Donnie Darko (Resenhas de Sexta-Feira 13)

Navegando pela net, li essa resenha sobre o filme “Donnie Dako”, um dos meus favoritos, pela história e trilha sonora. Como concordo com tudo que o autor disse, resolvi reproduzir aqui:

Um dos melhores filmes de terror que já vi, tem todos os ingredientes que completam um clássico do gênero. Nosso pequeno amigo Donnie Darko, personagem principal da trama, é sonâmbulo, pscicótico, tem como amigo imaginário um coelho gigante e sinistro que diz que o mundo acabará em 28 dias, seis horas, 42 minutos e 12 segundos. Viagens temporais, visual oitentista e trilha sonora animal. Fudido!!

Mostra Índio Brasil 2010 no Amapá

Macapá integrará um circuito de 111 cidades brasileiras que irão realizar a Mostra Índio Brasil -VIB 2010. O evento será realizado através de parcecia do projeto de extensão audiovisual da Unifap (Univercinema), com o Sesc-AP e será uma excelente oportunidade do público amapaense prestigiar o dinâmico e amplo universo indígena brasileiro.
Durante a programação, serão estimulados debates sobre as nuances da questão indígena nacional, com a participação de pesquisadores do tema. A VIB 2010 acontecerá de 21 de julho a 07 de agosto, sempre às 18h, na Sala Charles Chaplin, do Sesc Araxá (mesmo local onde acontecem as reuniões do Clube de Cinema).

MIS debate sobre documentários

                                    Por Elton Tavares
O Museu da Imagem e do Som (MIS/AP) realizará amanhã (10), ás 18h, na sala Charles Chaplin, do Sesc Araxá, uma reunião do Clube de Cinema do Amapá. O tema do encontro será “Documentários”. O objetivo do evento é debater e formular diretrizes do setor audiovisual amapaense.
Resumindo:
Dia: A reunião é amanhã (sábado 10/07).
Local Sesc Araxá.
Horário: 18h.
Tema: Documentários.

Festival de cinema e vídeo rural

O audiovisual tem conquistado um espaço interessante nos mais diversos setores de atuação. Cada vez mais segmentos entendem sua relevância e eficiência quando o assunto é fazer circular informação. Hoje recebi, em nome do FIM – Festival de Imagem-Movimento, a divulgação do II Festival Nacional de Cinema e Vídeo rural de Piratuba que acontecerá entre 22 e 25 de setembro deste ano que, por sinal, tá passando rápido, hein?

E olhem, esse festival tem um formato bastante interessante. Serão premiadas as categorias:

Melhor Filme de Ficção: R$ 3.000,00;

Melhor Documentário: R$ 3.000,00;

Melhor Reportagem de TV: R$ 3.000,00;

Melhor Produção Amadora: R$3.000,00;

Além dessas categorias, que achei bem inteligentes, acessíveis, principalmente as duas últimas, a organização do evento ainda vai colocar bala na agulha dos trabalhos que tiverem:

Melhor Fotografia: R$ 3.000,00;

Melhor Trilha Sonora: R$ 3.000,00;

Produção que mais contribui com a Melhoria da Vida no Campo: R$ 3.000,00;

Produção mais engajada com a Questão Ambinetal: R$ 3.000,00;

Produção mais engajada por Uma Causa Social: R$ 3.000,00;

E, só pra arrematar, o festival ainda traz o concurso fotográfico com o tema: “O cotidiano na Vida do Campo”. As imagens podem ser inscritas na categoria cor ou PB, com premiação para os três primeiros lugares em cada uma delas: R$ 1.000,00, R$ 700,00, R$ 500,00, respectivamente.
Como forma de aprimorar o nível técnico dos trabalho, o festival ofertará oficinais gratuitas para agricultores, profissionais e estudantes do meio audiovisual. As inscrições são na faixa até o dia 16 de agosto de 2010. Vai lá no site: www.festivaldecinemapiratuba.com. Boa sorte a todos!

500 dias com ela

                                                            Por Elton Tavares
500 Days Of Summer
Para aqueles que ainda não assistiram, recomendo o filme 500 dias com ela. Apesar do gênero, não é mais uma “comédia- romântica-água-com-açucar”. Com uma trilha sonora paidégua, a história de duas pessoas totalmente diferentes se entrelaça.
Uma curiosidade do filme é que o figura se interessa pela moça porque ela afirma gostar da banda inglesa “The Smiths”. Detalhe, ele é mais um nerd gente boa que se apaixona (e se fode) por uma maluca descoladíssima. É um prato cheio para quem gosta de rock e sarcasmo.

O diferencial do filme é o final inusitado e a maneira que ele descreve “dor de cotovelo”, que como a maioria de nós sabe, passa com o tempo. A história retrata, de forma legal, experiências com aquela primeira namorada (a), que você jurou ser o amor da sua vida, mas era só uma fase adolescente.
Vocês poderão baixar o filme no Torrente, no endereço:

http://www.4shared.com/file/164132371/ed4be031/500_Dias_Com_Ela__BDRip_Dual_u.html

Titulo Original: 500 Days Of Summer
Lançamento: 2009
Gênero: Comédia Romance
Tamanho: 435 Mb
Resolução: 704×384
Idioma: Inglês

Cinema

O Serviço Social do Comércio (SESC/AP), por meio do CineSESC Araxá – Clube de Cinema, realizará, durante todo o mês de março de 2010, sessões de cinema, de segunda a sexta, às 12h e 19h. A Entrada será franca. O SESC fica no bairro do Araxá, zona Sul de Macapá.

CineSESC Araxá – Clube de Cinema

12h

15/03 -Ziraldo: eterno menino maluquinho

16/03 – Kirikou e os animais selvagens

17/03 – O pequeno Narigudo

18/03 – Irmãos Grim

19/03 – Sem Destino

22/03 – Good Riddance

23/03 – O grilo feliz

24/03 – Tapete Vermelho

25/03 – Sob o céu do Líbano

26/03 – O Menino Maluquinho

29/03 – Um Rei em Nova York

30/03 – Cartola

31/03 – Narradores de Javé

19h

15/03 – Dançando no escuro

16/03 – Os imorais

17/03 – Arquitetura da Destruição

18/03 – A queda

19/03 – Primavera, Verão, Outono, Inverno

22/03 – O homem Sputinik

23/03 – Rebecca

24/03 – Jule e Jim

25/03 – O Segredo de Beethovem

26/03 – PIAF

29/03 – Por 30 dinheiros

30/03 – Pro dia nascer feliz

31/03 – Janela aberta/Entre quatro paredes

Fonte: Ascom/ Sesc Araxá

Cinema

                                                                                               Por Alexandre Brito

Sesc Araxá – Foto: Elton Tavares

Amigos audiovisuais,temos uma oportunidade única para articular nossa rede estadual de cineclubes. Acontecerá hoje (08.03) às 18h, no SESC ARAXÁ, sala Charles Chaplin, uma reuniãocom Rodrigo Bouillet representante do Cine Mais Cultura. Agora é com a gente: temos que ir lá e participar, para que o Amapá se insira na discussão cineclubista que vem acontecendo no Brasil.
Resumindo:
Dia 08/03
Local Sesc Araxá
Horário 18h
Conversas cineclubistas com Rodrigo Bouillet (Cine Mais Cultura)

FestCine Amazônia Itinerante em Macapá

                                                                                                          Por Igor Reale

O primeiro roteiro itinerante levará cinema e vídeo ambiental para capitais da região Amazônica.
A cidade de Manaus (AM) será a primeira capital da região Norte a receber o Fest Cineamazônia Itinerante 2010. A exibição será no próximo dia 9 de março. Em cada estado, uma produção local abrirá o festival. Segundo o curador Jurandir Costa, “é uma forma de aproximar os realizadores da Amazônia com os organizadores do festival.
Ainda neste mês de março, o festival estará presente no dia 11 em Boa Vista (RR), Macapá (AP) no dia 13, Belém (PA) no dia 15, Palmas (TO) no dia 17, e em Rio Branco (AC) no dia 19. Nesta etapa itinerante são exibidos filmes e vídeos participantes do festival realizado em Porto Velho.
O Fest Cineamazônia estará exibindo ainda as três produções que mostram os bastidores do festival em diferentes etapas da itinerância de 2008. O vídeo Uma Só América é um registro da etapa itinerante realizada na America do Sul; O Circo do Cinema é um documentário da etapa rondoniense no olhar do palhaço Bob; O Cinema no Meio do Mundo registra o Festival em outros continentes. “As capitais que receberam o Festival em 2008 estarão agora, se vendo na tela do cinema”, destacou Costa.
O Festival tem o patrocínio da Petrobras, Ministério da Cultura através da Lei Rouanet, Eletrobras e Correios, conta com o apoio cultural da Santo Antonio Energia, Prefeitura de Porto Velho, Semed e Fundação Iaripuna, Governo de Rondônia – Secel, e apoio da Bancada Federal de Rondônia, senadora Fátima Cleide, senador Valdir Raupp, deputado federal Eduardo Valverde e deputada federal Marinha Raupp.
Em Macapá:

Horário: 13 de março, de 15:00 a 18:00

Local: Salão de Atos da Faculdade Seama

Rua: Av. Nações Unidas 1201 – Jesus de Nazaré

(Fonte: Chico Terra)

Sexo, mentiras e videotapes

   Eu estava fazendo a minha blitz diária pelos blogs e encontrei, no endereço: http://acoisapublica.zip.net/, este texto (humorado e inteligente) sobre cinema. O escrito é um devaneio inteligente do meu amigo Ronaldo Roni e do Ronaldo Rodrigues. Como gostei muito da doideira, resolvi, graças ao Google, montar este painel, ele acompanha a ordem exata dos filmes citados pelos autores. Aí vai o painel (que pode ser melhor visualizado se vocês clicarem nele) e o texto: 
O painel acompanha a ordem exata dos filmes citados pelos autores
                                                                 
 Sexo, mentiras e videotapes
                                                                             Por Ronaldo Roni e Ronaldo Rodrigues
Diretamente de Paris, Texas, o repórter Borat relata uma trama macabra: O mágico de Oz matou a excêntrica família de Antonia e foi ao cinema. Tudo por um punhado de dólares, que teve o sol por testemunha.
Pegou o taxi driver que conduzia Miss Daisy, atravessou as vinhas da ira, além da linha vermelha. Entrou no cinema Paradiso e viu os Piratas do Caribe invadindo a Fortaleza. Convidou o exterminador do futuro pra tomar um drink no inferno. Sentindo-se um náufrago, saiu em direção ao aeroporto, de volta para o futuro, sonhando com a ilha do tesouro.

Entrou no Bagdá Café e comeu tomates verdes fritos, que estavam como água para chocolate. Do nada, surgiu King Kong deixando todo mundo em pânico. Ouviu alguém gritar: Corra, Lola, corra para os embalos de sábado à noite. Nisso, passou correndo uma multidão. Seriam as invasões bárbaras? Ou o grande motim?

Eram todos os homens do presidente e o povo contra Larry Flint. Cansado de tantos filmes, voltou à casa do lago, onde Harry Potter tinha instalado sua fantástica fábrica de chocolate. À beira do abismo e à queima-roupa, fez ao poderoso chefão a pergunta que não quer calar: Quem vai ficar com Mary?

Avatar, o filme

                                                                               Por J. Tavares, direto do ZeroZen

Como vocês sabem, adoro textos críticos e com boas doses de humor. Na semana passada, eu, Dan e Camila fomos ao cinema de Santana (por sinal, muito melhor do que os de Macapá) assistir Avatar. Fiquei fascinado pelo filme, a película tem referências indígenas e mitológicas, nos remete a idéia que a biodversidade que existe na nossa Amazônia foi multiplicaca mil vezes, enfim, o filme é muito bom.
Pesquisando na net, encontrei este texto no site ZeroZen, no endereço: http://www.zerozen.com.br/video/avatar.htm, além de muito bem escrito, ele é muito engraçado e ácido, faz o filme parecer idiota. Discordo do texto, mas vale a pena ler, é muito divertido. Aí está:

O diretor James Cameron levou quase uma década para lançar Avatar nos cinemas. Gastou mais de 400 milhões de dólares para narrar a história de seres azuis que vivem no meio de uma floresta em harmonia com a natureza. Tanto esforço, tempo e dedicação para contar uma biografia não-autorizada dos Smurfs?

Sim, Avatar se sustenta em efeitos especiais. Não tenha dúvida de que James Cameron se esmerou nesse quesito. Muitas tecnologias foram desenvolvidas para o filme como câmeras que filmam em 3D superleves. Pena que não sobrou nada do orçamento para investir no roteiro que é uma colcha de retalhos feita com todos os clichês possíveis e imagináveis.

A trama se passa em Pandora um planeta distante que atrai a ganância de uma empresa mineradora. Os executivos, entre eles o ambicioso Selfridge (Giovanni Ribisi), estão de olho no valioso unobtanium, que existe em abundância no local. Ou seja, mesmo no distante ano de 2154 o imperialismo segue firme e forte…

De qualquer maneira existe um problema. O planeta, rico em fauna e flora, é habitado pelos Na´Vi. Eles são azuis e têm três metros de altura. Apesar de os humanos oferecem tudo que a nossa cultura tem de melhor (armas de destruição em massa, bebidas alcoólicas, videogames, fast-food e reality-shows) os nativos só querem saber de curtir a natureza. Eles passam o dia cavalgando dragões alados, usando arco e flecha, e emitindo grunhidos bizarros para expressar alegria ou raiva. Sim, são uns verdadeiros ripongas que só faltam vender incenso nas esquinas (isso se houvesse esquinas em Pandora…)

Esse tipo de comportamento irrita o Coronel – e dublê de Duke’n’Nukem – Miles Quaritch (Stephen Lang). As tentativas diplomáticas se arrastam e com os interesses crescentes no planeta e a impaciência dos militares cresce exponencialmente. Somente a piloto – e garota propaganda de óculos-escuros – Trudy Chacon (Michelle Rodriguez) parece ter um pouco de compaixão pelos habitantes nativos. Então surge o Jake Sully (Sam Worthington), fuzileiro naval paraplégico. Ele viajou cinco anos da Terra até Pandora.

O sujeito foi recrutado para trabalhar projeto Avatar, que consiste na transferência temporária da mente humana para o corpo (avatar) de um Na’Vi. Por que justamente ele? Simples, foi substituir seu irmão gêmeo, que morreu acidentalmente e já tinha sido treinado para o projeto em Pandora. Logo, Jake se junta a um grupo de cientistas liderados pela Dra. Grace (Sigourney Weaver).

A doutora tenta há anos compreender a cultura Na’Vi. Ela também é uma estudiosa da flora e fauna de Pandora. Por isso, sabe que o ambiente é um dos mais hostis que possa haver para os humanos. Apesar de todo o seu esforço os avanços são pequenos. Como uma guerra parece ser iminente, o Gargamel, digo, o coronel Quaritch fica feliz em ter um soldado trabalhando no projeto Avatar. Ele quer receber informações que possam ajudá-lo a destruir os Smurfs, digo, os Na’Vi.

Jake rapidamente mostra a que veio e se torna um parceiro dos Na’Vi. Seu avatar é aceito na comunidade. É como se fosse o Orkut ou Facebook da vida real. Em pouco tempo seu perfil está lotado de amigos. Então os smurfs decidem contar todos os seus segredos a um atento fuzileiro. No meio dos ensinamentos ripongas ele passa a sentir uma atração amorosa por sua mentora entre os Na’vi, Neytiri (Zoe Saldana). Então vai chegar um momento em que – clichê dos clichês – o apaixonado soldado terá que escolher o lado que tomará no inevitável conflito.

Em tempo, James Cameron ainda sabe filmar sequências de ação. No meio caos, é possível saber exatamente o que está acontecendo e quem luta contra quem. Coisa rara de acontecer no cinema atual (os maiores exemplos de incompetência nesse quesito: Senhor dos Anéis e Transformers). Aliás, o combate final parece muito com um faroeste tecnológico. Só que o diretor torce descaradamente pelos índios…

Avatar, mesmo sendo um exemplo no uso do 3D, é um filme feito para ser superado. Claro o ambiente de Pandora é impressionante. Cada planta, cada criatura, parecem mesmo reais. O nível de detalhe chega ao ponto de a língua falada pelos Na’Vi ser criada por linguistas. Certo, mas e daí? Em pouco tempo, vai surgir algum efeito mais revolucionário que vai deixar os 10 anos de trabalho de James Cameron na lata de lixo da história. Quem mandou não investir mais de cem dólares no roteiro?

(Avatar, EUA, 2009), Direção: James Cameron, Elenco: Sam Worthington, Zoe Saldana, Michelle Rodriguez, Sigourney Weaver, Giovanni Ribisi, CCH Pounder, Stephen Lang, Joel Moore, Laz Alonso, Dileep Rao, Peter Mensah, Matt Gerald, Wes Studi, Duração: 166 min.