Artistas realizam show para ajudar cantora com suspeita de câncer

lady1

“A música é Púrpura”, este é o show que mais de 50 artistas organizam para este sábado, 14, às 19h, no Teatro das Bacabeiras, em apoio a Lady Púrpura, que recentemente viajou muito debilitada para o Pará, com suspeita de câncer e com o agravante de sofrer de diabetes agressiva. A cantora está em tratamento no Hospital Abelardo, no município de Icoaracy, com poucos recursos e, neste momento difícil, conta com a solidariedade de amigos que estão doando sua arte em prol de restabelecer a saúde dessa companheira.

O show “A música é Púrpura” conta com a participação e a ajuda de músicos, cantores de todos os segmentos e atores. Serão duas horas de muita boa música, com ingressos sendo vendidos ao valor simbólico de R$ 10,00. Toda a bilheteria será encaminhada à filha da cantora, Amanda, que a acompanha no tratamento, para bancar os exames necessários, estadia, alimentação e demais necessidades.

A campanha também ganha corpo nas redes sociais, e quem puder ajudar e ampliar esta corrente do bem, com qualquer valor, a família e os amigos agradecem. Basta fazer o depósito na Conta Corrente – Ag.: 0487-1; Conta: 0613984-1, Banco Bradesco, em nome de Maria Regina Martins Barros.

Marileide Martins Barros, conhecida como Lady Púrpura, é pioneira da velha guarda da MPB e MPA no Amapá. Sua voz grave e inconfundível passeia por baladas nacionais, blues, samba, forró. De comportamento livre e sempre alegre, interage singularmente com o público, sem falar na afinidade com os palcos, sejam eles grandes ou pequenos, conferindo a ela uma atuação sempre emocionante. Embora seja excepcional cantora, a vida de Púrpura, como de outros artistas que sonham viver da música, nunca foi moleza. Para sustentar os filhos e sobreviver, ela já trabalhou como diarista e como vendedora de salgados, entre outros bicos que fazia aqui e ali.

Paraense de nascimento, mas amapaense de coração, Lady Púrpura chegou a Macapá no dia 22 de novembro de 1998, com seus três filhos. Mãe solteira, a vida não foi fácil. Com o decorrer dos anos foi se estabilizando e se tornando cada dia mais amapaense de coração. Conquistou o seu espaço no meio musical, cantou por muitos anos nos quiosques da Beira Rio, no projeto Quarta Lilás, Projeto Botequim, Expofeiras, Macapá Verão, em muitos shows no Bacabeiras, em diversos bares e aonde mais era convidada a cantar.

Por toda sua garra e representatividade no cenário musical, é que os fazedores da cultura amapaense se unem nessa corrente que, mais do que de solidariedade, é de amizade, desejando em breve ter Lady Púrpura com sua saúde restabelecida, para que retome seu lugar de direito, com aquele largo sorriso, nos palcos da vida, porque a música dela não pode parar.

Rita Torrinha – Na corrente em prol da saúde da Púrpura

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*