Pesquisadores da Unifap assessoram formulação de plano operativo de saúde integral da população LGBT de Macapá

Os pesquisadores da Universidade Federal do Amapá integrantes do Comitê Técnico Municipal de Saúde Integral da População LGBTT de Macapá, Antonio Sardinha e Conceição Cordeiro, concluíram assessoria e formatação de plano operativo para orientar a organização de serviços e da rede de atenção à saúde da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais da Capital.

O Plano Operativo de Saúde Integral da População LGBTT de Macapá foi assinado na última terça-feira, 29 de dezembro, pela secretária municipal de saúde de Macapá, Gisela Cezimbra. O documento deve orientar a gestão municipal da política de saúde com diretrizes e ações capazes de instituir
serviços e atenção integral para promoção da saúde da população LGBT, atendendo recomendação da Política Nacional de Saúde Integral da População LGBT de 2013.

“A atividade de elaboração do plano operativo foi feita em conjunto com os membros do Comitê Técnico de Saúde Integral da População LGBTT. Com o plano, estamos respondendo a demandas históricas do segmento LGBTT por atendimento humanizado e acesso a serviços especializados na cidade de Macapá”, explica o professor Antonio Sardinha.

Comitê Técnico e representação institucional

O Comitê Técnico de Saúde Integral da População LGBTT de Macapá é um espaço consultivo para assessorar o poder público na formulação de ações e políticas na área de saúde, diversidade sexual e de gênero. O Comitê é formado por membros do poder público, organizações da sociedade civil e movimentos sociais.

Ascom Unifap

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *