Sal Lima gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, irmão!

Quem gira a roda da vida nesta sexta-feira (23) é um dos caras mais porretas que conheço. Bruto como poucos, mas justo, prestativo e fiel aos seus como pouquíssimos. Trata-se de um dos meus irmãos, o Sal Lima. O sacana completa mais um ano de vida com uma lista imensa de amigos, histórias hilárias e sempre com muita alegria que lhe é peculiar.

O ano era 2010, quando fui trabalhar na Assessoria de Comunicação do Governo do Amapá. Conheci muita gente firmeza naquela época, mas ninguém como o fotógrafo Sal Lima.

O marido da Ruth, pai de quatro caras, meio maranhense, meio tocantinense, pescador, boleiro, flamenguista, bicolor, amante de rock and roll e maluco das antigas, além de um dos maiores brothers que tenho, Manoel Lima de França é uma figura ímpar. Uma figura porreta e um homem de bem.

Desenrolado, parece sacar um pouco de mecânica, outro tanto de marcenaria e mais ou menos de eletrificação e encanação, apesar de ser totalmente desencanado. Malandramente, vive a driblar as adversidades que pintam no caminho com inteligência e bom humor. Muito humor, boa parte dele negro. Sal é safo e um amigo de verdade. Não tenho uma única memória infeliz ou lembrança de marcada do cara para comigo. Pelo contrário. Devo incontáveis favores a ele. Mesmo com a grande lista de desafetos, a minha quantidade de amigos continua extensa e o Sal é um dos mais valorosos.

O brother possui um carisma à bruta, que todos nós, seus amigos, adoramos. Gosto de estar com o Sal. A gente ri de tudo: dos outros, de nós, da vida. Nossa amizade surgiu profissionalmente e ultrapassou as barreiras do trampo.

Ah, já disse e repito: ele também é um profissional ético, competente, experiente e franco. Sal possui senso crítico, inteligência, lealdade, sinceridade e honestidade em alta escala. Ele é malandro, mas não pilantra. É coerente, mas não otário.

Sal Lima é aquele zagueiro que chega de carrinho e salva o iminente gol adversário. É o cara que faz o gol aos 49 do segundo tempo e ganha o campeonato. Sal é o cara que chega na voadora, que safa quando falta grana, acode quando quebra um carro, resolve se eu precisar de equipamento fotográfico ou faz um corre caso eu não possa ir. Sim, um amigo que vai muito além das mesas do boteco e com o qual sei que posso contar.

Além de sermos flamenguistas, gostarmos de rock, birita e boemia, outra afinidade com o Sal é o fato de não suportarmos babacas e folgados em geral.

Com toda certeza, Sal é um sujeito porreta e decente. Um cara do caralho (leia-se palavra de intensidade)! Nossa brodagem é de mão dupla e uma parceria imune a disse-me-disse e sem prazo de validade. Por ele sou capaz de bater ou apanhar sem titubear. Afinal, “amigo é aquele que o coração escolhe”.

Juntos, já botamos pra quebrar em noites incontáveis de etílicos excessos divertidos. Amizade é um bem precioso. E como é. Por tudo dito/escrito aí em cima e muito mais totalmente impublicável, nós amamos o Sal.

Mano velho, que tu tenhas sempre saúde para amar tua família linda. Que tenhas, pelos menos, mais uns 50 anos de pescarias, rodadas de cerveja ao som de rock, comemorações de títulos e vitórias do Flamengo e tudo o mais que lhe apraz. Que tu vires um velho sacana que conta histórias aos netos sobre as coisas boas da vida. Obrigado pela parceria de sempre.

Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário, irmão!

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *