Conto Archive

Amor, louco, amor (microconto)

Ao se verem pela primeira vez, ela o olhou e devaneou: “gostei desse doido”. Por sua vez, ele, sem juízo, ajuizou: “curti essa maluca”. E foram felizes para sempre no manicômio do Hospital das Clínicas. Fim. Elton

O pouso do anjo viajante (Conto ´porreta de Fernando Canto)

Conto de Fernando Canto Anjo migrador anda silencioso pelo trapiche que ora aporta – barco de sonhos, nave de asas longas. O anjo tem a pele avermelhada como a de um de buriti flutuante ao sabor da

PORCA – Conto de Fernando Canto

Conto de Fernando Canto Eu insistia com ela todas as noites de lua cheia. – Para com essa história de se transformar em porca, mulher. Não aguento mais esse cheiro de lama. Era um segredo nosso que

O Doce Reencontro dos Loucos – Conto

Por muitas vezes o universo deles se corrompeu e entrou em colapso. Na verdade, incontáveis vezes. Aí o caos chegou e fez casa por um longo período. Por causa da loucura e amores contrariados, traçaram caminhos diferentes.

O RETRATO AZUL – Conto de Fernando Canto

Conto de Fernando Canto E agora estou aqui, engolindo este silêncio seco, sem saber o que dizer para você. Por tantas vezes você me acariciou os sonhos e os cabelos e me aparou de quedas vertiginosas, falando

Uma tarde com a Big-Big – Conto marginal de Fernando Canto

Conto marginal de Fernando Canto Porra, eu andava puto porque tinha sido demitido da TV que trabalhava porque em uma transmissão ao vivo a Big Big apareceu e pegou no meu pau e eu gritei de dor.

CORNUCÓPIA DE DESEJOS – Conto de Fernando Canto

Conto de Fernando Canto Por querer expressar meu pensamento sobre as coisas em meu idioma, às vezes arrebato o próprio coração em sofridas angustiosidades e dissentimentos infaláveis. Por isso monologo no granito e lavo em água este

A cantora e o violonista (II parte) – Conto de Elton Tavares (republicado)

Depois de muitas noites a tocar sozinho, o violonista encontra a cantora. Aquela com quem ele já fez uma dupla de sucesso. Como dito antes, ele é bom com seu violão, mas ela sempre foi sensacional! Resolveram

CONVERSA FORA – Miniconto de Fernando Canto

Miniconto de Fernando Canto Todos os dias, no final da tarde, quando sentavam em frente às suas casas, os vizinhos daquele bairro jogavam conversa fora. E tanto falavam, falavam, que as palavras foram tomando conta das ruas

O CAVALO DA DOCA – Conto de Fernando Canto

Conto de Fernando Canto Dava para ver o tempo passar lá fora, tão lento que era e se afigurando como nuvem na imaginação dos homens e mulheres, dos velhos e das crianças. O sol da tarde queimava,

A SUCURI – Conto indígena de Fernando Canto

Era ainda princípio de mundo quando Ianejar já havia criado os seres que mais tarde iriam compor o conjunto de animais sobre a terra. Todos eles tinham a mesma aparência, falavam a mesma língua e não mostravam

A HORA DA DANAÇÃO – Conto porreta de Fernando Canto

Conto de Fernando Canto Depois de vencer sete eleições consecutivas para deputado estadual, o escamoso líder do Partido da Estrela Negra, Maciel Fallabuonna enfim perdeu a disputa eleitoral naquele ano, possivelmente por causa dos inúmeros escândalos de

Vinícius de Moraes e o sábado de aleluia (Conto de Régis Sanches)

De acordo com o jornalista Régis Sanches, que me contou isso nos tempos que bebíamos juntos, o saudoso Vinícius de Moraes, “poeta e diplomata, o branco mais preto do Brasil”, teria passado uma cantada malandra numa mulher

A “Invenção Sexual” do Zé Ramos – Crônica porreta de Fernando Canto

Por Fernando Canto Todo mundo percebeu aflição do Zé Ramos naquela Quarta-Feira da Murta. O Marabaixo corria pela noite com as velhas senhoras rodopiando as saias coloridas pelo salão. O Zé suava tocando a caixa que a