Promessas vazias ou falta de atitude?

                                                                                       Por Enzo Ballarini 

Hoje eu começo a me exercitar. Hoje eu termino de ler aquele livro que está esquecido na minha cabeceira. Hoje eu corto o cabelo e faço a barba. Hoje eu sou outra pessoa. Essas e outras promessas que vão caindo no esquecimento ao final do dia. E então outro dia recomeça e… Lá vamos nós de novo.


Nós somos tão desenvolvidos, tão avançados, mas às vezes me pergunto se somos os mais aptos.

Claro, muitos animais também caem no conformismo e vivem na mesma situação por muito tempo, mas acho que eles não são lá muito racionais. E quanto a raça humana, que sabe o que é melhor pra si, que distingue perfeitamente o bem, o mal, o socialmente aceito, as regras e morais, e tem perfeito conhecimento do que está a sua volta?

Nós somos extremamente conformistas e relaxados. Afinal, pra que melhorar? Pra que ser mais inteligente? Nos apegamos tanto ao material que vivemos em função do mesmo. A grande maioria prefere comprar a TV dos sonhos a uma enciclopédia completa.

Continuamos comprando a melhor geladeira e o melhor fogão pra continuar comendo a mesma porcaria de sempre, os mesmos fast-foods, nossas tão queridas “junkie foods”. Nem vou começar a entrar no âmbito “junkie”, senão vamos ter uma overdose de drogas de informação. Ou desinformação.

Todos os dias eu me proponho a mudar drasticamente. Mudar quem eu sou e como eu me relaciono com a sociedade e comigo mesmo. Ao menos dessa vez eu fiz algo, escrevi um texto. Próxima vez talvez não ocorra o mesmo. Quem sabe esse não é o começo de um extenso período do que nossos antigos filósofos gostavam de chamar de “ócio produtivo”. E quanto a você, já arrumou uma produção nesse ócio?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.