Fotos e saudosismo


Quem lê está página há pelo menos um ano, sabe: sou nostálgico. Um saudosista inveterado. Aí, aproveitei a onda do Facebook (todos estão colocando fotos de quando eram moleques, por conta da Semana da Criança) fui mexer em fotos antigas. Eu sei, é uma modinha de internet e tals. Mas quem visita este blog também sabe: gosto de fotos!

Foi legal ver minha família em tantos momentos felizes eternizados nas velhas fotos. Olhar para o meu falecido pai e sentir que ele vive aqui dentro. Ver o quão eu era e permaneço agarrado com todas aquelas pessoas nas imagens congeladas e impressas. 

Sem esforço de fugir da citação clichê: “Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia”. Sim, lógico. Nunca é. Mas ver as minhas fotos moleque me trouxe lembranças muito legais. Sério mesmo, tive uma infância incrível. Graças aos meus pais, que sempre fizeram tudo por mim e pelo meu irmão, Emerson. 

Falando no mano, que mora em Belém (PA), as fotos acenderam ainda mais a minha saudade diária do sacana. 

As  velhas imagens dos anos 70 e 80 constatam que um dia fui mais alto que o Merson. Mas depois o caçula me deixou em baixo (só nas fotos, pois na vida ele sempre me bota pra cima). É, brodagem antiga e amor eterno pelos meus. 

Como diz o sábio amigo Fernando Canto: “de um tempo que fomos para nos tornarmos o que somos. E toma-lhe memória afetiva! Enfim, sou um saudosista. É isso!

Elton Tavares 
  • Foto de tempos felizes é como saudade congelada. Vendo a foto de vcs dois lembro o quanto o teu irmão era engraçado,ainda deve ser. Ja tu inventava de tudo, inclusive apelidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *