Poema de agora: Castanhos Falsos (Carla Nobre)

CASTANHOS FALSOS

Meu amor se desfez
Em três doses de uísque falsificado
Numa sexta feira chuvosa
Meu amor foi decapitado

Esfolado no asfalto do meu coração
Levou alvaitice na noite de lua partida
Duma sexta feira agua com açúcar
Meu amor se perdeu na área

De ponte da ressaca do Muca
Submergindo afogado no lixo
Meu amor que era capricho

Explodiu solitário em dezembro
Nos fogos baratos de artifício dos teus olhos
castanhos falsos que já nem lembro

Carla Nobre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *