Sobre o Dia das Crianças, minha infância e minhas crianças – Por Elton Tavares

Eu, em 1978, gitinho (esquerda) e com meu amado irmão, Emerson (o moleque mais atentado da história) em 1985.

12 de outubro é Dia das Crianças e nós festejamos nossos pequenos grandes amores. Também voltamos no tempo com fotos e muita memória afetiva. É impossível contabilizar os benefícios que recebemos de nossos pais, particularmente na infância. Quando moleques, meus pais deram a mim e ao meu irmão Emerson uma infância fantasticamente feliz. Meu coração bateu mais rápido só de lembrar daquela época.

Sinto saudades do futebol de botão, luzes e sons de fliperamas, jogar bola e brincar na piscina da Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB), entre centenas de coisas que fazia com meu irmão caçula. Hoje em dia, bebemos, viajamos e curtimos tudo que a vida permite juntos e rimos orgulhosamente do que vivemos.

Eu, em 1978, gitinho (esquerda) e com meu amado irmão, Emerson (o moleque mais atentado da história) em 1985.

De certa forma, continuo um moleque. Não por falta de responsa ou atitudes imbecis, mas pelos gostos dos tempos crianças. Ainda assisto desenhos animados, jogo videogame e amo brinquedos. Graças a Deus!

História da data

A data visa homenagear as crianças e foi proclamada pela primeira vez durante em 1925, na Conferência Mundial para o Bem-estar da Criança, realizada em Genebra. A ONU reconhece o dia 20 de novembro como o Dia Mundial da Criança, por ser a data em que foi aprovada a Declaração Universal dos Direitos da Criança em 1959 e a Convenção dos Direitos da Criança em 1989.

Maitê, a princesa de nossa família.

No Brasil, o dia das crianças foi solenizado em 12 de outubro somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a “Semana do Bebê Robusto” e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. Deu tão certo que, no ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção. A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos e doces no Brasil.

Com minha linda afilhada, Maria Ísis.

Nunca fui bom com crianças, nem com brincadeiras infantis com filhos de amigos. Na verdade, a primeira que gostou de mim foi a Sofia, minha primeira afilhada (já é uma moça linda). Também sou padrinho da Maria (pequena lindeza), a pequena fã de rock falante.  elas duas são amadas por mim. Mesmo eu sendo, com o perdão do gerúndio, um dindo relapso e ausente. Mas se elas precisarem de mim, podem botar fé que farei o meu melhor.

Maitê, minha sobrinha. A dona do gordão aqui.

Quando nasceu a Maitê, alguma coisa floresceu dentro de mim. Nunca vou esquecer-me daquele momento, quando conheci Maitê Ferreira Tavares, minha linda sobrinha, que na época tinha somente um mês e 11 dias de vida. Foi amor à primeira vista e eu queria estar perto dela hoje e sempre.

Depois disso, entendo os meus amigos que têm filhos, entendi o sentimento dos meus pais e olho diferente para crianças. E amo “a pureza da resposta das crianças”, elas são realmente um barato. Incrível como pequenos seres despertam os melhores sentimentos em nós, adultos de coração duro. Devem ser algum fio condutor de Deus para conosco. É, os pirralhos são mesmo mágicos, a magia do amor!

Portanto, que Deus abençoe todas as crianças!

Todas as pessoas grandes foram um dia crianças. Mas poucas se lembram disso”, disse o escritor Antoine de Saint-Exupéry, no livro Pequeno Príncipe.

Elton Tavares

É dia de Gilvana Santos, que gira a roda da vida neste sétimo dia de outubro. Feliz aniversário, Gil!! – (@gilvana_ap)

Amo muitos dos meus amigos. De outros, gosto muito e existem os que somente gosto. E, ainda, existem aqueles que amo pra CARALHO como se fossem meus irmãos. Hoje é natalício de uma entre esses que habitam o meu coração. Sim, gira a roda da vida neste sétimo dia de outubro a portadora da alegria, dona de uma das risadas mais gostosas que conheço, minha irmã de vida Gilvana Santos.

A Gil é uma das grandes jornalistas do Amapá, radialista conceituada, excelente assessora de comunicação, mãe do André, irmã da querida Girlane (que também tá “de berço” hoje e a ela desejo todo o amor dessa vida) e filha da linda Juracy, pirata estilizada, vascaína persistente/sofrida, remista convicta, amante do samba, do carnaval e do futebol, colega de trampo (muito trampo) e malandra (no sentido de manjar das coisas).

A Gil é uma mulher e tanto. Uma das melhores profissionais de comunicação, responsável e desenrolada, é perspicaz, competente, astuta sensível e estratégica, entre outras tantas coisas PHodas que ela mostra e me ensina no nosso feliz caos do dia-dia (no sentido da gente vencer muitos problemas). Já disse e repito, Gil A é senhora deste ofício que escolhemos. Agradeço sempre suas orientações e essencial ajuda.

Claro que a gente colide vez ou outra, já nos envolvemos em guerras absurdas e tals, mas como nos amamos (sim, boto fé que é recíproco), passa rápido. Suas contradições, que todos temos, e poucos defeitos, não são nada importantes diante de suas incontáveis qualidades.

Gilvana, apesar de sabidona pra maioria das coisas importantes na vida, chega aos 55 anos com ingenuidade romântica de acreditar nas pessoas, apesar de eu sempre alertá-la sobre possíveis terrenos minados. Mas ela segue assim e é bonito.

Assim como eu, Gil gosta, além de trabalhar, de viver. E viver com tudo. Amamos rodas de amigos, cervejas enevoadas e de boa música. Já choramos juntos, mas poucas vezes. Temos incontáveis histórias sensacionais que renderiam textos porretas de humor, aventura, “marcações” e vitórias. Sempre nos divertimos juntos. Ela é uma das pessoas que sempre gosto de ter por perto, por conta de sua aura boa, conversa gostosa e presença de espírito.

Já disse e repito, trata-se de um daqueles seres humanos ímpares, com carisma e bom humor invejáveis. Ela é uma mulher com um astral altíssimo, solidária com todos, zelosa com a família e fiel aos amigos. Às vezes é uma louca varrida e gosto disso. Afinal, a gente pira de vez em quando para não pirar de vez. Com seus inabaláveis valores éticos e morais, mas sem frescura ou preconceito, existe uma verdade absoluta sobre Gilvana Santos: é que ela é uma pessoa do bem.

Nesses 11 anos de amizade (mas devem ser uns milhares entre nossas diversas vidas), Gil ajudou na construção deste profissional e homem, pois a loira emana energia positiva; sempre tem um elogio, um conselho ou o ombro amigo. Volto a dizer, Gilvana é só amor. Ama o filho, a mãe, os irmãos, os amigos e a profissão. A sua fé inabalável em dias melhores nos contagia. Sem falar na jovialidade e espirituosa gaiatice.

Gilvana, por tudo dito/escrito acima e muito mais coisas (algumas delas impublicáveis), agradeço pela tua existência orbitar a minha e vice-e-versa. Que teu novo ciclo seja ainda mais paid’égua. Que tenhas sempre saúde, mais sucesso, grana e que tudo que todo o amor que houver nessa vida. Que Deus continue a te iluminar e que tu continues nessa longa e louca estrada de tijolos amarelos chamada de vida por pelo menos mais 55 outubros e com essa alegria que é tua marca registrada. Te amo, Gil. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

Jornalista Halanna Sanches gira a roda da vida pela 29ª vez. Feliz aniversário, querida amiga! – @halannasanches

De acordo com a minha chefa, jornalista e pastora Tanha Silva, “O dia do nosso aniversário é uma senha entre a terra e os céus, uma data em que estamos mais propícios a receber bençãos”. Concordo, pois adoro aniversários, seja o meu ou natalícios de meus afetos. Falando nos queridos que tenho nessa minha existência, gira a roda da vida pela 29ª vez nesta quinta-feira (23), a fotógrafa, acadêmica de jornalismo, colega de trampo na Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá e competente fotógrafa profissional, Halanna Sanches. Essa menina (com rostinho de 18 verões somente) é muito gente fina e querida, por isso lhe rendo homenagens.

Conheci a Halanna em 2018, quando ela foi contratada para fotografar o Luau na Samaúma, evento cultural promovido pelo MP-AP e parceiros. Ela se mostrou desenrolada, boa de trampo e caiu dentro da cobertura. Gostei dela desde esse momento.

Fotojornalista e que também manja de foto publicitária, Sanches tem olhar aguçado. Ela é trabalhadora e batalhadora. Uma mulher, daquelas pessoas inteligentes e sem frescura. Adoro gente assim, cheia de paideguice e desprovida de boçalidade.

Há menos de dois anos, a aniversariante se tornou nossa colega de trabalho e logo fizemos amizade. Halanna é uma mulher inteligente, discreta e tem boa vontade. Afinal, a gente precisa de parceiros nesses corres. Ela sempre me ajuda quando preciso. Boto fé nela como profissional e como pessoa.

Mas o papel que vejo a Halanna desempenhar melhor é o de mãe de um casal de crianças lindas. Dá gosto de ver o cuidado, carinho, amor e zelo dela para com seus pequenos. Além disso, ela tem umas “galassequices” bacanas, como o hábito de modelar no instagram ou fazer vídeos engraçados. A mais nova marmota é o lance dos patins. Eu acompanho e dou risada. Ela é divertida mesmo.

Halanna, minha querida amiga, que tenhas sempre saúde junto aos seus amores e que tua vida seja longa. Como disse a Tanha, que teu dia seja abençoado e feliz e que teu novo ciclo seja ainda mais lindão. E, ainda, que tudo aquilo que conceitues como sucesso se realize. Sabedoria e paz sempre, lindeza. Godão aqui ama você, “Senhora”. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Hoje é o Dia da Tia (Parabéns, tia Maria)

Este site possui uma sessão denominada “Datas Curiosas”. Então, hoje, 21 de setembro, é o Dia da Tia. Não achei o motivo da data, mas que é algo comemorado há pouco tempo. Tenho algumas tias muito legais e outras nem tanto. Sempre fui amarradão na Maria Penha (tia Maria). Também gosto muito da Inês, Fatinha, Lúcia e Tatá, mas com a tia Maria é algo diferente, pois a amei a vida toda e fui correspondido.

Tia Maria sempre foi uma de minhas mães. Além disso, é hiper responsável, excelente profissional e amiga fiel. Sempre lutou por ela e pelos seus, com muita honestidade e boa vontade. Sim, tia ajudou a todos nós, os Tavares. Quando gitinho, era agarradão com ela, que me ensinou muito sobre valores, música, sobre pessoas e como lidar com as agruras que aparecem pela frente. Ela é o maior exemplo de filha que já vi na vida.

E lá se vão 45 anos de uma amizade que vem de outras vidas e será em outras jornadas. Enfim, em nome da tia Maria, minha tia predileta, feliz resto do Dia da Tia, pois somente agora o trampo me deixou registar aqui. É isso. Te amo, titia Maria. Feliz Dia da Tia!

“Ser tia é reconstruir a infância de igual para igual, partilhar loucuras, ser cúmplice da ingenuidade, ser companheira da tolice…”

Elton Tavares

Neste vigésimo dia de setembro, Lúcia Pimentel gira a roda da vida. Feliz aniversário, querida!

Sempre digo aqui que gosto de parabenizar neste site as pessoas por quem nutro amor ou amizade. Afinal, sou melhor com letras do que com declarações faladas. Acredito que manifestações públicas de afeto são importantes. Neste vigésimo dia de setembro, a querida tia e amiga (sim, pois existem tias e tios não amigos em todas as famílias do mundo), Lúcia Pimentel, gira a roda da vida e lhe rendo homenagens, pois trata-se de uma baita mulher porreta!

A Lúcia chega ao seu 60ª ano, mas com corpo e rosto de 40 e toda a beleza de ser um ser humano ímpar neste planeta. Trata-se da dedicada mãe da linda Danielle, esposa e parceira do Pedro Aurélio, irmã apaixonada, advogada, zootecnista, fazendeira, servidora da Caesa, torcedora fervorosa do Clube Náutico Capibaribe, cuidadora de animais (principalmente cavalos), minha querida e linda tia “postiça” preferida e amiga que tanto amo.

Claro que já fiquei muito puto com a Lúcia. Por política e tals, mas quem não ficou ao menos chateado por este motivo no Brasil que vivemos tá fora da realidade. Porém, isso foi somente uma vírgula no grande texto que é a nossa vida, pois tenho a aniversariante em alta conta.

Já disse e repito: gosto de ter a Lúcia por perto. Ela é uma pessoa de verdade, que não esconde imperfeições e derrama uma sinceridade cativante. Ela me trata com seu afeto e adoro  seus sorrisos, sotaque, conselhos, engraçadíssimas histórias de vida. Dá gosto de ver o cuidado e zelo com seu marido, assim como ela tinha com nossa Peró.

Falando nisso, 2020 foi ruim demais e, pra nossa família, 2021 foi pior ainda, pois perdemos nossa matriarca, minha avó. E a Lúcia esteve junto em todos os momentos difíceis. Sou muito grato por isso. E a gratidão a ela é com ênfase, pois também cuida do Pedrão como ninguém.

Eu sigo amigo da Lúcia e sei que é recíproco. Sou fã da mulher inteligente, bonita, honesta, trabalhadora, sincera, carismática, prestativa, desprovida de frescura, discreta e dona de uma positividade invejável que ela é. Também já disse e volto a afirmar: sinto que posso contar com a Lúcia para qualquer coisa. E é recíproco.

Lúcia, querida amiga, que teu novo ciclo seja ainda mais paid’égua. Que sigas com essa garra e coragem em tudo que te propões a fazer. Que a Força sempre esteja contigo. Que tenhas sempre saúde (muita saúde) e ainda mais sucesso na jornada. E que tua vida seja longa, por mais pelo menos mais 60 setembros. Gordão aqui te ama. Aliás, nós te amamos. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

 

 

Rita Freire muda de idade hoje. Feliz aniversário, irmã!

Sempre me gabo aqui, neste site, pelo fato de ter  amigos longevos. Sim, gente que me abriga em seus corações há décadas e é recíproco. São caras e meninas com quem dividi momentos felizes de minha existência. Uma entre estes afetos gira a roda da vida hoje, a Rita Freire.

A filha da dona Maria José, irmã da Simone, Lourdes e Patrícia, a aniversariante é uma pessoa linda, de grande coração e caráter e fé inabaláveis. Conheci a Rita em 1995 ou 1996, não consigo precisar. Mas isso, somente nesta jornada, pois com toda a certeza, a gente se ama de outras vindas aqui.

Falando em outras vidas, a Rita é uma dessas pessoas iluminadas. Além de boa filha (para a mãe e para o pai, pois cuidou sozinha dele, que nos deixou há poucos meses, por muito tempo), ela coordena grupos de trabalho na União Espírita do Pará, ajuda uma porrada de gente.

Arquiteta apaixonada por gatos, boa gastronomia e Rock and Roll, ela é também minha confidente, conselheira e parceira. Pois mesmo ela morando há mais de 20 anos em Belém do Pará, “…Longe, longe, longe, aqui ao lado, nada nos separa”. Sim, eu  a amo e sou correspondido. Sempre foi assim e sempre será.

A Rita sempre me apoiou em tudo, mesmo distante. Com ela, vivi coisas totalmente impublicáveis, dos tempos que éramos doideira. A broda já segurou algumas de minhas barras mais pesadas. Enfim, trata-se de uma amiga de quem sempre sinto saudades do convívio e que está o tempo todo na minha memória afetiva e no meu coração.

Em 2019, Rita passou alguns dias em Macapá. Deu pra matar um pouquinho das saudades. A pandemia não permitiu que nos víssemos de uns meses para cá. Mas logo que eu pisar em Belém, vou matar essa falta que ela me faz e que a gente ameniza via internet.

Rita, querida amiga, tu és muito importante, perto ou longe. Agradeço sempre o fato da tua existência orbitar a minha e vice-versa. Estás sempre em meu coração, mana.

Neste teu dia,  o dezoito de setembro seja especial. Que sejas mais feliz hoje e sempre. Que tenhas sempre saúde, sucesso e sabedoria junto aos teus amores. Que tudo que caiba no teu conceito de felicidade se realize. Te amo (gosto de dizer isso muitas vezes para as pessoas que amo, de fato)., minha irmã!

Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!!

Elton Tavares

É 18 de setembro e Márcia do Carmo gira a roda da vida. Feliz aniversário, Marcinha! – @carmomarcia

Ser jornalista fez com que eu conhecesse pessoas realmente fantásticas ao longo destes anos de trajetória. E tive a sorte de trabalhar com vários dos melhores profissionais do Amapá. Além de competentes, alguns se mostraram ser pessoas extremamente porretas. É o caso da fotógrafa Márcia do Carmo, que gira a roda da vida hoje.

Marcinha é uma filha zelosa, tia amorosa, amiga prestativa, melhor fotógrafa com quem já trabalhei, fotojornalista de olhar aguçado, cineasta, publicitária, empresária, trabalhadora e batalhadora, além de muito querida amiga deste editor.

Super competente, braba e intrépida, Marcinha é uma pessoa pequena, mas de um talento imenso e um coração gigante. Uma mulher honesta e de caráter, coisa que não podemos dizer de muitos. Ela é uma figura do bem e uma das grandes amigas que fiz nessa profissão.

Minha amizade com Márcia do Carmo foi forjada debaixo de sol e chuva, durante anos de trampo. Já contei aqui e repito que: com ela já fiz viagens malucas em que cobrimos diversos tipos de pautas e em condições adversas. Nós caminhamos na lama, dividimos comida e cervejas pelas estradas e bares do Amapá. Dormimos em carros, barcos e hotéis de qualidade duvidosa. E acreditem, isso são lembranças lindas.

A gente se respeita, se gosta e se ajuda. Sei que posso contar a Marcinha, pois ela já deu provas disso diversas vezes. Essa “retrateira” boçal mora no coração deste gordo e acredito ser recíproco.

Do Carmo, tu sabes o quanto te admiro e respeito. Que tu sigas com saúde sempre e congelando momentos com esse teu feitiço fotográfico. Que a gente ria e beba muito juntos nessa vida, por pelo menos mais uns 51 anos. Tu és foda, considerada e amada.

Obrigado por tudo.  Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Se ainda estivesse por aqui, papai faria 71 anos hoje (Para jamais esquecermos do Zé Penha)

Meu irmão e papai, em 1996.

No dia de hoje (17), se meu saudoso pai estivesse entre nós, faria 71 anos. Antes eu dizia “se estivesse vivo”, mas ele está, dentro de nós, por isso, ainda é seu aniversário. É difícil definir um modelo de vida, acredito que cada um vive da forma que lhe é aprazível. José Penha Tavares viveu tudo de forma intensa e foi um homem muito feliz. Eu sigo seu exemplo e sou muito feliz.

O mais legal é que ele nunca fez mal a ninguém, sempre tratou as pessoas com respeito e foi muito amoroso com os seus. Meu irmão costuma dizer que ele nos ensinou o segredo da vida: “ser gente boa” (apesar de alguns gatos pingados não comungarem desta opinião sobre mim).

Eu, papai e Clara (sua namorada), em 1997.

Quando o bicho pega, falo com ele. Uma espécie de monólogo, mas juro que sinto conforto em lhe contar meus raros problemas. Acredito que papai escuta e, de alguma forma, me ajuda. Devaneio? Não senhores e senhoras, é que aquele cara foi um grande pai, ah se foi. Portanto, deve mexer os pauzinhos lá por cima.

Ele partiu em 1998, faz e fará sempre falta. Sinto saudade todos os dias e penso nele sempre. Nosso amor vem das vidas passadas, atravessou esta e com certeza a próxima. Gostaria de lhe dar um abraço hoje, desejar feliz aniversário e tomar muitas cervas com o Penhão, como costumávamos fazer.

Nós e o Zé Penha, em dezembro de 1997, no último natal dele conosco.

Republico este texto para o Zé Penha jamais ser esquecido. Não por mim, pelo meu irmão ou os irmãos dele, que nunca o esquecemos, mas sim pela legião de amigos que ele fez durante sua breve jornada por aqui. Faço minhas as palavras do poema Filtro Solar: “dedique-se a conhecer seus pais. É impossível prever quando eles terão ido embora, de vez”. Saudade, Penhão. Feliz aniversário, papai!

Elton Tavares

Hoje é o Dia do Irmão (e eu tenho o melhor mano do Mundo). Obrigado por tudo, Emerson! #DiaDoIrmão

Este site possui a seção “Datas curiosas”. Para essa coluna, escrevo sobre curiosidades dos dias do ano. Pois bem, então vamos lá. Na cultura Nepali, a data de 5 de setembro (hoje) é o “Dia do Irmão”. A celebração faz parte de uma série de comemorações de festivais hindu. Lá, este é um dia de reconciliação, perdão e reencontro.

No Brasil, o dia surgiu por iniciativa da Igreja Católica, que homenageia o aniversário de morte da missionária Madre Teresa de Calcutá, desde 2007 – data que completou 14 anos de sua morte, também em 5 de setembro. No entanto, não há um registro que oficialize a data no país.

Sim, eu sei, todos os dias é dia do irmão. Além dos irmãos de sangue, grandes amigos, pessoas especiais, que também são como irmãos. Tenho a sorte e a bênção de ter muitos irmãos, companheiros de vida que me ajudam na caminhada. São tantos que não vou nomeá-los neste texto (faço isso nos aniversários de cada um deles), pra não correr o risco de cometer injustiças. Aos meus queridos, meu muito obrigado.

Passo então a escrever sobre meu irmão de fato, de sangue, alma e coração, o Emerson Tavares.

Admiro quem é bom irmão, mas a coisa é mais rara do que parece. São tantos casos de pilantragens, traições e falta de amor entre irmãos que, só de saber, lamento. Conheço muita gente que não dá valor aos seus e acho isso lamentável.

Eu tenho muita sorte de ser irmão de Emerson Tavares. O cara é gente boa, espirituoso, inteligente, bom caráter, bom pai, bom marido, bom filho, bom neto e irmão perfeito. Sim, perfeito pra mim. Tenho tanto orgulho dele que não cabe em mim.

Se alguém me perguntasse quem eu gostaria de ter ao meu lado para atravessar qualquer tipo de situação adversa, seria ele. Eu e Merson já enfrentamos muitas barras juntos e sempre vencemos tudo.

Emerson é o meu melhor amigo. Cara que sempre contei, conto e sempre contarei na vida. Ele me apoia, aconselha, ajuda, compra minha briga e, se preciso, me critica, para que eu possa melhorar. Ele é sensacional!

Deus foi muito bom comigo. Merson é um cara fantástico. Uma pessoa sensacional que irradia positividade. Ele e minha mãe são pessoas que sempre me apoiaram e sempre apoiarão nesta vida.

Li em algum lugar* que a palavra irmão, vem do Latim ‘germanus’, que quer dizer verdadeiro. Na linguagem do amor, essa que aprendi no dia a dia como meu irmão, ter um irmão é tudo isso e muito mais. Porque ele existe, porque é esse cara fantástico, eu sei que sou uma pessoa mais forte. Isso é verdadeiramente único na minha existência.

Se você não é tão amigo de seu irmão ou irmã, ainda é tempo de fazer essa relação virar um laço de amor, pois é para sempre.

A canção diz “o amor é um grande laço”. Entre irmãos, ele é mais forte e para sempre. Te amo, Merson! Obrigado por tudo, meu mais que maravilhoso irmão !

Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte com o seu passado e certamente quem vai sempre te apoiar no futuro” – Trecho do poema Filtro Solar.

Elton Tavares

Eu lembro, pai. Muito obrigado! – Texto sempre republicado por motivo de saudades.

Lembro da minha infância com alegria. Eu e meu irmão fomos agraciados com excelentes pais, que nos proporcionaram tudo de melhor possível (e muitas vezes impossível, mas eles fizeram mesmo assim). Graças a Deus, minha mãe continua aqui e é meu anjo da guarda.

Lembro todos os dias do meu pai, José Penha Tavares. Ele faz muita falta. Não só hoje, que é Dia dos Pais, mas sempre. E sempre fará. Difícil compreender as indecifráveis razões de Deus para algumas despedidas.

Lembro que nós nunca fizemos a primeira comunhão, nem eu e nem Emerson, pois fugíamos das aulas de catecismo para ir com o papai pra AABB. Ele ia jogar bola e nós curtíamos a piscina. Apesar de não ter sido um frequentador de igrejas, Zé Penha tinha muito mais Deus no coração do que a maioria dos carolas que conheço.

Lembro-me de quando ele me levava para ver seus jogos de futebol. Era goleiro dos bons. Lembro quando tinha mais ou menos uns quatro anos ele me chamava de “Zôk”, apelido dado por causa da risada que eu dava quando ouvia o nome da moto Suzuki.

Lembro que sempre foi nosso herói, meu e do meu irmão Emerson. Depois, também virou ídolo de muitos amigos, por conta do nível caralístico de paideguice que ele tinha. Lembro que poucas vezes vi meu pai triste ou irritado.

Lembro-me das poucas broncas, de algumas porradas, de poucas discussões. Disso mais lembro de esquecer. Lembro muito mais das viagens, da parceria, da amizade, da proteção, da admiração que tinha e tenho por ele.

Lembro-me de papai nos levar para jogar bola, ao cinema, circo, arraial ou qualquer lugar em que ficássemos felizes. Éramos moleques exigentes, mas lembro que ele e mamãe sempre davam um jeito, mesmo com pouca grana. Lembro dos ensinamentos e sei que uma porção grande de bondade que trago em mim herdei de meu pai.

Lembro que conviver com meu pai era viver no paraíso. Lembro-me de como todos o amavam e até hoje, todos sentimos saudades. Lembro que já são 23 anos sem você. Lembro, Zé Penha, de o quanto fomos parceiros, confidentes e grandes amigos. Aliás, pai, fostes o melhor de todos. Lembro de como eras sensacional, cara. Incrível, mesmo!

Lembro de tudo amorosamente, pouquíssimas vezes com lágrimas nos olhos, mas a maioria com sorrisos. Pois o que mais lembro é que tu, pai, era a personificação da alegria e bom humor. Enfim, de vida. Lembro de ti, Zé Penha, todos os dias. E amo lembrar o que fostes e o que representas. Obrigado por todo o amor. Um beijo em ti. Estejas tu nas estrelas ou em qualquer lugar além do meu coração. Amo-te, pra sempre. Feliz Dia dos Pais!

Elton Tavares

*Texto atualizado e republicado por motivo de saudades.

Hoje é o Dia do Amigo – Meu texto relato/homenagem aos meus incríveis amigos

Hoje é o Dia do Amigo. O Dia do Amigo é uma data proposta para celebrar a amizade entre as pessoas. No Brasil, Uruguai e Argentina, a data mais difundida para esta celebração é 20 de julho. A iniciativa foi apresentada conjuntamente por 43 países (incluindo o Brasil e quase todos os países sul-americanos), e foi aceita unanimemente pela Assembleia Geral.

Tenho muitos deles, disso posso me gabar, graças a Deus! Muitos com quem posso contar em momentos escrotos e para também, claro, dividir momentos felizes de minha existência.

“Já tive “amigos” que supus serem Amigos, que ajudei pensando estar fazendo um bem, e que a ingratidão deles brotou como espinhosa árvore na lavoura que tentei cultivar. Não falo de inimigos, pois como os ex-amigos, eles não merecem a minha ira. Apenas desprezo o que não quero prezar. Eles são meramente pontos obscuros de referência na encarnação de um maniqueísmo torpe, trivial e vulgar” – Fernando Canto. Faço minhas essas palavras do amigo FC.

Já magoei alguns, que nunca mais voltaram, “por conta de uma pedra em minhas mãos”, como disse Renato. A estes, só desculpas não são suficientes, só quero que saibam que eu sinto muito (em alguns casos, que fique claro). Outros me sacanearam pesado e foram devidamente escanteados. Um deles se tornou um inimigo de fato.

Por causa dos amigos, já me meti em brigas, fofocas, me endividei, bati e apanhei. Não me arrependo de nada, eles fizeram por mim também. É na hora que o bicho pega que vemos quem é quem.

Li em algum lugar que “Amigo é aquele que o coração escolhe”, em outro que “não fazemos amigos, os reconhecemos”. Pode ser, mas uma coisa é certa, a amizade é um bem precioso. E como é!

Amigos são a família que escolhi, o meu povo, os meus amados (e às vezes odiados). Afinal, as brigas fazem parte da coisa. Demorei muito pra aceitar e respeitar as pessoas como elas são. Quem não o faz, sofre.

Tenho amigos que quero sempre junto a mim, eles energizam o ambiente. Amizade é um bem precioso, portanto, cuide daqueles que lhes são caros. Mas somente os que são amigos de mão dupla, pois a reciprocidade é fundamental.

Bacana a definição do meu amigo jornalista Edi Prado: “A gente não sabe quais os motivos dos nossos encontros nessa vida ou quais os motivos que nos levar a gosta de alguém. Mas acho que o que vale mesmo é o sentimento de carinho e demonstração de amor enquanto estamos vivos. Se o que temos pra lembrar são os momentos e as fotografias”. É isso aí, mestre Edi!

Tenho amigos de infância, amigos doidos varridos, amigos velhos, amigos jovens, tenho amigos pra caralho (só assim pra vencer uma porrada de inimigos que possuo).

Minha mãe Lúcia e meu irmão Emerson, os meus melhores amigos da vida toda.

Resumindo, obrigado a vocês que fazem parte da minha vida e a tornam muito mais feliz. E feliz pra cacete! Difícil é nomear todos, mas lhes rendo homenagens aqui neste site sempre que trocam de idade. Sobretudo, enfatizo, a minha família. Eles sempre foram e sempre serão os meus melhores amigos. “Tenho amigos que não sabem quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles” – Paulo Sant’Ana.

Portanto, obrigado a todos os brothers e irmãzinhas que me aturam (sei que não é fácil). Ah, que fique registrado: amo vocês, comparsas. “A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro” – Platão.

Elton Tavares

*Ainda sobre amizade, assistam o vídeo de quando o Charlie Brown conhece o Snoopy, uma das mais belas amizades da ficção:

]]

Anderson Miranda gira a roda da vida pela 46ª vez. Feliz aniversário, irmão!!

Sabe, gosto de uma porrada de gente. Tenho muitos amigos, graças a Deus. E um bom punhado de inimigos pra ficar ligado – faz parte. Mas alguns desses companheiros são verdadeiros irmãos de jornada. Um deles gira a roda da vida hoje pela 46ª vez: o Anderson Miranda, nosso querido “The Clash”.

The Clash foi o apelido dado nos anos 90 pela galera que curtia “roquenrou” com o Anderson. Mas a gente começou a tomar cerveja na casa dele e descobrimos que seu apelido familiar é “Macaco”, portanto o chamamos pelo seu nome e mais essas duas alcunhas.

Bom, trata-se de um cara sensacional. Educado, inteligente e gente fina no nível hard. Anderson sempre foi um brother porreta para bater um papo sério ou pirar no sentido literal da palavra.

Quem não gosta do Macaco é doido ou não presta. Pois o figura possui o respeito, admiração e o amor de sua família e amigos.  Pois além de grande sacana, The Clash é um excelente filho, irmão, tio e brother.

Anderson é o filho mais velho da dona Sabá e do seu Waldemir, gerente da Caixa Econômica Federal, marido da querida Adê. Sofre por suas escolhas no futebol, já que é torcedor convicto do Vasco e do Remo. Entre outras muitas coisas legais que o figura é, ele é batuqueiro/tocador de tambor, amante de Rock and Roll, e o ateu mais cristão que conheço, pois pouca gente que convivo faz tanto o bem quanto ele.

Eu, Emerson e Patrick já viajamos muito juntos com o Anderson. Para ver shows de Rock fora do Amapá ou em viagens mais intimistas por aqui mesmo. The Clash é nosso comparsa, confidente, socorrista, enfim, parceiro de tudo que é coisa firme nessa vida e ainda podemos contar com ele se der merda em alguma coisa. Ele já me ajudou incontáveis vezes – e por motivos diversos. Sou sempre grato a este grande amigo.

Já disse e repito: com uma história de batalho e sucesso formidável, Anderson Miranda é um cara inspirador. Por sorte, conheci esse bicho há mais de 20 anos, lá no Colégio Amapaense. E tenho o prazer, sorte e orgulho de ter sua amizade há décadas.

O sacana às vezes me enche o saco, mas sei que é para o meu bem. Das poucas vezes em que fiquei puto com Anderson, nem lembro da maioria, de tão rápidas e sem importância. Lembro muito é de seus feitos por mim, pela sua família, pela galera, por estranhos.

Também é um figura contemporizador, boa praça, agradável. É sempre firmeza bater um papo com ele sobre qualquer assunto, desde as nossas bobagens ou conversas sobre política, cultura, entre outras coisas legais. Anderson Miranda é um cara safo, inteligente, incorruptível, bem-humorado e com um coração maior que ele.

Anderson é um mestre em cuidar da própria vida. Sério. Se o cara não te ajudar, ele não te atrapalha. Nem com comentários ou julgamentos quando estás fazendo merda. Ou seja, o Macaco é PHoda. Ele é, sobretudo, um homem de bem.

Macaco, mano velho, “tu saaaaaabes”. Que a Força sempre esteja contigo. E que tu sigas com toda essa saúde e sucesso por no mínimo mais uns 50 anos. A gente te ama, cara.

Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Atualizado e republicado por motivo de viagem ao interior, mas de coração. 

Sharlot Sandin gira a roda da vida. Parabéns, Japa. Te amo! Feliz aniversário!! – @SharlotSandim!

O jornalismo me proporcionou incontáveis coisas sensacionais. Entre tantas maravilhas, me deu amigos/irmãos. Entre esse pequeno grupo de afetos do meu coração, está Sharlot Sandin, a Japa linda e louca. Uma das pessoas que mais me faz bem quando estamos juntos é uma broda que gosto de ter por perto. Hoje, no décimo sexto dia de junho, ela gira a roda da vida e lhe rendo homenagens, pois ela é uma baita mulher!

Sharlot é mãe do Mateus, filha da dona Sônia, jornalista e assessora de comunicação das Prefeitura de Pedra Branca do Amapari (ofício que ela desempenha com dedicação e competência). Conheci a Japa em 2008. De lá pra cá, fomos chegados, colegas de trampo, amigos e, há anos, somos irmãos de vida. Ela é das pessoas com quem posso contar, seja para trabalho, resolver problemas pessoais ou rirmos em uma mesa de bar com nossos amigos loucos.

Sempre digo que ir trampar em Pedra Branca foi um divisor de águas na carreira da Sharlot. Ela era uma boa assessora de comunicação, mas se tornou senhora do seu ofício, com visão estratégica e diálogo porreta com a imprensa. Dá um orgulho danado ver a evolução profissional da japinha. Tenho a honra de ser seu amigo dessa pessoa que, além disso, é tem um grande coração.

Além de profissional, Sharlot Sandin é uma mulher fantástica. Sabem aquelas pessoas que quando você lembra ou olha na cara, já dá vontade de rir de tanta presepada e histórias acumuladas durante uma vida feliz junto dela? Pois é, é a Japa.

Hoje ela faz aniversário, mas o além de Sharlot, quem ganha somos nós, pois ela faz a nossa felicidade, pois temos o privilégio de ser amigos de uma pessoa tão porreta. E falo por mim e pela nossa turma mesmo, pois ela isso é quase uma unanimidade no nosso meio.

Sharlot é inteligente, honesta, safa, malandra, palhaça, batalhadora, presepeira e uma mulher bonita. E não é só por conta desse rostinho porreta, mas sim pelas atitudes e caráter. Com ela, já ri, chorei e colecionei momentos maravilhosos dessa vida.

Sharlot nunca fez NADA que desabone sua conduta como minha amiga. Sempre me apoiou e ficou ao meu lado. E tento ser para ela, pelo menos 70%, esse amigo que a querida é para mim. A gente se ama e é recíproco!

Com a cabeça e o coração loucos, Sharlot é absurdamente de bem com a vida. Ela aproveita tudo que a vida lhe apresenta de forma paid’égua, com todas as cores, sabores e ligas que, quando vividas, geram memória afetiva. Sei bem, pois em muitas dessas vezes, tô com ela. Essa mulher deixa tudo mais leve com seu humor debochado e ilumina a caminhada.

A Japa completa 36 anos hoje. Foda que estamos longe dela, por conta da pandemia que nos priva da presença de nossos afetos, mas estou feliz pelo ano novo de Sharlot, pois eu a amo. Na verdade, quem tem a sorte de ser seu amigo a ama.

Japa , que teu novo ciclo seja ainda mais porreta. Que tu continues esse mulher paid’égua e que sigas pisando forte em busca da felicidade. Tenho muita sorte da tua existência orbitar a minha. Saúde e sucesso sempre. Te amo! Meus parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares