Seminário discute ameaças fitossanitárias no cultivo de grãos no Amapá

10599530_1337600256349308_35599835063926794_n

O recente aumento das áreas de produção de grãos no Cerrado do Amapá, principalmente com cultivos de milho e soja, tem consolidado o Estado como uma das últimas fronteiras agrícolas do país. Porém, é preciso uma atenção especial às ameaças fitossanitárias que podem comprometer a produtividade dos cultivos. Com o objetivo de compartilhar orientações técnicas de controle e combate principalmente às doenças conhecidas como “Soja Louca II” e “Ferrugem Asiática”, a Embrapa Amapá realiza, nos dias 9 e 10 de dezembro, o I Seminário Sobre Desafios Fitossanitários em Sistemas de Produção de Grãos no Amapá. O evento é dirigido a produtores e técnicos extensionistas e acontecerá no auditório da Embrapa, em Macapá. A “Soja Louca II” e “Ferrugem Asiática” foram as principais causas de prejuízos econômicos na safra agrícola 2013/2014 no Amapá. A “Soja Louca II” vem sendo tratada como uma anomalia, mas sua causa ainda é desconhecida. Quando ocorre, a planta não amadurece e registra alto índice de abortamento de flores e vagens. Normalmente é nas folhas mais novas que ocorrem os sintomas mais fortes. Elas ficam deformadas, as flores caem, não vingam e não produzem vagens. Já a “Ferrugem Asiática”, como é conhecida a doença causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, reduz a produtividade da soja através da desfolha precoce da planta que ocasionará uma redução na produção de grãos. O Seminário é uma oportunidade para a equipe técnica da Embrapa e os demais participantes compartilharem informações e discutir propostas de manejos adaptadas ao sistema de produção do Amapá, tendo como objetivo desenvolver técnicas de cultivo viáveis sob o ponto de vista fitossanitário. O evento contará com palestras de professores e pesquisadores com experiência nas temáticas abordadas, entre eles o analista Gustavo Castro e o pesquisador Luís Wagner Rodrigues Alves, ambos da Embrapa Amapá; o pesquisador Roni de Azevedo, da Embrapa Amazônia Oriental (Pará), Luís Henrique Carregal, da Universidade Vale Verde (Goiás) e Durval Dourado Neto, da Universidade de São Paulo (USP).

Assessoria de Comunicação
Dulcivânia Freitas
Jornalista DRT/PB 1063-96
dulcivania.freitas@embrapa.br
(96) 4009-9587 / 8137-7559
www.cpafap.embrapa.br

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*