Poema de agora: Não coube no coração (Thiago Soeiro)

Não coube no coração

As palavras já não fazem sentido
É inútil usá-las
ou organiza-las em bilhetes que acabo rasgando

Queria mesmo era atravessar esse rio que nos separa
Te pegar pego braço
Arrancar teu beijo
Te amar na manhã de um sábado qualquer
Renascendo mil vezes dentro de ti

É fora do meu controle esse desse desejo pulsante por nós
Laços invisíveis que o tempo escondeu

Sei que sou uma parte tua a deriva
Esperando ser salvo
ou simplesmente não querendo ser.

Thiago Soeiro

(Entre o não e o sim, só me deixe quando
o lado bom for menor do que o ruim –
A Banda Mais Bonita da Cidade)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *