Família de corujas resgatada será reintroduzida à natureza pelo Bioparque da Amazônia

O Bioparque da Amazônia irá reintroduzir à natureza uma família de quatro corujas da espécie Suindara, conhecida popularmente como “rasga-mortalha”. Os animais foram levados ao Bioparque, depois de terem sido resgatados do forro de uma residência no fim de semana, em Macapá. O resgate foi feito pelo biólogo do Museu Sacaca, Walber Vasconcelos. Segundo ele, as corujas seriam mortas, se não fossem resgatadas a tempo.

Marina Macedo, médica veterinária do Bioparque da Amazônia, disse que os animais são de uma mesma ninhada. “Eles devem ter de dois a três meses de idade”, estimou.

No Bioparque, as corujinhas receberam atenção, carinho e os primeiros cuidados da equipe técnica de biólogo, veterinário e tratadores. “O maior dos filhotes estava muito bem de saúde e foi imediatamente reintroduzido à natureza. Ele voou e ganhou a nossa área de floresta inteira para morar”, contou, feliz, Marina.

Um dos filhotes, o menor, está com uma das asas quebrada. “Como ele está machucado, precisa de uma atenção maior, cuidado e carinho”, observou a veterinária. Os outros dois filhotes de corujas continuam no Bioparque, recebendo atenção, cuidados e alimentação. Eles estão no setor de quarentena, se alimentando bem, à base de coração bovino com suplemento vitamínico.

Depois de recuperados, os três filhotes passarão por um processo de readaptação ao ambiente natural, antes de serem soltos na floresta. “iremos isolar esses animais do contato humano, para eles poderem ser reintegrados à natureza”, finalizou Marina.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Volnei Oliveira
Assessor de comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *