Poema de agora: O ANO QUE NÃO EXISTIU – Luis Carlos Cardozo

O ANO QUE NÃO EXISTIU

Está quase acabando
o ano que não existiu!
Tanto medo, tanta dor,
Tanta gente que partiu!
Com o rosto desolado
Tento brincar de viver:
Minha máscara não ri
Não mostra dor nem prazer
Mas embaça os meus óculos
E ajuda a disfarçar
A tristeza nos meus olhos
E a vontade de chorar…

Só espero que acabe logo
Pra gente voltar ao normal
Pra aquela vidinha chata
De viver junto e coisa e tal
Fazer aglomeração
No São João, no Carnaval
Ir na casa dos amigos
Fazer festa no quintal…

E quando eu te encontrar
Daqui a alguns meses,
Se eu não morrer até lá,
Não estranhe abraçar duas vezes!

É que por não aceitar
tantas perdas,
Tanta privação,
tanta falta de alegria,
Pra compensar
este ano macabro,
No ano novo
vou viver tudo em dobro!

Luis Carlos Cardozo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *