Secult, em parceria com o Prodap, trabalha para lançar Portal da Cultura e Sistema Estadual de Informações e Indicadores Culturais

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e o Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap), alinharam, em reunião realizada nesta terça-feira (17), na sede do Prodap, os últimos ajustes para o lançamento do Portal da Cultura e do Sistema Estadual de Informações e Indicadores Culturais (SEIIC). O objetivo é atingir todo o Estado e mapear os artistas de diversos segmentos para compor nosso Mapa Cultural amapaense.

A previsão é que o Portal da Cultura seja lançado ainda neste mês de setembro. A equipe de TI da Secult criou os scripts iniciais da página.

Durante o encontro, os titulares da Secult, Evandro Milhomen e do Prodap, Lutiano Silva, acompanhados de suas respectivas equipes técnicas, acertaram os detalhes e as atribuições de cada uma das instituições para o lançamento e funcionalidade das páginas.

De acordo com Evandro Milhomen, quando o site estiver em funcionamento, serão lançados os editais do SEIIC, que objetiva contemplar diversos segmentos culturais.

Os primeiros serão o hip-hop, a capoeira e os de matriz africana, via convênios federais. O secretário ressaltou que, para participar, artistas e produções precisarão estar cadastrados pelo SEIIC, por meio do endereço eletrônico.

“Com o site, poderemos executar as políticas culturais previstas no SEIIC, receber recursos federais e usufruir do fundo de cultura para garantir, de forma ampla, apoio aos diversos segmentos em todo o Amapá. A partir da página eletrônica, será mais fácil efetuarmos a abertura de Editais para todas as contratações de atrações feitas pela Secult, para assegurar a participação democrática dos artistas e produtores. Além da promoção de capacitações sobre prestação de contas para as entidades que trabalham com todas as vertentes artísticas-culturais, incentivando-as a se manterem e assim fortalecer o cenário cultural”, detalhou o secretário Evandro Milhomen.

Sobre o SEIIC

O SEIIC, que faz parte dos Instrumentos de Gestão do Sistema Estadual de Cultura, criada pela lei 2.137 sancionada em 2017, abrange os planos estadual e municipal de Cultura, fundos do Estado e municípios, além dos conselhos de Cultura. Com esses elementos, as políticas públicas culturais poderão ser desenvolvidas. No sistema, que deverá ser interligado ao nacional e aos municipais, também estão as diretrizes e estratégias para o segmento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *