O Capitão Açaí e a tocha olímpica – Crônica de Ronaldo Rodrigues

13233264_10201616192004205_42295737_n (1)

Crônica de Ronaldo Rodrigues

O Capitão Açaí fez uma rápida pesquisa entre seus familiares e a legião de admiradores e chegou à conclusão de que a maior celebridade do Amapá é ele mesmo, o próprio, o fabuloso Capitão Açaí. Com essa constatação, que nem precisava de pesquisa, se viu em condições de concorrer ao cargo de carregador da tocha olímpica. Carregador é meio estranho, mas procurei no Google e é assim que se referem a quem vai pagar esse mico, ops!, a quem vai ter essa honra.

A comissão organizadora checou o curriculum e ficou muito satisfeita, declarando que o Capitão Açaí preenche plenamente os requisitos exigidos. E o nosso herói foi além: declarou que era, aqui no Brasil, o representante legal de seu colega de super-heroísmo, o Tocha Humana. Logo, não poderia faltar. Disse também que sua presença entre as personalidades que irão conduzir a tocha pelas ruas de Macapá afastará pessoas de má intenção, como, por exemplo, alguns dos nossos ilustres parlamentares. Algum deles pode roubar a tocha. O valor é simbólico, mas há muitos políticos em que não dá pra confiar. Declaração do Capitão Açaí:

– Eu não coloco a mão no fogo da tocha olímpica por esses caras!

Ainda usando de seu renome, solicitou à comissão organizadora que a passagem da tocha se dê no período da noite. Como tem muita queda de energia em Macapá, a tocha iluminaria, ainda que por alguns minutos, os lugares que sofrem com essas falhas na rede elétrica, o que deixa os moradores chocados. Outra reivindicação do herói, feita com todo o cuidado, pra não abusar de seu prestígio: que ele não seja colocado entre os atletas de elite (ainda os políticos oportunistas citados no parágrafo anterior), que, com toda a certeza, não perderão a oportunidade olímpica de aparecer nesse espetáculo de gosto duvidoso. Declaração do Capitão Açaí:

– Carregar o fogo olímpico ao lado desses caras será muita queimação!

As considerações do Capitão estão sendo avaliadas. Enquanto isso, ele se prepara com muito afinco para o evento. Corre todos os dias, observando o seguinte roteiro, que o mantém com um preparo físico invejável:

– Corrida pelas ruas esburacadas de Macapá.
– Corrida pelas calçadas irregulares e entupidas de carros e estabelecimentos comerciais.
– Corrida pra se livrar de assaltos.
– Corrida pra pegar ônibus. Se perder um, o próximo só dali a uma hora.
– Corrida pra fugir dos mosquitos que causam doenças.

Quando chegar o momento de carregar a tocha, o Capitão Açaí estará em forma, representando muito bem a nossa terra. Agora é só esperar o grande dia. Força, Capitão Açaí! Estamos contigo! Mas joga essa fumaça pra lá!

O Capitão Açaí é personagem do cartunista Ronaldo Rony


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *