Música de agora: Dreams (Sonhos) – The Cranberries

Dreams (Sonhos) – The Cranberries

Oh, minha vida está mudando a cada dia
De todas as maneiras possíveis
Oh, meus sonhos – não são bem o que parecem
Nunca como parecem

Sei que já senti isso antes
Mas agora sinto ainda mais
Porque veio de você
E eu me abro e vejo
Que a pessoa que caia sou eu
Um modo diferente de ser

Eu quero mais, impossível ignorar
É impossível ignorar
Eles vão se realizar, impossível que não se realizem
Impossível que não se realizem

E agora te digo abertamente
Você tem meu coração, então não me magoe
Você é algo que eu não pude encontrar
Uma cabeça tão fantástica
Tão compreensiva e gentil
Você é tudo pra mim

Oh, minha vida está mudando todos os dias
De todas as maneiras possíveis
Oh, meus sonhos – não são bem o que parecem
Porque você é um sonho pra mim, sonho pra mim…

Música de agora: Dreams Never End (Sonhos Nunca Acabam) – New Order

Dreams Never End (Sonhos Nunca Acabam) – New Order

Minha promessa poderia ser seu demônio
Um término dado aos seus sonhos
Um movimento ou uma rima simples
Poderiam ser o menor dos sinais
Nunca saberemos o que eles são ou do que gostam
Nessa visão escapista
Não há saída, tão poucos com medo
Desistir num valor mutável
Para ser dado à sua visão
Escondido numa longa noite pacífica
Um noiva nervosa para seus olhos
Um sorriso fraturado que morre logo
Um amor que está errado, de sua vida e alma
Um lado selvagem em mim, começou
Oi, adeus a seu amor e sua alma
Oi, adeus à sua alma
Agora eu sei o que estas mãos fariam
Sem olhar para trás agora, estamos levando a cabo
Mudaremos nossos sentimentos, experimentaremos e veremos
Mas nunca adivinharemos como ele gritaria
Mas nunca adivinharemos como ele gritaria
Mas nunca adivinharemos como ele gritaria

Música de agora: Cruel -Luiz Melodia (composição de Sérgio Sampaio)

Cruel – Luiz Melodia (composição de Sérgio Sampaio)

Tudo cruel, tudo sistema
Torre babel, falso dilema
É uma dor que não esconde o seu papel
São Carlos, morro, Borel
Eu subo e nunca estou no céu

Tudo João, nada na mesa
Deu no jornal, mãos na cabeça
Um marginal que já não pode mais fugir
Vai reagir
Menino é bom ficar de olho aí

Que tudo é desse mundo
Surpresa também
Espinho é bem mais fundo
Destino também
O amor tá quase mudo
Minha voz também
Cruel é isso tudo

Tudo tão mal, tão sem beleza
Doce de sal, lágrima presa
O que eles falam não se deve nem ouvir
Verbo mentir
Menino é bom ficar de olho aí

Música de agora: Diz Que Fui Por Aí (composição de Nelson Cavaquinho) – Versão de Luiz Melodia & Seu Jorge

Diz Que Fui Por Aí (composição de Nelson Cavaquinho) – Versão de Luiz Melodia & Seu Jorge

Se alguém perguntar por mim
Diz que fui por aí
Levando o violão debaixo do braço

Em qualquer esquina eu paro
Em qualquer botequim eu entro
Se houver motivo
É mais um samba que eu faço

Se quiserem saber se eu volto
Diga que sim
Mas só depois que a saudade se afastar de mim

Tenho um violão para me acompanhar
Tenho muitos amigos, eu sou popular
Tenho a madrugada como companheira

A saudade me doi, o meu peito me roi
Eu estou na cidade, eu estou na favela
Eu estou por aí
Sempre pensando nela

Música de agora: Jigsaw Falling Into Place – Radiohead

Jigsaw Falling Into Place (O quebra-cabeça se encaixa) – Radiohead

Assim que você pega na minha mão
Assim que você anota o meu número
Assim que as bebidas chegam
Assim que eles tocam sua música favorita
E a conversa perde a graça
E você para de falar que nem uma matraca
Antes de você se cansar
Volta e se concentra
As paredes se derretem
E o seu sorriso do gato de alice
Desfoca tudo ao seu redor
Você tem uma missão aqui
Antes da coruja piar
Antes do animal gritar
Pras câmeras de segurança
Antes do coma alcóolico

Antes de você fugir de mim
Antes de você se perder no barulho
A batida não para, não para
A batida não para, não para
Na verdade eu nunca consegui
Sempre fingi que consegui
Quem precisa de instrumentos?
Palavras são balas perdidas
Vem e deixa rolar
Vem e deixa rolar
Vem e deixa rolar
Vem e deixa rolar
Antes de você fugir de mim
Antes de você se perder no barulho
E pegar o microfone
E sair dançando, dançando, dançando…

Os quebra-cabeças se encaixam
E não há nada pra explicar
Vocês se olham quando se cruzam
Ela olha pra trás, você olha pra trás
E não só uma vez
E não só duas vezes
Faça o pesadelo sumir
Faça o pesadelo sumir
Há uma luz escondida em você
Há uma luz escondida em você
E os quebra-cabeças se encaixam

Música de agora: Vamos Fugir – Skank (composição de Gilberto Gil)

Vamos Fugir – Skank (composição de Gilberto Gil)

Vamos fugir!
Deste lugar
Baby!
Vamos fugir
Tô cansado de esperar
Que você me carregue

Vamos fugir!
Pr’outro lugar
Baby!
Vamos fugir
Pr’onde quer que você vá
Que você me carregue

Pois diga que irá
Irajá, Irajá
Pra onde eu só veja você
Você veja a mim só
Marajó, Marajó
Qualquer outro lugar comum
Outro lugar qualquer

Guaporé, Guaporé
Qualquer outro lugar ao sol
Outro lugar ao sul
Céu azul, céu azul
Onde haja só meu corpo nu
Junto ao seu corpo nu

Vamos fugir!
Pr’outro lugar
Baby!
Vamos fugir
Pr’onde haja um tobogã
Onde a gente escorregue

Vamos fugir!
Deste lugar
Baby!
Ah! Vamos fugir
Tô cansado de esperar
Que você me carregue

Pois diga que irá
Irajá, Irajá
Pra onde eu só veja você
Você veja a mim só
Marajó, Marajó
Qualquer outro lugar comum
Outro lugar qualquer

Guaporé, Guaporé
Qualquer outro lugar ao sol
Outro lugar ao sul
Céu azul, céu azul
Onde haja só meu corpo nu
Junto ao seu corpo nu

Vamos fugir (Gimme your love)
Pr’outro lugar
Baby! (Gimme your love)
Vamos fugir
Pr’onde haja um tobogã
Onde a gente escorregue
Todo dia de manhã
Flôres que a gente regue
Uma banda de maçã
Outra banda de reggae

Tô cansado de esperar
Que você me carregue
Pr’onde quer que você vá
Que você me carregue
Pr’onde haja um tobogã
Onde a gente escorregue
Todo dia de manhã
Flores que a gente regue
Uma banda de maçã
Outra banda de reggae
Tô cansado de esperar
Que você me carregue

Música de agora: Capitão De Indústria – Os Paralamas do Sucesso

Capitão De Indústria – Os Paralamas do Sucesso

Eu às vezes fico a pensar
Em outra vida ou lugar
Estou cansado demais
Eu não tenho tempo de ter
O tempo livre de ser
De nada ter que fazer
É quando eu me encontro perdido
Nas coisas que eu criei
E eu não sei

Eu não vejo além da fumaça
O amor e as coisas livres, coloridas
Nada poluídas
Ah, Eu acordo prá trabalhar
Eu durmo prá trabalhar
Eu corro prá trabalhar

Eu não tenho tempo de ter
O tempo livre de ser
De nada ter que fazer
Eu não vejo além da fumaça
Que passa e polui o ar
Eu nada sei
Eu nao vejo além disso tudo
O amor e as coisas livres, coloridas
Nada poluídas

Eu acordo prá trabalhar
Eu durmo prá trabalhar
Eu corro prá trabalhar
Eu não tenho tempo de ter
O tempo livre de ser
De nada ter que fazer
É quando eu me encontro perdido
Nas coisas que eu criei
E eu não sei
Eu não vejo além da fumaça
O amor e as coisas livres, coloridas
Nada poluídas
Ah, Eu acordo prá trabalhar
Eu durmo prá trabalhar
Eu corro prá trabalhar

Música de agora: Desesperar, Jamais – Ivan Lins

Desesperar, Jamais – Ivan Lins

Desesperar jamais
Aprendemos muito nesses anos
Afinal de contas não tem cabimento
Entregar o jogo no primeiro tempo

Nada de correr da raia
Nada de morrer na praia
Nada! Nada! Nada de esquecer

No balanço de perdas e danos
Já tivemos muitos desenganos
Já tivemos muito que chorar
Mas agora, acho que chegou a hora
De fazer valer o dito popular
Desesperar jamais
Cutucou por baixo, o de cima cai
Desesperar jamais
Cutucou com jeito, não levanta mais

Música de agora: Drão – Gilberto Gil

Drão – Gilberto Gil

Drão!
O amor da gente
É como um grão
Uma semente de ilusão
Tem que morrer pra germinar
Plantar nalgum lugar
Ressuscitar no chão
Nossa semeadura
Quem poderá fazer
Aquele amor morrer
Nossa caminhadura
Dura caminhada
Pela noite escura…

Drão!
Não pense na separação
Não despedace o coração
O verdadeiro amor é vão
Estende-se infinito
Imenso monolito
Nossa arquitetura
Quem poderá fazer
Aquele amor morrer
Nossa caminhadura
Cama de tatame
Pela vida afora

Drão!
Os meninos são todos sãos
Os pecados são todos meus
Deus sabe a minha confissão
Não há o que perdoar
Por isso mesmo é que há de haver mais compaixão
Quem poderá fazer
Aquele amor morrer
Se o amor é como um grão
Morre, nasce trigo
Vive, morre pão
Drão!
Drão!

Música de agora: Passarinhos – Emicida (Part. Vanessa da Mata)

Passarinhos – Emicida (Part. Vanessa da Mata)

Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa…

Despencados de voos cansativos
Complicados e pensativos
Machucados após tantos crivos
Blindados com nossos motivos
Amuados, reflexivos
E dá-lhe anti-depressivos
Acanhados entre discos e livros
Inofensivos

Será que o sol sai pra um voo melhor
Eu vou esperar, talvez na primavera
O céu clareia e vem calor vê só
O que sobrou de nós e o que já era
Em colapso o planeta gira, tanta mentira
Aumenta a ira de quem sofre mudo
A página vira, o são delira, então a gente pira
E no meio disso tudo
Tamo tipo

Passarinhos
Soltos a voar dispostos
A achar um ninho
Nem que seja no peito um do outro
Passarinhos
Soltos a voar dispostos
A achar um ninho
Nem que seja no peito um do outro

Laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá

A Babilônia é cinza e neon, eu sei
Meu melhor amigo tem sido o som, ok
Tanto carma lembra Armagedon, orei
Busco vida nova tipo ultrassom, achei
Cidades são aldeias mortas, desafio nonsense
Competição em vão, que ninguém vence
Pense num formigueiro, vai mal
Quando pessoas viram coisas, cabeças viram degraus

No pé que as coisas vão, jão
Doidera, daqui a pouco, resta madeira nem pro caixão
Era neblina, hoje é poluição
Asfalto quente queima os pés no chão
Carros em profusão, confusão
Água em escassez, bem na nossa vez
Assim não resta nem as barata
Injustos fazem leis e o que resta pro ceis?
Escolher qual veneno te mata
Pois somos tipo

Passarinhos
Soltos a voar dispostos
A achar um ninho
Nem que seja no peito um do outro
Passarinhos
Soltos a voar dispostos
A achar um ninho
Nem que seja no peito um do outro

Laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá

Passarinhos
Soltos a voar dispostos
A achar um ninho
Nem que seja no peito um do outro
Passarinhos
Soltos a voar dispostos
A achar um ninho
Nem que seja no peito um do outro

Música de agora: Push (Empurre) – The Cure

Push (Empurre) – The Cure

Vamos, vamos, vamos!
Empurre-o para longe
Não, não, não!
Não me deixe ficar…

Ele fica do lado de dentro para olhar pra ela
A boca dormente
A boca que sabe
O seu segredo
Sempre você
Um sorriso para esconder o medo pra longe
Oh! Lambuza esse homem pela parede
Como morangos e creme
É o único jeito de ser

Exatamente a mesma sala limpa
Exatamente a mesma cama limpa
Mas desta vez eu fiquei longe tempo demais
E eu tive também que ajustar este tempo…

Música de agora: Sometimes You Can’t Make It On Your Own – Às vezes você não consegue sozinho (U2)

Sometimes You Can’t Make It On Your Own – Às vezes você não consegue sozinho (U2)

Teimoso, você acha que entende das coisas
Você diz pra mim e pra qualquer um
Que você é duro o suficiente

Você não tem que resistir
Você não tem que estar sempre certo
Deixe que eu levo alguns golpes
Por você essa noite

Me escute agora
Eu preciso que você saiba
Você não precisa aguentar isso sozinho

E é você quando me olho no espelho
E é você quando atendo o telefone
Às vezes você não consegue sozinho

Nós brigamos o tempo todo
Você e eu… está tudo bem
Nós somos a mesma alma
Eu não preciso… não preciso ouvir você dizer
Que se não fossemos tão parecidos
Você gostaria muito mais de mim

Me escute agora
Eu preciso que você saiba
Você não precisa aguentar isso sozinho

E é você quando me olho no espelho
E é você quando atendo o telefone
Às vezes você não consegue sozinho

Sei que não conversamos
Já estou cheio de tudo isso
Você pode me ouvir quando canto?
Você é a razão de eu cantar
Você é o motivo pela opera estar em mim

Onde estamos agora?
Eu tenho que te deixar saber
Uma casa não é necessariamente um lar
Não me deixe aqui sozinho

E é você quando me olho no espelho
E é você que faz isso ser difícil de passar
Às vezes você não consegue sozinho
Às vezes você não consegue
O melhor que você pode fazer é fingir
Às vezes você não consegue sozinho

*De Bono Vox para seu pai.

Música de agora: O Patrão Nosso de Cada Dia – Secos e Molhados

O Patrão Nosso de Cada Dia – Secos e Molhados

Eu quero o amor
Da flor de cactus
Ela não quis

Eu dei-lhe a flor
De minha vida
Vivo agitado

Eu já não sei se sei
De tudo ou quase tudo
Eu só sei de mim
De nós
De todo o mundo

Eu vivo preso
A sua senha
Sou enganado

Eu solto o ar
No fim do dia
Perdi a vida

Eu já não sei se sei
De nada ou quase nada

Eu só sei de mim
Só sei de mim
Só sei de mim

Patrão nosso
De cada dia
Dia após dia

Música de agora: Metal Contra As Nuvens – Legião Urbana

Metal Contra As Nuvens – Legião Urbana

I

Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E, por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra tem a lua, tem estrelas
E sempre terá.

II

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

Olha o sopro do dragão…

III

É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais

Tenho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.

IV

– Tudo passa, tudo passará…

E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.

E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos.