Líder de grupo de batuque do AP recebe prêmio de ‘Mestre da Cultura Popular’

Grupo Raízes do Bolão divulgação da música tradicional do quilombo do Curiaú há mais de 20 anos (Foto: Paulo Rocha/Divulgação)

Por Carlos Alberto Jr

A tradição, música e história do grupo amapaense “Raízes do Bolão”, um dos maiores divulgadores do batuque e marabaixo no Brasil e no mundo, ganhou reconhecimento nacional. O líder Pedro Bolão foi intitulado nacionalmente como Mestre da Cultura Popular Brasileira. A condecoração dada pelo Ministério da Cultura premia o trabalho que existe há mais de 20 anos.

O grupo do quilombo do Curiaú, às margens da Rodovia AP-070, a 8 quilômetros de Macapá, mantém a tradição de entoar os cânticos que falam das situações do cotidiano e de temas religiosos. O movimento foi formado por familiares na região há mais de 20 anos.

Os integrantes utilizam os tambores de marabaixo fabricados por Pedro Bolão, também apresentam os batuques tocados em tambores cavados no tronco de árvores e em pandeirões que remetem a influência da cultura moura.

Para Pedro Bolão, que recebeu o título de mestre, é o reconhecimento não só de um homem, mas sim de uma família.

Pedro Bolão atribui o reconhecimento ao trabalho de toda a família e comunidade (Foto: Reprodução/Rede Amazônica)

“Esse trabalho existe há cerca de 20 anos profissionalmente, mas a tradição é muito mais antiga. Hoje somos cerca de 90 pessoas envolvidas no grupo e 50% são familiares de todas as idades”, contou Bolão.

O grupo já se apresentou em todos os estados brasileiros e em alguns países europeus como a Alemanha, França e Inglaterra. Pedro destaca que a cultura e principalmente o poder da música, faz com que qualquer um tenha empatia.

“Tambores e batuques apresentam a tradição oral quilombola, tendo o tambor como elemento musical principal. Muita gente, mesmo sem o nosso contexto cultural consegue sentir a música e entender a importância”, exalta o mestre.

Essa não é a primeira grande premiação do grupo. Em 2013, o Raízes do Bolão representou o Amapá no compilado nacional Sonora Brasil. Além da gravação, o grupo fez uma série de apresentações no país pelo circuito nacional promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc).

Cerca de 90 pessoas participam do grupo, sendo metade apenas da ‘família Bolão’ (Foto: Paulo Rocha/Divulgação)

Pedro também comanda projetos organizados por escolas, grupos e ações culturais. Seja por meio da história ou musical, para o mestre, a função do “Raízes” é propagar a tradição do Amapá.

“Seja no Amapá ou em qualquer lugar, nosso trabalho é fazer com que mais pessoas conheçam e consumam as manifestações culturais do quilombo”, finalizou.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *