Ministério Público Estadual pede a condenação de médico do GEA por improbidade administrativa


O Ministério Público, por intermédio da Promotoria de Justiça do Patrimônio Cultural e Público de Macapá (Prodemap), ajuizou ação de improbidade administrativa contra o médico J.T.A.C., do quadro de servidores do Estado. A ação se refere ao comportamento não condizente do mencionado profissional, quanto aos procedimentos adotados no atendimento à saúde de uma paciente.

Em abril de 2013, ao atender uma jovem de 19 anos, no Hospital de Emergência (HE), o médico extrapolou o dever de examinar, recomendar tratamento ou outro procedimento adequado, e se comportou de modo antiético e ilegal, dizendo-lhe palavras ofensivas e de cunho sexual. Além das palavras, o médico chegou a cometer ato físico imoral.

Sustenta o Ministério Público que “é flagrante a improbidade cometida pelo servidor, o qual atentou contra a moralidade administrativa, durante sua atividade profissional, ao perpetrar atos em desvio de finalidade, valendo-se da qualidade de médico para abordar eroticamente uma paciente que o procurou em busca de socorro”.

As sanções cabíveis estão previstas na Lei nº 8.429/1992. O processo tramita na 5ª Vara Cível e de Fazenda Pública desta Comarca, sob o nº 00024136-15.2014.8.03.0001.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616/(96) 8121-6478 Email: asscom
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*