IJOMA completa 4 anos de luta em favor dos pacientes de câncer do Amapá


Na segunda-feira, 21, o Instituto do Câncer Joel Magalhães (IJOMA) completa mais um aniversário. São quatro anos de luta em prol dos pacientes de câncer do Estado do Amapá.

O aniversário será comemorado na quinta-feira, 24, com um café da manhã no prédio da entidade, às 8 horas, oferecido aos pacientes cadastrados na instituição, empresários que ajudam e voluntários.

A noite, às 19 horas, será celebrada uma missa em Ação de Graças na paróquia Jesus de Nazaré para abençoar mais esse ano que se passou e renovar os trabalhos para o próximo.

“Agradeço imensamente a Deus, por me iluminar a criar esse instituto. Já ajudamos muitos, e queremos ajudar muito mais. Agradeço também as pessoas solidárias que participam conosco desse empreendimento. Empresários, voluntários e funcionários que nos ajudam na causa. Nossos pacientes precisam de nossa ajuda.”, declarou o presidente da entidade, padre Paulo Roberto.

O instituto é sem fins lucrativos e foi criado para promover a prevenção e o diagnóstico precoce através de campanhas educativas e preventivas executadas durante o ano, além de ajudar os pacientes cadastrados com apoio em hospedagem (pacientes do interior), pagamento de exames e encaminhamentos para o Hospital de Barretos.

Também são realizados diversos atendimentos no prédio da entidade, como: odontologia básica, psicologia, psiquiatria, atendimento jurídico aos pacientes oncológicos e coletas de PCCU (Papanicolau).

“Pretendemos com a ajuda do povo e alguns projetos, ampliar nossos serviços à sociedade. Acrescentar novos como mamografia, ultrasonografia, e outros que é tão difícil para o pobre ter acesso. Pedimos a ajuda da sociedade para este projeto. Se tivermos R$ 100 no caixa, só podemos pagar um exame por exemplo. Porém, se tivermos mais, mais o faremos.”, comenta o coordenador administrativo, Marcio Bezerra.

Quem foi Joel Magalhães

Joel Magalhães, filho de Antonio Rodrigues Magalhães e Maria de Lourdes da Costa Magalhães, nascido no dia 16 de junho de 1981 no Maranhão. Nascido numa família extremamente pobre e numerosa, não teve a oportunidade de estudar e com nove anos saiu do Maranhão e foi para Capanema (PA), em busca de emprego. Em Capanema morava na rua e foi engraxate. Após um ano sendo morador de rua, a pedido de um tio foi para São Luis (MA) trabalhar numa pastelaria de sua propriedade. Ali, também era explorado quando um outro tio que morava em Macapá, o chamou para vir tentar a vida aqui. Em Macapá após um longo calvário sem casa, família e dinheiro, consegue emprego de carregador de cimento. Talvez a causa da sua enfermidade. Após um ano conseguiu um emprego melhor e resolveu alugar um quarto, pois, se sentia humilhado pelo tio que lhe deu guarida. Nesse novo emprego ficou três anos quando descobriu a doença. Desesperado, não quis voltar para o Maranhão, pois segundo ele, trazia profundas recordações de tristeza e dor, sendo assim pediu ao padre Paulo que o ajudasse e que não o deixasse levá-lo para o Maranhão, vivo ou morto. Após nove meses de luta contra o câncer, a burocracia e a indiferença social, mas cercado de amor e respeito pelos amigos que passaram a ser sua nova família. Vem a falecer no dia 13 de dezembro de 2001. E a seu pedido esta sepultado em Macapá, lugar que ele amou e foi amado por todos nós que aprendemos a ver naquele menino fraco e indefeso, o rosto de todos os brasileiros abandonados pelo poder público.

Doações
Instituto de Câncer Joel Magalhães – IJOMA
Avenida Doutor Silas Salgado, nº 3586 – Alvorada
CEP. 68.901-346
Contatos: (96) 9191-6270 / 3222-5675

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*