Mapeamento de manifestações religiosas do Amapá é premiado pelo Iphan

Folia Religiosa de São Sebastião, em Mazagão Novo, no Amapá (Foto: Iran Lima/Associação Amapaense de Folclore)

Por Rita Torrinha

Um trabalho de salvaguarda das folias religiosas do Amapá foi reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no 30º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. A cerimônia de premiação acontecerá em outubro, no Rio de Janeiro.

O Inventário de Folias Religiosas do Amapá mapeou folias, festejos, procissões e outras manifestações culturais católicas do estado, em especial, 9 comunidades dos municípios de Macapá, Santana, Mazagão, Calçoene e Oiapoque. O projeto visa fortalecer essas manifestações como prática tradicional da cultura popular.

A ideia é de autoria da pesquisadora e historiadora Decleoma Lobato, e do documentarista Iran Lima, com auxílio de pesquisa, vídeo e fotografia de Marcelo de Sá Gomes. Eles compõem a Associação Amapaense de Folclore e Cultura Popular.

Folia de Nossa Senhora da Conceição, em Mazagão velho, no Amapá (Foto: Iran Lima/Associação Amapaense de Folclore)

Um evento chamado de “Encontro de Folias”, conta Lima, é um desdobramento do inventário. Idealizado em 2010, a programação está na 6ª edição e acontecerá de 11 a 13 de novembro, em Oiapoque.

“As duas primeiras edições ocorreram em Mazagão. No estado do Amapá, nove comunidades espalhadas em cinco municípios ainda preservam as folias religiosas e, junto com elas, um repertório de práticas e elementos culturais extremamente rico, como as ‘esmolações’, que são peregrinações com as imagens sacras para visita e coleta de donativos”, explica o documentarista.

O trabalho ressalta ainda que outras expressões culturais como o Marabaixo, o Batuque, o Sairé, o Zimba se associam às folias religiosas, durante as festas em homenagem aos santos e santas do catolicismo.

Folões seguem em cortejo pelo rio, rezando e cantando ao santo festejado (Foto: Iran Lima/Associação Folclórica)

Folias

Nesse tipo de manifestação, os devotos rezam e cantam acompanhados de instrumentos musicais variados, como tambores, tabocas, violas e sinos. Algumas ferras ferramentas musicais são de fabricação dos próprios participantes, que se autodenominam de foliões e membros da Comissão do Santo.

Na festa de Nossa Senhora da Piedade, por exemplo, o grupo que realiza a peregrinação com a imagem da santa pelas águas do Rio Igarapé do Lago e no Rio Mutuacá, no Mazagão Velho, seguem em cortejo sempre acompanhado de uma rústica orquestra.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *