Macapá 263 anos: Programação cultural virtual reúne artistas no Mercado Central

Após a tradicional manhã de aniversário pelos 263 anos da capital, realizada nesta quinta-feira (04), a Prefeitura de Macapá prosseguiu com as comemorações culturais no Mercado Central. Para evitar aglomerações, a programação contou com público restrito e foi transmitida na íntegra pelas redes sociais.

Durante o evento, o prefeito de Macapá, Dr. Furlan, ressaltou que este aniversário marca o compromisso da prefeitura em fomentar a cultura da cidade. “Esse é só o começo. Não é a comemoração de aniversário que queríamos, mas mesmo lutando contra a pandemia, nossa festa foi promovida pelas redes sociais, acessível, assim como acreditamos que deve ser a cultura de Macapá”, disse.

O prefeito anunciou ainda a retomada do edital 08/2020, da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult/PMM). O documento prevê um investimento de aproximadamente R$ 630 mil na produção artística local durante o ano.

Programação

A abertura da programação cultural foi feita em grande estilo, embalada no dedilhado do violão do grande Nonato Leal, que ao lado do filho, Venilton Leal, mostrou que o talento de maestro, em seus 93 anos, só aumenta e é um presente ao povo de Macapá que lhe acompanha.

Nonato Leal é natural de Vigia (PA), mas veio para Macapá no dia 02 de março de 1952 e aqui construiu sua carreira e sua vida. É um verdadeiro tucuju de alma, como afirma: “Eu me sinto macapaense de alma e coração e, por isso, eu estou muito feliz em poder participar mais um ano dessa festa de aniversário e da história de Macapá”, celebrou o músico.

O segundo artista na programação foi o cantor João Amorim, autor de canções autorais que entrelaçam pautas sociais e ritmos nortistas.

O jovem artista agradeceu a oportunidade de compor a festa: “Foi uma honra poder desejar feliz aniversário a esta cidade linda, fazendo o que mais gosto, que é cantar e levar a nossa música. Eu sinto que quem ganhou o presente com esse aniversário fui eu”, disse Amorim.

O diretor-presidente da Fundação Municipal da Cultura (Fumcult), Alain Cristophe, disse que o caminho adotado pela gestão é o de garantir oportunidades para novos artistas. “Nossa missão à frente da cultura é de oportunizar aos novos artistas de Macapá meios para que eles sejam cada vez mais reconhecidos”, concluiu o gestor.

Mais festa

A programação contou ainda com declamação de poesia e intervenção artística de Karla Poetiza, além da exibição do curta-metragem “Mercado Central; As Pessoas, a Poesia e o Tempo”, de Vanea Ávilis.

A diretora do documentário, Vanea Ávilis, explica que a ideia de se fazer uma produção audiovisual sobre o Mercado Central surgiu ao conhecer a história de algumas pessoas que trabalham lá. “Ali estão pessoas invisíveis e, ao mesmo tempo, muito importantes para a história de Macapá. São trabalhadores que estão lá por quase toda a vida e viram de perto a história de nossa cidade acontecendo”, disse.

Dona Creuza Pereira da Silva trabalha no mercado central há 28 anos e é uma das personagens presentes no curta. Ela assistiu à obra ao lado do prefeito e ressaltou a felicidade por ter sido convidada para fazer parte da produção.

“Eu me sinto feliz, nunca tinha participado de algo assim. A gente aqui era tão esquecido e, agora, o prefeito conhece até o meu nome”, disse a comerciante.

O curta-metragem foi finalizado no mês passado e foi exibido pela primeira vez dentro da programação de aniversário de 263 anos de Macapá, juntamente com uma exposição fotográfica.

Banzeiro

A programação encerrou ao som de muito batuque e metais, com apresentação do grupo Banzeiro do Brilho-de-Fogo, criado em 2014 por artistas descendentes de pioneiros e de famílias tradicionais de Macapá.

O coordenador geral do grupo, Adelson Preto, ressalta a felicidade de todos os integrantes ao receberem o convite para a programação cultural.

“Nós nos sentimos muito honrados em fazer parte desta programação, pra mostrar que o marabaixo e o batuque não são só das famílias tradicionais, mas de todos os amapaenses. Esse tipo de convite só demonstra o cuidado que o prefeito tem com os povos tradicionais e a nossa cultura”, concluiu.

Lázaro Gaya
Secretaria Municipal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *