Devaneio de hoje: Talvez, no sábado!


Talvez, no sábado, eu vá ao cinema ou a algum boteco que toque o velho Rock and Roll. Talvez, no sábado, a gente jante fora ou somente se agarre. Talvez sábado a gente faça uma farra épica, para que domingo só descanse e trabalhe em paz na segunda-feira. 

Talvez, no sábado, role algum show legal ou reunião de Brothers. Talvez vá ao Clube de Cinema, ou boteco do Tássio. Talvez, neste sábado, eu vá beber com os meus amigos na casa do Macaco, quem sabe? 

Queria que, como antigamente, aos sábados, eu fosse a feira com meus avós ou tia, tomasse garapa com pastel; ajudasse a tia Maria a lavar a Brasília amarela. Sinto saudade dos sábados com meu pai, no almoço na casa da avó Peró, ao som de MPB e regado a cervejas. Ah, como sinto saudades daqueles sábados!

Lembrou Vinícius de Moraes que sábado é o “Sexto Dia da Criação”. Já Nelson Rodrigues ressaltou que “o sábado é uma ilusão”. Concordo mesmo é com Clarice Lispector, que disse: “acho que sábado é a rosa da semana” ou Chico Buarque, em Construção, ao devanear “E flutuou no ar como se fosse sábado”. 

Os sábados, assim como os outros dias, são cheios de “talvez” e a única certeza é trabalharmos para sermos felizes, não só no sábado, mas sempre. 

Então, um ótimo sábado pra todos nós!

Elton Tavares
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*