Poema de agora: Meu querido irmão – Kassia Modesto

Meu querido irmão

Meu querido irmão,

Escrevo-te com estas mãos, que há pouco te traziam pro meu
Abraço, que é morada

E com os olhos marejados de saudades, sinto a ausência de ti,
Nesta breve jornada.

Espera paciente no cantinho do teu novo lar,

Logo logo, irmão, a tempestade vai passar!

Aproveito daqui e tomo uns goles nostálgicos das nossas melhores
Lembranças.

Disseram que logo passa… e nas ruas vazias lá fora, eu vi, solitária,
a esperança.

Assustada, disse-me que a descrença em dias melhores, por pouco
Não a matara,

Do outro lado da rua, irmão, ela me olhou nos olhos como se já
Tivesse a solução,

E mesmo atrás da janela fechada, com a cortina entreaberta e
Muito assustada,

Eu pude ouvir dos seus olhos de criança espevitada, a alegria
Contida,

Ela nunca deu-se por vencida e nesses dias sombrios, demos nela
Um sopro de vida.

E ela seguiu. Sozinha. Estranhamente feliz.

Então espera, querido irmão. Deixa a esperança brincar um pouco.

Nunca compreendemos o agir de um louco.

Mas essa jovem menina, a cantar na esquina, traz a vacina que é cura
E muito além de sua própria loucura,

Ela traz um mundo inteiro, que jamais será o mesmo.
Que a duras penas viveu o amor e o respeito.

E eu daqui, meu amado irmão, escrevo a ti com coração,

Pra pedir compreensão, fique quieto em casa. Leia um livro.

Não esqueça jamais, de lavar as mãos…

E se te recordas bem da nossa boa educação,

Se ofereça a ajudar quem mais precisa.

Tenha ao teu próximo, como a mim, amor e empatia.

E queira Deus, o meu vizinho assim também me veja…

E que em poucos dias a gente seja, não mais os mesmos.

Mas com o gostinho e a gana de viver o mundo todinho do lado de
quem a gente ama.

Com amor, ao meu querido irmão.!

Kassia Modesto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *