Eu adoro futebol

                                                                                                         Por Elton Tavares

Mengão campeão, muita emoção, alegria e birita – Bar do Francês/2009
Eu adoro futebol, uma paixão sem igual. Quem não gosta, nunca entenderá. Respeito os caras que torcem por outros times (os vascaínos e são paulinos são chatos), mas quem não é, nunca saberá o prazer de “Ser Flamengo”. É engraçado, em Macapá, a cidade para quando o Mengão decide um título, se ganha então, é carnaval.

Nosso futebol profissional ainda é fraco, eu sou Ypiranga, mas também torço pelo Paysandú e Flamengo. Afinal, torcer para muitos times é coisa de amapaense. Já faz um tempo que não vou ao Estádio Glicério Marques, como fazia nos anos 80 e 90, na companhia do meu saudoso pai, mas acompanho como posso.

Como todos sabem, o Campeonato Brasileiro foi ótimo, o melhor que já vi no sistema de pontos corridos. Nós nos divertimos, sofremos, rimos e choramos, foi paidégua! Acho que bebemos demais, sempre no Bar do Francês, o boteco mais rubro-negro de Macapá. Tomara que 2010 seja, pelo menos 50%, do que foi o ano passado para nós, flamenguistas. Aí vai o texto de Artur da Távola:

Ser Flamengo

“Ser Flamengo é ser humano e ser inteiro e forte na capacidade de querer. É ter certezas, vontade, garra e disposição. É paixão com alegria, alma com fome de gol e vontade com definição.É ser forte como o que é rubro e negro como o que é total. Forte e total, crescer em luta, peleja, ânimo, e decisão.

Ser Flamengo é deixar a tristeza para depois da batalha e nela entrar por inteiro, alma de herói, cabeça de gênio militar e coração incendiado de guerreiro. É pronunciar com emoção as palavras flama, gana, garra, sou mais eu, ardor, vou, vida, sangue, seiva, agora, encarar, no peito, fé, vontade. Insolação.Ser Flamengo é morder com vigor o pão da melhor paixão; é respirar fundo e não temer; é ter coração em compasso de multidão.

Ser Flamengo é ousar, é contrariar norma, é enfrentar todas as formas de poder com arte, criatividade e malemolência. É saber o momento da contramão, de pular o muro, de driblar o otário e de ser forte por ficar do lado do mais fraco. É poder tanto quanto querer. É querer tanto como saber; é enfrentar trovões ou hinos de amor com o olhar firme da convicção.

Ser Flamengo é enganar o guarda, é roubar o beijo. É bailar sempre para distrair o poder e dobrar a injustiça. É ir em frente onde os outros param, é derrubar barreiras onde os prudentes medram, é jamais se arrepender, exceto do que não faz. É comungar a humildade com o rei interno de cada um.

É crer, é ser, é vibrar. É vencer. É correr para; jamais correr de. É seiva, é salva; é vastidão. É frente, é franco, é forte, é furacão. É flor que quebra o muro, mão que faz o trabalho, povo que faz país.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *