Colorindo o Futuro: Moradores da Baixada Pará participam de oficina de audiovisual

“Curta Baixada Pará em 1 Minuto” é a próxima etapa do projeto Colorindo o Futuro – Baixada Pará, que inicia na próxima semana para moradores da comunidade. A iniciativa é do Ministério Público do Amapá (MP-AP), que através das Promotorias de Meio Ambiente e Urbanismo está executando no local ações de educação ambiental, cidadania, justiça, educação, capacitação, saúde e agora, entra na fase de auto-reconhecimento e melhoria da estima dos moradores. A oficina de audiovisual será de 26 à 31 de agosto, na própria comunidade Baixada Pará, com disponibilidade de 50 vagas.

Esta oficina integra o objetivo do projeto Colorindo o Futuro, de provocar a inclusão de moradores em atividades de valorização das pessoas e do lugar em que habitam, e passem a contar as histórias, suas vivências, e expectativas quanto ao futuro. Os moradores serão os protagonistas, e através do olhar e experiência de cada participante, os vídeos serão produzidos. Na oficina, os participantes serão estimulados a contar histórias, produzir roteiros, identificar personagens, captar locais e pessoas de interesse do ponto de vista fotográfico e com curiosidades que podem ser aproveitados, fazer produção, entrevistas e outras ações referentes ao audiovisual.

O aprendizado será repassado pelo diretor e ator Thomé Azevedo, editor e diretor de fotografia Edson Martini, pelo cinegrafista, fotógrafo e diretor, Nildo Preto, e o assistente e produtor Mário Garavello. Eles resgatam uma experiência realizada em Santana nos anos de 2005 e 2006, onde a prefeitura do município promoveu o Curta Santana Num Minuto, e a população se envolveu na proposta e passou a ser ator, diretor, entrevistador e conseguiu produzir um material que conta a história do município e seus moradores, sua cultura e costumes. Cerca de 30 filmes foram produzidos nas duas edições do festival, que premiou os melhores. O Prodap também é parceiro desta oficina através do projeto Cidadão Digital.

“Eu e Edson Martini, junto com outros militantes do audiovisual como Ana Vidigal, Bruno Gerônimo e Willian Camilo, embarcamos na proposta apresentada pelo então secretário municipal, Augusto Oliveira, e passamos semanas em Santana reunidos com moradores em grupos de estudantes, catadores, prostitutas, donas de casa, uma série variada de pessoas. E o final foram histórias emocionantes que resultou em uma virada social, em que os idosos viraram atores, o estudante, repórter, e esta experiência queremos trazer para Baixada Pará em um novo formato”, disse Thomé Azevedo.

Nesta edição, a oficina de curta-metragem traz das edições anteriores, o formato um minuto, a inclusão de moradores na produção integral do material, e os ensinamentos com profissionais do mercado amapaense. Foi inovado na oficina a abertura para registro dos bastidores, aproveitando a capacitação em fotografia dos moradores oferecida através do MP-AP, e a troca de festival competitivo para Mostra de Vídeo, para não gerar o ambiente de competição. Foi dada a oportunidade inicialmente para os participantes das oficinas de Edição de Vídeo e de Fotografia, viabilizada por meio do projeto Colorindo Vidas, mas abertas as inscrições para outros interessados da Baixada Pará e arredores.

Para o promotor de Meio Ambiente, Marcelo Moreira, esta etapa do projeto é significativa porque expõe um outro lado da Baixada Pará, que será mostrada a partir da vivência dos moradores. “Por meio do projeto do MP-AP, fizemos parcerias com a PMM para a limpeza de parte da área alagada e de vias, junto com o SESI-SENAI e Exército levamos uma grande ação de saúde e estética, também com o Sistema S, Prodap, grupo Nutriama e empresa Sião Thur foram promovidos cursos, e agora chegou a vez de trabalharmos a estima dos moradores, que apresentarão uma Baixada que tem problemas, mas que também tem muita gente trabalhadora e estudiosa, que querem um lugar bom para viver com orgulho, com respeito às pessoas e ao meio ambiente”.

O projeto Colorindo Vidas iniciou em maio e entra em sua terceira etapa. Após este período de produção de audiovisual serão oferecidos os cursos de reciclagem de latas, garrafas plásticas, pneus e óleo de cozinha, para que seja formada uma cooperativa de trabalhadores da reciclagem que irá reaproveitar e gerar renda com o material que comumente é jogados na área de ressaca. Em seguida a proposta é fazer a pintura de 100 casas, em parceria com a Fecomércio, seguindo para finalização do projeto, que é a Mostra de Audiovisual, com uma sessão dos filmes na comunidade e a Ponte de Fotografia com os registros dos bastidores da oficina.

A oficina de Audiovisual “Curta Baixada Pará em 1 Minuto” será de 9h às 12, e de 15h às 18. Os aprendizes terão uma base para orientação oral, mas a prática será dentro da comunidade.

Serviço:

Mariléia Maciel
Assessora Operacional – CAOP/AMB
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *