Poema de agora: Eu sou assim (Fernando Canto)


Eu sou assim 

Não me recrimine
Pelo meu cabelo de [email protected]
O rosto de í[email protected]
Os olhos de [email protected]

Eu sou assim…
Da beira do Rio Maior
Cliente das batucadas
[email protected] de um Ser de Luz

Eu sou assim…
Como a lua grande
Que gasta seu brilho imenso
Todos os meses
Sobre o equador,
No meio do mundo

Sou verde, sou terra, sadona
Eu pertenço às estrelas, [email protected]

Fernando Canto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *