Poema de agora: Metáfora (Tãgaha Soares)


Metáfora

o Sol, essa estrela a brilhar
com raios a penetrar o denso negror do mar, do mar
e o mar, a massa a se encandear
com forças para evitar
revolta sem abalar
peixes outrora com vidas e almas vencidas não tardam a boiar
sangra com lança de morte, com garras do forte, o herdeiro do mar…
prensa o nativo do fundo tomando-lhe o mundo que é seu habitat
povo já sem consciência perdeu a essência re raciocinar…
e a luz, em claros focos letais
atrozes torturas traz
causando o inverso da paz, da paz
tenaz, é a ânsia de se salvar
e a dança me faz lembrar
um enxame a revoar
peixes outrora com vidas e almas vencidas não tardam a boiar
sangra com lança de morte, com garras do forte, o herdeiro do mar…
prensa o nativo do fundo tomando-lhe o mundo que é seu habitat
povo já sem consciência perdeu a essência re raciocinar…

Tãgaha Soares


*Substantivo feminino. Gram. 
Tropo em que a significação natural duma palavra é substituída por outra com que tem relação de semelhança. [Por metáfora, chama-se raposa a uma pessoa astuta.]
§ me.ta.fó.ri.co adj.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *