Museu Sacaca, em Macapá, fecha para visitas por falta de monitores (via @g1ap)

sacaca

Por Cassio Albuquerque

O Museu Sacaca, localizado no bairro Trem, Zona Sul de Macapá, fechou as portas nesta segunda-feira (5) para visitação. A medida é temporária e obedece a uma ordem de serviço emitida no dia 02 de janeiro, pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), órgão que administra o museu. Segundo o instituto, a demissão de pelo menos 25 monitores que faziam o trabalho de acompanhamento dos visitantes provocou o fechamento.

De acordo com a direção do Iepa, os funcionários eram do contrato administrativo do governo do estado e o prazo de prestação de serviços encerrou em 31 de dezembro de 2014. Novos monitores devem ser contratados até o fim da primeira quinzena de janeiro e a reabertura do museu para visitação está prevista para o dia 19.

O Iepa já iniciou a seleção dos novos monitores e disse que alguns pontos do museu, como os ambientes indígenas (Casa Palikur e Casa Wajãpi), deverão passar por manutenção.

O museu

Inaugurado em 1997, o Centro de Pesquisas Museológicas Museu Sacaca é uma instituição cultural e científica localizada em Macapá, no bairro Trem, com uma área de aproximadamente 12 mil metros quadrados.

O local faz a fusão das culturas das comunidades indígenas, ribeirinhas, extrativistas e produtoras de farinha do estado, e tem como objetivo promover as ações museológicas de pesquisa, a preservação e comunicação, abrangendo o saber científico e o conhecimento popular dos povos da Amazônia.

Meu comentário: entendo que se deve obedecer aos trâmites da administração pública, como o lance da contratação regular em questão. Mas no meu achismo, penso que no caso do Museu, ambiente cultural diferenciado, deveriam adequar essa substituição de servidores sem o fechamento das portas. Só acho.

Ah, não quero causar polêmica alguma, só que este é um blog que divulga a Cultura do Amapá. E poucos lugares possuem tanta cultura amapaense quanto o Museu Sacaca. É isso.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *