Poema de agora: Catarse – Adna Selvage

Catarse

Nos caminhos do coração
Todas as curvas me levam
Pro final da rua solidão
Mas não tenho mais medo
Não sou mais indefesa
Acredito na potência
Da mulher que me encara no espelho
Trocando de pele
Trocando de casa
Trocando de trabalho
Trocando de amigos
Trocando de amores
Sempre que necessário
Pra se manter à salvo
Não consigo ficar
Onde minha intensidade não caiba
Não consigo respirar
Onde não sou amada
Meu corpo é minha casa
Minha mãe, minha irmã
Minha amiga, minha namorada
Eu sou a minha própria catarse.

Adna Selvage

*Contribuição da poeta Pat Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *