AP teve três servidores federais expulsos por corrupção de janeiro a março de 2018

Controladoria-Geral da União realizou levantamento em todo o Brasil (Foto: GNews)

Por Jéssica Alves

No Amapá, três servidores federais foram expulsos por terem cometido algum tipo de irregularidade, segundo um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU). Em 15 anos, foram 139 casos identificados, sendo o maior número registrado em 2014, quando 14 nomes foram desligados nos quadros.

As demissões aconteceram após a abertura de procedimentos administrativos. Além de atos de corrupção, ocorreram por outros motivos, como abandono de cargo, falta de assiduidade ou acumulação ilícita de empregos. Em 2017, foram cinco desligamentos, diz o órgão.

“Essa é uma situação preocupante, pois nem estamos na metade do ano e já tem três servidores expulsos por corrupção. De 2003 para cá o Amapá sempre esteve presente nos relatórios nacionais e esses dados são referentes à corrupção”, destacou chefe da CGU estado, Romel Oscar Tebas.

Entre os atos apontados pela CGU estão: uso do cargo para proveito pessoal, recebimento de propina ou vantagens indevidas, utilização de recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares, improbidade administrativa, lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.

Desde 2003, a administração federal já expulsou 6.857 servidores, sendo que 5.715 foram demitidos, 568 tiveram a aposentadoria cassada, e 574 foram afastados de suas funções comissionadas. Os dados não incluem os empregados de empresas estatais, como a Caixa, os Correios e a Petrobras.

As pastas com a maior quantidade de expulsões foram os ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário, da Educação e da Justiça.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *