PMM avança com Plano de Limpeza de canais e áreas de ressaca durante o período chuvoso em Macapá

A Prefeitura de Macapá criou o Plano de Limpeza de Canais e Áreas de Ressaca para ser executado durante o período chuvoso da capital. Os trabalhos são coordenados pela Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana, com o apoio da Secretaria Municipal de Obras e a Defesa Civil.

O secretário municipal de Zeladoria Urbana, Jean Patrick, explicou que as equipes estão em ações por toda a cidade desde o início do ano, mas os trabalhos foram intensificados agora, com a chegada do inverno amazônico. “Nossas equipes estão atuando nas áreas consideradas mais vulneráveis a alagamentos, que são os canais e ressacas. Os serviços são para garantir o escoamento das águas da chuva e impedir que o material sólido depositado nesses locais cause maiores transtornos”, completou.

O secretário municipal de Obras, Otávio Fonseca, disse que a desobstrução dos bueiros e a limpeza de canais naturais já são serviços feitos de maneira permanente e recebem reforço nesse período de execução do Plano. “A secretaria de Obras está à disposição para trabalhar em conjunto com as outras pastas municipais e assim, executar, dentro das nossas possibilidades, serviços de qualidade para população, principalmente durante o nosso inverno amazônico”, finalizou.

Monitoramento

O Plano foi elaborado com base em um monitoramento dos locais de risco e acontece em três frentes de trabalho: canais maiores, canais menores e áreas de ressaca.

Nos canais maiores: Beirol, Jandiá, José Tupinambá e Perpétuo Socorro, um contingente de 80 homens trabalha na desobstrução, desassoreamento e desentupimento de manilhas. As equipes também contam com o auxílio de uma retroescavadeira, nove caçambas, duas escavadeiras hidráulicas e uma lancha do tipo voadeira.

Nos canais menores: Mendonça Júnior e Nova Esperança, 40 profissionais executam os serviços com o apoio de uma retroescavadeira, duas caçambas e uma lancha tipo voadeira.

Já nas áreas de ressaca, o planejamento ocorre em quatro pontos de mobilização: Zona Sul, Zona Norte 1, 2 e Zona Oeste. Nesses locais onde os alagamentos ocorrem por causa da obstrução do curso d’água, 25 trabalhadores com o auxílio de uma retroescavadeira, uma caçamba e uma lancha – tipo voadeira, estão encarregados da limpeza e remoção de entulhos que impedem a vasão da água.

Defesa Civil

A Defesa Civil de Macapá faz parte do Plano de Limpeza de Canais e Áreas de Ressaca fazendo o monitorando dos locais identificados como de risco de ocorrências. As necessidades de serviços imediatos e assistência aos atingidos são repassadas às pastas responsáveis.

Diariamente, um boletim meteorológico com informações sobre quantidade de chuva, altura da maré e prováveis temporais também é repassado para manter as equipes em alerta. O número 9 8801- 1153 foi colocado à disposição da população para informações e chamadas de emergência.

Aldair Santos, coordenador de Defesa Civil Municipal, explicou que a parceria com outras secretarias tem agilizado os trabalhos e possibilitado ações preventivas. “Nós estamos nas ruas em dias de alerta de temporal mobilizando todas as secretarias envolvidas e começamos as ações preventivas”, explicou.

Volume de lixo

De acordo com um relatório mensal de atividades da Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana, no mês de janeiro, 197 mil toneladas de resíduos foram recolhidas em Macapá.

Maioria do material foi descartado de forma irregular, como garrafas de vidro e plástico, restos de materiais de construção, carcaças de eletrodomésticos e eletrônicos e caroços de açaí. 54% desse material foi recolhido em lixeiras viciadas, que causam grandes danos ao meio ambiente e podem provocar alagamentos em canais por impedirem a vasão da água. Outros 31% estão relacionados à limpeza urbana, por meio do processo de roçagem mecanizada, capina manual e varrição. Já 12% são de resíduos de construção civil, como restos de obras e 3% de podas de árvores.

Em fevereiro foram recolhidas 190 mil toneladas de resíduos. 27% desse material estava em lixeiras viciadas, 43% estão relacionados à limpeza urbana e 22% são de resíduos de construção civil, como restos de obras e 8% de podas de árvores.

Cidade limpa, dever de todos

O compromisso de conservação da limpeza urbana também é da população. Por esse motivo, a Prefeitura de Macapá tem reforçado a necessidade do cuidado por parte da comunidade com o descarte do lixo em locais apropriados, para não entupir as passagens de água das galerias e canais da cidade.

Jogar lixo em via pública é considerado infração grave, de acordo com a Lei Complementar nº 054/2008 do município de Macapá em seu Artigo 44, que prevê multas de até R$ 1.500, além de processos nas esferas penal (Delegacia de Meio Ambiente) e/ou judicial (Ministério Público).

Mônica Silva
Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *