Lousas digitais permitem interação de alunos com as novas tecnologias

img-20160927-wa0013

Em Macapá, o uso de lousas digitais é uma realidade em todas as 80 escolas da rede municipal de ensino. A ferramenta está fazendo a diferença no aprendizado diário dos estudantes. O ensino da matemática fica mais dinâmico; é mais fácil entender geografia quando basta um clique para pesquisar o mapa do Amapá ou perceber a distância entre Brasil e Japão; aprender as primeiras letras e sílabas do alfabeto também fica mais prazeroso quando as crianças podem interagir diretamente com as canetas e escrever na tela virtual projetada na parede ou no telão.

Longe do giz e do apagador, mas ainda com o uso dos quadros brancos, professores têm utilizado a tecnologia como aliada para garantir a atenção dos alunos na sala de aula. E os relatos comprovam o sucesso. Na Escola Municipal Neusona, no bairro Universidade, a diretora conta sobre a maior interação na classe. “Nossos professores e alunos estão usufruindo da tecnologia e, a cada dia, descobrem, juntos, novas possibilidades”, diz a gestora Vera Favacho.
img-20160927-wa0038
Na Escola Municipal Aracy Nascimento, no Santa Rita, as 8 lousas são utilizadas de modo rotativo, como nas demais unidades de ensino do município. Lá, 628 alunos, do 1º ao 5º ano participam de atividades que envolvem o uso das lousas digitais. “Todos os nossos professores foram capacitados pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) para usar as lousas”, conta a diretora Neliclai Trindade. Já na escola localizada no bairro Alvorada, a Recanto da Amizade, a professora Michella Paes fala da preferência dos estudantes. “Usamos os equipamentos em todas as disciplinas, mas as crianças adoram quando fazemos sessões de cinema, rola até pipoca”.

Na sala do 1º período da educação infantil, na Escola Recanto da Amizade, sob o comando da professora Débora Menezes, a aula virou diversão. “Gosto quando a gente vê as imagens das coisas, dos bichos, dos mapas, a gente escreve com a caneta na parede, mas não risca. E ela passa um monte de vídeos legais”, afirma Adrine Rebeca Cunha, de 5 anos.

Todos têm acesso ao equipamento, incluindo as escolas da zona rural, seja no distrito do Coração – o mais próximo do centro de Macapá, seja nas escolas distantes, como as sete da região do Bailique, por exemplo, cujo acesso se dá somente por água, em viagens que podem durar mais de 6 horas. Para lidar com a nova ferramenta, o corpo docente do município recebeu treinamento para manusear as lousas que são utilizadas de acordo com o projeto pedagógico da série.
img-20160927-wa0034
Como em tecnologia surgem novidades a cada dia, os técnicos da Semed preparam oficinas e capacitações constantes para os professores, tudo para que as lousas não virem peças obsoletas e ou apenas um objeto decorativo da sala de aula. “É preciso que os professores explorem ao máximo os recursos e consigam transferir cada vez mais dinamismo às suas aulas. Estamos à disposição para ajudá-los”, informa a gerente do Núcleo de Tecnologia da Educação de Macapá (NTM), Thaís Pontes.

Em Macapá a lousa chegou às 80 escolas da rede, para alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os equipamentos são fruto de emenda parlamentar, no valor de R$ 1 milhão, do senador Randolfe Rodrigues. A lousa pode projetar imagens, textos, reproduzir arquivos em power point, vídeos, jogos interativos, acessar internet e muito mais.

Rita Torrinha/Asscom Semed
Contato: 99189-8067

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*