Poema de hoje – A quentchura da Amazônia

A quentchura da Amazônia
Toda a quentura de Manaus
O mormaço de Belém
Sol a pino em Macapá
Tudo isso me cai bem
Mas a tal da malaria
E uma muriçoca diminuta
Me deixaram cuma quentura
Por demais filha da puta
Minha draga aposentou
Minha cuca tava em chama
Até visage me visitou
Semana tremendo na cama
Bendita seja a medicina
Pras doença tropical
Pois apesar do figo podre
Agora, já tou legal
Graciliano Galdino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *