pra cá, Cydi Nunes é parceiro de momentos ímpares na minha vida: shows de Rock. A gente já viu muitas bandas e cantores renomados internacionalmente em Sampa e capital federal.

Eu, Anderson, Emerson e Cyd, na fila pra entrarmos no show do U2, em 2017 – São Paulo.

Dono de vasta cultura geral, militante dos direitos humanos e politizado (do jeito certo) ele possui bom papo e humor invejável. É uma excelente companhia.

Enfim, Cydi é um cara tranquilo, ponderado, coerente e safo. Eu o considero um amigo querido e este texto é um registro disso. Ele também é membro fundador da Cúpula do Trovão e inventor de merdas firmes nos nosso virtual bate papo diário.

Como o Cyd não mora aqui, tivemos que colocar ele no meio da Cúpula do Trovão.

Cydi, “tu saaaabes”, Patinhas! Que a força sempre esteja contigo. Que teu novo ciclo seja ainda mais produtivo, próspero e que tenhas sempre saúde e sucesso junto dos teus amores. Saúde, sucesso e sabedoria sempre. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

Marina Beckman gira a roda da vida. Feliz aniversário, broda! – @marinabeckman

Com Marina e senador Randolfe, no Carnaval do Bar do Abreu, em 2018.

Acredito que tem gente que nasce artista e outros se empenham  para aprender a ser e se tornam, de fato. Tenho muitos amigos queridos na classe artística de Macapá e de todas as vertentes e segmentos. Hoje, neste vigésimo sétimo dia de julho, uma dessas pessoas talentosas gira a roda da vida, a muito querida Marina Beckman.

Marina é atriz, arte – educadora, produtora, ativista cultural há 20 anos, iluminadora, perfomer, fundadora da Cia. Supernova e diretora de Teatro. Ela também manda bem como gestora, pois seu trampo como a diretora do CEU das Artes e diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult) provaram isso.

Seu talento à frente do espetáculo Novo Amapá, no qual atua na direção por muitos anos, é outra prova de seu brilho. Gosto de gente que trabalha pela cultura, que faz a coisa acontecer. Beckman é um desses seres invejáveis e necessários. Ela é fera no que se propõe a fazer.

Tive o prazer de trabalhar com ela quando as equipes do MP-AP e PMM organizaram várias edições do Luau da Samaúma. Ela é virada; realmente uma daquelas figuras que cai dentro do trampo e resolve.

Além de artista de alto nível e gestora de primeira linha, Marina é gente fina, divertida, inteligente, descolada, uma mulher porreta. Como gosto de escrever e divulgar cultura e adoro felicitar os meus amigos em seus natalícios, este texto junta tudo isso. Pois a Marina é PHODA!

Marina, querida, que seu novo ciclo da vida seja ainda mais iluminado, produtivo e rentável. E que sigas com saúde e sucesso junto aos teus amores. Portanto, vida longa, com doses exageradas de equilíbrio e sabedoria. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Marina, precisamos de mais fotos juntos, pois só tenho essa que ilustra o parabéns. 

Operação Covid: fiscalização do MP-AP resulta em prisões, interdição e multa de estabelecimentos comerciais neste fim de semana

A Operação Covid-19, de fiscalização do cumprimento das medidas sanitárias para evitar a proliferação do coronavírus e verificar a efetividade dos Decretos Estadual e Município de Macapá, teve continuidade nos dias 23, 24 e 25. As equipes, sob a coordenação da promotora de Justiça e coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MP-AP), Andréa Guedes, com o apoio do Núcleo de Inteligência do Ministério Público (NIMP), inspecionaram diversos bares, restaurantes e pontos comerciais, como mercantis e distribuidoras de bebidas.

As forças de Segurança Pública se dividiram em duas equipes para fiscalizar regiões da capital. Durante a fiscalização, ocorreram flagrantes de aglomerações, pessoas sem uso de máscara, estabelecimentos funcionando fora do horário permitido e identificação de festas clandestinas. Algumas pessoas foram presas em flagrante, delito com base no Art. 268 do Código Penal e na Lei Federal n. 13.979 de 2020.

Os locais foram multados pela equipe de fiscalização em virtude do descumprimento do decreto, uma vez que estavam funcionando além do horário permitido e excediam o limite máximo de 50% de ocupação, causando aglomeração de pessoas e sem seguir os protocolos de segurança estabelecidos.

Na sexta-feira (23), a equipe constatou aglomeração e excesso de lotação em cinco estabelecimentos da Zona Sul, todos os gerentes foram multados e dois bares foram interditados. Uma hamburgueria localizada no Centro também foi multada, desta vez por funcionar além do horário permitido. Na mesma ação foi dispersada aglomeração de pessoas na Rua Pedro Lazarino no bairro Buritizal.

Ainda na sexta-feira, atuando na Zona Norte e em parte Central, a operação realizou duas notificações e duas multas em quiosques da Praça do Coco e um som foi apreendido. Um comércio foi fechado no bairro Novo Horizonte.

Já no sábado (24), a fiscalização começou por estabelecimentos em partes do Centro e na Zona Sul de Macapá. Quiosques da Praça do Coco foram fechados e pessoas foram dispersas por aglomeração, assim como na Avenida Tupis, próximo ao canal das pedrinhas e na Orla do Santa Inês, mas sem autuação. Já um boteco situado na Rua Jovino Dinoá foi autuado e fechado por descumprir a lei.

No mesmo dia também houve a averiguação da concentração de carros de som na segunda arena do bairro Zerão, que iriam para uma festa clandestina. Apenas três carros foram encontrados, sem som alto, também houve outra averiguação na Zona Sul, mas não foi confirmada. Na Duca Serra houve a tentativa de averiguação de uma festa clandestina, mas não foi possível pelo difícil acesso. A festa foi confirmada em registros.Na noite de sábado, desta vez na Zona Norte, um estabelecimento localizado no bairro Pacoval, foi multado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam) no valor de R$ 1,5 mil e notificado pela SVS por estar funcionando sem a documentação necessária, bem como outro estabelecimento no bairro São Lázaro, que tomou multa de R$ 3 mil. Apenas um estabelecimento, localizado na rodovia do Curiaú, estava funcionando fora do horário permitido e foi orientado a fechar. Outros 3 encontros entre pessoas que ingeriam bebida alcoólica em via pública foram dispersados. Os participantes foram apenas orientados. Na mesma noite, em uma festa clandestina no Loteamento São José, 23 participantes foram conduzidos até a delegacia por descumprimento do decreto municipal no quesito aglomeração, Lei Seca, toque de recolher e não utilização de máscaras, mas, logo em seguida foram dispensados.

No domingo (25) o comboio se deslocou ao Distrito da Fazendinha, onde se constatou descumprimento dos decretos municipal e estadual, que proíbem aglomeração de pessoas e lotação de mais de 50% em restaurantes. No local, um restaurante foi autuado e, seguidamente, as equipes da Seman e da SVS o autuaram e multaram em R$ 2.000,00 (dois mil reais). Ainda, algumas pessoas que estavam na praia foram dispersadas.

Na mesma ação, as equipes seguiram até a orla do Araxá, mas o local estava tranquilo e sem aglomerações, assim como a praça Beira-Rio e a Orla do Santa Inês. No Canal do Jandiá, as equipes se depararam com aglomeração, descumprimento ao decreto, pessoas bebendo nos logradouros e sem a utilização de máscaras de proteção, diante disso, foi feita a dispersão dos indivíduos.

Durante a noite de domingo, na Zona Norte, houve a dispersão de pessoas aglomeradas no Curiaú, no Balneário do Terra Nova e atendimento de denúncia de aglomeração na Rua Francisco Xavier das Chagas, no bairro Jardim Felicidade II. No local, apenas o som estava em volume alto e o morador imediatamente atendeu o pedido da equipe e diminuiu o volume. Não foi constatada aglomeração no local.

Ação contínua

O MP-AP faz parte de uma força-tarefa, composta pelas forças de segurança do Estado e equipes de vigilância do Estado e Município de Macapá e Santana, que foi criada para intensificar a fiscalização de aglomerações e demais práticas de descumprimento dos decretos Estadual e dos Municípios de Macapá e Santana, para combater o avanço da Covid-19 nas duas cidades mais populosas do Estado.

Serviço:

Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]