Em ação Ministério Público Eleitoral, PF cumpre mandado de busca e apreensão em residência por suspeita de compra de votos

Na última sexta-feira (18), por volta das 13h30, chegou ao Ministério Público Eleitoral, por meio do “disk denúncia, informações de que em uma residência localizada no bairro Santa Rita, que funcionava como comitê de um candidato a prefeito, havia intensa movimentação de entrada e saída de pessoas, inclusive políticos com e sem mandatos, além de supostos cabos eleitorais, envolvendo saída de valores em mochilas, para fins de prática de compra de votos.

Na denúncia, recebida pelo Centro de Apoio Operacional Eleitoral (CAO/Eleitoral), foi enviada uma imagem fotográfica mostrando vários veículos estacionados em frente ao mencionado local, sugerindo suspeita de ocorrência de prática eleitoral ilícita. Diante das evidências, o promotor Eleitoral Iaci Pelaes requereu à Justiça Eleitoral o deferimento de medida cautelar, com expedição de mandado de busca domiciliar e apreensão de valores, aparelhos celulares, computadores, notebooks, chips de telefone, cartões de memória, extensor e documentos.

O Ministério Público Eleitoral requereu, ainda, que seja autorizada a extração de dados dos aparelhos celulares, computadores, notebooks, e demais aparelhos eletrônicos eventualmente apreendidos, assim como o acesso ao seu conteúdo e consecutiva análise e utilização na persecução criminal e tudo mais que for necessário para a elucidação dos fatos.

A Justiça atendeu ao pedido do MP Eleitoral e, neste sábado (19), a Polícia Federal foi até o local para cumprir o mandado de busca e apreensão, tendo sido apreendido, dentre outros, a importância de R$ 30 mil ( trinta mil reais ) e uma arma de fogo, tipo pistola, com numeração raspada.

“O relatório completo da busca e apreensão, bem como a análise dos dados e documentos serão devidamente utilizados na Ação de Investigação Eleitoral, que já está em andamento e que poderá resultar em consequências graves ao candidato envolvido, como cassação de diploma, registro de candidatura e perda de direitos políticos”, alerta o promotor eleitoral Iaci Pelaes.

Disk denúncia

O Ministério Público Eleitoral (MPE), com o apoio da Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), intensifica a fiscalização das Eleições 2020. Para tal, por meio do Centro de Apoio Operacional Eleitoral (CAO-Eleitoral) disponibilizou uma linha de telefonia móvel, com aplicativo de WhatsApp, para possibilitar o envio de imagens e vídeos que comprovem irregularidades em campanhas eleitorais ou quaisquer ilícitos no período que antecede e durante o pleito.

As denúncias da sociedade poderão ser encaminhadas com outras informações para o Disque Denúncia (96) 99184-6549, com garantia de sigilo do denunciante. A atuação do MPE conta com o apoio do Núcleo de Inteligência do Ministério Público do Amapá (NIMP/MP-AP).

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *