Família de Mestre Julião Ramos prepara festejos do Ciclo do Marabaixo


No bairro do Laguinho os preparativos para o Ciclo do Marabaixo continuam, e até o início dos festejos, a Associação Cultural Raimundo Ladislau, promete deixar tudo organizado para a temporada deste ano. O Ciclo inicia no dia 20 de abril, domingo de Páscoa, e segue até 22 de junho, Dia de Corpus Christi, e uma programação, onde estão incluídas rodadas de marabaixo, bailes, novenas e missas, será realizada em devoção à Santíssima Trindade e Divino Espírito Santo.  

A Associação existe desde 1988 e é formada por familiares e amigos da família de Mestre Julião Ramos, que foi um dos precursores do marabaixo no Amapá, e, junto com sua família, veio do centro da cidade para povoar o Laguinho, em meados dos anos 40 e trouxe junto a tradição. Tia Biló, única filha viva de Julião Ramos, é a matriarca da festa, que mistura o religioso com o lúdico, e ainda participa da programação. Este ano os festeiros são Iury Soledade e Raimundo Ramos, bisneto e filho de Tia Biló.

A programação começa com o Marabaixo da Ressurreição, e tem um intervalo até dia 24 de maio, quando os preparativos para o louvor a Santíssima Trindade e Divino Espírito Santo reiniciam com a retirada dos mastros no Quilombo do Curiaú. Para cada homenageado, dois mastros, que são levantados ao amanhecer, após uma noite inteira de marabaixo, seguindo a tradição secular. Intercalados com o marabaixo, os devotos rezam, fazem e pagam promessas e participam de festas dançantes, que rememoram os Bailes dos Sócios da Santíssima e do Divino.

As rodadas de marabaixo, novenas e bailes acontecem na casa da Tia Biló, na avenida Eliezer Levy, entre Mãe Luzia e José Tupinambá.

Texto: Mariléia Maciel
Fotos: Márcia do Carmo
Assessoria de Comunicação
*Clique nas fotos para melhor visualização 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *